Um turno de Luxemburgo no Cruzeiro: veja números, aproveitamento e curiosidades

Foto: Gustavo Aleixo/Cruzeiro

Não foi milagroso e é real que pode ser bem melhor, porém não é possível afirmar que está sendo frustrante, visto que, na situação que o técnico encontrou o clube, fugir do rebaixamento era o objetivo.

Vanderlei Luxemburgo completou, na vitória frente ao Londrina, o 19º jogo no comando do Cruzeiro nesta Série B, ou seja, trata-se de um turno completo pelo experiente técnico e o desempenho é mediano. O time ainda apresenta vários problemas, mas algumas soluções encontradas por Luxa podem ser benéficas no futuro.

Os números melhoraram, ao mesmo tempo que não houve empolgação com o futebol praticado, já que os jogos seguem chatos. No entanto, o Cruzeiro precisa de dois pontos nos últimos doze para alcançar o 45º tento e bater a meta para permanecer na Série B.

Obviamente, não é normal contratar Vanderlei Luxemburgo para comandar a Raposa e esperar apenas a permanência na segunda divisão. Entretanto, analisando o contexto que Luxa chegou, o objetivo deve ser concluído em breve.

Os números

O técnico Mozart Santos deixou o Cruzeiro após um empate por 2 a 2 com o Londrina, dentro do Mineirão, em 30 de julho de 2021. Pouco mais de três meses depois, Vanderlei Luxemburgo completou um turno completo no comando da Raposa contra o Londrina, obviamente, mas o resultado do experiente treinador foi positivo, principalmente ao analisar a diferença entre as estatísticas dos treinadores.

Antes da chegada de Luxemburgo, Felipe Conceição havia treinado a Raposa em duas partidas na Série B e Mozart comandou 13 vezes. Nestes 15 jogos iniciais, a Raposa fez somente 13 pontos, visto que venceu só dois jogos e empatou em sete oportunidades, além das seis derrotas. Logo, o início cruzeirense foi bem ruim e contou com um assustador aproveitamento de 28,9%.

Já com Luxemburgo a partir da 16ª rodada, o Cruzeiro não foi muito melhor, se aproximando do G-4, porém melhorou de forma considerável, a ponto de chamar a atenção, pois conseguiu dez jogos seguidos sem perder. Sob comando de Luxa, a Raposa entrou em campo 19 vezes: venceu sete, empatou nove e perdeu apenas três jogos – frente ao Avaí, CSA e Remo. Com isso, Luxemburgo chegou, depois de vencer o Londrina, ao status de ter um aproveitamento maior que 50%: precisamente, o Cruzeiro conquistou 52,6% dos pontos depois da chegada do experiente treinador.

Analisando os números

Com estes números sob comando de Vanderlei Luxemburgo, o Cruzeiro teve altos e baixos que chamam a atenção, mas conseguiu um aproveitamento mediano. 52,6% não é um rendimento que faz um clube subir para a Série A, mas faria o time disputar na parte de cima da classificação, algo que nunca ocorreu com o Cruzeiro em duas temporadas de Série B.

Com 30 pontos em 19 jogos, Luxemburgo fez com que a Raposa conseguisse um aproveitamento que o sétimo colocado, Guarani, tem, ou seja, a equipe mineira conseguiria lutar pelo acesso, mas ainda faltaria melhorar alguns pontos para chegar realmente na briga. Utilizando uma conta básica, em dois turnos de Luxa, a equipe mineira faria 60 pontos, quantidade que fica um pouco abaixo do número mágico para o acesso – 64.

Ao mesmo tempo que, mesmo com a evolução com Luxemburgo, o Cruzeiro precisaria de outras mudanças para realmente brigar pelo acesso, é necessário pontuar um fato contrário: o experiente técnico conseguiu equilibrar a equipe mineira e o time deixou de sofrer tantos gols.

Nas 15 partidas iniciais, o Cruzeiro havia sofrido 25 gols e feito apenas 18 tentos, ou seja, teve um saldo negativo de sete gols no início da competição e ainda ostentou uma terrível média de 1,7 gols sofridos por jogo. Já no turno disputado sob comando de Vanderlei Luxemburgo, o time mineiro marcou 21 vezes e sofreu apenas 15 tentos, ou seja, seguiu com a média de gols feitos, porém diminuiu consideravelmente a média de gols – de 1,7 para 0,8.

Ponto positivo e ponto negativo

O objetivo cruzeirense era subir de divisão, obviamente. No entanto, este sonho foi quebrado já no início da temporada, quando o clube fez contratações erradas, principalmente para o comando técnico. Porém, Vanderlei Luxemburgo se afirmou como uma opção razoável porque tende a conseguir manter o clube na Série B.

No entanto, o grande ponto negativo da passagem de Luxa pelo Cruzeiro vai além dos resultados medianos. O nível de desempenho da equipe mineira é preocupante, visto que nem a invencibilidade do time nas primeiras dez partidas sob comando de Vanderlei Luxemburgo deram confiança suficiente para o time jogar com autoridade. A grande questão é que não houve organização e a Raposa pode ter alcançado os 52,6% de aproveitamento, todavia o desempenho ficou bem abaixo do esperado.

Em contrapartida aos jogos terríveis, onde o clube deixou a desejar na questão do nível técnico, é necessário destacar o grande ponto positivo da atual passagem de Vanderlei Luxemburgo: a utilização da base. Mesmo com o pedido de boa parte da torcida cruzeirense, os últimos treinadores não optaram pela opção mais “óbvia”: usar jogadores formados em casa enquanto o clube está passando por uma crise financeira. No entanto, Luxa deu várias oportunidades para os garotos: Lucas Ventura, Adriano e Thiago se firmaram como titulares, Vitor Leque é um atleta que está sempre sendo bem utilizado, além dos lesionados Marco Antônio e Matheus Pereira, jogadores que foram titulares antes de machucar.

Logo, o nível técnico está deixando a desejar, mas os resultados vieram e a grande notícia para a próxima temporada, além da provável permanência na Série B, é a maior frequência que estes jovens com potencial irão atuar. Luxemburgo tende a dar mais espaço e os atletas poderão evoluir, sem tanta pressão. Esta pode ser a saída financeira e esportiva da Raposa, enquanto a progressão do nível técnico do clube é uma mudança urgente.

A grande curiosidade

Para finalizar esta análise acerca da nada tranquila, contudo, mediana passagem de Vanderlei Luxemburgo pela Toca da Raposa, é interessante pontuar que o técnico já completou a mesma quantidade de jogos da sua última caminhada pelo clube e o aproveitamento é bem diferente.

Mesmo não estando em um bom momento em 2021, Vanderlei Luxemburgo está em uma passagem muito melhor em comparação com a sua trajetória em 2015. Naquela época, Vanderlei Luxemburgo deixou a Toca da Raposa depois de exatamente 19 jogos, mesma marca alcançada pelo treinador frente ao Londrina. Mas a diferença no número de derrotas é impressionante.

Como destacado acima, o Cruzeiro de 2021 sob comando de Luxa tem sete vitórias, nove empates e três derrotas em 19 jogos. Já a Raposa de 2015, sob comando do mesmo treinador, venceu seis partidas, empatou três vezes e somou incríveis 10 derrotas em 19 jogos, ou seja, a cada duas partidas, um revés. O aproveitamento de 36,8%, certamente, não deixou saudades.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Comentários

Subscribe
Notify of
guest
1 Comentário
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Roberto Bittar

Esqueçeram de considerar erros GRITANTES contra o Cruzeiro, tais como contra o Operário e Goias. Além disto, diversas faltas por cartões amarelos INTENCIONAIS, tais como no ultimo jogo, Adriano e Lucas Ventura fizeram 1 falta e receberam amarelo. O lateral e meia do Londrina BATERAM o jogo inteiro, o Zagueiro tirou o Bruno José do jogo e o árbitro ficava só ameaçando. Ou seja, falta DIRETORIA. Enquanto isto o time do Atretico tem 16 penalties a favor. Dinheiro compra quase tudo.