A dois passos do paraíso, ou melhor, da Glória Eterna: com possíveis surpresas, Atlético duela com Palmeiras no Mineirão

Rumo à Glória Eterna! Foto: Pedro Souza / Atlético

O sonho atleticano está mais próximo do que qualquer um dos apaixonados torcedores imaginavam. Precisamente, o torcedor do Galo está a dois passos do paraíso, como diz a música composta por Evandro Mesquita e Ricardo Barreto, mas este paraíso também é conhecido por Glória Eterna.

O belo lema da Copa Libertadores simboliza quão importante é erguer a taça em 27 de novembro. O Atlético precisa vencer, em casa, com a sua torcida, para chegar à sua segunda final da competição continental, ou seja, trata-se de uma partida crucial para a história atleticana. Além disso e da grande ansiedade para o jogo, os atleticanos estão inquietos com as possíveis surpresas: Diego Costa e Savarino jogam ou não?

Na noite desta terça-feira, 28 de setembro, às 21:30, o Atlético enfrenta o Palmeiras no Mineirão, em Belo Horizonte. O jogo é válido pela partida de volta da semifinal da Copa Libertadores da América de 2021, terá a presença de 18 mil atleticanos – 30% da ocupação do estádio – e contará com transmissão da Conmebol TV e SBT.

O passo para chegar à final

Além de usar a música de Evandro Mesquita e Ricardo Barreto, é necessário também parafrasear uma frase dita há mais de 50 anos, quando o astronauta Neil Armstrong pisou na Lua. Hoje o Atlético quer dar um pequeno passo na competição, mas um grande salto para a história atleticana.

Oito anos depois de uma emblemática semifinal da Libertadores frente ao Newell’s Old Boys, o Atlético voltou a esta fase e tem o único objetivo de alcançar a final continental. Com um grande investimento e com um futebol vistoso, o Atlético está vivo nas três grandes competições e quer vencer todas. Obviamente, é um pouco complicado erguer as três taças neste fim de ano, porém, de passo em passo, como Evandro Mesquita, Ricardo Barreto e Neil Armstrong disseram, o Galo quer mostrar a sua força.

No jogo de ida, Atlético e Palmeiras não alteraram o placar, ou seja, mais um 0 a 0 leva a partida para as penalidades máximas. Qualquer empate com gols classifica os visitantes, ou seja, um simples 1 a 1 coloca o Verdão, atual campeão, na decisão. Obviamente, quem vencer estará classificado para a final da Libertadores de 2021.

O grande trunfo atleticano, além do seu forte time, é a presença da sua torcida. Nas quartas de final, frente ao River Plate, a torcida alvinegra apoiou bastante e o Atlético atropelou os argentinos. Nesta noite, 18 mil pessoas são esperadas e a volta da torcida é muito importante, porém é esperado que os torcedores cumpram as obrigações protocolares, pelo bem de todos, incluindo os próprios torcedores e o clube.

O momento

Qualquer partida válida pela semifinal da Copa Libertadores da América carregará uma carga extra de pressão. Com este regulamento de final única em campo neutro, o jogo de volta da semi é a última vez que o time irá atuar como mandante ou visitante na competição. É o último contato com o seu estádio e o Atlético quer deixar uma ótima impressão.

O time mineiro vem de dois empates sem gols, mas não tem grandes preocupações, visto que qualquer crise está passando longe da Cidade do Galo. Na verdade, o clima no Atlético possui, certamente, muita harmonia. A equipe alvinegra está na liderança do Brasileirão, na semifinal da Copa do Brasil – a vaga na final será disputada no fim de outubro – e pode garantir hoje o seu passaporte para Montevidéu, sede da final da Libertadores de 2021 em 27 de novembro. O momento atleticano é bom, mas pode ficar melhor. A equipe não sofreu gols no mês de setembro, mas empatou sem gols nas duas últimas partidas, ou seja, deseja bater o rival paulista por um placar expressivo para chegar com moral à final da Libertadores.

Já o Palmeiras entra nesta partida pressionado por inúmeros motivos – a torcida atleticana tentará intensificar todas estes possíveis problemas palmeirenses. Talvez ninguém precise mais desta classificação que Abel Ferreira. O técnico português venceu dois grandes títulos na última temporada, porém está sendo bastante contestado. Atualmente, o Verdão está oito pontos atrás do Galo no Brasileirão e o time já foi desclassificado da Copa do Brasil, ou seja, a Libertadores é o caminho mais “fácil” para a equipe paulista conquistar um título. Porém, os resultados recentes não animam o torcedor: em setembro, o Palmeiras perdeu para o Flamengo e Corinthians, empatou com o Galo e venceu apenas a modesta Chapecoense.

Os números

É muita pressão, visto que é bem importante carimbar o passaporte. A decisão de Montevidéu será um grande evento e o futebol parará para assistir. De um lado estará Flamengo ou Barcelona de Guayaquil, e de outro Atlético ou Palmeiras. A única certeza é que será um grande jogo.

Na verdade, o Galo possui uma certeza nesta Copa Libertadores da América: se for campeão, será de forma invicta. Até esta semifinal, o Atlético fez 11 jogos na competição e venceu sete vezes, empatando outros quatro jogos, ou seja, para se classificar e vencer a final, o time não deve perder e o único – e emblemático – caminho é ser campeão invicto. Além da invencibilidade na competição, outro detalhe chama a atenção: o Galo sofreu apenas três gols durante todo o torneio, sendo que nenhum foi no mata-mata. O último gol sofrido pelo Atlético foi na quarta rodada da fase de grupos, isto é, o time de Cuca não sofre um gol na Libertadores há incríveis 696 minutos.

Já o Palmeiras tem alguns problemas defensivos, contrariando o bom momento da marcação atleticana. Pelo Brasileirão, a equipe de Abel Ferreira, mesmo com uma postura reativa, sofreu 13 gols nos últimos sete jogos, ou seja, mesmo segurando Hulk e companhia na partida de ida, o Verdão não está com um sistema defensivo tão confiável.

Por fim, o retrospecto indica que o Galo não perde para o rival paulista e sequer sofre gols do adversário há três partidas: venceu por 2 a 0 em fevereiro e em agosto, e empatou por 0 a 0 na partida de ida. No entanto, o histórico geral aponta superioridade palmeirense: foram disputadas 86 partidas, onde o Atlético venceu 30 vezes, o Palmeiras derrotou o rival em 39 oportunidades e 17 vezes o placar ficou empatado.

As escalações

O atleticano está ansioso por causa do jogo, obviamente, porém a escalação já está deixando todos bem apreensivos. Como de costume, os treinamentos atleticanos foram com portões fechados e apenas a TV Galo divulgou imagens. Nestas filmagens, atletas que estavam lesionados como Diego Costa e Savarino apareceram normalmente. Os atletas podem ter retornado ou trata-se apenas de uma estratégia para confundir o técnico rival, Abel Ferreira.

Com uma lesão na virilha, Savarino está na transição e, pelo menos, no banco o venezuelano deve ficar. Já Diego Costa lesionou a coxa na partida de ida e, analisando a queda do jogador, dificilmente o camisa 9 estaria apto para o jogo desta noite. No entanto, ambos estavam nas filmagens e Cuca pode promover mudanças surpreendentes, mesmo que a escalação esperada seja a do time titular atleticano. Já o atacante Keno, recuperado de uma virose, é presença certa, pelo menos, no banco.

Provável escalação: Everson; Mariano, Nathan Silva, Alonso e Arana; Allan, Jair, Nacho Fernández, Zaracho; Hulk, Vargas (Keno). Técnico: Cuca.

Já no Palmeiras, a grande dúvida é: Abel seguirá utilizando a experiência ou colocará juventude em campo? Na terça-feira passada, Felipe Melo e Zé Rafael assumiram a titularidade, porém o time tem que jogar mais. A equipe palmeirense foi bem criticada por não buscar o gol e o técnico português pode rejuvenescer o time para ser mais agressivo. No entanto, é esperado, novamente, um comportamento bem reativo do time verde de São Paulo.

Provável escalação: Weverton; Marcos Rocha, Gustavo Gómez, Luan, Piquerez; Felipe Melo (Danilo), Zé Rafael; Raphael Veiga, Dudu, Rony; Luiz Adriano (Wesley). Técnico: Abel Ferreira.

Atlético x Palmeiras

Partida de volta da semifinal da Copa Libertadores da América de 2021
28/09/2021, 21:30 horas, Mineirão
Transmissão: Conmebol TV e SBT
Árbitro: Wilmar Roldan (COL)
Assistentes: Alexander Guzmán (COL) e Jhon Leon (COL).

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments