Curtas‌ ‌|‌ Possível novo técnico cruzeirense, atualizações sobre Hulk e Zaracho no DM, detalhes da volta da torcida em MG e‌ ‌muito‌ ‌mais.‌ ‌Resumo‌ ‌semanal‌ ‌de‌ ‌Cruzeiro‌ e Atlético‌ ‌

A torcida está próxima de voltar ao Mineirão! Foto: Pedro Souza / Atlético

O‌ ‌blog‌ ‌Bola‌ ‌Pra‌ ‌Frente‌ ‌traz‌ ‌um‌ ‌resumo‌ ‌semanal‌ ‌das‌ ‌notícias‌ ‌dos‌ ‌gigantes‌ ‌mineiros,‌ ‌com‌ ‌informações‌ ‌rápidas,‌ ‌pontuais‌ ‌e‌ ‌que‌ ‌deixam‌ ‌o‌ ‌torcedor‌ ‌atualizado‌ ‌sobre‌ ‌Atlético‌ ‌e‌ ‌Cruzeiro.‌

Protocolo para o retorno da torcida em MG

Como adiantado na última semana pelo Blog, a prefeitura de Belo Horizonte publicou o protocolo para a volta da torcida aos estádios de Minas Gerais, mesmo em meio à pandemia do coronavírus. O decreto afirma que os estádios poderão receber apenas 30% da sua capacidade, só torcida mandante estará presente e estas pessoas devem seguir regras de distanciamento social. Após a liberação da prefeitura, as equipes precisam ainda da liberação da CBF para levar torcida para o estádio nas suas competições. Porém, o Atlético deve contar com a sua torcida no próximo dia 18, contra o River Plate, já que a Conmebol permite torcedores no estádio. Estas são as regras para a volta do público na capital de Minas Gerais:

  • Capacidade de 30% do estádio, com apenas torcida do mandante;
  • Teste negativo para a COVID-19 com três dias de antecedência para todos, inclusive os vacinados;
  • Distanciamento de um assento vertical e um horizontal;
  • Os ingressos serão vendidos apenas pela internet;
  • O transporte público para os estádios não funcionará;

Cruzeiro

Mais um empate sonolento

Na última sexta-feira, 30, o Cruzeiro recebeu o Londrina no Mineirão e, novamente, não saiu de campo com a vitória: são nove partidas seguidas sem vencer e a crise cruzeirense fica ainda mais acentuada porque a Raposa segue na zona de rebaixamento. Após um empate por 2 a 2 com a equipe paranaense, onde Bruno José e Marcelo Moreno marcaram os gols, o Cruzeiro ganhou uma posição e está no 18º lugar, com 13 pontos conquistados em 15 jogos. A consequência de mais um resultado terrível cruzeirense foi a saída imediata do treinador: Mozart Santos pediu demissão logo após a partida e, desde então, a diretoria do time mineiro busca um novo técnico.

O possível novo técnico cruzeirense

Após a saída de Mozart, três treinadores foram especulados para assumir o Cruzeiro: Dorival Júnior, Thiago Nunes e Vanderlei Luxemburgo. Segundo informações do GE, Dorival e Thiago foram sondados, mas as conversas não avançaram e o nome mais forte dentro da Raposa é Vanderlei Luxemburgo. E o interesse deve se concretizar em uma proposta oficial e um possível acordo pode ser fechado ainda nesta terça-feira, 03, segundo o jornalista Samuel Venâncio. Já o UOL trouxe a informação que o presidente Sérgio Santos Rodrigues viaja nesta terça para o Rio de Janeiro, com o intuito de realizar uma reunião com Luxemburgo. A pendência que ainda afasta o experiente treinador do Cruzeiro é algo básico no futebol: Vanderlei Luxemburgo exige que os salários dos jogadores estejam em dia, algo complicado no atual momento cruzeirense. Portanto, para fechar com Luxa, a Raposa terá que se comprometer com esta questão financeira. Novidades devem surgir em breve.

Os últimos trabalhos de Luxemburgo

Como dito anteriormente, o grande favorito para assumir o comando da Raposa é o experiente técnico Vanderlei Luxemburgo. O treinador é multicampeão e é um dos maiores comandantes do futebol brasileiro, porém o seus últimos trabalhos não foram tão animadores: nos últimos cinco anos, Luxa passou pelo Palmeiras, Sport e Vasco da Gama – duas vezes. Veja números e detalhes destes últimos trabalhos do possível sucessor de Mozart.

O Mineirão é um problema?

É assustador, mas o grande palco do futebol mineiro, o qual é um estádio de Copa do Mundo e com tantas histórias, está se tornando um problema para o time cruzeirense. Infelizmente para a grande torcida azul celeste, a sintonia entre Cruzeiro e Mineirão é quase inexistente nos últimos anos: o time venceu menos que 30% dos jogos como mandante desde 2019 e aparenta não ter confiança em jogar no Gigante da Pampulha. Veja a análise do Blog, entenda todos estes números assustadores e é importante destacar que, após a publicação desta matéria, a Raposa tropeçou em casa frente ao Londrina.

Punição sendo paga

Após detalhar a questão que envolve o retorno do público mineiro ao estádio e depois de alegar o problema como mandante do Cruzeiro, é necessário destacar uma importante novidade envolvendo a equipe azul celeste, a sua torcida, o Mineirão e uma punição de 2019. O Cruzeiro foi punido pelo STJD a fazer cinco jogos sem torcida após as confusões da partida final do Brasileirão de 2019, justamente no jogo do rebaixamento da equipe. A punição foi decretada no ano passado, porém, desde então, a torcida está afastada do estádio por causa da COVID-19. Por causa disso, o decreto da prefeitura de Belo Horizonte abriu uma possibilidade e o Cruzeiro pediu para o STJD para que esta punição fosse paga a partir do jogo frente ao Londrina. Mesmo sem a liberação da CBF para ter torcida, o STJD julgou que seria justo que o Cruzeiro cumprisse a punição de cinco jogos sem torcida desde a partida contra o Londrina e, por isso, o torcedor cruzeirense poderá retornar ao estádio mais rapidamente.

A volta de um goleiro

De forma estranha, o Cruzeiro solicitou o retorno de uma cria da base que havia sido emprestada recentemente. O goleiro Lucas França estava cedido ao Guarani desde junho de 2021 e a sua volta foi solicitada pela Raposa pouco mais de um mês depois do goleiro se estabelecer em Campinas. O curioso é que o arqueiro sequer estreou pelo time campineiro e ficou apenas treinando no interior de São Paulo. O pedido partiu do diretor Rodrigo Pastana e foi acarretado pela saída de Vítor Eudes. Logo, Lucas França deve retornar à Toca da Raposa nos próximos dias e tende a ser o 1º substituto de Fábio.

Perdeu uma opção ofensiva

O Cruzeiro tem sérios problemas no ataque e acabou perdendo mais uma opção de ataque: Guilherme Bissoli. O Athletico-PR, equipe que possui os direitos do atleta e o emprestou à Raposa, solicitou o retorno do atacante, segundo informações da jornalista Nadja Mauad. Após a lesão de Matheus Babi, o Furacão pediu para que Bissoli se reapresente – este retorno imediato estava previsto no contrato – e o jogador até ficou fora da partida frente ao Londrina, onde o atleta sequer foi relacionado. Pela Raposa, Guilherme Bissoli fez 11 partidas e marcou somente um gol.

Atlético

Um passo importante

Na última quarta-feira, 28, o Atlético deu um passo muito importante em busca dos seus objetivos na Copa do Brasil. No 1º jogo das oitavas de final, o Galo enfrentou o Bahia – 2º dos três confrontos em 10 dias – no Mineirão e venceu o adversário por 2 a 0. Os grandes destaques da boa vitória atleticana foi a consistência da defesa, visto que o Atlético correu poucos riscos, e as boas atuações de Matías Zaracho e Hulk, atletas que marcaram os gols atleticanos. Com este resultado, o time de Cuca duelará com o Bahia nesta quarta, 04, podendo até perder por um gol de diferença para se classificar, ou seja, o Atlético está próximo das quartas de final da competição de mata-mata.

O forte elenco resolveu

A torcida atleticana teve uma notícia bem ruim quando saiu a escalação da última partida: após 23 jogos seguidos, Hulk não entrou em campo contra o Athletico-PR por causa de um quadro de conjuntivite. Mesmo assim, o Atlético foi a campo com um time muito forte e o seu elenco recheado resolveu. No domingo, 1º de agosto, o Galo venceu o Furacão por 2 a 0 pelo Brasileirão e se aproximou do líder Palmeiras: na vice-liderança com 31 pontos, o Atlético está um ponto atrás do Verdão. E a vitória do time mineiro foi construída com substituições no 2º tempo: Vargas e Neto entraram e marcaram os gols da vitória do Atlético, evidenciando a força do elenco do Galo.

Comparação injusta

Nas últimas semanas, as redes sociais de alguns torcedores atleticanos repercutiram bastante uma comparação entre os dois últimos treinadores da equipe: Cuca e Jorge Sampaoli. Os técnicos possuem características, filosofias e escolhas diferentes, mas ambos têm talento e são peças fundamentais deste atual momento atleticano. Além disso, esta comparação frequente dos trabalhos é injusta com os dois treinadores. Confira detalhes da análise!

Hulk e Zaracho

O Atlético ficou sem o seu artilheiro Hulk no último domingo e perdeu, durante o jogo, o meio-campista argentino Matías Zaracho. Na segunda-feira, 02, as redes sociais atleticanas divulgaram uma atualização da situação destes dois atletas. O camisa 7 está com conjuntivite e não deve viajar à Bahia neste meio de semana, ficando de fora da volta da Copa do Brasil. Porém, Hulk apresentou uma melhora no quadro de conjuntivite e conseguiu fazer um trabalho físico à parte, ou seja, está se preparando para voltar assim que melhorar da atual enfermidade. Já Matías Zaracho deve levar um tempo a mais para voltar ao campo de jogo. O argentino teve uma lesão muscular na região adutora da coxa esquerda e já está em tratamento intensivo na fisioterapia.

Negócios entre PE e MG

Dois negócios envolveram o Sport e o Atlético nesta semana. O zagueiro Iago Maidana estava emprestado ao time pernambucano e teve seu contrato rescindido por causa do salário, o qual era muito alto para a atual crise do Leão. Maidana se destacou bastante em 2020 como artilheiro do Sport, visto que marcou vários gols de pênalti. O defensor deve retornar à Cidade do Galo, mas tende a não ser utilizado pelo Atlético, ou seja, deve buscar outro clube. O outro negócio entre as equipes envolve uma promessa. O Galo exerceu a cláusula de compra do meio-campista Júlio César e pagará 650 mil por 60% da joia de 18 anos – o Sport mantém 40% dos direitos do atleta. Júlio chegou ao Atlético no início de 2020 e atuou neste Campeonato Mineiro pelo time principal, quando marcou um gol em três jogos disputados. Atualmente, Júlio César está na base e, a partir desta compra, é finalmente um jogador do Atlético.

Cobrança de Di Santo

Saudades do atacante Franco Di Santo? É possível afirmar que a torcida atleticana não tenha tantas lembranças boas de um centroavante que marcou poucos gols em 2019 e deixou a equipe no início de 2020. Porém, o argentino voltou ao noticiário atleticano por causa de uma cobrança judicial que foi revelada pelo vice-presidente do Atlético, José Murilo Procópio. Em entrevista ao GE, um dos líderes do jurídico do Galo afirmou que existe uma cobrança na FIFA de 1,1 milhões de dólares (5,69 milhões de reais na cotação atual) em relação a pendências com o jogador. O vice-presidente afirmou que esta cobrança existe, mas o Atlético está trabalhando para fazer um acordo com o atleta. A intenção alvinegra é seguir quitando estes débitos e um acordo financeiro com Di Santo deve acontecer em breve.

Punição de Cuca

O treinador do Atlético se exaltou bastante após a partida frente ao Ceará, em junho, e foi punido na última semana pelo STJD. Cuca ofendeu o árbitro Leandro Pedro Vuaden e levou quatro jogos de suspensão – ele já havia cumprido uma partida. Porém, o Galo exerceu o seu direito jurídico e entrou com um recurso, exigindo um efeito suspensivo. O STJD aceitou parcialmente o pedido atleticano, mas exigiu que Cuca ficasse fora contra o Athletico-PR, ou seja, o técnico do Atlético já cumpriu dois jogos de punição e aguarda o julgamento definitivo, o qual ainda não tem data definida.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments