“Vai ter emoção até o fim” e a sua culpa é sua, Cruzeiro

Foto: Bruno Haddad/Cruzeiro

Por Pedro Bueno

Certamente, você, pessoa que ama o futebol, já ouviu o seguinte bordão de Luiz Carlos Júnior: “Vai ter emoção até o fim”. O narrador do grupo Globo usa esta frase frequentemente para evidenciar que uma certa partida será emocionante até o apito final.

Pedindo licença ao ótimo locutor para usar o bordão, é possível afirmar que vai ter emoção até o fim da Série B e a culpa deste sofrimento é sua, Cruzeiro.

Com 16 empates em 33 jogos, ou seja, quase metade das partidas terminaram empatadas, a Raposa não saiu do lugar e, pela segunda temporada consecutiva, conseguiu a “façanha” de não visitar a parte de cima da tabela da Série B. É incrível, ou melhor, é simplesmente inacreditável ver o Cruzeiro Esporte Clube nesta situação.

E como ressaltado anteriormente, terá emoção até o fim da edição de 2021 da segunda divisão porque a situação do time azul celeste é extremamente perigosa. Com risco de terminar a 33ª rodada com apenas dois pontos de vantagem para o primeiro clube dentro do Z-4, a realidade cruzeirense é buscar duas vitórias em cinco jogos para se garantir na Série B do próximo ano. Porém, é evidente que não será fácil e o culpado é o próprio time.

As contas

O Cruzeiro alcançou o 40º ponto na Série B deste ano ao abrir a 33ª rodada com um empate em casa contra o Vila Nova. Com isso, o time pode perder uma posição, indo à 15ª colocação, além de se aproximar da zona do rebaixamento, visto que Brusque e Londrina podem vencer nesta rodada e chegar aos 38 pontos.

E a situação cruzeirense fica ainda mais emocionante ao pensar que os próximos dois confrontos da Raposa serão diante destes adversários diretos que estão fugindo do Z-4. Na próxima sexta, 05, fora de casa, o Cruzeiro enfrenta o Londrina e, na terça-feira seguinte, 09, em Belo Horizonte, a equipe azul celeste duela com o Brusque.

Por causa disso, estes jogos podem ser considerados como os duelos que podem evitar ou resultar na maior tragédia da história da Raposa. Cair para a Série B foi marcante, mas diversos times grandes como o Cruzeiro se reergueram. Visitar a Série C pode ser um caminho sem volta para o time mineiro e a situação indica que existem possibilidades.

Segundo o site da UFMG, o Cruzeiro possui 7,1% de chances de cair para a terceira divisão do futebol brasileiro. Além disso, o site indica que a pontuação que leva a possibilidade de rebaixamento para menos de 1% é 46 pontos, ou seja, a Raposa precisa vencer duas partidas – ou vencer uma e empatar três – nesta reta final de Série B.

O momento

As contas estão claras: o Cruzeiro precisa vencer duas partidas até o fim do campeonato para se salvar. No entanto, o momento e o futebol apresentado pelo clube recentemente não indicam facilidade.

O Cruzeiro venceu apenas oito de 33 partidas nesta Série B, isto é, saiu de campo vitorioso em uma oportunidade a cada quatro jogos. Logo, nas cinco partidas finais, sonhar com dois triunfos pode ser um exagero para um clube que possui dificuldades para vencer qualquer adversário.

A equipe mineira venceu apenas dois dos últimos dez jogos e não vence há quatro partidas, ou seja, o time não tem confiança. Além disso, o elenco não se mostra seguro o suficiente para buscar viradas dentro de um confronto, visto que a Raposa apresenta problemas sérios na criação e finalização de jogadas.

O “alívio” cruzeirense é que o time mineiro empatou 16 vezes nestes 33 jogos de Série B, ou seja, tem uma média muito próxima a um empate a cada duas partidas. Logo, com esta frequência, a tendência é que o Cruzeiro consiga dois ou três empates nesta reta final, possibilitando que o clube faça algo próximo de 45 pontos, se vencer pelo menos um jogo.

Mesmo assim, com o futebol praticado nas últimas rodadas, o torcedor cruzeirense sabe que não será fácil.

A culpa

Todas as pessoas que acompanham o futebol brasileiro estão se perguntando há anos: “O que aconteceu com o Cruzeiro?” Uma pergunta que possui tantas respostas e diversos culpados. Poderia ficar aqui até amanhã listando todos os envolvidos, desde os gestores – os principais responsáveis – até os jogadores que passaram pela equipe. Todos têm culpa, ou seja, a situação tem um culpado e o mesmo está sofrendo os problemas desta situação: o próprio Cruzeiro.

A realidade indicando que o Cruzeiro Esporte Clube pode cair para a Série C é cruel e o próprio time pode ser responsabilizado. Obviamente, erros e roubos cometidos na última década são fundamentais para explicar o momento cruzeirense, mas a atual gestão e os jogadores devem ser responsabilizados pela situação. Pelos salários altos em comparação com os rivais da segunda divisão, a Raposa tem a obrigação de lutar na parte de cima, porém isso, incrivelmente, nunca aconteceu. Nunca.

Em 38 rodadas da Série B de 2020, o time permaneceu na parte de baixo da classificação. Neste ano, a situação é a mesma, porém o Cruzeiro conseguiu piorar o seu momento, já que o atual cenário indica que o clube lutará para permanecer na segunda divisão.

É Cruzeiro, “vai ter emoção até o fim” e a culpa é sua. Boa parte dos que estão representando a equipe atualmente não fizeram por merecer um desfecho melhor nesta temporada. O presidente Sérgio Santos Rodrigues não cumpriu quase nada que prometeu. Os jogadores não entregaram praticamente nenhuma gota de suor.

Nada acontece por acaso. O Cruzeiro tem apenas 40 pontos em 33 rodadas da Série B. A partir de agora, trata-se de uma guerra para permanecer na segunda divisão. Será emocionante como o bordão indica e a torcida cruzeirense espera que o fim traga, além das emoções, muito alívio.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Comentários

Subscribe
Notify of
guest
2 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
ROBERTO BARBOSA

Toda arrogancia sendo castigada!!! muitos anos dizendo que jamais iria cair,agora luta para fugir da serie C !!kkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Marcelo

É muita alegria ver o crucru FALIDÃO cheio de vaidade e arrogância lutando para “permanecer”na B!!!!