A repercussão da possível volta de Alonso evidencia quão marcante foi a sua passagem no Atlético

Foto: Pedro Souza / Atlético

Por Pedro Bueno

Infelizmente, estamos acompanhando os primeiros capítulos de uma possível guerra. A Rússia invadiu a Ucrânia e o mundo fala apenas destas notícias, visto que é muito importante deixar claro tudo que está acontecendo no outro lado do planeta. Porém, enquanto uma solução pacífica é esperada por todas as pessoas para não aumentar a tragédia nos países da antiga União Soviética, o futebol brasileiro vê estas questões com um outro olhar.

Obviamente, ninguém está satisfeito com o início de um perigoso confronto armado, mas alguns times brasileiros estão se movimentando para estarem prontos caso os atletas que jogam nos países envolvidos apresentem o desejo de voltar a atuar no Brasil. É muito triste ver alguns atletas terem que abrir mão dos seus sonhos por causa de uma guerra e os clubes brasileiros podem ser, no futuro, a forma destes jogadores permanecerem jogando, enquanto Rússia e Ucrânia resolvem a terrível situação bélica.

Em meio aos jogadores especulados, o torcedor do Atlético tem razões para especular o retorno de um atleta que acabou de sair. Sim, a torcida atleticana já está com saudades dele. Júnior Alonso foi vendido neste início de ano ao Krasnodar-RUS por 8,2 milhões de dólares, mas os torcedores alvinegros ainda sentem saudades do xerife paraguaio, capitão no ano mais especial da história do Atlético.

Após chegar em 2020 e brilhar em 2021, Junior Alonso não teve tanto tempo, mas demonstrou todo o seu talento, seriedade e comprometimento para se tornar, rapidamente, um ídolo do Galo.

E este carinho da torcida junto da importância da passagem do camisa 3 pelo Atlético ficaram evidente com a rápida repercussão sobre a possível volta de Junior Alonso. Não é um movimento fácil e a situação está bem incerta, mas o atleticano quer sonhar.

A situação

Vários jogadores sul-americanos estão sendo especulados em seus países de origem por um óbvio motivo: nenhuma pessoa deseja estar próximo de uma guerra. Após a invasão da Rússia na Ucrânia, vários países estão se movimentando para boicotar os russos e novos ataques podem surgir, visto que o conflito aparenta estar longe de uma solução.

Além do terrível clima bélico, que claramente traumatiza as pessoas, algumas sanções podem prejudicar a qualidade de vida no país. Para tentar impedir confrontos maiores, alguns países já deixaram de fazer acordos com a Rússia e novas tentativas devem fazer com que produtos e serviços desapareçam do país. Além disso, a diminuição do investimento externo pode impactar o futebol e, consequentemente, fazer com que os clubes abaixem a sua folha salarial, diminuindo assim o espaço de atletas sul-americanos.

Logo, o atleta está passando por duas situações terríveis, sendo que a primeira é completamente assustadora. Presenciar uma guerra deve ser algo inacreditável e traumatizador, ou seja, é necessário ter cuidado com todos que lá residem. O outro ponto passa pela parte financeira que é um enorme detalhe, visto que os vencimentos mensais fazem com que jogadores latinos deixem o seu continente tropical para jogar do outro lado do mundo, na gelada Rússia.

Com estes argumentos seria claro que os sul-americanos voltariam, mas a incerteza faz com que a volta de Alonso e de outros jogadores sejam apenas especulações. Não é sabido quanto tempo durará a guerra, se o Campeonato Russo, que retorna neste fim de semana, irá parar e como seria o modelo de negociação que os clubes russos e ucranianos fariam para “devolver” os seus jogadores para a América do Sul.

De toda forma, enquanto tudo isso acontece, o atleticano está sonhando com a volta de um ídolo.

Quão marcante foi a passagem de Alonso

Foram quatro títulos em um ano e meio. Bicampeão do Mineiro e vencedor da Copa do Brasil e do Brasileirão em 2021, Junior Osmar Ignacio Alonso Mujica marcou o seu nome na história atleticana e se tornou um dos grandes símbolos de um time que, assim como o zagueiro, se mostrou muito sério durante toda a temporada.

Pelo Atlético, além das quatro taças conquistadas em 18 meses pelo clube, Junior Alonso fez 89 jogos, venceu 57 vezes, marcou dois gols e não deixou faltar raça dentro de campo. Comprometido desde o primeiro minuto, Alonso se tornou capitão do Atlético rapidamente e tem um carinho enorme da torcida alvinegra que o chama, carinhosamente, de xerife.

A sua seriedade combinou com a seriedade da equipe em 2021. O zagueiro “não gosta” de sorrisos, mas, curiosamente, o seu futebol acarretou várias formas diferentes de emoção na última temporada. Por causa de tudo isso, Alonso se tornou um líder.

Regularidade, disposição e qualidade. Estas são três características marcantes do defensor paraguaio, porém poderia ficar muito tempo elogiando um zagueiro que esteve à disposição em quase todas as partidas do Atlético nos últimos dois anos, ficando fora apenas por causa da data FIFA.

O talento da perna esquerda de Junior Alonso provocou uma idolatria da torcida alvinegra que, até entendeu a saída do zagueiro – por causa dos altos valores -, porém irá pedir o retorno do zagueiro em todas as janelas. E o conflito na Rússia acarretou uma movimentação da torcida atleticana.

Qual é a realidade?

Junior Alonso não precisou de muito tempo para marcar o seu nome na história do Atlético e as conquistas falam por si. A sua saída foi bem organizada, visto que rendeu uma boa quantia para o clube mineiro, e, até por este alto investimento feito pelos russos, o retorno não é tão fácil assim.

A torcida atleticana foi para as redes sociais, colocou a hashtag #VoltaAlonso nos assuntos mais comentados do Twitter e provocou até uma postagem “enigmática” do zagueiro. Junior publicou no seu perfil um emoji de olhos, deixando a impressão que estava de olho na movimentação feita pela massa alvinegra.

Só que não são hashtags que contratam e, dificilmente, o Krasnodar abrirá mão de um ótimo zagueiro recém-contratado. Até por isso, o GE apurou com fontes próximas ao jogador e a resposta para uma possível volta é que existem pouquíssimas chances.

No entanto, todo o cenário ainda é bem incerto. Ninguém sabe o que acontecerá na Rússia e Ucrânia nos próximos dias e como o futebol funcionará nestes países. Caso seja paralisado, as chances de retorno por empréstimo aumentarão, porque obviamente não faz sentido para o Krasnodar ficar com um atleta sem jogar e sem render dinheiro.

Portanto, ainda não há nenhuma certeza sobre a possível volta de Júnior Alonso. O cenário bélico pode acarretar um retorno provisório ao Atlético, mas a torcida de todos é que esta guerra passe logo.

Enquanto isso, o atleticano vai deixando claro nas redes sociais quão marcante foi a passagem de Alonso. Capitão no ano mais especial da história do clube, o ótimo zagueiro canhoto sempre será lembrado pela torcida alvinegra. As portas estarão sempre abertas para o sorriso (ou sem sorriso mesmo, como de costume) de Júnior Alonso.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments