Cartão de visitas do Diego Costa, bom jogo coletivo e azar no gol contra: questões importantes do empate do Atlético com o RB Bragantino

Diego Costa começou a sua passagem pelo Atlético com o pé direito. Foto: Pedro Souza / Atlético

A noite de domingo do torcedor do Atlético ficou marcada por muita empolgação por causa do camisa 19: Diego Costa entrou no 2º tempo, atuou pouco mais de 30 minutos na sua estreia e marcou um belo e decisivo gol para o Galo. Além do cartão de visitas de Diego Costa, a massa atleticana, certamente, comentou bastante sobre o ótimo jogo coletivo da equipe e também acerca do azar no gol contra feito por Nathan Silva. Portanto, em resumo, um jogo com muitas questões importantes e um bom empate fora de casa para o Galo.

Neste domingo, 29 de agosto, o Atlético visitou o Red Bull Bragantino e empatou por 1 a 1, em jogo válido pela 18ª rodada do Brasileirão de 2021. A partida aconteceu no Estádio Nabi Abi Chedid e, assim como no último Campeonato Brasileiro, o duelo em Bragança Paulista terminou empatado.

Com o resultado, o Atlético, segue na liderança e com uma vantagem considerável para o Palmeiras: com 39 pontos, o líder tem quatro tentos de vantagem para o vice-líder. Porém, o time paulista pode ser ultrapassado pelo Flamengo, já que a equipe carioca tem duas partidas a menos e pode alcançar os 37 pontos, se aproximando do Galo. O curioso é que, devido à Data FIFA, o time de Cuca só volta a campo em 12 de setembro, contra o Fortaleza, tendo assim uma grande folga.

Antes de detalhar o jogo do Brasileirão, é necessário destacar que nesta segunda-feira, 30, às 17 horas, o time feminino do Atlético faz a 1ª partida da final do Brasileirão A2 contra o Red Bull Bragantino. A partida das Vingadoras será transmitida pela CBF TV e pelo SporTV. Certamente a massa estará apoiando as meninas do Galo. Boa sorte para elas na final!

Ele conhece a bola

Foram 30 minutos, dez toques na bola, cinco passes, três finalizações e apenas um chute com a direção correta, visto que as outras duas foram bloqueadas. A grande questão que animou os torcedores do Atlético é que Diego Costa acertou uma finalização no gol e o arremate foi, simplesmente, indefensável.

Aos 40 da 2ª etapa, o Red Bull Bragantino tentou fazer a saída de jogo e o Galo pressionou, já que estava atrás no placar. Com boa pressão exercida no campo de ataque, Guga roubou a bola, tocou para Sasha e o camisa 18 acelerou pela direita. Eduardo Sasha avançou com velocidade e fez um cruzamento perfeito para o estreante da noite. Com muita inteligência e qualidade, Diego Costa bateu de primeira, sem deixar a bola cair, e colocou a bola no ângulo esquerdo do goleiro Cleiton. Um gol único. Um golaço do Atlético. E além de todas as questões especiais pela estreia do novo camisa 19, este tento de Diego Costa foi importantíssimo para garantir um ponto para o Galo.

No fim da partida, em entrevista ao SporTV, Diego Costa afirmou algo que é perceptível: ele conhece a bola. Mesmo com problemas físicos, o atleta conseguiu ajudar o Atlético, fez pivô em algumas oportunidades e marcou um belo gol, sendo esta a sua característica principal. O artilheiro hispano-brasileiro é diferente e, certamente, usará esta pausa para a Data FIFA para melhorar a parte física e alcançar o ritmo dos seus companheiros.

No entanto, para um jogador que estava sem entrar em campo há mais de 8 meses, Diego Costa já afirmou o seu talento e deixou um belo cartão de visitas para o futebol brasileiro!

Um bom jogo coletivo

O golaço de Diego Costa foi decisivo para o Atlético, visto que o time estava atrás no placar. No entanto, a equipe mineira estava merecendo este empate desde o início do jogo, pois dominou o Red Bull Bragantino, não correu riscos defensivos e fez uma boa partida. A grande questão é que a defesa do Massa Bruta estava bem postada e os jogadores atleticanos, desgastados pela sequência de partidas, não conseguiram aproveitar este domínio, já que os números são de um time que poderia ter goleado o adversário.

A boa partida do Atlético pode ser evidenciada pelos números. Enquanto o Galo finalizou 26 vezes, sendo oito com a direção certa, o Red Bull Bragantino finalizou em apenas cinco oportunidades e sequer acertou a meta de Everson – o gol do time paulista foi feito por Nathan Silva, em uma infelicidade descrita abaixo. Um detalhe interessante das finalizações que evidenciam a dificuldade de entrar na área adversária é que 13 chutes atleticanos foram feitos de fora da área e os outros 13 de dentro da área, ou seja, o time não sabia como entrar na área, mas seguiu tentando, uma característica importantíssima.

RB Bragantino x Atlético

33% Posse de bola 67%
5 Finalizações 26
0 Finalizações no gol 8
1 Escanteios 17
1 Impedimentos 1
16 Faltas 18
333 Passes 653
253 (76%) Passes certos 588 (90%)
Fonte: SofaScore.com

Além disso, o número de posse de bola, cruzamentos e passes certos indicam que o Atlético fez uma boa partida coletiva. A equipe de Cuca dominou o adversário, não sofreu e poderia ter saído com a vantagem, mas parou em uma boa atuação de Cleiton e no próprio cansaço. Em resumo, um bom jogo e um resultado aceitável.

Para finalizar a análise da atuação coletiva atleticana, se faz necessário destacar a vontade da equipe. Desde o 1º minuto, o Atlético se mostrou intenso na marcação, realizando a pressão necessária para parar a bem treinada equipe do Red Bull Bragantino.

Aliás, as entradas promovidas por Cuca também foram essenciais para seguir pressionando durante a 2ª etapa e buscar o empate. Isso é possível ver no gol atleticano: Nathan pressionou, Guga roubou, Sasha cruzou e Diego Costa marcou – todos estes jogadores estavam na reserva. Além de ter um talentoso banco de suplentes, é necessário deixar esses atletas com o ritmo necessário e motivados para entrar em um jogo tão importante. Todas estas questões solidificam uma boa atuação coletiva do Atlético.

O azar no gol contra

O Atlético não correu riscos na partida e fez mais uma boa partida defensiva, mesmo encontrando Artur, um dos grandes destaques do futebol brasileiro na temporada. Até por isso, o Red Bull Bragantino finalizou apenas cinco vezes e nenhum chute foi na meta de Everson. No entanto, o Galo sofreu um gol no início da partida e só empatou no fim. Como?

A infelicidade de um dos destaques do Atlético na temporada fez o clube correr atrás do gol de empate desde o minuto 15 da 1ª etapa. Na jogada do gol, Cuello passou por Mariano, foi à linha de fundo e cruzou para trás, tentando buscar algum jogador melhor posicionado próximo do gol. Em um ato de reflexo, Nathan Silva tentou cortar a bola e jogar para a linha de fundo, a fim de afastar o perigo dali. No entanto, o atleta estava um pouco atrasado e não conseguiu tirar da forma correta. Com isso, a bola foi na direção do gol, bateu no travessão e entrou. Um gol contra dramático.

É claro que Nathan Silva não queria ter feito este gol e, por isso, é muito complicado culpar o jogador que marca contra o próprio clube. Ainda mais quando, assim como Nathan Silva, o atleta tem a intenção correta de afastar o perigo e, devido ao reflexo, acaba tentando tirar de qualquer forma. A bola ficaria com Everson, mas o zagueiro teve o instinto de afastar a bola e fez contra. Infelizmente, acontece. Por outro lado, o azar e a infelicidade de Nathan Silva, felizmente, não abalaram o bom zagueiro atleticano que fez uma boa partida, mesmo com o “erro” cometido.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments