9ª partida, 4ª transmissão diferente: o torcedor e a dificuldade para ver o Cruzeiro jogar em 2022

Jogando em Sergipe, o Cruzeiro não contará com muitos torcedores no estádio. E os cruzeirenses de casa estão com dificuldade até para assistir o seu time. Foto: Staff Images

Por Pedro Bueno

O torcedor do Cruzeiro está sendo a “cobaia” deste novo modelo de negociação das transmissões do futebol dentre os grandes clubes do Brasil. Partindo para a nona partida em 2022, o cruzeirense verá a sua equipe buscar a sétima vitória na temporada no quarto meio de comunicação diferente.

A Raposa estreia na Copa do Brasil nesta quarta-feira, 23 de fevereiro, contra o Sergipe, no estádio Batistão, em Aracaju. A bola irá rolar a partir das 21:30, horário nobre do futebol brasileiro, mas a partida terá transmissão exclusiva de um meio que estreará no país nesta noite.

A Amazon Prime Video, notório serviço de streaming que tem como prioridade os filmes e as séries, comprou os direitos televisivos da Copa do Brasil e fará a sua primeira transmissão justamente na partida do Cruzeiro frente ao Sergipe.

Logo, o cruzeirense que quiser acompanhar a equipe de Paulo Pezzolano terá que ser assinante do serviço de streaming, visto que a tradicional televisão brasileira não irá transmitir o importante confronto.

Certamente, a torcida fará esforços para ver este jogo, visto que o hexacampeão da Copa do Brasil – o maior vencedor do torneio – entra em campo e trata-se de um jogo único, ou seja, uma derrota em Aracaju acarreta uma precoce eliminação do time mineiro.

Mais uma transmissão diferente

A partida desta quarta-feira ficará marcada pela estreia da Amazon Prime nas transmissões do futebol brasileiro, porém não é uma novidade para o Cruzeiro em 2022 estrear novos meios de comunicação.

A Raposa foi a única equipe mineira que não assinou com a TV Globo e vendeu os seus jogos do Campeonato Mineiro, ainda em 2021, para o jornal O Tempo. Para ter um sistema de pay-per-view, o jornal criou uma plataforma – chamada de O Tempo Sports -, onde todos os jogos do Cruzeiro como mandante são transmitidos.

Logo, o cruzeirense que quer ver todas as partidas do time no estadual de 2022 efetuou, no início do ano, o pagamento de uma quantia para O Tempo. No entanto, as partidas como visitante no Mineiro são responsabilidade dos outros rivais e todos os clubes assinaram com o Grupo Globo. Portanto, os confrontos do Cruzeiro fora de casa são transmitidos pelo Premiere e, em algumas oportunidades, na própria Globo, em TV aberta.

Por causa disso, em oito partidas do Mineiro deste ano, o cruzeirense já assistiu partidas na TV Globo, no Premiere e em O Tempo Sports, estando assim a caminho do quarto meio de comunicação diferente em menos de dez partidas. Uma nova realidade, mas uma nada acessível realidade.

Além de assinar O Tempo Sports, para assistir os jogos como mandante no Mineiro, o torcedor que quer acompanhar todas as partidas tem que pagar a mensalidade do Premiere – para ver como visitante – e, agora, a mensalidade da Amazon Prime para ver o duelo decisivo da Copa do Brasil. Ou seja, o futebol do povo faz com que o torcedor pague três meios de transmissão diferentes. É realmente o esporte do povo?

Qual é a razão?

O torcedor cruzeirense, incomodado com esta elevação nos custos para acompanhar o Cruzeiro, pode estar se perguntando qual a razão desta mudança, visto que tradicionalmente o futebol foi transmitido pela televisão.

Obviamente, trata-se de uma evolução tecnológica que traz novos meios de transmissão, porém esta tamanha variação dentro de uma mesma competição só aconteceu por causa da aprovação de uma lei.

Conhecida como Lei do Mandante, o atual governo aprovou e foi grande entusiasta de um projeto que carrega a intenção popular de acabar com o monopólio da TV Globo, visto que cada clube pode, a partir do momento que a lei foi publicada, negociar individualmente os seus direitos de televisão.

Por isso, o Cruzeiro, de forma individual, vendeu os direitos dos seus jogos para O Tempo Sports, enquanto os outros onze clubes do Campeonato Mineiro negociaram com a TV Globo, alguns meses depois, acarretando esta necessidade de pagar dois streamings diferentes para o mesmo torneio.

Já a transmissão no Amazon Prime Video não conta com interferência da Lei do Mandante, pois o direito de imagem da Copa do Brasil é vendido pela própria CBF e o streaming comprou 36 partidas, sendo 30 jogos exclusivos, que independem do time que estará em campo. O primeiro confronto exclusivo é justamente entre Sergipe e Cruzeiro.

A dificuldade

Esta mudança no modelo de transmissão faz parte da livre negociação e pode ser importante a longo prazo, principalmente se for criada uma liga para negociar os direitos do Brasileirão, por exemplo. No entanto, é preocupante esta tamanha dificuldade para ver o time do coração, visto que o torcedor pode ficar ainda mais distante da equipe.

É evidente que uma parcela da sociedade não conseguirá acompanhar o time do coração com o mesmo afinco por causa do preço. A presença de mensalidades em vez de jogos na TV aberta já afastou alguns torcedores e a ideia de pagar vários pay-per-views pode gerar um afastamento ainda maior.

Além dos altos preços, uma parte da sociedade, principalmente as pessoas mais velhas, não possuem a mesma facilidade para acompanhar jogos via celular e esta evolução pode estar tirando o futebol daqueles que acompanhavam o esporte via rádio há cinco décadas atrás. Na verdade, estas mudanças estão fazendo algumas pessoas optarem pelo bom e velho rádio.

Novos tempos ou retorno aos velhos tempos? Trata-se de uma mudança curiosa. Nesta noite, o Cruzeiro estreará um novo meio de comunicação que tende a revolucionar. Alguns acompanharão, outros não. Isso preocupa, mas uma eliminação nesta primeira fase da Copa do Brasil é ainda mais preocupante. A Raposa não pode dar chances para esta zebra, visto que a classificação é crucial financeiramente.

Um jogo histórico e estranho na transmissão. Uma partida importantíssima para o projeto de Ronaldo no Cruzeiro. Infelizmente, assista o jogo quem puder!

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Categorias:
Futebol Nacional

Comentários

Subscribe
Notify of
guest
6 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Edson Santana Pinheiro

não concordo com este tipo de transmissão, pois o clube pra ganhar dinheiro, tem que ter bons jogadores, principalmente da base

itamar

Eu nao concordo com isso, o brasileiro se acostumou a ver os jogos as 9:40 na rede globo ou as 4h da tarde no domingo tmb na mesma emissora…se eles cobrassem um valor justo tipo, 15,00 por mês tudo bem, mas cobram 70,00 assim ninguem aguenta e fora que a nossa internet é muito volatil, … Esse bolsonarismo so fez bosta pelo país por causa dessa rixa com rede globo.

itamar

Eu não consigo ver um jogo de futebol nas emissoras record e sbt, sem cita band e rede tv, que são pessimas…parece mais um buteco onde todos falam desorganizadamente e entende menos de futebol e so falam de RJ e SP

Roni

pagamos caro pra ter sky e acontece isso. Muita sacanagem. Já desisti de ver jogo do cruzeiro.

Murilo Andrade Marçal

Eu preciso receber uma grana pra ver este time horroroso jogar.

Luis

É uma maneira “FENOMENAL” de afastar o torcedor do seu clube do coração.