Apenas cumprindo tabela na Série B, quais devem ser os estímulos do Cruzeiro nestas últimas rodadas?

Certamente, Luxemburgo está bem pensativo. Foto: Gustavo Aleixo/Cruzeiro

Por Pedro Bueno

É complicado chegar a uma situação dramática como esta. Obviamente, levando em conta a grande história da equipe, não trata-se de um momento comum. Porém, pelo desempenho apresentado nos últimos anos, a realidade do Cruzeiro Esporte Clube é essa: chegar na reta final de uma temporada com muito desânimo.

Com apenas chances matemáticas e bem pequenas de rebaixamento e de acesso, a Raposa entra nestas últimas sete rodadas da Série B de 2021 com poucos estímulos. Claramente, qualquer vitória é importante para ganhar moral para o próximo ano, mas nem mesmo os torcedores estão animados com estas últimas partidas. Resumindo, em mais uma edição de Série B, o time mineiro irá cumprir tabela na reta final.

Portanto, cabe ao técnico Vanderlei Luxemburgo e aos jogadores entenderem que devem devolver pelo menos um pouco do carinho recebido, visto que a torcida segue comparecendo. O torcedor voltou aos estádios, viu a desastrosa derrota para o CSA no mês passado e se entristeceu, mas não abandonou o time.

Nesta quinta-feira, dia 28, o Cruzeiro recebe o Remo no Mineirão e a torcida irá apoiar o time novamente, mesmo sabendo que o clube não possui objetivos na classificação nesta reta final. Logo, os jogadores devem entender que atuar com raça em todas estas últimas partidas restantes é uma questão de amor à camisa e não de pretensão na tabela.

As chances

O Cruzeiro perdeu na última rodada para o Avaí e acabou com o sonho de quase todos os torcedores. Com apenas 39 pontos em 31 jogos, a equipe mineira está 13 pontos atrás do quarto colocado e alcança no máximo os 60 pontos, caso vença todas as partidas. Logo, o time mineiro precisaria de um “milagre” para vencer todos os confrontos restantes, além de vários tropeços dos times que estão melhores na Série B.

Na prática, o Cruzeiro não tende a conseguir estas sete vitórias e a realidade é a permanência na Série B. E nesta questão entra a ideia dos torcedores mais pessimistas. Com 39 pontos, a Raposa não está tão garantida na Série B de 2022, visto que o Londrina está sete tentos atrás e ainda pode alcançar o time mineiro. No entanto, com 32 pontos, a tendência é que o time paranaense chegue aos 39 pontos, se continuar com o mesmo aproveitamento, ou seja, o Cruzeiro precisaria de poucos pontos nesta reta final para se garantir.

Trabalhando com os números da UFMG, as chances do Cruzeiro ser rebaixado para a Série C é de 2,8%, enquanto o time possui 0,013% de acesso, ou seja, as contas indicam que o time ainda tem chances de subir, mas a realidade é clara e a Raposa deve focar em pontuar nas duas rodadas seguintes para se garantir na Série B de 2022.

Os atores

Além de alguns pontos para se consolidar na segunda divisão, o Cruzeiro necessita de estímulos para entrar em campo nesta reta final. O time está, praticamente, cumprindo tabela e os torcedores, com toda a razão, também não possuem ânimo. A situação é caótica e a missão cruzeirense deve ser deixar uma boa impressão nesta reta final. E esta boa impressão só poderá ser deixada pelos atores: o treinador e os jogadores.

Vanderlei Luxemburgo tem contrato até o fim de 2022 e deve permanecer na próxima temporada, ou seja, trata-se da possibilidade de iniciar um ano da forma correta, podendo observar alguns jogadores ainda na temporada anterior. Portanto, Luxa deve aproveitar esta reta final para pensar em um time mais forte. O treinador já disse, em algumas oportunidades, que deseja montar um elenco de Série A para atuar na próxima Série B. A grande questão é enxergar quais destas peças do atual elenco possuem, no mínimo, nível para a segunda divisão.

E os atletas sabem que o Cruzeiro necessita de reformular o seu elenco. Pela segunda temporada seguida, o time mineiro não conseguiu sequer estar na parte de cima da classificação da Série B. Por isso, as mudanças devem acontecer e alguns jogadores devem deixar a equipe. Logo, uma boa reta final pode resultar em uma permanência para atletas que não entregaram tanto futebol em 2021.

Os jovens

Com isso, os jogadores e o técnico possuem a responsabilidade de entregar algo melhor para o cruzeirense não terminar a temporada tão desanimado com o seu time. A diretoria já cometeu diversos erros no ano e não conseguirá corrigir estes deslizes nesta reta final para animar a torcida. Por isso, os atores – jogadores e técnicos – possuem a missão de representar a camisa neste fim de ano.

Além da permanência de alguns nomes mais consolidados, outros atletas buscam chances para mostrar o futebol. Desde que Luxemburgo chegou, os jovens jogadores das categorias de base do Cruzeiro estão tendo mais chances de atuar e estão aproveitando, visto que entregam mais do que vários nomes badalados.

Por exemplo, na última partida, Lucas Ventura, Matheus Pereira, Marco Antônio, Vitor Leque e Thiago foram titulares, ou seja, metade do time de linha escalado na última semana foi oriundo da base – Adriano não foi titular ao lado de Lucas Ventura porque estava suspenso. Estes atletas estão recebendo chances de ouro e aproveitando, visto que possuem talento e, principalmente, vontade.

Os estímulos

Logo, os jogadores mais veteranos precisam desta reta final para convencer os gestores que eles merecem permanecer em 2022. Já os atletas mais jovens, que acabaram de subir das categorias de base, necessitam destes minutos para se acostumar com o futebol profissional, com a pressão e tendem a evoluir bastante. Já Vanderlei Luxemburgo precisa destas partidas para progredir as suas ideias e dar início ao trabalho de 2022.

São vários estímulos para todos os atores envolvidos. A torcida irá ao estádio e apoiará. Logo, cabe aos jogadores e ao técnico entregarem um futebol mais vistoso, além de conquistar alguns pontos para se garantir na segunda divisão.

Enquanto isso, a diretoria deve entender que a torcida dificilmente perdoará todos os erros cometidos em 2022. Os estímulos para a gestão nesta reta final é mostrar o mínimo de profissionalismo, acertar os salários e pensar em – boas – estratégias para o clube ressurgir na próxima temporada.

Em um clube tão grande quanto o Cruzeiro, os jogos não podem ser desprezados. O time se colocou nesta situação de cumprir tabela por causa dos próprios erros e problemas. Logo, todos que representam a equipe estrelada devem entender que o time tem que deixar tudo em campo, sempre. A Raposa está afundada em problemas e deve pensar em 2022. A nova temporada já está começando e este é o estímulo para jogadores e para o técnico.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Comentários

Subscribe
Notify of
guest
1 Comentário
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
poip

hnjjkk