Se tiver condições físicas ideais, o trio de ataque do Cruzeiro de Luxemburgo já merece estar definido

Nem entrou muito bem contra o Confiança e merece um lugar no time. Foto: Bruno Haddad/Cruzeiro

Por Pedro Bueno

O Cruzeiro ainda não está completamente aliviado na briga contra o rebaixamento. No entanto, o início com Vanderlei Luxemburgo é bom e a equipe está se acertando. Com 11 pontos conquistados em 15 disputados, a Raposa respirou e deve se concentrar em seguir vencendo, visto que o objetivo é voltar à elite.

Em meio aos bons resultados com atuações ainda não animadoras, o Cruzeiro tem boas notícias. O volante Adriano voltou a jogar bem; Giovanni Piccolomo é definitivamente o armador da equipe; Marco Antônio e Matheus Pereira voltaram a ganhar chances, visto que são jovens, precisam de minutos e Mozart estava os preterindo.

Além dos números animadores, da boa sequência invicta – são sete jogos sem perder – e das duas vitórias seguidas, o Cruzeiro teve uma ótima notícia dentro de campo. Finalmente, o trio de ataque da Raposa está se destacando e, caso estejam com condições físicas ideais, os camisas 16, 9 e 21 merecem a titularidade na equipe de Vanderlei Luxemburgo. Bruno José, Marcelo Moreno e Wellington Nem devem ser o trio ofensivo da equipe no restante da temporada.

O camisa 16

Iniciando pelo mais regular dos três atacantes, Bruno José talvez seja a grande contratação do Cruzeiro na temporada. O atacante não é um atleta tão diferenciado e que resolva jogos, mas se entrega bastante para o time. O camisa 16 atuou durante toda a temporada, já fez 34 jogos com a camisa azul celeste e é um dos poucos atletas que não oscilou neste ano.

Desde o início da atual temporada, Bruno, atleta que estava no Brasil de Pelotas em 2020, mostrou disposição e velocidade. Com apenas três gols na temporada, Bruno José não se afirma como um grande definidor, claramente, mas é uma peça fundamental para levar a bola para o ataque.

A raça, a vontade e os bons dribles de Bruno José seguirão ajudando o Cruzeiro durante este 2º turno da Série B. Cabe a Vanderlei Luxemburgo colocar o atleta para atuar pela esquerda, por causa da presença de Nem. Mesmo com a inversão, Bruno seguirá bem, visto que o seu estilo de jogo precisa de campo para atacar e coragem para arriscar. E esta coragem, Bruno José tem de sobra, visto que busca os dribles e tenta bastante. Ele não é o mais técnico para passes e finalizações, mas é o mais regular e um dos mais velozes e táticos do elenco. Bruno José deve continuar como a opção de Luxa.

O camisa 9

Depois de Fábio, o grande ídolo da torcida azul celeste neste elenco é boliviano, mas fala muito bem o português: Marcelo Martins Moreno é o centroavante e os gols voltaram a sair. O Flecheiro retornou em 2020, mas não conseguiu se firmar. Em meio a tantas trocas de técnico, Moreno foi bastante criticado pelas suas atuações.

A título de comparação, na última temporada, Moreno atuou em 32 partidas e marcou somente três gols, tendo assim uma média inferior a um gol a cada dez jogos. Já na atual temporada, Marcelo Moreno só participou de 14 partidas – apenas oito como titular -, mas marcou seis gols e mostrou que o seu faro de gol está em dia. Na Série B, os números são ainda melhores: cinco tentos em nove jogos.

Além de estar fazendo gols, algumas características de Moreno são cruciais. A sua força física é evidente e o atacante consegue usar da forma correta, como um bom pivô. Além disso, a determinação para correr pelo time, mesmo sendo um centroavante já veterano, é muito notável. Logo, o boliviano está entregando tudo aquilo que os torcedores esperavam de um ídolo: gols, raça e determinação para o tirar o Cruzeiro da situação assustadora do clube. É inaceitável que o camisa 9 fique no banco. Moreno tem que ser titular do Cruzeiro como foi nas últimas duas partidas.

O camisa 21

O jogador tem pouca história com a camisa azul celeste, mas já deixou um bom cartão de visitas. Wellington Nem é um atleta muito talentoso que estava desacreditado – com razão – por causa das suas últimas temporadas. Mesmo assim, o Cruzeiro fez um acordo com o ponta e, embora não tenha as condições físicas ideais ainda, Nem já mostrou que é a opção certa para o time titular da Raposa.

Desde 23 de junho, quando fechou com a Raposa, Wellington Nem, certamente, se cobra e o clube exige dele uma condição física melhor. Até por isso, em algumas partidas, como os dois últimos jogos, Nem começou no banco de reservas, visto que estava cansado, segundo a entrevista de Vanderlei Luxemburgo. No entanto, a sua entrada no 2º tempo contra o Confiança foi tão importante que é necessário afirmar: as condições de Nem devem melhorar para que o time mineiro melhore.

Não é uma dependência – ainda -, porém a atuação do bom jogador cruzeirense nas últimas partidas faz com que o torcedor se pergunte: e se Wellington Nem estiver 100% fisicamente? O camisa 21 se destaca nos dribles curtos e na inteligência nos fundamentos, estando assim acima de qualquer outro ponta do elenco cruzeirense. Portanto, quando estiver com o físico apurado, Wellington Nem tende a ser titular indiscutível do Cruzeiro pela sua qualidade. Cabe ao jogador aprimorar fisicamente e seguir em bom nível técnico, visto que os seus últimos anos foram bem diferentes destas dez boas partidas pela Raposa.

A definição do trio

É certo que Vanderlei Luxemburgo não irá afirmar, em uma coletiva, que o seu trio titular é esse, porém, pelas atuações nas últimas partidas, apenas problemas físicos podem mudar esta formação ideal. Com a regularidade de Bruno José, atleta que joga boa parte das partidas, Moreno e Nem são as possíveis ausências deste trio. O boliviano foi convocado pela sua seleção e irá se ausentar no início de setembro. Já Nem atuou como titular em apenas três partidas desde que chegou e precisa melhorar o seu físico.

Mesmo assim, Vanderlei Luxemburgo conseguiu dar confiança a um setor que está em baixa no Cruzeiro há anos. O ataque não era confiável e o time era extremamente prejudicado por isso. Algumas peças como Felipe Augusto e Rafael Sobis não estavam agregando.

Logo, se começarem a jogar juntos, Bruno José, Marcelo Moreno e Wellington Nem podem dar muitas alegrias ao torcedor. Treinem, se encaixem e continuem bem, atacantes cruzeirenses!

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments