Decisivo, profissional e artilheiro: Hulk é exemplo para atletas e ídolo para atleticanos

Hulk comemorando o terceiro gol atleticano na final frente ao Cruzeiro. Foto: Pedro Souza / Atlético

Por Pedro Bueno

Givanildo Vieira de Sousa é uma unanimidade dentro do futebol brasileiro. Não há razões para questionar as atuações do melhor jogador do Brasil no último ano. Ele marca gols, decide finais e demonstra um profissionalismo inacreditável. Hulk já é ídolo dos atleticanos e é um exemplo para todos os atletas que estão surgindo.

A carreira do camisa 7 do Atlético é, simplesmente, uma história de sucesso, visto que ele foi ídolo em todos os times que permaneceu por muitos anos. De Portugal para a Rússia. Depois da China para o Brasil. Todos estes países pararam para aplaudir um jogador diferente.

Hulk é muito forte e chuta muito bem, mas ele é muito – mas muito mesmo – mais do que isso. Esta análise simplista era vista em diversas mídias antes de Hulk jogar no Brasil, pois poucas pessoas o acompanhavam de verdade. Mas as atuações pelo Atlético deixam claro quão especial Hulk é.

Um atacante completo e inteligente. Um artilheiro pronto para decidir qualquer partida. Hulk já fez história pelo Atlético e quer mais em 2022, ou melhor, até 2024, já que renovou com o Galo por mais dois anos. Já para outros atletas do futebol brasileiro, Hulk é um ótimo exemplo.

O pré-Galo é exemplo

No início da sua carreira, Hulk deixou o Vitória precocemente e rumou ao Japão, onde poderia ter sido só mais um jogador que foi para o exterior rapidamente e não conseguiu emplacar. Contra todos os prognósticos, depois de quatro anos no oriente, Hulk foi observado pelo futebol europeu e foi para Portugal.

A decisão de ir para o Japão já deve ter sido correta por motivos financeiros e o resultado esportivo foi notável, visto que Hulk foi para o tradicional Porto. E conseguiu fazer história. No time português, o atacante marcou época, brilhou bastante ao lado de Falcão García e James Rodríguez e ganhou muitos títulos. Até por essa passagem marcante, Givanildo foi colocado, pelos sócios, no aniversário de 120 anos do Porto, na escalação histórica do time português, ou seja, os torcedores colocaram Hulk entre os maiores da história do clube. Desta forma, o brasileiro ganhou uma estátua. Ele é muito ídolo em Portugal!

Depois disso, Hulk foi para a Rússia e para a China. No Zenit, Hulk continuou brilhando e até disputou a Copa do Mundo de 2014, mas o grande impacto foi no ato da contratação. O time russo desembolsou incríveis 60 milhões de euros e deu a Hulk um dos maiores salários do futebol mundial. Já na China, precisamente no Shanghai SIPG, o atacante foi contratado por mais um enorme montante de dinheiro e ele rendeu, mais uma vez, o esperado.

Foram quatro anos no Japão. Ele brilhou. Foram quatro anos em Portugal. Ele se tornou um dos maiores ídolos da história do clube. Foram quatro anos na Rússia. Ele marcou época no país. Foram quatro anos na China. Ele conseguiu ir bem novamente.

Por onde passou, Hulk se tornou ídolo. Ele é especial e no Galo não seria diferente.

Chegou a vez do Brasil

Givanildo Vieira de Sousa se destacou em países diferentes, mas tinha um claro desejo: ser ídolo no Brasil. Após a tragédia na Copa do Mundo de 2014, Hulk e toda aquela geração de jogadores ficaram marcados pela terrível goleada contra a Alemanha e as análises rasas sobre o futebol do atacante o resumiam a um jogador que apenas finalizava bem e era forte. Ele rumou ao Brasil para mostrar que não era isso. E conseguiu.

Hulk chegou no Brasil sob muita desconfiança, pois o Atlético estava fazendo um enorme investimento em um jogador que “nunca havia brilhado em uma grande liga”. O menosprezo em relação à carreira de Hulk foi visto em diversos lugares e a ignorância foi substituída por elogios depois de ver a passagem do atacante pelo Galo.

No início, é verdade, Hulk estava fora de forma e não conseguiu emplacar rapidamente. Alguns jornalistas falaram que o Atlético havia cometido um equívoco e até disseram que o contrato de Givanildo deveria ter sido rescindido. Sorte dos atleticanos que isso não teve efeito dentro do clube e eles mantiveram aquele que já está entre os maiores da história do Atlético.

O atacante brilhou no Japão, Portugal, Rússia e China. Sempre com muito profissionalismo, Hulk permaneceu quatro temporadas em cada país e fez história. Chegou a vez do Brasil, o seu país, e ele já é ídolo de uma das mais apaixonadas torcidas do Brasil.

Hulk e o Galo

Uma conexão que não era imaginada há um ano, quando Hulk estava na reserva e não conseguia emplacar boas atuações. Porém, surgiu uma conexão inexplicável que resultou em cinco títulos em menos de um ano e vários gols, premiações individuais, além de uma rápida e merecida idolatria. Hulk e o Galo tem uma ligação inacreditável.

O atacante é o grande nome do futebol brasileiro desde o ano passado e se destacou em todas as competições. Atuando como referência do Galo, Hulk foi o craque em todas as recentes conquistas atleticanas. Na Copa do Brasil e Brasileirão de 2021 e no Mineiro de 2022, o camisa 7 foi o artilheiro e o jogador que mais participou de gols entre todos os atletas. Já na Libertadores de 2021, onde o Atlético caiu na semifinal, Hulk ficou como vice-artilheiro e vice-líder de participações gerais. Além disso, na Supercopa do Brasil de 2022, ele marcou o gol de empate e gols na disputa de pênalti.

Ele decidiu todos estes títulos. O Atlético é multicampeão em 2021 e 2022 por causa de um belo elenco, mas trata-se de um plantel que tem Givanildo como o grande protagonista. Como exemplo, alguns números podem ser destacados e é necessário começar com um dado recente: Hulk marcou 26 gols nos últimos 26 jogos.

Com a camisa alvinegra, Hulk já fez 77 partidas, onde foi titular 67 vezes, e marcou incríveis 47 gols e deu 14 assistências, somando assim inacreditáveis 61 participações. Segundo o SofaScore, o camisa 7 participa de um gol a cada 99 minutos em campo, ou seja, é quase uma certeza que ele participará de uma jogada que termina com a bola na rede.

Depois de ser o goleador de 2021 no futebol brasileiro, Hulk aparenta que está ainda mais focado na atual temporada. Em 2022, Hulk entrou em campo nove vezes e marcou 11 gols, ou seja, tem uma média superior a um gol por partida. Além disso, o jogador foi decisivo nos dois clássicos frente ao Cruzeiro: marcou três gols e deu uma assistência contra a Raposa.

Já é um ídolo!

Não é necessário entrar na discussão se ele já é ou se tornará o maior jogador da história do Atlético, mas somente a existência desta conversa evidencia quão diferenciado Givanildo Vieira de Sousa é.

O Clube Atlético Mineiro tem diversos ídolos marcantes. Reinaldo, para muitos, é o maior jogador da história da equipe, só que o atacante não ficou tão marcado por títulos, mesmo com o incrível hexacampeonato mineiro. As polêmicas do fim da década de 70 e início de 80 prejudicaram o “Rei”.

Por isso, Hulk tem potencial para ir ainda mais longe na história do Atlético. O camisa 7 tem ao seu lado, possivelmente, o melhor elenco que o Galo já teve e as suas características o capacitam a alcançar feitos ainda mais inacreditáveis. O atacante é dedicado, profissional, artilheiro e decisivo, requisitos para que um jogador siga brilhando por um clube. E ele seguirá buscando títulos junto da geração mais vitoriosa da história atleticana.

Hulk é muito determinado e consciente das suas responsabilidades. Não existem dúvidas acerca da sua vontade de entregar mais gols e mais títulos para a massa atleticana. Ele sabe do seu tamanho na história do Atlético e quer aumentar.

A conexão entre Galo e Hulk é linda. Enquanto ele é ídolo dos atleticanos, o atacante é um exemplo para todos os outros atletas do futebol brasileiro. Apreciem este craque!

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments