Pode deixar, Edu e Roque decidem! Cruzeiro vence e se classifica na Copa do Brasil

Edu marcou dois gols na etapa final! Foto: Staff Images.

Por Pedro Bueno

O Cruzeiro tem uma dupla que está cada dia mais conquistando o coração do torcedor. O centroavante Edu e o jovem Vitor Roque já estavam se destacando e resolveram “sozinhos” a partida desta noite, classificando a Raposa.

Roque marcou o primeiro gol, após ótimo cruzamento de Fernando Canesin. O mesmo Vitor Roque fez linda jogada pela direita e foi derrubado na área. Na cobrança do pênalti, Edu fez o seu e ganhou confiança para marcar novamente. Logo na sequência, aproveitando cobrança de falta de Pedro Castro, o centroavante empurrou para o fundo das redes.

Um artilheiro que marca com frequência. Uma joia a ser lapidada que marcou cinco vezes nos últimos cinco jogos. Edu e Vitor Roque decidiram novamente e o Cruzeiro saiu de campo com a classificação. E vale destacar, o campo era bem ruim.

Na modesta cidade de Tuntum, o maior campeão da história da Copa do Brasil enfrentou a equipe que foi fundada há nove meses. O Tuntum conta com um estádio bem simples e um gramado precário, porém conseguiu duelar com o Cruzeiro e, mesmo com a evidente inferioridade dos elencos, a equipe maranhense tentou competir.

Mesmo com as tentativas dos donos da casa, o Cruzeiro não correu riscos e bateu o Tuntum por 3 a 0. Um placar que colocou a equipe mineira na terceira fase da Copa do Brasil. E a classificação só aconteceu pela dupla Edu e Roque!

A classificação

Assim como em 2020 e 2021, anos em que o time esteve na Série B, o Cruzeiro conseguiu se classificar nas duas primeiras etapas da Copa do Brasil. Porém, nesta edição, os resultados e as atuações mostram um Cruzeiro diferente.

A Raposa venceu o Sergipe por 5 a 0 na primeira fase, em um atropelo marcante da equipe mineira. Já na segunda fase, o Cruzeiro venceu o Tuntum por 3 a 0 e garantiu a sua vaga em uma fase em que a competição começa a complicar bastante. Além da vaga, a equipe receberá a importante premiação de 1,9 milhões de reais.

A partir da terceira fase, os 20 clubes que sobreviveram na Copa do Brasil se juntam aos 12 times que não disputaram as primeiras fases. Além dos nove classificados para a Libertadores – Atlético, Flamengo, Palmeiras, Fortaleza, Red Bull Bragantino, Corinthians, Fluminense, América e Athletico-PR -, o Botafogo (atual campeão da Série B), o Bahia (campeão da Copa do Nordeste) e o Remo (campeão da Copa Verde) também entrarão nesta fase.

Sendo assim, o Cruzeiro e os outros 19 classificados para a terceira fase entrarão em um complicado sorteio que será realizado em 28 de março, na sede da CBF. Será que o Cruzeiro enfrentará um grande adversário? Vale destacar que os clubes serão divididos em dois potes neste sorteio, a partir da posição destes times no Ranking da CBF.

Uma etapa inicial bem animada

Um confronto entre o modesto Tuntum e o Cruzeiro em um campo bem debilitado não era o cenário perfeito para um bom jogo. No entanto, os 45 minutos iniciais foram bem mais animados do que todos imaginavam. A partida entre as equipes contou com 14 finalizações no primeiro tempo e quem mais finalizou, surpreendentemente, foi o Tuntum.

Os donos da casa chutaram oito vezes no primeiro tempo. Aos 11, Andrezinho chutou para fora, iniciando a boa sequência de arremates da partida. Três minutos depois, Vagalume arriscou e Rafael fez a defesa. O mesmo Andrezinho ainda finalizou outras vezes e a melhor chance do Tuntum saiu dos pés do atacante, mas ele estava impedido.

No minuto 24, Andrezinho concluiu um ótimo contra-ataque do time maranhaense com uma finalização no gol, que obrigou Rafael Cabral a fazer grande defesa, só que o bandeirinha já havia marcado corretamente o impedimento. Já nos minutos finais, Abu arriscou de fora e o goleiro do Cruzeiro fez outra boa defesa.

O gol de Roque e as tentativas de Edu

Já o Cruzeiro finalizou menos vezes que o modesto rival – seis contra oito chutes do Tuntum -, mas teve precisão para abrir o placar. Na sua primeira chegada no ataque, aos 11, o Cruzeiro contou com ótimo cruzamento de Fernando Canesin e cabeceio de Vitor Roque para abrir o placar.

Mais um gol da promessa cruzeirense, mas este tento deveria ter sido anulado pelo bandeirinha, visto que, pela a única imagem disponibilizada pela transmissão, Roque estava um pouco à frente da marcação e o impedimento deveria ter sido marcado.

Mesmo com a vantagem, o Cruzeiro teve boas chances e poderia ter marcado mais gols na primeira etapa. Waguininho, após bela caneta de Roque, girou dentro da área e bateu – Danilo Pessoa fez a defesa.

Já Edu estava procurando jogo, precisamente, com a perna esquerda. O centroavante arriscou três vezes durante o primeiro tempo e levou perigo em todas, mas só acertou a meta aos 40. Novamente, Danilo Pessoa fez a defesa, encerrando um movimentado primeiro tempo com 1 a 0 no placar.

O segundo tempo do artilheiro

A segunda etapa começou tão movimentada quanto o primeiro tempo e o Cruzeiro ampliou o placar rapidamente. No minuto 3 do segundo tempo, Vitor Roque fez uma linda jogada individual pela direita, passou por dois marcadores e, ao driblar o terceiro defensor, foi derrubado dentro da área. Corretamente, o árbitro marcou pênalti para a Raposa. Na cobrança, Edu foi calmamente para rolar a bola no meio do gol, enquanto Danilo Pessoa pulou para o seu lado esquerdo. Gol do artilheiro do Cruzeiro e 2 a 0 no placar.

Depois disso e devido à clara vantagem, o jogo esfriou um pouco. O Cruzeiro até aproveitou para poupar algumas peças: Vitor Roque, João Paulo e Fernando Canesin saíram para as entradas de Bruno José, Pedro Castro e Adriano, respectivamente.

Só que Edu queria marcar mais e ele ampliou o placar. Após escanteio para o Cruzeiro cobrado pela direita aos 14, houve um desvio aéreo e a bola sobrou para Edu tentar uma “puxeta”. O movimento acrobático aconteceu, mas a bola foi para fora. Entretanto, o atacante não desistiu e marcou no minuto 19. Depois de falta cobrada por Pedro Castro, Danilo Pessoa deu rebote e Edu estava lá, em posição legal, para empurrar com o pé esquerdo para o fundo das redes. Mais um gol do artilheiro cruzeirense e 3 a 0 no placar.

O fim tranquilo do segundo tempo

Obviamente, o Cruzeiro ficou mais tranquilo com a classificação garantida, tendo em vista os três gols de vantagem. Até por isso, foi o Tuntum que levou mais perigo na segunda metade do segundo tempo. Em duas cobranças de falta do time maranhense, a bola ficou na barreira. Já em um chute na entrada da área e em uma falta de longa distância, Rafael Cabral teve que fazer boas defesas para garantir mais um jogo sem ver a sua rede ser balançada.

Já a Raposa quase não atacou nos minutos finais. Até por isso, Paulo Pezzolano aproveitou para fazer mais mudanças: Edu e Rômulo deixaram em campo e Giovanni e Vitor Leque entraram. O outro momento cruzeirense que chamou a atenção foi a expulsão de Eduardo Brock, zagueiro que recebeu dois cartões amarelos em sequência e está fora da primeira partida da terceira fase.

A dupla cruzeirense

Não existem dúvidas. O Cruzeiro tem dois jogadores que são titulares absolutos do ataque. Edu e Vitor Roque estão em ótima fase e deixam claro que são as melhores opções dentre ao elenco cruzeirense. Aparentemente, até Paulo Pezzolano concorda com isso e Edu só ficou fora da última partida do estadual porque estava no departamento médico – tanto que atuou com um capacete nesta partida.

O campo não mente e os números também não. Com os dois tentos desta noite, Edu alcançou o oitavo gol na temporada. Já Vitor Roque chegou ao quinto gol na sua carreira e o fato que evidencia a sua grande fase é que todos estes tentos aconteceram nas últimas cinco partidas, ou seja, ele tem uma média recente de um gol por jogo.

Também é importante destacar que o Cruzeiro chegou ao 28º gol em 2022 e Edu e Roque marcaram 13, ou seja, quase metade das bolas que balançaram as redes para a Raposa saíram dos pés dos dois atacantes. Eles são os titulares, não existem dúvidas acerca disso.

O Cruzeiro resolveu um longo problema com a contratação do artilheiro da Série B de 2021. Edu chegou e tomou conta de uma posição que estava sem dono há anos, já que Marcelo Moreno e Thiago não conseguiram ir bem em 2020 e 2021.

Já Vitor Roque é a joia que o Cruzeiro tem nas mãos. Ele deve ser lapidado com muita atenção e calma. Enquanto isso, o camisa 39 irá marcar os seus gols. O jovem de 17 anos também se consolidou como titular da ponta-direita.

Edu e Roque se completam. Sorte do Cruzeiro!

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments