Um empate amargo! Após virar o jogo, Cruzeiro falha na defesa e empata com o Vitória por 2 a 2 em casa

Foto: Bruno Haddad/Cruzeiro

Foi possível visualizar a frustração dos jogadores cruzeirenses após o apito final. Nesta altura do campeonato, o Cruzeiro não pode perder pontos em jogos que atua melhor que o adversário. Mesmo com um 1º tempo bem fraco, a equipe mineira mostrou muita intensidade nos 25 primeiros minutos da 2ª etapa, virou a partida com gols de Rafael Sobis e Giovanni Piccolomo e estava confiante em mais uma vitória de virada sob comando de Vanderlei Luxemburgo. No entanto, a defesa falhou – mais uma vez -, ficou apenas olhando Samuel e o goleador do Vitória empatou a partida. Um empate amargo e mais um tropeço da Raposa dentro de casa.

Nesta noite de quarta-feira, 11 de agosto, o Cruzeiro recebeu o Vitória no Independência e o placar do Horto marcou 2 a 2. O empate entre as equipes foi válido pela 17ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série B e não aconteceu no Mineirão porque o Gigante da Pampulha está “descansando” para melhorar a situação crítica do gramado.

Com mais um empate, o Cruzeiro segue na terrível média de um ponto por jogo. Na 15ª posição, a Raposa conquistou 17 pontos em 17 jogos, porém conseguiu abrir três pontos de distância para a 1ª equipe dentro da zona do rebaixamento: o próprio Vitória. Com 14 pontos, a equipe baiana está na 17ª posição e não deixou o Z-4.

Os jogos e as atuações individuais

A partida cruzeirense pode ser definida por altos e baixos acarretados pela escalação equivocada de Vanderlei Luxemburgo. Novamente, o treinador cruzeirense teve que mudar as suas peças no 2º tempo para melhorar o volume ofensivo e até virou a partida, assim como na partida frente ao Brusque. Porém, desta vez, o time adversário conseguiu empatar.

É claro que o treinador possui méritos nas mudanças feitas, porém a necessidade de mexer em três peças no intervalo só existiu pelos erros iniciais. No 1º tempo, o Cruzeiro viu o Vitória dominar a 1ª etapa, não conseguiu fazer nada e ficou em desvantagem. Com as mudanças e boas entradas de Giovanni Piccolomo e Marcinho, novamente, a equipe melhorou, virou o jogo e teve domínio da partida. Porém, a Raposa não teve fôlego para sustentar a vantagem e, enquanto o time estava cansado e com as cinco substituições feitas devido às mudanças do intervalo, o Vitória mexeu na equipe, colocou sangue novo e empatou a partida. Erros corrigidos não acarretam sempre um resultado perfeito. Por isso, a tarefa de Luxa é antecipar estes erros para fazer um 1º tempo melhor na próxima partida.

Outra questão importante que o treinador terá a obrigação de corrigir é o setor defensivo. Infelizmente para a apaixonada torcida azul celeste, o Cruzeiro deixou de ter uma defesa sólida como na última temporada – mesmo mal, o time foi o 3º menos vazado da Série B – e se tornou uma defesa muito frágil. No 1º gol, Rômulo cometeu um pênalti muito infantil e deu uma grande chance para o Vitória. No 2º tento, a linha de defesa estava mal posicionada e Samuel conseguiu infiltrar, driblar o goleiro e, mesmo sem ângulo, ter espaço para bater forte no gol adversário. Com 28 gols sofridos nesta Série B, o Cruzeiro precisa urgentemente organizar este setor tão importante.

Cruzeiro x Vitória

Pela primeira vez desde o início de maio, o Cruzeiro conseguiu um feito que é comum em times de futebol: repetir a escalação. Com apenas um novo desfalque em relação à última partida – Felipe Augusto ficou fora por suspensão, mas foi reserva frente ao Brusque -, Vanderlei Luxemburgo colocou os mesmos onze atletas iniciais e este time tende a se consolidar como titular. Por isso, a Raposa entrou em campo com Fábio; Rômulo, Ramon, Eduardo Brock e Jean Victor; Ariel Cabral e Flávio; Wellington Nem, Rafael Sobis e Bruno José; Marcelo Moreno.

O 1º tempo

O início do Vitória foi bom e o time impediu qualquer tentativa cruzeirense nos primeiros minutos de jogo. Logo aos 7, Bruno Oliveira cobrou falta da intermediária e o zagueiro João Victor cabeceou sozinho. A testada foi no meio do gol e Fábio fez a defesa. No minuto 11, Fernando Neto arriscou de fora da área e isolou.

Dez minutos depois, aos 21, o Vitória abriu o placar. Marcinho recebeu na esquerda e entrou na área, porém, na tentativa desesperada de impedir o avanço do camisa 11 do Vitória, Rômulo agarrou o braço do adversário e derrubou Marcinho. Sem hesitar, o árbitro assinalou o pênalti para o Vitória. Na cobrança da penalidade máxima, Samuel pegou a bola e bateu com muita tranquilidade: Fábio escolheu o lado direito e a bola foi no canto esquerdo. Gol de Samuel. Gol do Vitória: 1 a 0 para o time baiano.

Após o gol, o Vitória não voltou a atacar e deu mais espaço para o Cruzeiro que, mesmo com muitas limitações, foi melhorando em campo. Porém, é necessário destacar que a 1ª finalização do time aconteceu aos 20 e a equipe chegou novamente apenas no minuto 36. Nestas duas chances, o Cruzeiro não levou perigo ao gol adversário: aos 20, Bruno José chutou de esquerda de longe e errou o alvo; no outro lance, no minuto 36, Sobis cruzou e Moreno deu um “peixinho” sem direção.

A única boa chance cruzeirense na 1ª etapa aconteceu aos 38. O volante Pablo Siles errou um passe de forma bisonha e Bruno José acelerou. O ponta velocista fez boa jogada pela esquerda, entrou na área e tocou para o meio, encontrando o camisa 10. Rafael Sobis teve uma grande chance, mas não chutou tão bem e a bola bateu em Matheus Moraes, zagueiro que fez a defesa com a coxa. O Cruzeiro ainda chegou com Flávio, aos 40, em chute da intermediária que também foi para fora. Enfim, o 1º tempo foi ruim, com poucas finalizações certas e com a vantagem construída pelo Vitória.

O 2º tempo

A virada cruzeirense

Logo após o intervalo, o técnico Vanderlei Luxemburgo promoveu três mudanças no time: Giovanni Piccolomo, Marcinho e Norberto entraram nas vagas de Flávio, Marcelo Moreno e Rômulo, respectivamente. E as substituições deram certo de forma instantânea, visto que Rafael Sobis assumiu a posição de centroavante e marcou aos 4. Depois de tentativa frustrada de cruzamento de Bruno José, a bola pingou na área e a defesa do Vitória falhou, pois não conseguiu afastar o perigo. Aproveitando a falha, Wellington Nem ajeitou com a coxa e Rafael Sobis bateu de primeira, com a perna esquerda. A bola passou debaixo do goleiro Lucas Arcanjo e balançou as redes. Gol de Rafael Sobis. Gol do Cruzeiro: 1 a 1 no placar.

Logo na sequência, com muita confiança, Rafael Sobis tentou novamente. Aos 6, o camisa 10 recebeu de Marcinho e arriscou de longa distância, mas a bola passou ao lado da trave direita do Vitória. No minuto 11, foi a vez de Marcinho arriscar de longe. O meio-campista cobrou uma falta, acertou o alvo e obrigou Lucas Arcanjo a fazer a defesa.

Sem tanta intensidade, contudo, com a posse, a Raposa chegou em nova finalização de Marcinho, no minuto 15. Porém, desta vez, a bola subiu demais e não foi na direção do gol. No lance seguinte, Ariel Cabral arriscou de longa distância e, em dois tempos, Arcanjo fez a defesa. Entretanto, logo após a finalização, Ariel sentiu e pediu para sair: Adriano entrou no seu lugar.

O Vitória até tentou reagir, chegou em uma cobrança de falta aos 18, mas acertou a barreira. No entanto, foi o Cruzeiro que balançou as redes novamente no minuto 23. Após trama de Bruno José pela esquerda, o ponta tocou para Giovanni Piccolomo e o meio-campista teve muita liberdade na intermediária. Com confiança no seu chute, o camisa 28 arriscou de longe, a bola desviou na cabeça do zagueiro João Victor e “matou” o goleiro Lucas Arcanjo. Gol de fora da área de Giovanni Piccolomo. Gol da virada do Cruzeiro: 2 a 1 no marcador.

O empate do Vitória

O time mineiro virou a partida e Vanderlei Luxemburgo tirou um atacante e colocou um volante: no minuto 29, Rafael Sobis deu lugar ao marcador Matheus Neris. E esta mudança de Luxemburgo até cadenciou a partida, porém Samuel novamente marcou para o Vitória.

No minuto 32 da 2ª etapa, Soares recebeu na intermediária e o camisa 18 do Vitória descolou um lindo passe nas costas da defesa do Cruzeiro. A enfiada foi perfeita, Samuel dominou, avançou e driblou o goleiro Fábio. Com muita qualidade e mesmo sem ângulo após driblar o arqueiro adversário, Samuel bateu muito forte com a perna esquerda e afundou a bola no gol cruzeirense. Um belíssimo gol do camisa 9 do Vitória. Mais um gol de Samuel. O gol de empate do Vitória: 2 a 2 no placar do Independência.

Com mais fôlego, visto que o treinador Ricardo Amadeu deixou substituições para o fim da partida, o Vitória chegou com mais perigo. Aos 42, Roberto acelerou pela esquerda, cruzou e David subiu sozinho para o cabeceio. Porém, a tentativa do atacante não foi a ideal e a bola foi para fora. Dois minutos depois, Marcinho avançou pela direita, chegou ao fundo e cruzou rasteiro. Antes de qualquer atacante do Vitória, Fábio foi esperto e ficou com a bola.

Com a necessidade de vencer, o Cruzeiro pressionou nos minutos finais. Após cobrança de escanteio de Marcinho, Ramon aproveitou a bola na área e bateu forte, porém Lucas Arcanjo fez uma linda e complicada defesa para salvar o Vitória. A Raposa até tentou, mas o empate persistiu no placar até o minuto final: 2 a 2.

O Cruzeiro volta a campo no próximo sábado, 14, às 16:30, contra o Sampaio Corrêa no Independência.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments