O Cruzeiro (14º) tem as mesmas seis derrotas do Botafogo (4º): além da distância de 12 pontos, a concentração é a diferença entre os times

O confronto entre Cruzeiro e Botafogo, no primeiro turno, terminou empatado. Foto: Vítor Silva/Botafogo

É estranho, mas é a realidade: Cruzeiro e Botafogo, mesmo com campanhas e perspectivas bem distintas, perderam a mesma quantidade de partidas nesta Série B. Foram seis derrotas para o time mineiro e seis para a equipe carioca. Logo, além das dez posições e 12 pontos de distância, a concentração é a principal diferença entre os times.

Por isso, o Blog destacou alguns números e tentou explicar porque, mesmo perdendo a mesma quantidade de partidas, o Botafogo venceu mais do que o dobro de jogos do Cruzeiro. Confira!

A “numerologia”

A grande curiosidade ao analisar a tabela da Série B é que Botafogo e Cruzeiro possuem os mesmos algarismos (5, 6 e 11) para mostrar quantas vitórias, empates e derrotas estes clubes tiveram, mas em uma ordem diferente, visto que o time carioca possui uma campanha bem melhor.

Enquanto o número seis está mostrando que as equipes perderam a mesma quantidade de partidas, o 11 é o número de triunfos do Botafogo, mas o Cruzeiro possui o número 11 para indicar quantas partidas terminaram empatadas. Seguindo nesta numerologia, o número cinco, o menor desses algarismos, é usado para mostrar o número de vitórias da Raposa, enquanto o Fogão possui cinco empates.

É invertido: o Cruzeiro venceu apenas a quantidade de partidas que o Botafogo empatou (5), enquanto o Fogão conquistou 11 vitórias, o número de empates da Raposa.

Portanto, a diferença em pontos é clara para qualquer pessoa, mas os números chamam a atenção porque o Cruzeiro perdeu mais vezes que ganhou e empatou mais do que o dobro de vitórias, dados que evidenciam a terrível campanha. As coincidências numerológicas provocaram esta “análise” um pouco diferente, mas é possível esmiuçar isso por meio do futebol, obviamente.

Alguns jogos

É evidente que os números cruzeirenses são ruins por causa de algumas atuações de jogadores ou escolhas erradas dos treinadores, porém é necessário relembrar algumas partidas com os torcedores. O Blog ressaltou cinco partidas, onde o Cruzeiro teve a liderança do placar e perdeu ou empatou por desatenção. Relembre detalhes destes jogos da Raposa e acompanhe a crítica acerca disso logo depois.

  • 7ª rodada | Saiu vencendo com um gol aos 6 da primeira etapa, mas, em um intervalo de dois minutos, sofreu dois gols de Iury, ainda no 1º tempo. Com isso, perdeu para o CSA por 2 a 1 fora de casa.
  • 8ª rodada | Fez o terceiro gol antes do intervalo, virando a partida, e a primeira parte terminou com o 3 a 2 para o Cruzeiro no placar, ou seja, foi descansar vencendo. Porém, aos 24 minutos do segundo tempo, sofreu o terceiro gol do Guarani. Por isso, empatou com o Guarani por 3 a 3 em casa.
  • 11ª rodada | Depois de estar perdendo, conseguiu virar aos 25 da segunda etapa. Liderou o placar por 3 a 2 até os 49 do segundo tempo, quando Chay marcou de pênalti. Logo, empatou com o Botafogo por 3 a 3 fora de casa.
  • 17ª rodada | Saiu perdendo, mas virou o jogo aos 24 da segunda etapa. Esteve vencendo apenas até os 35 do segundo tempo, quando o Vitória empatou. Então, o placar indicou 2 a 2 com o Vitória em casa.
  • 22ª rodada | Marcou o primeiro gol aos 17 do segundo tempo. Mas, no lance seguinte, não prestou atenção no ataque adversário e o Goiás marcou, em menos de dois minutos de diferença. Portanto, houve um empate por 1 a 1 fora de casa.

A (falta de) concentração

Foram destacados cinco partidas que o Cruzeiro esteve à frente do placar e acabou perdendo a oportunidade de vencer por uma simples falta de concentração. É interessante que cada partida possui um cenário diferente, mas esses 11 pontos perdidos foram, simplesmente, por desatenção.

Como está destacado acima, em uma oportunidade a Raposa sofreu dois gols em dois minutos, sofrendo a virada. Em outra, na noite passada, por exemplo, sofreu um gol praticamente no lance seguinte de ter aberto o placar. Teve gol sofrido nos acréscimos, teve a virada que o Cruzeiro fez por merecer, teve jogo que estava ganhando de forma heroica e acabou deslizando, perdendo a chance de ganhar três pontos e muita moral…

Todos esses tropeços podem ser justificados pela falta de concentração. Uma equipe, que comete um pênalti nos acréscimos ou toma dois gols em dois minutos, não possui o equilíbrio emocional necessário para disputar uma competição tão equilibrada.

Com estes onze pontos perdidos nestas cinco partidas destacadas, o Cruzeiro estaria com 37 pontos e realmente na briga. É muito se, caso, se, caso, nesta campanha da Raposa. É tudo condicional. Por isso, é necessário afirmar que “se” não houver uma melhora muito grande e “caso” não haja mais concentração, o time mineiro não sairá desta situação tão cedo.

Enfim…

Entregar pontos bobos como nestas partidas é a receita perfeita para não progredir. O Cruzeiro está a caminho da terceira temporada seguida na Série B. Os culpados são muitos e alguns merecem ser até criminalizados, mas estes atuais jogadores também possuem responsabilidade. Vestir a camisa do Cruzeiro nunca será fácil, assim como não é qualquer atçeta que pode usar. A atenção deve vir junto com a qualidade, para que o clube não tropece tanto.

No início, a análise comparou os números do Cruzeiro com o Botafogo, mas os tropeços da Raposa falam por si, sem necessitar de usar o outro grande time do futebol brasileiro. No entanto, para concluir, é necessário dizer que em algumas partidas o Fogão estava empatando até os minutos finais e marcou o gol da vitória. Em outras, dominou o placar durante todo o jogo e conseguiu suportar a pressão porque teve concentração. Por causa disso, o Botafogo venceu 11 e o Cruzeiro empatou 11. O foco durante toda a partida é bem diferente nos dois elencos e isso pode acarretar a ascensão do Fogão. Por outro lado, esta desatenção tende a provocar mais um ano de Série B à Raposa.

Os deslizes do time mineiro já aconteceram e será muito difícil recuperar. Porém, se não houver uma mudança muito drástica, esta recuperação vai se tornar apenas uma ideia, um sonho, visto que o Cruzeiro não apresenta uma postura diferente. São erros que provocam tropeços. São erros que acarretam crises eternas em gigantes. Tome cuidado, Cruzeiro!

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Comentários

Subscribe
Notify of
guest
2 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Hélio

chora mais mariada ! kkkkkkkkkk

Sandro

Esqueceu de mostrar na análise os frangos de 3 goleiros que deram 3 vitórias para o Falidão Esporte Clube?