Um golaço do Giovanni e outro da torcida: Cruzeiro vence o Brusque por 2 a 0 e se garante na Série B

Foto: Gustavo Aleixo/Cruzeiro

Uma noite bonita para mostrar o tamanho do Cruzeiro. Todo o contexto foi triste para a instituição, visto que não é normal ver uma equipe como a Raposa lutando para se garantir na segunda divisão. Porém, a presença da torcida afirma toda a paixão dos apoiadores e toda a tradição da camisa azul celeste. O clube é maior que esta situação, mesmo sabendo que estes momentos ruins farão parte da história do time.

Além disso, o jogo ficará marcado pelos golaços. Um belo gol feito por Giovanni e um “golaço” feito pela torcida. Em peso, mesmo com a polêmica, 35 mil cruzeirenses presenciaram a vitória que coloca, praticamente, um ponto final no risco de cair para a Série C. O apoio incondicional dos torcedores neste jogo ficará marcado como uma das raras páginas bonitas desta terrível temporada cruzeirense.

Na noite desta terça-feira, 09 de novembro, o Cruzeiro venceu o Brusque por 2 a 0 no Mineirão, em jogo válido pela 35ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro de 2021. Os gols foram marcados por Vitor Leque e Giovanni Piccolomo.

Com o resultado, o Cruzeiro, praticamente, se garantiu na Série B de 2022. A equipe mineira alcançou o 46º ponto e ficará, pelo menos nesta terça-feira, na 10ª colocação, sendo esta a melhor posição alcançada pela Raposa na atual temporada. O resultado tende a dar tranquilidade para o time mineiro nas três rodadas finais, visto que, segundo a UFMG, equipes com 46 pontos possuem apenas 0,4% de chances de ser rebaixado para a Série C, ou seja, daqui alguns dias, o time poderá respirar aliviado de vez.

O jogo e as atuações individuais

Foram diversos gritos de apoio impulsionando o time. Não faltaram estímulos. O time cruzeirense foi, realmente, empurrado pela sua torcida e alcançou uma vitória que evita o maior desastre da história do clube. Ainda não matematicamente, mas o triunfo desta noite tende a garantir a permanência do clube mineiro na Série B de 2022. É desolador para o torcedor, visto que o objetivo era retornar à elite, porém, olhando a temporada do clube, a vaga na segunda divisão da próxima temporada é um alívio.

Dentro de campo, o Cruzeiro fez uma boa partida, mas com alguns deslizes defensivos. No ataque, o time até criou boas chances, parou em Ruan Carneiro, goleiro que fez duas boas defesas, e fez um belo gol com Giovanni, além do rebote bem aproveitado por Vitor Leque. Todavia, na defesa, os erros acarretaram diversas finalizações e Fábio interviu cinco vezes, sendo o grande nome do jogo ao lado de Giovanni.

Porém, um momento após o apito final fez com que a partida ficasse marcada como a despedida de um jogador que possui uma linda carreira. Após jogar por 30 minutos no segundo tempo, Rafael Sobis chorou bastante e comunicou: a sua carreira acabou. O atleta irá se aposentar e despediu da torcida azul celeste nesta partida. Um jogador muito talentoso que ficará marcado na história. Sobis é um cruzeirense, assim como as mais de 35 mil pessoas que apoiaram o clube desde o primeiro minuto no jogo. Uma noite especial!

Cruzeiro x Brusque

Com os mesmos desfalques da última partida, o Cruzeiro entrou em campo com, praticamente, o mesmo time que venceu o Londrina na 34ª rodada. A única mudança aconteceu no setor ofensivo: Bruno José ficou no banco e Vitor Leque foi escalado como titular. Portanto, Vanderlei Luxemburgo escalou a sua equipe com Fábio; Rômulo. Eduardo Brock, Rhodolfo e Felipe Augusto; Adriano, Lucas Ventura e Giovanni Piccolomo; Wellington Nem, Thiago e Vitor Leque.

O primeiro tempo

A vantagem cruzeirense

A partida começou sem grandes chances. O Cruzeiro tentou finalizar algumas vezes, mas não conseguiu assustar realmente nos 20 minutos iniciais. Aos 4, Felipe Augusto chutou com a perna esquerda de fora da área e errou o alvo. Cinco minutos depois, em cobrança bem fechada de Giovanni Piccolomo, Garcez, atleta do Brusque, cabeceou contra o próprio patrimônio e balançou as redes, mas a bola foi pelo lado de fora. No minuto 12, Giovanni cobrou escanteio na cabeça de Brock e o zagueiro cabeceou para fora.

Depois de tentar várias vezes por meio dos escanteios – foram oito na primeira etapa -, o Cruzeiro conseguiu abrir o placar no minuto 26 justamente na bola aérea. Em boa cobrança de Giovanni pela esquerda, Thiago subiu para cabecear, mas a bola passou pelo centroavante – ainda houve um choque de cabeças entre o defensor e o centroavante. Na sequência da jogada, Vitor Leque finalizou com a coxa direita e obrigou o goleiro Ruan Carneiro a fazer uma grande defesa. Entretanto, no rebote, o próprio Vitor Leque empurrou para o fundo das redes e já saiu para comemorar. Gol do jovem atacante cruzeirense e 1 a 0 no placar do Mineirão.

O placar foi aberto e a torcida apoiou bastante. No entanto, o time esfriou a partida e teve poucas chances. Aos 33, Wellington Nem girou e bateu de fora, porém não acertou a direção da meta do adversário. Dez minutos depois, o mesmo Nem aproveitou o erro da saída do rival, tocou para Vitor Leque e o autor do primeiro gol estava livre, porém não teve frieza e tocou precocemente de perna esquerda na saída do goleiro Ruan Carneiro. A bola foi para fora e Leque perdeu uma boa chance.

O Brusque reagiu

O time catarinense estava tímido no início da partida e chegou apenas uma vez até o gol cruzeirense, mas levou perigo nesta tentativa. Aos 19, Toty recebeu na esquerda e fez ótimo cruzamento, encontrando Garcez nas costas do zagueiro Rhodolfo. O camisa 30 subiu livre e cabeceou forte, todavia, para sorte de Fábio, o atacante não acertou o alvo.

Enquanto o Cruzeiro abriu o placar, o Brusque praticamente não foi agressivo. No entanto, nos minutos finais, o time assustou várias vezes a torcida azul celeste. Aos 39, Edu fez um ótimo passe no meio para Jhon Cley e o camisa 29 gingou para cima de Rhodolfo. Já que a marcação estava frouxa, Jhon chutou forte com a canhota e Fábio fez uma grande defesa com o peito.

Dois minutos depois, Edu recebeu no meio e, como bom pivô que é, girou com muita liberdade, mesmo de fora da área. O artilheiro da Série B finalizou e Fábio fez outra bela intervenção. No lance seguinte, Airton estava na esquerda e cruzou para Garcês cabecear com muita liberdade, porém, novamente, a testada do camisa 30 foi para fora.

Ainda no fim do primeiro tempo, em escanteio cobrado por Airton na esquerda, Éverton Alemão cabeceou forte e Fábio fez a defesa, encerrando uma movimentada etapa inicial no Mineirão.

O segundo tempo

O golaço e as substituições

A etapa final começou bem animada e o próximo gol da partida saiu rapidamente em um belo chute de fora da área. Aos 2, Fillipe Soutto finalizou de longa distância e o seu chute forte passou perto da trave de Fábio. No entanto, o golaço não sairia dos pés de jogadores do Brusque, mas sim do Cruzeiro.

No minuto 4 do segundo tempo, Giovanni Piccolomo recebeu a bola no meio, ajeitou e disparou um chute único e lindo. O arremate do camisa 28 da Raposa foi perfeito, subiu no tempo certo e foi no ângulo esquerdo do goleiro Ruan Carneiro, arqueiro que pulou apenas para “aparecer na foto”. Um belo gol de Giovanni para explodir o Mineirão: 2 a 0 para a Raposa.

Antes mesmo de aumentar a vantagem, Luxemburgo já havia feito uma mudança – no intervalo, Norberto entrou na vaga de Adriano, colocando Rômulo na lateral -, mas a vantagem permitiu alguns testes de Luxa. Aos 12, Vitor Leque saiu e Vitor Roque, joia de 16 anos, entrou. Cinco minutos depois, o experiente Rafael Sobis substituiu Thiago. No fim, precisamente no minuto 29, Ariel Cabral e Claudinho entraram nas vagas de Giovanni Piccolomo e Wellington Nem.

Os lances finais

Com a vantagem cruzeirense bem estabelecida, o time catarinense teve problemas para levar perigo à meta de Fábio. O Brusque chegou aos 23, em falta cobrada pela direita, onde Ianson cabeceou e o goleiro da Raposa fez a defesa. Já no minuto 40, Foguinho acelerou pelo meio, fez boa jogada individual e chutou forte, porém a bola explodiu nas costas do zagueiro Rhodolfo. Na última boa trama da partida, aos 48, o mesmo Foguinho fez grande jogada pelo meio e bateu forte, mas Fábio, em dois tempos, fez a defesa.

Já o Cruzeiro chegou apenas duas vezes e ambas as tentativas saíram dos pés de Rafael Sobis. O camisa 10 da Raposa tentou fazer um gol olímpico aos 30, mas o goleiro Ruan Carneiro fez a defesa. Cinco minutos depois, o mesmo Rafael Sobis dominou a bola no círculo central, antes mesmo da linha do meio-campo, e finalizou, tentando surpreender o goleiro do Brusque. No entanto, Ruan Carneiro retornou à sua meta e fez a defesa.

Estes foram os últimos lances de uma partida que o Cruzeiro venceu, mas tende a ficar marcada pela despedida de Rafael Sobis. Após o apito final, o camisa 10 da Raposa chorou, foi levantado pelos seus companheiros e foi ovacionado pela torcida azul celeste. Na entrevista pós-jogo, Sobis confirmou que este foi o seu último jogo como profissional. Foi uma partida marcante!

O Cruzeiro volta a campo no próximo domingo, 14, às 19 horas, contra o Vitória, no Barradão.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments