Um 2º tempo fenomenal! Cruzeiro atropela o modesto Sergipe, vê Roque brilhar e se classifica

Vitor Roque vibrou bastante após a bela atuação. Foto: disponível no Twitter do Ronaldo.

Por Pedro Bueno

Dois tempos completamente distintos. A etapa inicial foi bem ruim, onde o Cruzeiro teve apenas João Paulo como destaque ofensivo e, mesmo assim, o meia chamou a atenção pelos erros no momento da finalização. Já o segundo tempo foi o oposto. Usando o apelido do novo dono do Cruzeiro, a metade final do jogo desta noite foi fenomenal.

O técnico Paulo Pezzolano foi muito feliz nas mudanças, colocou jogadores que foram bem em campo e ainda deu 45 minutos para Vitor Roque brilhar com dois gols e uma ótima atuação individual. Além disso, o treinador viu Edu marcar pelo quinto jogo consecutivo que entrou em campo e uma ótima atuação de Thiago, centroavante que substituiu o artilheiro da Raposa.

Logo, foi uma partida com várias boas respostas e uma classificação para a segunda fase da Copa do Brasil. O Cruzeiro receberá 1,5 milhões para disputar a próxima etapa da competição de mata-mata contra o Tumtum-MA e o maior campeão do torneio quer voltar a ter boas participações no campeonato de mata-mata, mas é necessário ressaltar um ponto desta vitória.

O Cruzeiro atropelou o Sergipe nesta noite, 23 de fevereiro, no Batistão. O placar de 5 a 0 não deixa dúvidas. No entanto, é necessário destacar quão frágil é o adversário para que um desempenho semelhante não se torne uma exigência, mas sim uma ambição distante. Não será possível golear o Atlético na próxima partida, tampouco os adversários da Série B, e entender isso é um passo importante.

A equipe mineira está em um importante processo de reconstrução. A ilusão em grandes feitos pode desequilibrar um time que tem como missão ficar entre os quatro primeiros da segunda divisão nacional. É esta a realidade. E as goleadas? Aproveitem elas, mas sem vislumbrar um retorno rápido ao nível mais alto do futebol brasileiro. Pequenos e vagarosos passos devem ser dados e que boa notícia para o processo contar com vitórias como o triunfo desta noite.

O Cruzeiro foi representado por João Paulo no primeiro tempo

Bem participativo, mas errando bastante. A frase anterior pode ser utilizada tanto para a atuação do Cruzeiro na etapa inicial, quanto para o desempenho do camisa 28 do time mineiro. João Paulo buscou o jogo, foi protagonista das ações ofensivas e chamou a atenção, porém acabou errando bastante e o placar não foi alterado.

Logo no minuto 8, Rômulo fez boa jogada pela direita e cruzou. A bola passou pelo goleiro e João Paulo finalizou, mas o chute foi devagar e João Gabriel, mesmo podendo pegar com as mãos, foi com os pés e salvou o Sergipe. Na sequência, João Paulo cobrou escanteio curto e Rafael Santos cruzou para a área. Lucas Oliveira subiu e cabeceou, mas João Gabriel fez a defesa. Aos 21, João Paulo pressionou a saída de jogo do rival, roubou a bola e recebeu um lindo passe de calcanhar de Edu. O meia finalizou e, desta vez, a bola explodiu na defesa dos donos da casa.

O camisa 28 também foi protagonista na jogada no minuto 34. João Paulo começou a trama pela direita e tocou para Machado, porém o meia bateu mal de fora da área. No rebote, a bola ficou “pingando” na área, até que parou nos pés de João Paulo e ele, livre de marcação, arriscou. Nesta oportunidade, João Gabriel encaixou. A última boa jogada na etapa inicial com participação do meia, destaque do primeiro tempo pela participação e decepção pela sucessão de erros, aconteceu aos 43. Edu virou o jogo para João Paulo e o meia ajeitou para Willian Oliveira bater de fora da área. A bola passou próximo da trave direita do Sergipe.

Enquanto todas as boas , contudo nada produtivas, jogadas cruzeirenses contaram com a presença de João Paulo, os mandantes tiveram apenas uma chance, mas a oportunidade foi real. Aos 27, após cruzamento de Gilmar que foi bem afastado pela zaga, a bola sobrou nos pés de Kaio Wilker, atacante que driblou Lucas Oliveira e bateu cruzado. Rafael Cabral desviou levemente na bola e impediu que ela fosse para dentro do gol. A bola ainda passou muito próxima da trave esquerda, assustando os cruzeirenses.

Em resumo, o Cruzeiro dominou, mas acabou vendo João Paulo chamar a responsabilidade – algo positivo – e errando muito – algo negativo. Por isso, o empate persistiu no placar nos 45 minutos iniciais.

O atropelo

Enquanto o primeiro tempo ficou marcado pelos erros, a etapa final foi completamente diferente. O Cruzeiro aproveitou todas as chances, atropelou o rival e, mesmo sofrendo alguns sustos, principalmente quando a vantagem ainda era de apenas um gol, a equipe mineira teve uma atuação quase perfeita.

Logo no minuto 6, João Paulo tocou para Giovanni e o meia cruzou, encontrando a cabeça de Edu. O artilheiro cruzeirense, que estava em posição duvidosa, cabeceou quase dentro da pequena área e abriu o placar e a “porteira” do rival.

No entanto, mesmo em uma boa atuação na etapa final, o Cruzeiro correu riscos após fazer o primeiro gol. No minuto 10 e 11, o Sergipe chegou duas vezes com perigo e até acertou a trave com Doda. Já aos 19, Sílvio chegou a empatar a partida, mas o bandeirinha marcou corretamente o impedimento. Já no fim do duelo, com a goleada cruzeirense consolidada, Kaio Wilker também acertou a trave.

A porteira se abriu mesmo após outras boas mudanças do técnico do Cruzeiro. Paulo Pezzolano já havia mudado o jogo com a entrada de Vitor Roque na vaga de Waguininho e seguiu movendo corretamente as peças do seu elenco. Aos 23, João Paulo, destaque da primeira etapa que seguiu jogando bem, recebeu no meio, teve muito espaço e acertou um lindo chute, encobrindo João Gabriel. Um golaço para acelerar a goleada cruzeirense.

Logo quatro minutos depois, o Cruzeiro pressionou a saída de bola do Sergipe e a bola ficou com Matheus Bidu. O lateral tocou para Thiago – dois jogadores que saíram do banco – e o atacante cavou frente a frente com o goleiro, marcando o terceiro gol cruzeirense: 3 a 0 no placar até então.

O brilho de um adolescente

O que você estava fazendo com 16 anos de idade? Na verdade, a melhor pergunta para você, leitor, é o que você estava fazendo em 2005? Você se lembra da final da Copa das Confederações de 2005, quando o Brasil atropelou a Argentina por 4 a 1? Então, um destaque cruzeirense havia acabado de completar quatro meses de vida naquela oportunidade.

Vitor Roque marcou o seu primeiro gol como profissional no fim de semana e, aparentemente, ganhou confiança. O jovem que completa 17 anos na próxima segunda-feira entrou no intervalo desta partida frente ao Sergipe, mostrou todo o seu talento, mudou completamente o jogo e marcou dois gols.

Aos 38, Thiago fez ótima jogada pela direita e fez um belo passe para Vitor Roque. O camisa 39 recebeu e bateu com a perna direita para o fundo das redes. Três minutos depois, Rafael Santos recebeu na esquerda e cruzou. Mesmo menor que os adversários, Vitor Roque subiu bastante, ganhou no alto, cabeceou forte e a bola ainda bateu no travessão antes de balançar as redes novamente.

Dois gols de um atleta que já quer jogar “futebol de gente grande”. Trata-se de uma das grandes promessas cruzeirenses e, até por isso, deve existir uma calma. Vitor Roque aproveitou a partida frente ao modesto Sergipe para marcar dois gols e ganhar moral. mas ele ainda não pode ser tratado como a solução da Raposa, visto que é sempre esperada uma certa irregularidade de jovens atletas.

Por isso, torcedores, calma! Vitor Roque aparenta ser diferente dos outros jogadores, mas ainda é muito cedo para cravar se é uma joia que renderá milhões de reais. Enquanto isso, Paulo Pezzolano sabe que terá que dar mais espaço para o menino e ele deve almejar boas partidas para alavancar a sua carreira e ajudar o Cruzeiro. Roque brilhou ao finalizar a goleada por 5 a 0. Olho nele!

Ele é viciado em marcar gols

Mesmo com o merecido destaque para Vitor Roque, um outro atleta merece ser ressaltado – mais uma vez -, pois o Cruzeiro, aparentemente, foi certeiro no mercado. Após ver a movimentação do time mineiro ao buscar o artilheiro da Série B de 2021, muitas pessoas afirmaram que se tratava de uma boa escolha, visto que é um jogador que teria a grande oportunidade da sua carreira. No entanto, praticamente ninguém acreditava que o efeito seria tão imediato.

Edu chegou no início do ano e havia a discussão sobre qual seria o centroavante titular do Cruzeiro. Porém, o atacante precisou de poucos jogos para provar que não deve haver muitas discussões sobre este tema, já que o camisa 99 é “viciado” em marcar gols.

O centroavante cruzeirense marcou gols em todos os últimos cinco jogos que entrou em campo, decidindo partidas – como contra a Caldense, Democrata e Uberlândia – ou marcando gols importantes para garantir pontos – Villa Nova – ou para tirar o empate do placar – como nesta noite.

Edu não é um dos mais talentosos atacantes que a Raposa já teve, mas tem uma determinação e um faro de gol que pode colocar o atacante em outro patamar na história do Cruzeiro. O centroavante já mostrou muita vontade em ajudar o clube nesta reconstrução e os seis gols em oito jogos em 2022 deixam a torcida animada com razão.

O curioso é que Thiago também entrou e marcou um gol para a Raposa. Essa disputa é ótima para o clube, mas Edu está claramente à frente.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Comentários

Subscribe
Notify of
guest
1 Comentário
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Gaspar

Se você gosta de futebol, eu recomendo que você jogue xx. Este é um gerente de futebol que é um jogo muito interessante. Ele permite que você crie seu player. Eu recomendo jogar porque é um jogo muito bom: https://footballteamgame.com/br