A melhor atuação nos últimos anos: Cruzeiro vence o líder Coritiba por 3 a 0, Fábio brilha e o jogo ainda conta com o inusitado caso da irrigação

Uma vitória para o grupo comemorar junto! Foto: disponível no Twitter do Cruzeiro.

O torcedor cruzeirense ligou a televisão nesta noite de sexta-feira, 08 de outubro, para assistir o seu contestado time frente ao líder do campeonato. O Coritiba está na primeira colocação da Série B desde a 17ª rodada e segue na ponta, mas teve a mais dura derrota da sua campanha, enquanto o Cruzeiro protagonizou a sua melhor atuação nos últimos anos.

Foi surpreendente e arrasador. É possível falar que foi a primeira vez nas últimas três temporadas que o cruzeirense viu a sua camisa pesada ser realmente representada dentro de campo. O Cruzeiro teve uma atuação do nível de uma instituição como o Cruzeiro. Só que o jogo ainda teve muitos detalhes que vão além do ótimo placar: alguns atletas se destacaram, Fábio brilhou e ainda teve tempo para o inusitado caso da irrigação.

Nesta sexta-feira, 08, o Cruzeiro venceu o Coritiba por 3 a 0 no Couto Pereira, na capital do estado do Paraná. A incrível vitória da Raposa fora de casa foi válida pela 29ª rodada do Campeonato Brasileiro de 2021.

Com o segundo triunfo consecutivo, o Cruzeiro se aproximou, de vez, da primeira parte da tabela e chegou à 11ª posição. A equipe mineira alcançou o 38º ponto e ultrapassou o Sampaio Corrêa, mas a equipe maranhense enfrentará o Vasco da Gama no sábado, 09, e pode retomar a sua posição original. Já o Coritiba segue na liderança, mas viu o Botafogo se aproximar e está apenas três pontos à frente do vice-líder.

A melhor atuação nos últimos anos

O cruzeirense normalizou o sofrimento desde meados de 2019. Quando a equipe começou a naufragar, o apaixonado torcedor da Raposa entendeu que era estranho, mas aqueles roteiros desastrosos iriam acontecer. O time foi rebaixado para a Série B em 2019, ficou na B de forma vexatória em 2020 e, aparentemente, permanecerá mais um ano na segunda divisão depois de uma campanha inicial terrível em 2021. Por causa de tudo isso, a atuação desta sexta-feira, 08 de outubro de 2021, é ainda mais marcante.

Esta foi a melhor atuação cruzeirense nos últimos anos. Teve raça? Sim. Teve vontade de vencer desde o primeiro minuto? Sim. Teve qualidade? Sim. Poderíamos ficar listando pontos desta vitória pelo restante da noite, mas o cruzeirense já sabe que o triunfo frente ao líder Coritiba, fora de casa, por 3 a 0 foi irretocável.

O Cruzeiro pressionou desde o início, deixou o adversário sem espaço, marcou dois gols em sete minutos e ainda seguiu contra-atacando na etapa final, tanto que conseguiu ampliar o marcador. O resultado foi largo, principalmente levando em consideração as expectativas, visto que tratava-se de um Cruzeiro contestado contra um líder que está próximo do acesso, contudo o placar de 3 a 0 representa exatamente o domínio cruzeirense.

Obviamente, o torcedor não deve se iludir e a cobrança sobre estes jogadores deve ser pedindo atuações semelhantes no restante da temporada e em 2022. Porém, curta o momento. O Cruzeiro surpreendeu até mesmo o mais otimista torcedor e protagonizou a melhor atuação do clube nos últimos anos.

As tramas dos gols

Claramente, o coletivo do Cruzeiro merece elogios após esta atuação brilhante. Porém, alguns jogadores que se envolveram nas belas tramas dos gols merecem ser destacados aqui – Fábio está separado na sequência.

A Raposa começou em cima, pressionou bastante e fez dois gols até o minuto 7 da primeira etapa. Logo aos 2, Lucas Ventura roubou a bola, Adriano tocou para Vitor Leque e o jovem encontrou Giovanni Piccolomo. O meia gingou para cima do marcador, bateu forte no canto direito de Wilson e abriu o placar “por meio da lei do ex”.

Cinco minutos depois, na mesma pressão bem exercida, Adriano roubou a bola no meio, Thiago fez o pivô, Rômulo recebeu e lançou Vitor Leque na direita. A promessa do Cruzeiro viu Thiago arrastando a marcação e cruzou para trás, encontrando Adriano já na grande área e alcançando a sua segunda assistência na partida. O volante bateu de primeira e marcou o seu primeiro gol como profissional.

O Cruzeiro fez dois gols antes dos 10 da primeira etapa. E os tentos da equipe mineira foram bem semelhantes, visto que foram frutos de uma pressão muito bem feita no campo adversário, onde o time roubou a bola, fez uma transição muito rápida e já concluiu. Para contrariar, o terceiro gol cruzeirense foi diferente: aos 15 da segunda etapa, Giovanni cobrou escanteio na cabeça de Eduardo Brock e o zagueiro marcou com um belo cabeceio.

Além destes envolvidos nos gols, Thiago merece ser destacado individualmente: o atacante está mostrando que tem muita qualidade e esteve em uma ótima noite, mesmo sem participar efetivamente dos gols. Olho no garoto!

É o Fábio

Um personagem único do futebol brasileiro. O maior goleiro da história do Cruzeiro. Com mais de 950 jogos, Fábio completou 41 anos na semana passada e teve uma exibição de gala nesta noite para provar que trata-se, simplesmente, de Fábio Deivson Maciel Lopes, um goleiro acima da média mesmo com idade avançada.

A atuação cruzeirense, como destacada anteriormente, foi excelente e o time mereceu vencer por causa de jogadores de linha que atuaram em alto nível, mas a defesa contou com um ídolo que salvou, mais uma vez, a equipe.

Em resumo, Fábio fez cinco intervenções durante a partida, mas a defesa, com o pé direito, aos 19 do segundo tempo, foi a mais especial. Depois de fazer o terceiro gol, o Cruzeiro estava tranquilo, mas poderia ter complicado uma partida fácil caso não contasse com Fábio.

Após cruzamento na área, Léo Gamalho cabeceou e a bola bateu na mão de Ramon. Como o braço estava alto, o árbitro assinalou corretamente o pênalti e o próprio centroavante pegou a bola para bater. Léo Gamalho bateu forte no meio do gol e Fábio pulou para a direita, no entanto, como muito reflexo e inteligência, o goleiro levantou a perna e jogou a bola para longe. Um lance marcante para a histórica carreira de um arqueiro especial: é o Fábio.

O inusitado caso da irrigação

Além da ótima atuação cruzeirense, o jogo ainda ficou marcado por um caso bastante inusitado. Durante o intervalo, as equipes normalmente irrigam o gramado para que a bola deslize normalmente na etapa final, assim como é feito no início da partida. No entanto, como bem notado pelo SporTV, canal que estava transmitindo a partida, o Coritiba, mandante da partida, optou por uma estratégia inusitada e bem controversa.

Durante a pausa entre os dois tempos, o Cruzeiro estava vencendo por 2 a 0 e o Coxa ainda sonhava com uma recuperação. Por causa disso, os responsáveis pela irrigação do gramado optaram por molhar apenas o campo de defesa da Raposa, ou seja, o campo de ataque do Coxa. Logo, a ideia destas pessoas, aparentemente, foi deixar um lado mais molhado para a bola rolar tranquilamente, enquanto o ataque cruzeirense teria dificuldade para trocar passes ofensivos em um gramado seco.

Como destacado pela transmissão da partida, por meio do especialista em arbitragem, esta tática vai contra a regra e é completamente injusto molhar apenas uma parte do campo. Por isso, o Cruzeiro tem o direito de fazer uma reclamação na CBF acerca deste comportamento infantil e injusto do Coritiba. O campo deve ser igual para todos.

A máxima do futebol é onze contra onze nas mesmas situações. O Coritiba até tentou trapacear durante o intervalo, mas não se deu bem. O Cruzeiro aumentou o placar, venceu por uma placar largo e fez por merecer, visto que ganhou na bola. Foco nas próximas partidas, Raposa!

O Cruzeiro volta a campo na próxima terça-feira, 12 de outubro, às 21:30, contra o Botafogo no Independência.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Comentários

Subscribe
Notify of
guest
1 Comentário
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Marcelo

Paciente em estado terminal!
Precisa desenhar?