“Os desafios da gestão moderna de futebol no Brasil”: a distância entre a palestra de Sérgio Santos Rodrigues e a realidade do Cruzeiro

Foto: Igor Sales/Cruzeiro

Por Pedro Bueno

Os bravos torcedores cruzeirenses, os quais seguem apoiando o time, frequentando estádio, comprando itens do clube ou torcendo de todas as maneiras possíveis, acreditavam que, dois anos depois do rebaixamento, a crise da Raposa teria diminuído. No entanto, a cada dia, a situação fica pior e o caos ainda está inserido na Toca.

Além de permanecer por mais um ano na Série B do Campeonato Brasileiro, como a tabela e o desempenho do 11º colocado da divisão de acesso indicam, o Cruzeiro segue em uma grave crise financeira e a parte organizacional segue desestabilizada, ou seja, o time mineiro, aparentemente, nem está no caminho certo. Falta um norte para um clube tão grande quanto a Raposa.

Enquanto isso, contrapondo toda a crise existente dentro da equipe. o presidente da equipe, que foi eleito para ficar até 2023, fez uma longa viagem pela Europa, não se pronunciou sobre a situação cruzeirense na tabela e, pelo mais irônico que pareça, Sérgio Santos Rodrigues palestrou em um evento em Portugal com o seguinte tema: os desafios da gestão moderna de futebol no Brasil.

É, simplesmente, inacreditável. A gestão cruzeirense é uma das piores do Brasil. O time não saiu do lugar desde que esta atual gestão assumiu. Quais foram os ensinamentos? E enquanto Sérgio “ensinava” na Europa, os jogadores do seu time aderiram a uma greve por falta de pagamentos e o time ainda não voltou a treinar.

É enorme a distância entre a palestra dada por Sérgio Santos Rodrigues e a realidade cruzeirense.

Os verdadeiros desafios

Enquanto o presidente do Cruzeiro discursava em um evento internacional sobre futebol, chamado Global Football Management, em Portugal, a situação da equipe mineira ficou insustentável. Após um empate que diminuiu ainda mais as quase inexistentes chances cruzeirenses de acesso, o time resolveu aderir a uma greve. Isso aconteceu na quarta-feira, 13 de outubro de 2021, mesma data em que Sérgio Santos Rodrigues palestrou sobre os desafios da gestão moderna de futebol no Brasil.

Primeiramente, os desafios dentro do Cruzeiro estão aumentando e o presidente está bem distante de encontrar uma real solução para estes problemas. Os verdadeiros desafios assustam a atual gestão que não vê nenhuma medida paliativa.

Seguindo o “lema” da palestra de Sérgio, a gestão implementada por ele passa longe de ser algo moderno. O Cruzeiro fez exatamente 40 contratações em 2020 e 2021, não encontrou um time titular até hoje e contou com seis técnicos diferentes desde que Sérgio assumiu. Na verdade, a gestão é desastrosa e passa longe de ser moderna.

Por fim, a chamada da palestra dada por Sérgio Santos Rodrigues termina falando sobre o futebol no Brasil, visto que é o local onde o presidente está apresentando a sua gestão – não – moderna. Porém, SSR está gerindo um time há pouco mais de um ano, não conseguiu ficar na parte de cima da tabela da Série B, não recuperou uma equipe gigante do futebol brasileiro, etc. A sua experiência gerindo times no futebol brasileiro é curta e assustadora.

A realidade

A distância entre a palestra dada por Sérgio e a situação cruzeirense é bem maior do que a quilometragem entre Portugal e Brasil. A situação que o clube mineiro se encontra assusta todos que conhecem minimamente o futebol brasileiro. A grande questão nem é o rebaixamento ou a crise, mas sim a falta de perspectiva. Boa parte dos torcedores não acreditam em uma administração melhor em 2022 e todos sabem que a situação é danosa para as finanças e à história.

Pela primeira vez em dois anos de crise, os jogadores do Cruzeiro se posicionaram corretamente. Promover uma greve é a maneira mais popular e comum de requerer melhorias no ambiente de trabalho. Independente se os salários dos atletas são altos ou não, eles merecem receber, visto que a Raposa se comprometeu a bancar aquele determinado valor mensalmente. Porém, mesmo os atletas sendo os protagonistas, visto que eles que possuem voz e iniciaram a greve, os maiores prejudicados são outros funcionários da equipe.

A questão é que existem várias pessoas dentro do Cruzeiro – de qualquer clube, na verdade – que dependem de um ou dois salários mínimos no mês para sobreviver. O pagamento de contas básicas e a compra de comida para a família necessitam deste dinheiro mensalmente, ou seja, o atraso salarial cruzeirense acarreta problemas em casas de pessoas simples.

A realidade dói. É injusto qualquer funcionário ficar sem receber o seu pagamento no fim do mês e a situação dos trabalhadores mais simples deve ser tratada como prioridade. E o Cruzeiro está acostumado a atrasar. Até quando? Esta situação não pode ser normalizada.

A solução

Após o início da greve na quarta-feira, 13 de outubro, as redes sociais do Cruzeiro quase não publicaram nada e ninguém do clube se manifestou. Um silêncio preocupante para o futuro da equipe. A demora pode ser justificada pela inacreditável ausência de Sérgio Santos Rodrigues.

O presidente chegou ao Brasil na quinta-feira, 14, e afirmou que iria se pronunciar nesta sexta-feira. Até o momento da postagem da matéria, SSR não havia falado, porém vários jornalistas afirmam que ele está se reunindo com investidores para tentar encontrar uma maneira de sanar estas dívidas e encerrar a greve dos funcionários.

Não é possível afirmar qual será a solução cruzeirense, mas é necessário cobrar uma postura diferente. Seguir com o mesmo discurso, com as mesmas medidas e sem perspectiva faz parte de uma gestão completamente ultrapassada. Sérgio irá seguir contrariando a sua própria palestra?

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Comentários

Subscribe
Notify of
guest
3 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
ivan junior

“Precisamos ter uma gestão ousada e moderna na administração de um cluBe de futeBol”
Pavão do gel palestrando (leia-se mentindo descaradamente) em Portugal (piada pronta)

“Veja o cluBe que eu presido. Estamos em otima situação financeira e estamos na zona da LiBertadores da America ainda com chances de sermos campeões Brasileiros…”
Pavao do gel estrapolando os niveis do aBsurdo e do Bom senso (leia-se o cara está chapado com uma mistura de LSD e Crack com Bosta de Burro)

“Em nossa administração nosso cluBe tem 0 de dívida!”
Pavao do gel usando a Reversal Russa: o correto é: “…nosso cluBe tem 0 de lucro”

“Nossos funcionários são os mais Bem pagos do Brasil!!”
Aqui o pavao do gel já estava rolando no chão, BaBando, rangendo os dentes em uma crise epiletica das mais assustadoras vistas na historia da medicina

“………………………….”
Reação do auditório vazio “ouvindo” a palestra (leia-se mentiras) do pavao do gel

“Zzzzzzzzzzzzzzzz………..!!!!!!!!!!”
A ultima mosca a ser morta tentando salvar sua familia (10 milhoes de memBros) que morava na sala onde o pavao do gel palestrava (leia-se mentia).

“Meu Deus do Céu!!! Nem eu minto tanto assim e com a cara tão deslavada como a deste pilantra!!”
Satanás admirado da cara de pau do pavao do gel

“Fiquei milionária por causa dele”
Dona da empresa Oleo de PeroBa King, a preferida de pavao do gel, nadando em uma piscina cheia de notas de cem

“Meu melhor cliente!!”
Dona da empresa Clear Man, faBricante do gel para caBelo preferido do presidanta do Falido EC acendendo um charuto com nota de cem dolares

Roni Fragoso

Espero que a demora do SSR seja para entregar a carta de renuncia. Entendo e apoio a greve dos jogadores, principalmente se a intenção for ajudar os funcionários mais humildes. Mas fazer greve de gol só atrapalha, pois não permite o acesso e consequentemente mais verbas que poderiam amenizar a situação. O gol que o Brock perdeu (só para citar um exemplo apenas) contra o Botafogo é digno mas manifestações dos sindicatos dos metalúrgicos do ABC na década de 80!!

Marcos

Fecha essa porcaria logo, cada dia que passa eh mais vexame e humilhação, depois alguns simpatizantes se reúnem e formam um novo clube, acaba com essa lixeira logo, nunca irão conseguir pagar essa dívida bilionária, quem recebeu parabéns que não recebeu nunca irão ver a cor do dindin, tenho falado.