O 10 fica? Boa parte da torcida do Atlético pede, com razão, a renovação de Vargas

Eduardo Vargas se posicionando para marcar um golaço. Foto: Pedro Souza / Atlético

Por Pedro Bueno

O Clube Atlético Mineiro anunciou, em novembro de 2020, a chegada de um novo camisa 10. Sendo um claro pedido do treinador Jorge Sampaoli, Eduardo Vargas foi anunciado pelo Atlético e se tornou o primeiro chileno a atuar no lado alvinegro de Minas Gerais. A expectativa em torno da contratação era muito boa, mas os meses seguintes não foram tão animadores.

Depois da sua chegada, Vargas até decidiu um jogo contra o Athletico-PR, mas só marcou este gol frente ao Furacão nas suas dez primeiras partidas. Por isso, uma parte da torcida começou a contestar o camisa 10. Outro fator para insatisfação com o atleta foi a queda de rendimento do time de Sampaoli, o qual resultou na terceira colocação no Brasileirão. Logo, Vargas passou longe de ser uma unanimidade dentro do time mineiro.

Com o início da nova temporada, Vargas seguiu sendo o camisa 10, mas até mesmo o chileno deve ter entendido que não era mais a estrela do Galo. As chegadas de Hulk e Nacho Fernández e a saída de Jorge Sampaoli foram movimentos que “ofuscaram” o brilho do atacante chileno. Com alto salário, a sua permanência foi bastante discutida em 2021, mas houve uma reviravolta.

Na reta final da ótima temporada de 2021, Eduardo Vargas se mostrou ainda mais importante dentro do elenco e decidiu algumas partidas, se mostrando decisivo, artilheiro e frio. Sendo assim, o chileno conquistou uma grande parte da torcida alvinegra e entrou em 2022 com muita moral.

E este ano é crucial para decidir se Vargas permanece. O seu contrato chega ao fim em 2022. O 10 fica?

Eduardo Jesús Vargas Rojas, o “frio”

A reviravolta no carinho da torcida alvinegra – que é conhecida por ser bastante exigente – mostra quão importante Vargas foi em 2021, temporada em que o chileno escreveu o seu nome na história do Galo. Quando as pessoas forem analisar os artilheiros do ano mais impressionante do Clube Atlético Mineiro, Hulk é o claro destaque, mas a vice-artilharia pertence ao chileno.

Eduardo Jesús Vargas Rojas marcou 13 gols na temporada de 2021 e só ficou atrás de Hulk, autor de incríveis 36 tentos, na artilharia alvinegra. O mais impressionante do feito de Vargas é que o atacante foi reserva em boa parte do ano e deixou para marcar gols em jogos muito importantes.

Por exemplo, a única vez em que o camisa 10 marcou duas vezes pelo Atlético em uma mesma partida foi simplesmente na final da Copa do Brasil, contra o Athletico-PR. Outro importante momento em que Vargas marcou um gol decisivo foi contra o Grêmio, em jogo muito complicado no Mineirão. Hulk já havia deixado o campo e houve uma penalidade para o Galo. Vargas pegou a bola e teve muita frieza para marcar o gol da vitória.

Nascido em 1989, ou seja, com 32 anos, Vargas tem uma vasta experiência no futebol mundial e exala confiança. A coragem de pegar a bola em um momento decisivo e cobrar um pênalti com perfeição evidencia quão frio o chileno é. Nos grandes momentos, podem o chamar. Ele irá corresponder, assim como fez na carreira toda.

Os pedidos de renovação

Vargas assinou com o Atlético no fim de 2020 e o contrato se encerra neste fim de ano. Sendo assim, a partir de julho, o atleta pode assinar um pré-contrato com qualquer outro clube e deixar o Galo de graça. Obviamente, não é interessante para o time mineiro manter um jogador negociado com outra equipe e também não é uma boa estratégia deixar Vargas sair de graça, visto que ele se valorizou, assim como todo o elenco alvinegro.

Mas a principal questão é que não faz sentido o Atlético perder uma peça tão importante e que está se tornando, cada dia mais, um jogador amado pela torcida alvinegra. Obviamente, o carinho e os pedidos de renovação não são unânimes, pois podem existir atleticanos que não querem a permanência de Vargas. Entretanto, a reivindicação nas redes sociais e os pedidos para o atacante entrar no jogo contra o Cruzeiro, por exemplo, mostram quão requisitado ele está se tornando.

Com a hashtag #RenovaVargas, uma enorme parcela da torcida atleticana está invadindo as redes sociais do atleta e do time mineiro para pedir que haja uma renovação do vínculo. A permanência do chileno é entendida por boa parte dos atleticanos como um importante gesto em busca da manutenção do elenco campeão de 2021, mas também pode ser compreendida como o fim da possibilidade de Vargas reforçar qualquer rival brasileiro.

Nas últimas semanas, a renovação de Vargas foi tema do noticiário do Atlético e possivelmente este assunto esteja sendo discutido em meio aos diretores da equipe. Enquanto não há um veredito, o nome do chileno foi até ventilado em equipes como São Paulo e Corinthians. Contudo, não existe nada oficial.

A certeza que o atleticano tem é que boa parte da massa deseja a permanência de um jogador que acrescenta demais ao elenco atleticano. E eles têm razão.

A razão alvinegra

Quando o atleticano vai à rede social elogiar Vargas e pedir a sua renovação, o torcedor está com a razão. É claro que o Galo tem um elenco muito forte e perder uma peça não irá o debilitar, porém não faz sentido perder um jogador tão talentoso e entrosado com o time, caso ele queira permanecer.

Eduardo Vargas chegou e não teve tanta confiança no início. A verdade é que não foi dado o tempo necessário para o chileno se readaptar após vários anos longe do Brasil – ele estava no México e anteriormente havia jogado na Europa. Depois que se adaptou, o camisa 10 já havia se tornado reserva e em nenhum momento reclamou de ser apenas uma opção. E é importante destacar: que opção excelente é ter Eduardo Vargas para o segundo tempo!

O chileno dispensa comentários, pois é diferenciado, mas tem um talento crucial para atacantes: finaliza como poucos. Vargas tem muita habilidade para finalizar de qualquer local e sempre marca belos gols, como fez no último fim de semana contra a Caldense. Além disso, o camisa 10 é muito inteligente e é crucial taticamente: ele abre espaços, atrai a marcação e proporciona boas oportunidades para o adversário, mesmo sem tocar na bola.

Porém, recentemente, Eduardo Vargas está honrando o número da sua camisa. Desde o fim de 2021, ainda mais após o início da passagem de Diego Costa, Vargas apresentou uma característica diferente que o torna ainda mais especial. Ele armou o jogo para o Atlético em diversas oportunidades e está fazendo isso em 2022 com muita precisão. Vargas recebe no meio e circula, buscando atletas bem posicionados e decidindo qual ação irá realizar de forma correta. “Vargol” é diferente!

Enfim…

Eduardo Vargas chegou e apresentou uma certa irregularidade. É normal que o atleticano tenha se chateado em alguns momentos, mas dois fatores são certos: a reviravolta de Vargas na passagem pelo Atlético e a qualidade do chileno.

São 16 gols em 64 jogos – um a cada quatro partidas. Além disso, são apenas nove derrotas e incríveis três taças, sendo personagem importante do ano mais importante da história do Atlético. Indo para o outro fator, a qualidade de Vargas é enorme e o atleticano sabe disso. Se movimentando, Vargas é um atacante muito diferente.

O atleta não é centroavante como Diego Costa. Também não é ponta driblador como Keno. Além disso, ele não é articulador como Nacho Fernández. No entanto, Eduardo Vargas é um atacante tão completo que é finalizador como Diego, ágil como Keno e criador como Nacho – obviamente não possui estas características nas mesmas proporções que os exemplos.

Vargas é um atacante muito útil e pode fazer parte de mais glórias alvinegras. Ele substitui qualquer peça ofensiva atleticana e pode, facilmente, seguir como 12º jogador. Na verdade, ele briga por uma vaga ofensiva no time titular ao lado de Hulk, visto que ele abre espaços cruciais para o artilheiro do Galo.

Eduardo Jesús Vargas Rojas é um atacante completo e o Atlético tem nas mãos um grande jogador. O contrato está se encerrando e o Atlético sabe da importância da manutenção do chileno. Se ele quiser ficar e renovar com o clube mineiro, que sorte do Atlético. Vargas é acima da média!

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Comentários

Subscribe
Notify of
guest
1 Comentário
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
luciano cadalora

Vargas foi o contrario de Natcho. Começou mal e depois subiu de produção, mostrando ser muito util e em varias posições. Ja Natcho começou bem e foi caindo e hoje corre a esmo no campo demonstra cansaço ainda no primeiro tempo e pouco produz para o investimento feito. O assunto não é a comparação entre os dois, mas a titulo de retorno ao clube eu prefiro o Vargas.