Apenas seis chutes certos sofridos nas últimas cinco partidas: a base do Atlético é uma defesa com números consistentes

Mesmo sem Alonso, atleta que está atuando na sua seleção, os zagueiro correm atrás dos objetivos do Galo. Foto: Pedro Souza/Atlético.

“Ataque ganha jogos, defesa ganha campeonatos”. Certamente você já escutou este clichê algumas vezes na sua vida. O ponto mais interessante é que esta ideia vale para boa parte dos esportes. Além do basquete, handebol e outros, o futebol se encaixa perfeitamente nesta máxima. E o torcedor do Atlético pode ficar animado com esta temporada justamente pelo alto nível da defesa.

Certamente, o atleticano já sofreu bastante no passado com times ofensivos que não possuíam números positivos na defesa. Com isso, a equipe marcava muitos gols e também sofria, ou seja, não conseguia vencer os títulos. Isso aconteceu em 2020, quando a equipe estava em formação e conseguiu feitos positivos como a 3ª colocação do Brasileirão, mas poderia ir mais longe, levando em conta o potencial. A grande questão era o encaixe defensivo.

Com a sequência destas peças de defesa para a atual temporada, a chegada de um zagueiro qualificado e o bom trabalho de Cuca, o Atlético possui números consistentes e até impressionantes na defesa. Finalmente, o Galo se aproxima aos títulos de forma equilibrada, visto que ataque e defesa funcionam. Obviamente, não é possível cravar se o time irá vencer pelo menos um dos campeonatos que estão sendo disputados, porém, por outro lado, é errado ignorar o que está sendo feito pela marcação atleticana.

Os números

Uma equipe que enfrenta os argentinos Boca Juniors e River Plate, em sequência, em mata-matas da Libertadores, e não sofre nenhum gol nas duas partidas contra cada equipe merece um destaque especial. Além disso, este mesmo time possui a melhor defesa do Campeonato Brasileiro: são 13 gols sofridos em 18 jogos no Brasileirão, ou seja, uma média de 0,72.

Na última semana, na sequência insana de partidas contra o Fluminense (2x) e Red Bull Bragantino, o Atlético sofreu gols em todas as partidas, mas o clube estava em um ótimo momento sem ser vazado. Antes desta semana, o time havia alcançado uma série de nove jogos, onde sofreu gols em apenas duas partidas.

Além destes importantes jogos sem sofrer gols, uma estatística chama muito a atenção. Mesmo sendo vazado nas últimas partidas, o Atlético tem bons números para não correr riscos dentro da partida. Tendo em vista que a melhor maneira de evitar o perigo adversário é não deixar o rival finalizar no seu gol, a marcação atleticana fecha bastante os espaços e impediu as chegadas dos oponentes de forma impressionante nas últimas partidas.

Nos últimos cinco duelos do Campeonato Brasileiro, o Atlético sofreu apenas seis chutes na meta: contra Athletico-PR (1), Juventude (1), Palmeiras (1), Fluminense (3) e Red Bull Bragantino (0). Portanto, a marcação não está concedendo, durante toda a partida, oportunidades para o rival finalizar, fundamento decisivo no jogo.

As peças

Os números acima são bem consistentes e indicam que o Atlético pode conseguir grandes feitos nesta temporada, visto que a defesa é sólida. O número de finalizações certas sofridas – seis em cinco jogos – chama a atenção porque isto reduz consideravelmente as chances do adversário marcar um gol frente ao Galo. E este bom momento defensivo passa muito pela tática e a técnica das peças atleticanas.

O grande feito do técnico Cuca nesta passagem pelo Atlético foi a organização defensiva. Com um sistema mais reativo no início da temporada, o técnico passou alguns jogos sem atacar com tanta frequência, mas deu passos importantes na necessária evolução da defesa. Com isso, o Galo é, atualmente, uma equipe se comporta muito bem atacando e defendendo, ou seja, está preparado para várias situações em campo.

Para conseguir isso, além das coordenadas do treinador, a responsabilidade também passa pelo forte elenco atleticano. Com Everson em grande fase, sendo premiado até com uma justa convocação para a Seleção Brasileira, o Atlético possui muita confiança no goleiro. Na dupla de zaga, Junior Alonso dispensa comentários, visto que o xerife atleticano é muito talentoso, e ganhou um companheiro à altura. Nathan Silva chegou e assumiu a titularidade sem sentir o peso da tradicional camisa alvinegra – leia mais sobre ele.

Nas alas, Guilherme Arana está apoiando menos, porém está mais presente na defesa – certamente, ele está seguindo as ordens de Cuca. Na lateral-direita, o Atlético contou com uma recuperação inesperada: após chegar muito mal em 2020, Mariano se recuperou, é o titular da posição e mostra que ainda pode render por algumas temporadas, mesmo com 35 anos. Ainda nas laterais, Dodô e Guga são excelentes reservas que sempre entram bem, assim como Igor Rabello e Réver na zaga, ou seja, peças boas e bem organizadas rendem números bons.

É permitido se apegar ao clichê?

Depois de muitos anos, o atleticano está confiando na sua defesa e tem razão para isso. O time mineiro possui um sistema sólido e não está correndo riscos. Passar cinco jogos de Brasileirão com apenas seis chutes na sua meta é algo que é realmente destacável, visto que, nestas mesmas partidas, o Galo acertou o alvo adversário em 28 oportunidades. É claro que uma equipe que finaliza 28 vezes corretamente e só sofre seis arremates certos em cinco jogos tem uma chance muito grande de ir bem em todas as competições.

Atualmente, o Atlético está em uma necessária pausa de duas semanas por causa da Data FIFA, porém, quando voltar, o time mineiro terá três meses consecutivos com possíveis decisões. Na semifinal da Libertadores, com uma vitória nas quartas da Copa do Brasil e na liderança isolada do Brasileirão, o Galo deve seguir com este equílibrio da defesa e ataque para conseguir satisfazer a sua torcida.

Portanto, o Atlético deseja continuar atrás do clichê descrito no início da análise. A máxima esportista de uma defesa sólida ganhar campeonatos fará o Atlético campeão? Ou seja, o Galo ganhará campeonatos por ter um sistema defensivo forte? Só o futuro dirá, mas o time está na direção certa. Basta continuar evoluindo, não correndo riscos e jogando para frente. O prognóstico é positivo e os jogadores devem seguir neste ótimo trilho. O atleticano pode sonhar!

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments