Uma passagem meteórica, vencedora e surpreendente: Diego Costa deixa o Atlético

O primeiro jogo da final da Copa do Brasil foi a última partida de Diego Costa pelo Galo. FOTO: PEDRO SOUZA / ATLÉTICO

Por Pedro Bueno

Foram 19 jogos, sendo 15 vitórias, três empates e apenas uma derrota. Cinco gols marcados. As vítimas foram o Red Bull Bragantino, logo na estreia, Sport, Ceará, Fortaleza e Corinthians. Uma passagem meteórica de Diego da Silva Costa.

Anunciado em 14 de agosto de 2021, o atacante precisou de quatro meses e um dia para conquistar duas grandes taças pelo Clube Atlético Mineiro. Em 02 de dezembro, o Galo confirmou o título do Brasileirão. No dia 15 do mesmo mês, o time mineiro ergueu a taça da Copa do Brasil. Uma passagem vencedora.

Uma chegada surpreendente porque Diego Costa é uma grande estrela do futebol mundial. Depois de brilhar no Atlético de Madrid, Chelsea e pela Seleção Espanhola, o atacante resolveu atuar no Brasil e escolheu o Galo. A surpresa e o impacto foi enorme no ato da contratação e o mesmo vale para a saída.

Depois de perder apenas um jogo e erguer duas taças, Diego Costa resolveu deixar o Atlético. De forma amigável, o atleta se despediu do clube mineiro neste 16 de janeiro por meio das suas redes sociais. No entanto, pelo projeto do clube e pela possibilidade de um ano ainda melhor, a saída de Diego Costa é surpreendente.

Um meteoro que passou, surpreendeu na chegada e na saída, e venceu. Certamente, a massa agradece Diego Costa pelos serviços prestados, enquanto ele fez questão de agradecer na sua rede social.

É possível saber o porquê?

Uma das grandes missões do ser humano é entender a escolha do outro. Cada pessoa tem um viés de raciocínio e nem sempre as decisões feitas pelas outras pessoas fazem sentido. Por isso a saída do atacante do Atlético depois de quatro meses tão fantásticos deixa algumas perguntas. E estas dúvidas permanecerão. Respondendo o subtítulo, não é possível saber o porquê de Diego Costa deixar o Atlético.

O atleticano não tem reclamações acerca de Diego Costa, porque ele conseguiu entregar toda a qualidade esperada, ao mesmo tempo que o atacante não tem razões para reclamar do Atlético. A torcida o abraçou, o clube manteve o salário em dia e o elenco buscou títulos. Diego queria voltar para o Brasil para ser campeão e conseguiu rapidamente. Aparentava ser um casamento perfeito, mas o atacante resolveu sair.

Com alguns problemas físicos, um início de temporada bem-feito poderia fazer que 2022 fosse o ano do atacante no Galo, todavia Diego optou pela saída. Pelo contrato assinado, ele poderia deixar o clube sem nenhuma multa e o acordo foi feito de forma amigável. Diego Costa deve ter outras ambições e tem o direito de deixar o time que ele defendeu de forma honesta, ao mesmo tempo que o Atlético perdeu uma ótima peça do elenco, mas que não chegou a ser titular absoluto.

Esta parceria de 19 jogos irá fazer falta para ambos. O Atlético foi importante para Diego. Diego foi importante para o Atlético. Uma boa relação que culminou em uma passagem meteórica, vencedora e surpreendente.

Em resumo…

Diego Costa marcou gols, brigou, venceu e levantou taças. Portanto, Diego Costa fez, pelo Galo, tudo que era esperado. Um jogador especial que deixa a Cidade do Galo, local que receberá outros tantos atletas especiais a partir desta segunda-feira, 17 de janeiro, data da reapresentação do Clube Atlético Mineiro.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Comentários

Subscribe
Notify of
guest
1 Comentário
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Cláudio

Acredito que a saudade da Espanha tenha sido o real motivo.