Mão cheia! Cruzeiro goleia e assume a vice-liderança, em jogo marcado por pênaltis para a Raposa

Daniel Jr. e Waguininho marcaram para o Cruzeiro! Foto: Staff Images

Por Pedro Bueno

Cinco gols em 90 minutos. Pela primeira vez na temporada, o Cruzeiro viu o Mineirão explodir com uma goleada. O time havia passado por cima do Sergipe, mas a apaixonada torcida azul celeste merecia uma grande vitória em Belo Horizonte. E a Raposa atropelou.

Foi uma vitória de mão cheia. Cinco gols e uma intensidade absurda até o apito final. O Cruzeiro aproveitou a fragilidade do lanterna do Mineiro, o Pouso Alegre, e ganhou muita confiança. A vitória por 5 a 1 mostra que a equipe da capital teve seriedade durante toda a partida, mesmo sem riscos de perder o jogo, e conseguiu se impor dentro de campo.

É verdade que não teve um grande desempenho defensivo e isso faz com que a atuação cruzeirense não seja perfeita, mas não é possível ignorar um belo placar construído por um ataque que estava com fome de gols e com o pé na forma. O Cruzeiro acertou dez finalizações na meta de Alencar e 50% das tentativas entraram. Um aproveitamento de um time que até sentiu falta de Edu nos 30 primeiros minutos, mas se acertou e mereceu a vitória.

No entanto, a grande curiosidade do jogo foi a bola na marca da cal – duas vezes. Após uma semana com diversos debates sobre a arbitragem do clássico, o Cruzeiro sofreu dois pênaltis na mesma área que tanto reclamou contra o Atlético. A segunda penalidade, sofrida por João Paulo, foi evidente e não existem discussões. Todavia, a primeira infração marcada levanta dúvidas, visto que a única imagem disponibilizada pela transmissão não deixa claro se a bola tocou no braço ou no peito do jogador do Pouso Alegre.

Independente disso, João Paulo cobrou as duas penalidades com perfeição e ajudou o Cruzeiro a golear o Pouso Alegre por 5 a 1 no Mineirão.

A tabela

A vitória deste domingo, 13 de março de 2022, garantida com os dois gols de João Paulo e também com tentos de Daniel Jr., Rafael Santos e Waguininho, foi importantíssima para o time azul celeste ganhar confiança, pois qualquer clube no mundo se torna mais forte depois de ver um 5 a 1 no placar. Porém, além disso, a goleada tem uma enorme importância na classificação.

Por causa da vitória, obviamente, e devido aos quatro gols de diferença, o Cruzeiro assumiu a segunda colocação do Campeonato Mineiro. O time está na vice-liderança porque chegou aos 22 pontos e 11 gols de saldo, deixando o Athletic em terceiro com a mesma pontuação e um gol a menos de saldo.

A Raposa já está classificada para a semifinal, mas tem uma missão quase impossível para terminar a fase inicial na liderança. Na última rodada, o Cruzeiro precisa vencer o Patrocinense, fora de casa, e torcer para o seu grande rival Atlético ser derrotado pela Caldense no Mineirão. Vale destacar que a equipe de Patrocínio está lutando para evitar o rebaixamento, enquanto o time de Poços de Caldas está garantido na quarta posição, sem chances de subir ou descer na tabela durante a rodada final.

Logo, tendo visto as dificuldades para retornar à liderança restando apenas um jogo, a disputa cruzeirense na última rodada deve ser pela vantagem na semifinal do Mineiro, a qual é garantida com a segunda posição. O Athletic enfrenta o Villa Nova, em casa, e não pode vencer por dois gols de diferença a mais que o Cruzeiro. Em caso de tropeço cruzeirense e vitória do Athletic, o time de São João del Rei termina em segundo, deixando o Cruzeiro sem a vantagem de jogar por dois resultados iguais na semi.

Início mais calmo e só uma grande jogada

O primeiro tempo não foi tão animado no início. A grande jogada que aconteceu antes dos 35 do primeiro tempo teve início em um ótimo passe de Fernando Canesin. O meio-campista, que atuou como segundo volante nesta partida, fez um lançamento perfeito para Rômulo. O lateral-direito recebeu nas costas da defesa, entrou na área e viu Vitor Roque em boas condições, mas a defesa cortou o lance e cedeu um escanteio pela direita.

No escanteio, Daniel Jr. fez um ótimo cruzamento para fora da área e a bola encontrou o peito de Rafael Santos. O lateral, que estava livre próximo da meia-lua, aproveitou a liberdade, dominou com perfeição e bateu de primeira, com a perna esquerda. Seria um golaço, mas a bola passou ao lado da trave esquerda do goleiro Alencar e arrancou suspiros da torcida azul celeste.

A bola quase entrou e deu moral para uma equipe que teve 60% de posse de bola no primeiro tempo e conseguiu articular algumas tramas, principalmente pelo lado esquerdo. Além disso, Rômulo levou perigo em algumas finalizações pela direita e o Cruzeiro estava fazendo uma boa partida, mas sem poder de fogo. Já o Pouso Alegre marcava bem e tentava escapar, principalmente com Ebere. Porém, o jogo mudou na reta final da primeira etapa.

Três gols em 10 minutos

A postura cruzeirense foi premiada com um gol no minuto 36, quando Fernando Canesin pressionou a saída de bola, tocou para Waguininho e o camisa 11 abriu para Vitor Roque. A jovem promessa rolou para o meio e encontrou o mesmo Canesin, meia que tentou uma cavadinha e o goleiro fez a defesa. Contudo, no rebote, Daniel Jr. tentou de cabeça, furou e conseguiu balançar as redes com o pé esquerdo. Um gol que contou com a participação de todos os jogadores do ataque cruzeirense. Um tento para abrir o placar.

A Raposa até chegou novamente minutos depois, em cruzamento rasteiro de Daniel Jr. Waguininho iria fazer o pivô no meio e caiu pedindo pênalti. A arbitragem mandou o jogo seguir e a bola foi desviada pela defesa cruzeirense, sobrando assim nos pés de Vitor Roque. O jovem arriscou e a bola passou perto da trave direita de Alencar.

O Cruzeiro estava em cima, perseguindo um segundo gol, mas foi o Pouso Alegre que marcou. Após uma dividida polêmica envolvendo Fernando Canesin e Ebere, onde a única câmera disponibilizada pela transmissão realmente mostrou que foi falta não marcada em Canesin, Ebere rolou para Carlinhos e o volante teve muita facilidade para marcar. Carlinhos limpou Lucas Oliveira e bateu no canto direito de Rafael Cabral, goleiro que não alcançou a bola.

O empate estava no placar e o Cruzeiro poderia se desestabilizar, mas a equipe reagiu rapidamente e retomou a liderança do placar. No minuto 45, João Paulo cobrou falta na área e a zaga do Pouso Alegre cortou, mas não conseguiu afastar o perigo. Na sobra, Waguininho pegou, fez um lindo drible para cima de Gledson e bateu de perna esquerda. A bola balançou as redes de Alencar e o Cruzeiro encerrou a primeira etapa com 2 a 1 no placar.

Pênaltis e definição da goleada

A segunda etapa começou com a mesma pegada dos 45 minutos iniciais, já que saiu um gol rapidamente. Depois de bola levantada na área, Waguininho tentou e a bola ficou na posição certa para Willian Oliveira dar uma bicicleta. O volante cruzeirense fez o movimento e a bola acertou a mão do zagueiro Luanderson, segundo a marcação do árbitro. O juiz assinalou o pênalti para o Cruzeiro aos 9, mas a imagem mostrada pela transmissão não foi tão conclusiva, visto que a bola pode ter batido no peito.

Mesmo assim, João Paulo, atleta que não tem nada a ver com a marcação, pegou a bola e cobrou com perfeição a penalidade máxima: goleiro para o lado esquerdo e bola apenas rolada no canto direito. A torcida comemorou bastante: 3 a 1 no placar do Mineirão.

O Pouso Alegre não tinha qualidade suficiente para colocar em dúvida a vitória cruzeirense, mas o time do interior tentou algumas vezes até o fim da partida – todas as tentativas não tiveram sucesso. A chance mais plástica aconteceu com Hugo Freitas, após passe de Gledson: o camisa 20 recebeu na entrada da área e deu uma linda bicicleta que passou perto da trave esquerda de Rafael Cabral.

Enquanto o adversário não demonstrava qualidade para diminuir o placar, o Cruzeiro até diminuiu o número de tramas ofensivas, mas acabou mostrando muita intensidade nos minutos finais, intensidade que acarretou a goleada.

Aos 42, João Paulo driblou Wesley dentro da área e o meia do Pouso Alegre deu um carrinho que pegou somente nas pernas do jogador cruzeirense. Corretamente, o árbitro assinalou a penalidade máxima e o mesmo João Paulo cobrou com muita frieza no meio do gol.

Para finalizar e definir, de vez, a goleada, o Cruzeiro aproveitou o rebote do escanteio adversário e fez o quinto gol. Bruno José lançou e Rafael Santos disparou, livre, desde o meio do campo. O lateral-esquerdo posicionou corretamente o corpo e, na saída de Alencar, chapou no canto direito do goleiro para definir o placar: 5 a 1 para o Cruzeiro no Mineirão!

Festa cruzeirense em partida que ficou marcada pelos pênaltis. Obviamente, as penalidades máximas não diminuem os feitos cruzeirenses, visto que a equipe jogou bem mais que o adversário, mas foi curioso acompanhar a primeira partida cruzeirense pós-clássico com duas penalidades até então inéditas na temporada.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Comentários

Subscribe
Notify of
guest
1 Comentário
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Nestor

Sempre sonhei com uma carreira no futebol. Infelizmente não tive essa oportunidade. Mas recentemente consegui realizar meus sonhos graças ao jogo FootballTeam. No jogo, criamos e focamos a carreira do nosso futebolista. Este é um jogo muito bom: https://footballteamgame.com/br