Atuação ruim, empate em casa e saída de Mozart: em noite terrível, Cruzeiro empata com o Londrina por 2 a 2

Fim da era Mozart! Foto: Gustavo Aleixo/Cruzeiro

Uma noite terrível. A sexta-feira, 30 de julho de 2021, foi marcante na história do Cruzeiro Esporte Clube: a equipe jogou mal, empatou em casa com um time bem mais fraco, deu continuidade à sequência sem vencer e ainda viu o seu treinador, Mozart Santos, pedir demissão. Portanto, nada foi positivo na noite cruzeirense e quem saiu sorrindo do Mineirão foi o Londrina, visto que a modesta equipe paranaense não tem grandes expectativas nesta Série B, busca apenas a permanência e conseguiu arrancar um ponto contra o instável time cruzeirense. Bruno José fez uma ótima partida e tentou ajudar o Cruzeiro, mas foi pouco e o time segue afundando na crise.

Nesta sexta-feira, 30, o Cruzeiro empatou com o Londrina por 2 a 2 no Mineirão, em confronto válido pela 15ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro. Sendo assim, a Raposa ostenta a terrível sequência de nove jogos sem vencer, enquanto o Tubarão não é derrotado há quatro partidas.

Com o resultado, os times saíram da zona do rebaixamento, mas este alívio pode ser apenas momentâneo. Com 13 pontos em 15 jogos, o Cruzeiro e o Londrina estão em 16º e 15º, respectivamente, já que o time paranaense tem vantagem no saldo de gols. As equipes podem ser ultrapassadas por todos os últimos colocados até domingo, ou seja, Cruzeiro e Londrina podem terminar a rodada na lanterna e vice-lanterna, caso todos os adversários vençam.

O jogo e as atuações individuais

Minutos após o término do jogo, o diretor de futebol Rodrigo Pastana afirmou que o treinador Mozart pediu demissão e não será mais o treinador do Cruzeiro. Esta informação sintetiza bem quão ruim foi a atuação cruzeirense frente ao Londrina, visto que mais um tropeço foi a “gota d’água” para Mozart Santos pedir para sair. O agora ex-treinador deixa um time desorganizado, sem perspectivas, com menos pontos que jogos disputados e a situação é caótica. Nos próximos dias, o Cruzeiro deve anunciar a contratação de um novo treinador e o nome mais forte é Vanderlei Luxemburgo.

Dentro de campo, a atuação cruzeirense foi bem instável: boa nos minutos iniciais com muita pressão e com um gol, terrível até o fim do 1º tempo, fraca no início da 2ª etapa e razoável após a entrada de Marcinho, mas os erros acabaram provocando mais um empate cruzeirense contra uma equipe bem mais modesta. Além disso, o fator casa continua sendo um problema, já que o time não consegue se impor e empatou com um dos elencos mais fracos do campeonato dentro do Mineirão. A troca de treinadores pode ser benéfica, mas não será milagrosa.

Ainda falando sobre a partida desta noite, o destaque cruzeirense foi Bruno José, ponta velocista que voltou a fazer uma boa partida após vários jogos. Ele incendiou o lado direito, marcou o 1º gol e deu assistência para o tento de Moreno. Mesmo assim, a boa partida de Bruno José não foi suficiente para o triunfo da Raposa, visto que o time contou com vários jogadores abaixo da crítica – como Rafael Sobis e Rômulo – e teve por poucos minutos atletas que foram bem – como Marcinho e Wellington Nem. A situação com Mozart era insustentável e o seu pedido de demissão pode ser a salvação de uma crise gigantesca, porém é necessário muito trabalho para tirar o Cruzeiro deste buraco.

Cruzeiro x Londrina

Como já era esperado, o Cruzeiro entrou em campo com mais mudanças no time titular. O técnico Mozart não repetiu a escalação e, desta vez, trocou Rhodolfo por Léo Santos, Lucas Ventura por Flávio – estas duas mudanças aconteceram porque os atletas estão lesionados – e Thiago por Marcelo Moreno – esta substituição foi uma escolha do técnico. Por isso, o Cruzeiro entrou em campo com Fábio; Eduardo Brock, Ramon e Léo Santos; Norberto, Rômulo, Flávio e Felipe Augusto; Bruno José, Marcelo Moreno e Rafael Sobis.

O 1º tempo

Pressão inicial cruzeirense

O Cruzeiro começou com muito ímpeto ofensivo e chegou com perigo rapidamente. Aos 3, Léo Santos fez o lançamento longo, desde a defesa, e Marcelo Moreno escorou de cabeça, encontrando Bruno José nas costas da defesa. O ponta entrou na área e balançou as redes, mas pelo lado de fora, já que chutou errado. Com a iniciativa, a Raposa chegou novamente e marcou o seu gol no minuto 14.

Após o zagueiro Augusto “cochilar” com a bola no pé, Bruno José roubou a bola, acelerou e, já dentro da área, tentou cruzar, mas teve muita felicidade. A bola bateu em Marcondes, zagueiro do Londrina, e foi na direção do gol, surpreendendo o goleiro do time paranaense. Depois de importante pressão, Bruno José foi premiado com um gol: 1 a 0 para o Cruzeiro.

Mesmo com o gol, o Cruzeiro seguiu em cima. Aos 20, a defesa cruzeirense fez um novo lançamento para Moreno e o centroavante escorou para Bruno José. O atacante driblou o goleiro e errou a direção do gol, mas o impedimento já havia sido marcado. No minuto seguinte, Ramon roubou uma bola no meio-campo, tabelou com Marcelo Moreno e arriscou uma arrancada no ataque. O zagueiro foi até surpreendido pela liberdade e acelerou, mas a zaga chegou junto e impediu um chute melhor do camisa 4: Ramon bateu fraco e o goleiro César fez a defesa. Por causa do tranco, o Cruzeiro pediu pênalti, mas o árbitro mandou o jogo seguir.

O vira virou

Após um bom início cruzeirense, o Londrina reagiu e balançou as redes, assustando o time cruzeirense que pouco fez depois da recuperação do rival. Aos 22, Safira “fez fila” pela direita e cruzou para Celsinho bater de primeira, porém Fábio fez uma grande defesa. No entanto, dois minutos depois, o Tubarão empatou a partida. Rômulo cometeu uma falta boba no meio-campo e Celsinho cobrou muito bem, colocando a bola na cabeça de Matheus Bianqui. O lateral do Londrina teve muita liberdade, pôde escolher o canto e balançou as redes de Fábio: 1 a 1 no placar.

Com o empate, o jogo ficou mais aberto. O Londrina equilibrou a posse de bola e tentou organizar algumas jogadas, enquanto o Cruzeiro acabou perdendo o seu volante. Aos 39, Flávio recebeu uma cotovelada e teve que deixar o campo para a entrada do meio-campista Adriano.

Até o fim da 1ª etapa, o Cruzeiro chegou duas vezes com perigo. No minuto 40, após bom cruzamento de Bruno José, o autor do gol do Londrina, Matheus Bianqui, falhou feio e furou de forma bisonha na área. Aproveitando a falha, Felipe Augusto bateu forte, de primeira, com a perna esquerda, e obrigou o goleiro César a fazer uma grande intervenção. Já no último minuto da 1ª etapa, Rafael Sobis bateu escanteio na cabeça de Léo Santos e o zagueiro cabeceou forte, todavia a bola passou ao lado da trave do Londrina, apenas assustando o time paranaense.

Entretanto, em meio a estas duas chegadas cruzeirenses, o Tubarão teve uma chance e foi fatal. Aos 44, Felipe Vieira fez uma boa jogada pelo meio, ganhou a dividida com Rômulo e tocou entre Norberto e Ramon, em uma bela enfiada de bola. Após a assistência de Felipe Vieira, Douglas Santos sequer dominou: viu Fábio saindo para abafar e tocou com muita qualidade, de cavadinha, tirando do arqueiro cruzeirense. Um belo gol do Londrina. Um importantíssimo tento de Douglas Santos para decretar o placar do 1º tempo: 2 a 1 para o Tubarão na casa da Raposa.

O 2º tempo

Recuperação e empate

Com a obrigação de atuar melhor, o Cruzeiro entrou na 2ª etapa sob ainda mais pressão e teve uma grande chance aos 4. Bruno José fez grande jogada pela direita, tocou para Rômulo e o meio-campista cruzou para a área, encontrando Rafael Sobis. O camisa 10 da Raposa estava dentro da pequena área e bateu de primeira, porém acertou o zagueiro do Londrina. No lance seguinte, o Londrina chegou com Safira: o atacante protagonizou uma boa trama pela direita e tocou para Lucas Lourenço, cria da base do Santos que bateu tentando encobrir Fábio, mas a sua tentativa passou apenas perto do gol cruzeirense.

Já no minuto 11, o Cruzeiro não levou perigo, mas ficou reclamando bastante sobre a não-marcação de um pênalti em Eduardo Brock. Após cobrança de Giovanni Piccolomo, o zagueiro teve um leve contato com a defesa adversária e caiu pedindo pênalti depois de não conseguir cabecear a bola. A comentarista de arbitragem do Premiere afirmou que a arbitragem deveria ter marcado pênalti, porém o árbitro não assinalou e o jogo seguiu.

A necessidade de vencer era evidente e, por isso, o técnico Mozart promoveu mudanças: aos 8, Rafael Sobis e Rômulo saíram para as entradas de Wellington Nem e Giovanni Piccolomo; no minuto 21, Marcinho entrou na vaga de Léo Santos.

E é possível afirmar que a entrada de Marcinho melhorou o time. Aos 24, após vários cruzamentos, Felipe Augusto colocou a bola na área e houve um “bate-rebate”. Na sobra, Bruno José bateu e o goleiro César fez a defesa. No entanto, o arqueiro não conseguiu fazer a defesa e o Cruzeiro empatou a partida. Em bom contra-ataque puxado por Marcinho, o meio-campista achou Wellington Nem na esquerda e o ponta cruzou para Bruno José ajeitar para o meio da área, onde estava Marcelo Moreno. O boliviano teve calma para dominar e bateu forte na meta adversária: 2 a 2 no placar.

Chances perdidas

Após o empate, apenas um time jogou: o Cruzeiro conseguiu mostrar a sua superioridade técnica e dominou os minutos finais, mas o Londrina evidenciou que a sua raça pode levar para casa pontos preciosos, ainda mais quando o adversário desperdiça tantas chances como a Raposa perdeu.

Aos 35, Giovanni Piccolomo arriscou de fora da área e César fez a defesa. Aos 40, Bruno José cruzou para a área e Felipe Augusto cabeceou, dentro da pequena área, mas não acertou o alvo. A tentativa do camisa 22 da Raposa foi na 2ª trave, bem próxima do gol de César, porém o movimento de cabeça foi mal feito.

A equipe mineira seguiu em cima e chegou novamente aos 44. Marcinho, mais uma vez, fez uma bela jogada pela esquerda, tocou para trás e encontrou Felipe Augusto entrando na área. Felipe bateu de primeira e obrigou César a fazer grande defesa. No rebote, Wellington Nem teve a chance, mas o zagueiro Augusto travou de forma heroica.

No apagar das luzes, a equipe mineira conseguiu perder outra chance. Aos 46, Bruno José cruzou novamente com muita precisão e Felipe Augusto teve, mais uma vez, a chance de definir a vitória para o Cruzeiro, porém o atleta desperdiçou novamente. Com o bom cruzamento, Felipe testou com força, mas não acertou o gol adversário, dando números finais à partida: 2 a 2 no placar.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments