Cruzeiro de 2003 ou Atlético de 2021: qual feito é maior?

Os atletas do Cruzeiro, em 2003, e do Atlético, em 2021, levantando as suas taças ao comemorar. Fotos: reprodução internet e Pedro Souza/Atlético.

Uma “tríplice coroa” que marcou gerações de torcedores. Um “triplete alvinegro” que acabou de ser conquistado e já é histórico.

Por um lado, o mágico Cruzeiro de 2003, comandado por Alex. Do outro lado, o impressionante Atlético de 2021, comandado por Hulk. Jogadores que, além de possuir canhotas poderosas, lideraram os times nas temporadas mais magníficas da história destas equipes.

Os grandes rivais de Belo Horizonte conseguiram o raro feito de conquistar o Campeonato Mineiro, Brasileirão e Copa do Brasil no mesmo ano. A façanha cruzeirense aconteceu no início dos pontos corridos, no começo do século XXI, enquanto o feito atleticano está fresco na memória de todos.

São times que entraram para a história e jamais serão retirados de lá. O Cruzeiro possui uma linda história e muito se passa por 2003. O Atlético tem uma linda história e o ano de 2021 ajudará a ir além nesta história.

Mas qual feito é maior? A dúvida fica e algumas coincidências serão expostas pelo Blog para que o leitor conclua qual equipe foi melhor: o Cruzeiro de 2003 ou o Atlético de 2021.

Os jejuns

Para iniciar a discussão entre as façanhas dos clubes, é necessário detalhar o contexto das conquistas, a fim de evidenciar quão importante foram estes três títulos em uma só temporada.

Em 2002, o Cruzeiro havia ficado em 9º, uma posição atrás da classificação para o mata-mata e um degrau atrás do Santos, equipe que, no fim das contas, foi campeão do Brasileirão. Com isso, a equipe mineira chegou motivada em fazer uma temporada melhor e encontrou um novo sistema de disputa. O primeiro ano dos pontos corridos foi marcado por um impressionante domínio cruzeirense. No entanto, aquele título era ainda mais importante ao olhar para trás.

Até 2003, o Cruzeiro não contabilizava nenhum título do Brasileirão, mas já havia conquistado três vezes a Copa do Brasil e a Copa Libertadores da América em duas oportunidades. Como o título de 1966, naquela época, não era contado como Brasileirão, a equipe se sentia pressionada pela primeira conquista. E conseguiu acabar com este jejum.

Já o Atlético de 2021 entrou em campo com bastante pressão porque precisava mostrar que o investimento feito valeu a pena. O Galo ficou em 3º em 2020 e esteve próximo da taça, mas escorregou na hora H. Por isso, algumas contratações colocaram o time alvinegro em outro patamar e o grande objetivo foi conquistado, 50 anos depois.

Com apenas uma conquista de Campeonato Brasileiro, o Galo chegou com muita pressão para encerrar o mais pesado jejum da sua história: de 1971 a 2021. E meio século depois, o Atlético mostrou que esta pressão não iria alterar o seu caminho e conseguiu encerrar com este jejum de uma forma muito sólida.

Os números

Em 2003, o Cruzeiro venceu o Mineiro, Copa do Brasil e Brasileirão, mas foi eliminado precocemente da Sul-Americana. 18 anos depois, o Atlético também venceu as três taças, mas não conquistou a Libertadores, já que foi eliminado para o Palmeiras na semifinal.

Mesmo sendo há quase duas décadas, o futebol brasileiro já contava com uma grande concentração de jogos e as equipes fizeram uma quantidade semelhante de partidas, como vocês podem ver abaixo.

Vale ressaltar que o time do Cruzeiro contava com Gomes; Maurinho (Maicon), Cris (Luisão), Edu Dracena e Leandro; Maldonado, Augusto Recife, Wendell e Alex; Aristizábal (Mário Nobre) e Deivid (Mota). Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

Já o Atlético contou com Everson; Mariano (Guga), Nathan Silva (Réver), Alonso e Arana; Allan, Jair (Tchê Tchê), Zaracho e Nacho Fernández (Savarino); Keno (Diego Costa ou Vargas) e Hulk. Técnico: Cuca.

Cruzeiro de 2003 x Atlético de 2021

71 jogos x 75 jogos
50 vitórias x 52 vitórias
13 empates x 14 empates
8 derrotas x 9 derrotas
76,5% de aproveitamento x 75,5% de aproveitamento
168 gols feitos x 136 gols feitos
2,36 média de gols feitos por partida x 1,81 média de gols feitos por partida
67 gols sofridos x 52 gols sofridos
0,94 média de gols sofridos por partida x 0,69 média de gols sofridos por partida
35 partidas em casa x 38 partidas em casa
28 vitórias em casa x 32 vitórias em casa
6 empates em casa x 5 empates em casa
1 derrota em casa (Juventude) x 1 derrota em casa (Fortaleza )
80,0% de aproveitamento em casa x 85,5% de aproveitamento em casa

É muito curioso analisar quão semelhantes são os números de Atlético e Cruzeiro. As equipes tiveram campanhas bem parecidas, mesmo em épocas distintas, e os dados chamam a atenção. O aproveitamento geral, por exemplo, tem a diferença de apenas 1%, algo que, praticamente, não faz diferença.

A grande distinção entre os clubes está no ataque e na defesa. Enquanto o Cruzeiro de 2003 foi uma equipe arrasadora no setor ofensivo e goleou bastante, tendo uma média próxima de 2,5 gols por partida, o Atlético de 2021 mostrou toda a sua consistência defensiva com uma média mais próxima de 0,5 gols sofridos por jogo. Mesmo assim, vale destacar que ambos os clubes defendiam e atacavam muito bem.

Para finalizar a análise numérica, uma grande curiosidade chama a atenção: as duas equipes perderam apenas uma vez no Mineirão como mandante. O Gigante da Pampulha presenciou somente um tropeço de cada clube e o placar marcou 2 a 1 nas duas ocasiões: o Cruzeiro perdeu para o Juventude e o Atlético para o Fortaleza.

Os destaques

É impossível terminar uma análise acerca de Cruzeiro de 2003 e Atlético de 2021 sem citar Alex e Hulk. Um gênio e uma máquina. Duas canhotas poderosas que dominaram o Brasil.

O meia cruzeirense marcou 39 gols na temporada e mostrou todo o seu talento. Na época, Alex tinha 26 anos, vivia seu auge físico e deixou a Raposa em 2004, rumando a Turquia, onde se tornou ídolo. Já Hulk chegou no Atlético em outro momento: com 35 anos, o atleta tinha a missão de se provar no Brasil depois de uma boa carreira em países alternativos e mostrou toda a sua qualidade marcando 36 gols no ano.

Ambos marcaram gerações de torcedores. Alex é um gênio que, infelizmente, não teve as merecidas oportunidades na Seleção Brasileira. Já Hulk é uma máquina, um craque, um exemplo, profissionalmente falando, que foi desvalorizado e desprezado porque jogou em países como Portugal, Rússia e China.

Eles foram decisivos: Alex e Hulk se destacaram e são os rostos dos anos mais especiais de Cruzeiro e Atlético

Enfim…

O contexto, os números e os destaques foram ressaltados. Obviamente, a tríplice coroa cruzeirense e o triplete atleticano possuem vários detalhes que vão além desta análise, porém já é possível refletir qual façanha foi melhor. É possível, mas não é fácil.

Atlético e Cruzeiro venceram os mesmos títulos – Mineiro, Copa do Brasil e Brasileirão -, tiveram destaques que conquistaram as suas torcidas e ostentaram números muito semelhantes. Dois times históricos e a discussão irá persistir por vários anos, porque não existe uma resposta definitiva.

A Raposa fez história em 2003. O Galo fez história em 2021. Cabe ao Atlético, para ir além dos feitos cruzeirenses, persistir em alto nível em 2022, visto que o 2004 do time azul celeste não foi o imaginado.

Logo, por enquanto, as comparações são justas, bem encaixadas e rendem um longo debate. Desfrutem, torcedores!

Vale destacar que este é o último texto do Blog Bola Pra Frente em 2021, visto que o redator tirará alguns dias de descanso. Aproveite o fim de ano, tenha um feliz natal, um próspero ano novo e até 2022, onde o futebol mineiro tende a ser ainda melhor!

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Comentários

Subscribe
Notify of
guest
10 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
William

Com o passar do tempo, há menos craque e mais futebol força. Em 2003, por exemplo, o Santos (2º colocado no brasileiro de 2003 campeão de 20020, tinha o Diego, o Robinho, o Ricardo Oliveira, o Renato, zagueiro Alex e outros. Agora pergunto: Qual time era melhor, o Cruzeiro de 2003 (campeão) ou Atlético de 2021? O Santos era melhor que o Atlético?

magno

Sem mencionar que o Galo foi eliminado na Libertadores por um gol qualificado fora que nem existe mais e invicto…Outra coisa, o time do Galo não é só um time é um ótimo plantel de 22 ótimos jogadores, tem muita diferença sim em favor do Galo.

magno

Mais uma coisa: quando eliminado na Libertadores, sempre esteve colocado em primeiro lugar no geral dos grupos.

ROGERIO CAMILO DA SILVA

CONSIDERAR O CRUZEIRO DE 2003 MELHOR QUE O GALO DE 2021 È ATÈ DISCUTIVEL MAS PENSAR QUE O SANTOS ERA MELHOR ‘CE TÀ DE BRINCADEIRA,NÈ?

DENISIO

Nao tem como discutir esse assunto. Galo chegou a semifinal da libertadores !!! Sem falar nos numeros!!! eu heinnn

William

O Cruzeiro sempre na frente, históricamente. O resto é enquete pra vender jornaleco…

Jose Eustáquio

Sem duvida alguma o Cruzeiro foi melhor. Os números não mentem. é o maior de Minas.

Carlos

Cruzeiro de 2003 foi muito melhor, enfrentou um Santos que estava voando e superou tudo com um time que não foi formado por estrelas e nem foi milionário. Enquanto o Atlético gastou milhões para formar um time de estrelas para conseguir ganhar.
O time do cruzeiro fez os números com um time encaixado, o único nome de peso era o Alex que na época era questionado em todo o Brasil e foi uma aposta do Luxemburgo.

Gilberto Amaral Soares

Fácil responder, o cruzeiro de 2003 venceu o galo de 2003
e o galo de 2021 perdeu pro cruzeiro de 2021, que no caso era uma bosta de time…
respondido! Cruzeiro sempre será maior que o atletico.

Thales

So de vc ver a diferença de nivel tecnico do futebol brasileiro de 2003 para o de 2021 ja coloca o time do Cruzeiro muito melhor que o do galo 2021.
Nivel do futebol brasileiro esta nivelado com a Copa itatiaia nunca tinha visto tanto jogador ruim na minha vida.