Luxemburgo disse que o Cruzeiro é obrigado a vencer dez partidas. Quais são estes jogos? É realmente possível?

O sorriso de quem deseja fazer ainda mais história pelo Cruzeiro. Foto: Bruno Haddad/Cruzeiro

Logo após o jogo frente ao Goiás – o qual terminou com um empate por 1 a 1 -, o técnico Vanderlei Luxemburgo divulgou qual é a meta trabalhada internamente para o Cruzeiro nesta reta final do Brasileirão: dez vitórias obrigatórias e tentar pontuar nos outros seis jogos.

Com apenas 26 pontos, a Raposa está na 14ª posição e não consegue deixar a parte de baixo da tabela por causa do alto números de empates. Em uma conta rápida, os dez triunfos fariam o time chegar aos 56 pontos, faltando cerca de seis ou sete para alcançar a meta do acesso, visto que o “número mágico” para subir gira em torno de 62 ou 63 pontos.

A grande questão é se será possível e se o próprio Cruzeiro terá regularidade suficiente para vencer tantos adversários. As batalhas cruzeirenses com esta meta já começam neste sábado, 11 de setembro. Na Arena do Jacaré, às 11 horas da manhã, a Raposa enfrenta a Ponte Preta pela 23ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro.

Além do confronto da próxima manhã contra a Ponte Preta, quais serão os jogos cruzeirenses? Será realmente possível chegar nesta meta estipulada por Luxemburgo?

Os jogos

Com a obrigação determinada logo após o fim da 22ª rodada, o Cruzeiro contará com 16 finais até o fim do Campeonato Brasileiro. Será importantíssimo pontuar com maior frequência neste início de sequência de decisões, porque animaria o clube e, até mesmo, os adversários iriam o respeitar mais.

  • 23ª rodada | 11/09, sábado, 11 horas: Cruzeiro x Ponte Preta, Arena do Jacaré;
  • 24ª rodada | 16/09, quinta, 19 horas: Cruzeiro x Operário, Arena do Jacaré;
  • 25ª rodada | 19/09, domingo, 16 horas: Vasco x Cruzeiro, Estádio São Januário;
  • 26ª rodada | 26/09, domingo, 16 horas: Cruzeiro x CSA, Arena do Jacaré (?);
  • 27ª rodada | 29/09, quarta, 19 horas: Guarani x Cruzeiro, Estádio Brinco de Ouro;
  • 28ª rodada | 02/10, sábado, 16:30: Cruzeiro x Brasil de Pelotas, Arena do Jacaré (?);
  • 29ª rodada | 08/10, sexta, 21:30: Coritiba x Cruzeiro, Couto Pereira;
  • 30ª rodada | 16/10*: Cruzeiro x Botafogo, em casa;
  • 31ª rodada | 23/10*: Avaí x Cruzeiro, fora de casa;
  • 32ª rodada | 30/10*: Cruzeiro x Remo, em casa;
  • 33ª rodada | 02/11*: Cruzeiro x Vila Nova, em casa;
  • 34ª rodada | 06/11*: Londrina x Cruzeiro, fora de casa;
  • 35ª rodada | 09/11*: Cruzeiro x Brusque, em casa;
  • 36ª rodada | 13/11*: Vitória x Cruzeiro, fora de casa;
  • 37ª rodada | 20/11*: Sampaio Corrêa x Cruzeiro, fora de casa;
  • 38ª rodada | 27/11*: Cruzeiro x Náutico, em casa;
* Estas partidas ainda não tiveram suas datas e horários detalhados, ou seja, possuem apenas a data-base determinada pelo calendário da CBF.
(?) Estes jogos podem acontecer no Mineirão, caso a equipe retorne a BH.

Vencer dez partidas

Na entrevista, Vanderlei Luxemburgo afirmou que colocou dez jogos obrigatórios para vencer, mas não falou quais são, obviamente. Ainda na coletiva, Luxa confirmou que a obrigação é vencer os clubes que estão “indo para lugar nenhum”, ou seja, times que brigam pela sobrevivência ou estão no meio da tabela.

É necessário destacar que são nove jogos em casa e sete longe de Minas Gerais nestas 16 partidas restantes, no entanto, este fato não é tão positivo como parece. O Cruzeiro é o quarto time que menos pontuou em casa nesta Série B e não tem a confiança de jogar como mandante. Neste sábado, o time voltará a mandar partidas na Arena do Jacaré e a expectativa é que haja uma mudança de postura do time. Com a obrigação de vencer 10 de 16 partidas, a Raposa fica “obrigada” a bater, pelo menos, seis dos nove adversários em Minas Gerais.

Além disso, é de suma importância as duas partidas em casa logo no início desta sequência de decisões. Contra Ponte Preta e Operário, o Cruzeiro terá a possibilidade de se impor em casa e recuperar o respeito desta instituição jogando em seus domínios. Em caso de mais tropeços em casa, o sonho cruzeirense pode, de vez, desabar.

Ainda analisando as partidas e o objetivo de vencer dez duelos, o Cruzeiro terá alguns confrontos bem complicados até o fim da temporada, os quais, certamente, entram na conta dos seis jogos além dos dez triunfos. Frente ao Avaí, Botafogo, Coritiba e Guarani, equipes que estão entre os seis primeiros colocados, o Cruzeiro terá dificuldade, mas é crucial vencer, visto que são jogos de seis pontos para quem quer sonhar na parte de cima da tabela.

É realmente possível?

Toda a análise detalhou fatos e o discurso de Luxemburgo, técnico que prega a disputa pelo acesso, mesmo ainda estando na 14ª colocação. O treinador determinou internamente e divulgou externamente esta meta de dez vitórias em 16 jogos. Porém, obviamente, é necessário concluir com a realidade. É realmente possível alcançar este objetivo?

Primeiramente, é importante levar em conta que o Cruzeiro ainda está brigando para fugir da zona de rebaixamento para a Série C. Com uma vantagem de só três pontos, a Raposa ainda precisa vencer as partidas para acabar com este risco e, apenas depois disso, pode sonhar com a parte de cima da tabela, visto que este lugar, praticamente, não foi ocupado pelo Cruzeiro nas suas duas participações na segunda divisão.

Outro detalhe é que os números cruzeirenses nesta Série B não passam muita confiança. Para vencer dez de 16 jogos, é necessário vencer algumas partidas em sequência e o Cruzeiro conseguiu apenas dois triunfos consecutivos nesta edição. Além disso, o time que venceu apenas cinco duelos em todo o campeonato almeja derrotar dez adversários na reta final. É exagerado falar que é apenas um sonho, porque existe possibilidades, mas é certo que será muito complicado. Será necessário uma regularidade que não foi vista no Cruzeiro nos últimos dois anos.

Em contrapartida, o Cruzeiro vive o seu momento mais constante na temporada. Mesmo perdendo pontos que não deveria – como o empate com o Goiás, onde o time estava ganhando e sofreu um empate bobo -, a Raposa pode sonhar porque está atuando com mais qualidade sob comando de Vanderlei Luxemburgo.

Prever o futuro?

Os jogos foram detalhados: serão 16 decisões até o fim desta Série B e apenas o sonho cruzeirense de não permanecer na segunda divisão pela terceira temporada consecutiva. Enquanto isso, os adversários também tentarão melhorar para subir, ou seja, uma equipe que, no início do segundo turno, está na parte de baixo da tabela, deve se preocupar com uma evolução própria e torcer para uma estagnação dos adversários, visto que, mesmo com as dez vitórias e mais alguns pontos nos outros seis jogos, a Raposa pode ficar fora do G-4 por causa do bom desempenho dos rivais.

Talvez seja por isso que é tão complicado prever o futuro. Daqui um mês, o Cruzeiro pode estar na parte de cima da tabela, na zona do rebaixamento ou no meio de tabela, sem objetivos. Em uma competição tão nivelada, tudo é possível, tanto positivamente quanto negativamente.

Por isso, buscar as vitórias, principalmente em casa, é o melhor caminho, mas sempre olhando para baixo, primeiro. A situação contra o rebaixamento ainda não está resolvida e é necessário acabar com esse risco, o qual acarretaria algo vergonhoso e ainda mais prejudicial à história cruzeirense.

Dentro do futebol, tudo é possível. Então, tenha bastante foco, Cruzeiro!

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Comentários

Subscribe
Notify of
guest
3 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Sérgio Rocha

Ganha não! Time muito ruim e técnico ultrapassado! Vão ser tri na B.

Maior de minas sempre

Sai da fila de 50 anos esperando um brasileiro , 6 a 1 eterno

Geraldo

Não sobe,toda arrogância sendo castigada.CHUPA MARIA,terçeirona.