Forte e vingador em todos os torneios: Atlético vence o Fluminense por 1 a 0 e está na semifinal da Copa do Brasil

O autor do gol da classificação: Hulk. Foto: Pedro Souza/Atlético.

Elenco caro é elenco que não entrega façanhas. O Atlético investiu muito em seu elenco e foi bastante discutido os seus gastos, porém é evidente que o investimento atleticano foi bem feito e que os passos, até então, foram bem dados. O Galo está na semifinal da Libertadores, contra o Palmeiras, na liderança do Brasileirão e, após duas vitórias sobre o Fluminense, chegou à semifinal da Copa do Brasil. Trata-se de um time forte que entrega futebol. Um elenco robusto que busca feitos históricos. Um Galo forte e vingador que está em todos os torneios.

Nesta quarta-feira, 15 de setembro, o Atlético enfrentou o Fluminense no Mineirão e venceu por 1 a 0 graças ao gol marcado por Hulk. O jogo era válido pela partida de volta das quartas de final da Copa do Brasil de 2021.

Com o resultado, o Galo alcançou a segunda vitória em dois confrontos com o Flu na competição de mata-mata e, consequentemente, está classificado para a semifinal do torneio. O Atlético aguarda nesta noite de quarta-feira a decisão do seu adversário: Fortaleza ou São Paulo. Mas, além da vaga, o time mineiro já garantiu cerca de 7,3 milhões de reais, valor referente à participação do time na próxima fase.

O jogo e as atuações individuais

O primeiro tempo atleticano não foi tão bom quanto o esperado, no entanto, o Atlético viu o Fluminense chegar com perigo apenas uma vez e não correu riscos. Depois da substituição certeira no intervalo – Diego Costa na vaga de Vargas -, o time controlou as jogadas ofensivas, foi agressivo e mereceu uma classificação que já estava encaminhada. O Galo é mais time, jogou mais futebol e merece ser semifinalista. As decisões estão se aproximando e o torcedor está cada dia mais confiante no potencial do time alvinegro.

O jogo do time mineiro foi bem concentrado no meio-campo. Em muitas jogadas, o Atlético se aproximou bastante, fez boas triangulações e um detalhe chamou a atenção: Diego Costa, Hulk, Nacho e Zaracho tiveram boas chances no mesmo setor do campo – quase dentro da pequena área, pela direita – e isso deixa claro que as tabelas culminam em boas jogadas por aquele lado, um claro resultado de um time entrosado. Este entrosamento está acarretando bons resultados e pode levar o Galo a feitos ainda maiores neste ano.

Como destaques individuais, é importantíssimo ressaltar o atacante Diego Costa. O hispano-brasileiro atuou por 45 minutos e, mesmo sem estar na sua forma física ideal, jogou muito bem: fez pivô, movimentou e incomodou bastante os adversários. Jair foi outro destaque da boa partida atleticana, já que o volante sofre frequentemente com lesões, mas teve uma atuação perfeita, relembrando o torcedor da sua qualidade. Zaracho é um atleta que dispensa comentários e a sua intensidade e qualidade ficam claras a cada partida. Por fim, Hulk e Nacho erraram em algumas jogadas, mas são decisivos e articularam uma ótima atuação atleticana. Enfim, um bom desempenho de um time classificado e pronto para voos maiores!

Atlético x Fluminense

Com os desfalques já confirmados de Nathan Silva – já jogou pelo Atlético-GO – e Savarino – lesionado -, o Atlético entrou em campo com o mesmo time que venceu o Fortaleza no fim de semana, com exceção de Igor Rabello, que entrou na vaga defensiva. Portanto, o Galo de Cuca foi escalado com Everson; Mariano, Igor Rabello, Alonso e Arana; Allan, Jair, Nacho Fernández e Zaracho; Hulk e Vargas.

O primeiro tempo

O Atlético começou pressionando, mas não conseguiu assustar Marcos Felipe no início da partida. Aos 7, o Galo finalizou pela primeira vez com Allan, em um arremate de fora da área que contou com uma simples defesa de Marcos Felipe. Dois minutos depois, Hulk recebeu de Mariano, tabelou com Zaracho e entrou na área pela direita. O camisa 7 atleticano bateu com a perna direita e a bola passou perto da trave do Fluminense – poderia ser um cruzamento, mas ninguém do Atlético fechou.

O jogo ficou bem morno até que o Fluminense chegou com perigo em três oportunidades entre os minutos 25 e 30. Na primeira chegada, Danilo Barbosa bateu falta próxima da área e a bola bateu no braço de Igor Rabello, que estava corretamente colado ao corpo e, por isso, o jogo seguiu. No escanteio seguinte, Nonato aproveitou o rebote, mas bateu para fora.

Aos 28, Luiz Henrique cruzou e Igor Rabello cortou. No rebote, Danilo Barbosa cruzou de primeira e Fred cabeceou com liberdade, aproveitando o espaço dado por Alonso. Em testada certeira, o camisa 9 do Flu obrigou o goleiro Everson a fazer grande defesa. Dois minutos depois, Nonato cruzou e o arqueiro do Galo saiu muito mal: apenas raspou na bola e ela ficou com Luiz Henrique. O atacante estava de costas e tentou finalizar mesmo assim, contudo errou a direção da meta atleticana.

O Galo chegou com perigo na reta final da partida. Aos 35, Nacho Fernández lançou Vargas e o chileno dominou no peito, deu um lindo giro e bateu no gol, mas, além da bela defesa de Marcos Felipe, o auxiliar marcou impedimento. Dois minutos depois, Hulk ajeitou para Vargas e o camisa 10 bateu: o goleiro do Flu encaixou. No minuto 42, Mariano deu um ótimo toque para Zaracho e o argentino entrou na área pela direita com perigo, mas bateu cruzado, buscou Vargas e a bola saiu pela linha lateral. O cruzamento foi bom e faltou pouco para o chileno não empurrar para as redes. Por isso, o primeiro tempo terminou zerado.

O segundo tempo

Efeito Diego Costa e gol

Logo no intervalo, insatisfeito com o empate, Cuca tirou Vargas e colocou Diego Costa. E o efeito foi imediato. Aos 2 da segunda etapa, Nacho fez um ótimo lançamento para Diego e o atacante invadiu a área, esperou a marcação chegar e tocou para o meio, buscando Zaracho. O argentino chegou um segundo atrasado e por muito pouco não empurrou para as redes. Na sequência, dois minutos depois, Diego Costa recebeu no meio, fez o pivô e tocou para Nacho Fernández. O argentino recebeu, levou para a perna direita e bateu forte, obrigando Marcos Felipe a fazer uma grande defesa.

O volume de jogo atleticano no início era enorme e o clube foi premiado com o gol. Aos 9, Mariano recebeu na direita, fez o cruzamento para a área e a bola bateu no braço de Danilo Barcelos. O árbitro não viu, mas o VAR chamou e o pênalti foi marcado, visto que o lateral estava com o braço aberto. Na cobrança da penalidade máxima, Hulk colocou a bola com muita precisão no ângulo direito de Marcos Felipe, goleiro que pulou para o lado esquerdo. Um gol importante para o Galo. Mais um gol de Hulk: 1 a 0 para o Atlético no Mineirão.

Depois de marcar o gol, o mandante chegou novamente em passe de Diego Costa e finalização cruzada de Arana, no minuto 15, mas o Fluminense atacou com perigo dois minutos depois. Aos 17, a bola foi cruzada na área atleticana e Alonso cortou mal. No rebote, Caio Paulista driblou e bateu de canhota. A bola desviou em Igor Rabello e foi para fora. O Fluminense cobrou um escanteio, mas bateu mal e Hulk puxou um contra-ataque: o camisa 7 acelerou, driblou Samuel Xavier e tocou para Diego Costa, mas o atacante naturalizado espanhol bateu para fora, visto que estava bem marcado no contragolpe.

O Atlético ainda chegou com muito perigo aos 23. Nacho Fernández cobrou uma falta lateral na cabeça de Igor Rabello e o zagueiro testou forte, mas a bola bateu na trave de Marcos Felipe.

Minutos finais de uma classificação

Com a vantagem adquirida na primeira partida mais o resultado obtido neste segundo tempo, o Atlético relaxou e o Fluminense quase não chegou nos minutos finais. Por isso, poucas jogadas importantes aconteceram.

Pensando na intensa sequência de jogos, o Atlético promoveu as outras quatro substituições. Aos 37, Keno e Réver entraram nas vagas de Jair e Zaracho. No minuto 40, Nacho saiu para a entrada de Eduardo Sasha. Na sequência, Nathan substituiu Hulk, o artilheiro da partida.

As únicas boas chegadas do Atlético aconteceram aos 36 e no minuto 45. Na primeira chance, em contra-ataque puxado por Nacho Fernández, Hulk recebeu e tocou para Diego Costa. O atacante bateu cruzado, Luccas Claro desviou e a bola assustou o goleiro do Fluminense. Nove minutos depois, Arana tabelou com Nathan e bateu. Desta vez, Marcos Felipe fez grande defesa e evitou o segundo gol atleticano. Com isso, fim de papo: duas vitórias no confronto e a classificação do Atlético!

O Atlético volta a campo no próximo sábado, 18, às 19 horas, contra o Sport, no Mineirão.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments