Galo e Keno confiantes novamente! Em jogo complicado, o camisa 11 brilha e Atlético vence o Inter por 1 a 0

Keno está de volta e decidiu! Foto: Pedro Souza / Atlético

Foram três empates consecutivos. Apenas um gol marcado. Uma eliminação que entristece todos os envolvidos. O Atlético não entrou nesta partida no melhor cenário, mesmo sendo o líder do Brasileirão. No entanto, duas questões fundamentais retornaram: a confiança do Galo e a qualidade de Keno. O camisa 11 entrou na segunda etapa e foi decisivo. Além do gol, em ótimo passe de Hulk, o ponta atleticano estava comprometido com a marcação, tentou fazer o gol em várias oportunidades e foi premiado com uma bola na rede. Um jogo complicadíssimo vencido pelo Galo e mais um passo em uma difícil e longa caminhada rumo ao título do Campeonato Brasileiro.

Na noite deste sábado, 02 de outubro, o Atlético venceu o Internacional por 1 a 0 no Mineirão graças ao gol de Keno. Esta partida foi válida pela 23ª rodada do Campeonato Brasileiro, marcou o retorno da torcida atleticana às arquibancadas no torneio nacional e concretizou um feito importante do Galo: o time mineiro venceu as duas partidas contra o Internacional no Brasileirão de 2021.

Com a vitória, o Atlético já cumpriu a sua “obrigação” na rodada e jogou a responsabilidade para os seus adversários. O time chegou aos 49 pontos em 22 partidas, à 15ª vitória no torneio e ao 15º jogo seguido sem perder no Brasileirão, ou seja, a liderança atleticana é merecida. A diferença para o Palmeiras aumentou para 11 pontos e 14 para o Flamengo, mas os clubes ainda jogam na rodada e o time rubro-negro tem dois jogos a menos, além da partida desta 23ª rodada. Logo, no cenário mais vitorioso do Fla, o Atlético tem a certeza que tem uma vantagem mínima de cinco pontos para o grande adversário. Já o Internacional estacionou na sétima colocação com 33 pontos e pode perder posições até o fim desta rodada.

O jogo e as atuações individuais

Quantas vezes o apaixonado por futebol já escutou que um campeonato de pontos corridos é feito por 38 finais? Inúmeras. Mas algumas partidas possuem um valor maior, ainda que valha apenas três pontos, por causa do contexto por trás do duelo. O Atlético chegou a esta partida após empatar os últimos três jogos e carregando o fardo de ter sido eliminado da Libertadores frente a esta mesma torcida que foi apoiar o clube neste sábado. O líder do Brasileirão precisava responder alguns questionamentos e o resultado, com ajuda de Keno, conseguiu escrever a resposta certa.

A partida foi complicada do início ao fim. O Internacional competiu bastante e entregou o futebol esperado pelo seu treinador Diego Aguirre. O ex-técnico do Galo adotou uma postura que fez sentido: marcação dura, com intensidade, e uma busca constante ao contra-ataque. Por isso, o Inter teve boas chances durante a partida, mas parou no primeiro jogador que merece destaque no Atlético: o goleiro Everson realizou grandes defesas na partida e garantiu o placar zerado em alguns momentos durante o fim do primeiro tempo e o início da etapa final.

Everson “segurou a barra” na defesa, junto da ótima zaga – Nathan Silva mostrou muita personalidade, visto que jogou bem e não se abalou com as falhas frente ao Palmeiras – e de Allan, volante que foi um dos melhores atletas do Galo na partida. No entanto, o brilho individual estava no ataque. Hulk não estava tendo espaço, mas encontrou uma brecha, fez uma grande jogada e deu a assistência para o craque do jogo. Keno, depois de sofrer com uma dura virose, entrou com bastante energia no segundo tempo – Cuca mexeu bem e ajudou a resolver a partida – e marcou o gol da vitória, além de ficar no quase algumas vezes. Enfim, uma vitória crucial para o presente do Galo e de Keno e preponderante para o futuro atleticano no Brasileirão.

Atlético x Internacional

A base do time atleticano está bem decidida e o torcedor já sabia, anteriormente, dez jogadores que seriam titulares nesta noite de sábado frente ao Internacional. A única dúvida era no ataque, já que o titular Vargas se machucou e o badalado Diego Costa segue no departamento médico. A opção do técnico foi o atacante Eduardo Sasha, deixando Keno e Savarino no banco de reservas. Por isso, o Atlético entrou em campo com Everson; Mariano, Nathan Silva, Alonso e Arana; Allan, Jair, Nacho Fernández e Zaracho; Hulk e Sasha.

O primeiro tempo

A etapa inicial foi bem pegada, equilibrada e com pouquíssimas finalizações: duas tentativas do Atlético e três do Colorado.

O Galo chegou apenas nos minutos iniciais. Aos 3, Zaracho ajeitou para Eduardo Sasha e o atacante arriscou de fora da área, mas a bola bateu na parte de fora do gol do Internacional. Nove minutos depois, Nacho cobrou um escanteio pela direita e Nathan Silva subiu com liberdade, porém o cabeceio do zagueiro atleticano não teve força e nem direção.

O time atleticano ainda levou perigo aos 33, com um ótimo lançamento de Allan para Sasha, onde o atacante dominou com a coxa e tentou encobrir Daniel. O goleiro fez a defesa com o rosto e evitou o gol alvinegro, todavia o auxiliar havia marcado, corretamente, o impedimento de Sasha. Dois minutos antes deste lance, Mariano sentiu uma lesão e deixou o campo para a entrada de Guga.

Já o Colorado teve menos posse de bola – apenas 43% contra 57% do Galo -, no entanto chegou com perigo duas vezes. Aos 17, Jair errou, de forma infantil, um passe para trás e ligou um contra-ataque para o Inter. Taison acelerou, tocou para Yuri Alberto e o atacante entrou na área. Yuri bateu cruzado e Everson espalmou para a linha de fundo.

No minuto 40, Edenilson cobrou uma falta rápida, Yuri Alberto colocou a bola na área e Saravia cabeceou, mas, além do impedimento bem marcado, Everson fez uma grande defesa. E o goleiro apareceu novamente seis minutos depois. Aos 46, o Internacional protagonizou um grande contra-ataque e Edenilson ajeitou para Yuri Alberto. O atacante bateu de fora da área e Everson voou no seu canto esquerdo para fazer uma linda defesa. Com isso, o primeiro tempo terminou 0 a 0.

O segundo tempo

A mudança que mudou o jogo

A etapa final começou mais intensa e ambos os times tiveram boas chances que pararam nos bons goleiros. Aos 2, Moisés cruzou para Yuri Alberto e a bola estava a caminho da segunda trave, porém Allan cortou para a direção do gol e Everson fez a defesa. Três minutos depois, Sasha recebeu de Guga e bateu de fora da área. Desta vez, foi Daniel que encaixou. Logo depois, Lindoso arriscou de longe e Everson, em dois tempos, também fez a intervenção correta. Em noite iluminada, o goleiro do Galo ainda apareceu muito bem no minuto 14, quando Taison protagonizou um grande contra-ataque, mas optou por não tocar para Edenilson e bateu mal de fora da área – a bola foi facilmente defendida por Everson.

Logo na sequência deste contra-ataque do Colorado, Cuca promoveu mudanças que alteraram completamente o jogo. Aos 15, Eduardo Sasha e Jair saíram para as entradas de Keno e Savarino. E o camisa 11, Keno, resolveu a partida.

Aos 20, Hulk e Guga tramaram uma boa jogada ensaiada em uma falta próxima do gol e o cruzamento de Hulk passou muito próximo de Keno, atacante que estava livre. Depois desta boa chance sem finalizar, Keno decidiu que chamaria a responsabilidade.

Aos 24, o camisa 11 recebeu passe de Allan, fez a sua tradicional jogada – levou a bola da esquerda para o meio – e bateu, mas acabou isolando. Cinco minutos depois, Keno tentou a mesma jogada e, desta vez, acertou a defesa adversária. Na cobrança do escanteio seguinte, a bola passou por toda a área, ficou nos pés de Arana e o lateral cruzou muito bem, encontrando Keno. O camisa 11 antecipou a marcação, finalizou com a sola do pé e a bola passou muito próxima da trave de Daniel, em um lance inacreditável.

Pressão e gol da vitória

Com a necessidade de vencer e com alguns atletas desgastados, Cuca fez as duas substituições restantes aos 30. O técnico tirou Nacho Fernández e Zaracho e colocou Dylan Borrero e Tchê Tchê, mas as mudanças feitas 15 minutos antes que foram cruciais para o Galo na partida.

Aos 34, Guga acelerou pela direita, tocou para Hulk e ele fez uma grande jogada individual. O craque atleticano gingou para cima de Rodrigo Dourado, levou para a perna direita e cruzou rasteiro, quase na linha de fundo. A bola foi perfeita para Keno, atleta que estava entrando na pequena área e apenas empurrou com o pé direito. Um gol para dar moral para Hulk, autor da assistência, para Keno, autor do gol, e para o Galo. Um gol que contou com muita vibração: 1 a 0 para o Atlético no Mineirão.

Mesmo com a vantagem, os mandantes chegaram novamente com o seu destaque na temporada. Hulk fez outra boa jogada, mas foi desarmado dentro da área. Mesmo assim, a bola ficou nos pés de Savarino e o venezuelano arriscou, mas Daniel fez uma defesa importante no minuto 39. O Galo ainda chegou com Dylan Borrero em duas tentativas nos minutos finais, mas os chutes da jovem promessa não tiveram a direção certa.

Já o Internacional ensaiou uma pressão, mas não conseguiu levar perigo nos minutos finais. Apenas Guerrero, após cobrança de escanteio de Edenílson, obrigou Everson a fazer uma defesa simples aos 42. Enfim, um bom jogo entre duas equipes que competiram bastante. O resultado foi positivo para quem substituiu melhor: 1 a 0 para o Galo em casa.

O Atlético volta a campo na próxima quarta-feira, 06, às 19 horas, contra a Chapecoense, na Arena Condá.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments