A partida do Brasileirão e o retrospecto recente indicam: o Atlético não terá vida fácil contra o Fluminense na Copa do Brasil

Todos estão olhando atentamente para ela: a vaga na semifinal da Copa do Brasil. Foto: Pedro Souza / Atlético

Por Pedro Bueno

O Atlético é líder do Brasileirão com uma certa vantagem. Além disso, o time se classificou na Libertadores de forma emblemática sobre o River Plate, visto que venceu na Argentina por 1 a 0 e em BH por 3 a 0 – anteriormente, já havia eliminado o Boca Juniors. Na Copa do Brasil, a equipe de Cuca desclassificou o Remo e o Bahia, e o grande desafio se iniciará na próxima quinta-feira, 26.

Atlético e Fluminense se enfrentarão pelas quartas de final da Copa do Brasil de 2021. De um lado, um time alvinegro com muito poder, favoritismo e responsabilidade de vencer uma grande competição nesta temporada. Do outro lado, um tricolor que mescla juventude com experiência e precisa ir bem na competição de mata-mata, visto que a situação é crítica no Brasileirão.

Em meio a este grande duelo, que iniciará nesta quinta, 26, às 21:30 e que terá um desfecho no dia 16 de setembro, os clubes se enfrentaram pelo Campeonato Brasileiro e ficou claro que o Atlético não terá vida fácil na Copa do Brasil. Além disso, o próprio retrospecto recente indica a possível dificuldade atleticana na competição de mata-mata contra o Flu.

O jogo do Brasileirão

Por um lado, uma equipe com a famosa ressaca depois de uma grande classificação. Por outro, um time pressionado pelos maus resultados e motivado pela troca de treinador. Dentro de campo, o Atlético foi visto desligado em algumas ocasiões, errando lances simples, enquanto o Fluminense brigou, mas pouco fez no campo de ataque.

O Galo entrou nesta partida com a possibilidade de abrir ainda mais vantagem, alcançar o recorde histórico do Brasileirão de pontos corridos, em relação à vitórias consecutivas, e acabou se perdendo nestes possíveis números. O 1º tempo da equipe contou com uma bola na trave e poucas finalizações no campo de ataque,. Enquanto isso o Fluminense marcou de pênalti com o interminável Fred. Na etapa final, o Atlético melhorou e atacou por meio do famoso “abafa”. Até por isso, cedeu mais espaço para o Fluminense que perdeu uma grande chance com Gabriel Teixeira, na única chance real do time, além do gol de Fred. Logo depois deste lance, Eduardo Sasha recebeu de Nathan – ambos saíram do banco – e o camisa 18 bateu com precisão, empatando a partida para o Atlético.

Um empate amargo ao pensar que o Galo é uma equipe melhor que o Fluminense. No entanto, foi um empate justo para o desempenho das equipes em campo. Durante toda a partida, o Tricolor Carioca optou pelo método defensivo. Já o Atlético quis atacar, mas não estava inspirado. O jogo terminou empatado em 1 a 1 e o placar representou a igualdade vista em campo.

Vai ter emoção?

Não é possível ter certeza sobre a “quantidade de emoção” que os jogos da Copa do Brasil terão, porém o retrospecto recente do confronto entre Atlético e Fluminense indica que não será um jogo fácil. No geral, o Galo tem uma vantagem considerável sobre o rival: já foram disputadas 96 partidas, o Atlético venceu o rival 37 vezes, houve 29 empates e o Fluminense bateu o time mineiro em 30 oportunidades. No entanto, os números recentes chamam a atenção.

  • 16/11/2019: Fluminense 1 x 1 Atlético;
  • 14/10/2020: Atlético 1 x 1 Fluminense;
  • 10/02/2021: Fluminense 0 x 0 Atlético;
  • 23/08/2021: Fluminense 1 x 1 Atlético;

Como é possível observar, aconteceram quatro empates nas últimas quatro vezes que as equipes se enfrentaram. Como a Copa do Brasil não conta com o gol fora de casa, em caso de dois empates entre os clubes na competição de mata-mata, o jogo irá para os pênaltis. E as emoções não param nesta questão.

Além de terem sido quatro empates nos últimos quatro jogos, o roteiro destas partidas não foram simples. Excluindo a partida sem gols do início de 2021, obviamente, todas os outros empates contaram com o primeiro gol do Fluminense, ou seja, nos três jogos que terminaram em 1 a 1, o Atlético teve que buscar o resultado. Em 2019, Franco Di Santo marcou aos 44 do 2º tempo e empatou o jogo. Em 2020, Caio Paulista marcou logo no início, porém Guilherme Arana empatou na 2ª parte. E no jogo desta última segunda-feira, 23 de agosto, Eduardo Sasha igualou o placar no minuto 38 da etapa final.

Portanto, além de muitos empates, os últimos jogos reservam um roteiro complicado para o Atlético, visto que o time saiu atrás do placar em todos os empates com gols. É bem provável que este duelo frente ao Fluminense conte com muitas emoções.

As lições

Os torcedores do Atlético não ficaram satisfeitos depois do empate da última segunda-feira, visto que o Galo tem potencial para vencer o Fluminense. No entanto, uma grande parcela da torcida alvinegra repercutiu que este jogo pode deixar importantes lições para o time de Cuca explorar na sequência da Copa do Brasil.

Para quinta-feira, 26, no jogo de ida da competição de mata-mata, Cuca já sabe que enfrentará um time muito aguerrido, que explora bastante as jogadas aéreas e os contra-ataques, além de incomodar na força física. Aliás, a marcação pelo centro do Fluminense foi muito bem feita, impedindo que alguns jogadores mais criativos, como Zaracho e Nacho Fernández, tivessem espaço perto da área adversária. Um time que incomoda e briga muito.

Em meio a boa marcação do Flu, alguns jogadores atleticanos estiveram abaixo e não conseguiram ajudar o time. A missão da comissão técnica é assistir novamente esta partida e explicar para os jogadores alguns pontos cruciais. Com muita eficiência na marcação e quase nenhuma vontade de propor o jogo, o Fluminense ficou muito próximo do jogo dos sonhos, visto que, se Gabriel Teixeira não desperdiçasse, dificilmente o time mineiro conseguiria empatar a partida.

Portanto, um tropeço no Brasileirão pode acarretar uma preparação melhor para a Copa do Brasil. O Atlético sabe qual será a postura do seu adversário: muita marcação, principalmente pelo meio. Logo, é importante encontrar válvulas de escape para chegar com mais perigo ao gol de Marcos Felipe. Além de um importante ponto fora de casa, o jogo deixou lições que podem conduzir o Atlético aos seus objetivos. Basta a comissão técnica e os jogadores entenderem!

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Comentários

Subscribe
Notify of
guest
2 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
JULIO CEZAR BRESCIA

o comentarista estaria certo se o próximo jogo na fosse mata-mata, jogo de ida. o Flu vai ter que propor mais o jogo, pois precisa ganhar em casa.

Luiz Cesar Coutinho

Começou a tradição do Galo borrar nos momentos mais decisivos.