Com as saídas de Matheus Barbosa e Pottker, só dois jogadores do elenco do Cruzeiro marcaram mais do que dois gols na temporada

Com a saída do camisa 17, Matheus Barbosa, o camisa 22, Felipe Augusto, assumiu a artilharia do Cruzeiro na temporada. Foto:

Em 2020, o Cruzeiro contou com uma defesa muito sólida, mas com um ataque de poucos gols: na Série B do ano passado, a equipe mineira marcou apenas 39 gols (13º melhor ataque) e sofreu só 32 gols (3ª melhor defesa). Após uma intensa mudança na comissão técnica e no elenco, a Raposa tentou se alterar positivamente, mas acabou piorando os seus números.

Atualmente, o Cruzeiro é dono da pior defesa da Série B com 23 gols sofridos e, mesmo sendo dono do 4º melhor ataque, o desempenho ofensivo é contestável, visto que nove dos 16 gols foram feitos em três jogos: na derrota por 4 a 3 para o CRB e nos empates por 3 a 3 com Guarani e Botafogo, ou seja, a equipe mineira marcou nove gols nessas partidas que somou apenas dois pontos.

Este desempenho ruim do Cruzeiro sofreu mais uma baixa nos últimos dias: o volante Matheus Barbosa, artilheiro da temporada, deixou a equipe. Devido às saídas de Pottker e Barbosa, só dois atletas do atual elenco cruzeirense marcaram mais do que dois gols na temporada.

A falta de artilheiros

O desempenho cruzeirense nas últimas temporadas ainda chama mais a atenção pela falta de artilheiros. Em 2020, o maior goleador foi Rafael Sobis, atleta que chegou na parte final da temporada, com apenas seis gols, seguido pelo zagueiro Manoel com cinco tentos. O goleador do ano passado vive uma fase terrível em 2021 e marcou somente dois gols, enquanto o zagueiro deixou a Raposa e foi para o Fluminense.

Portanto, “abriu uma vaga” no elenco cruzeirense para o cargo de artilheiro. Com isso, de forma surpreendente, Matheus Barbosa assumiu este posto e marcou sete gols até então. E este número não será mais alterado.

Nesta semana, alguns jornalistas informaram e até o diretor de futebol do Cruzeiro, Rodrigo Pastana, confirmou que o volante deixou o Cruzeiro e irá atuar no Atlético-GO. Matheus Barbosa estava na Toca da Raposa emprestado pelo Avaí e havia uma cláusula no contrato indicando algo curioso: caso algum time da Série A procurasse Matheus Barbosa, o Cruzeiro seria obrigado a liberar o atleta sem receber nada em contrapartida. Pastana até criticou este contrato, feito pelo seu antecessor André Mazzuco, mas a cláusula existe e a Raposa perdeu o seu artilheiro.

O Cruzeiro perdeu o seu goleador e já não contava com o 3º maior artilheiro da temporada, William Pottker, autor de três gols, visto que o atacante deixou a equipe mineira e foi para o futebol árabe.

Só dois jogadores marcaram mais do que dois gols

Portanto, com as saídas de Matheus Barbosa e William Pottker, o Cruzeiro apresenta números assustadores no ranking de artilheiros. Apenas Felipe Augusto e Marcelo Moreno fizeram mais do que dois gols na temporada e permanecem no elenco cruzeirense. A lista abaixo mostra todos os jogadores que balançaram as redes pela Raposa nesta temporada: foram 33 bolas na rede.

  • Matheus Barbosa: sete gols;
  • Felipe Augusto: quatro gols;
  • Marcelo Moreno e William Pottker: três gols;
  • Airton, Bruno José, Marcinho e Rafael Sóbis: dois gols;
  • Guilherme Bissoli, Jadson, Léo Santos, Manoel, Ramon e Raúl Cáceres: um gol;
  • Gols contra: dois gols.

Como é possível ver acima – apenas atletas do atual elenco em negrito -, o plantel cruzeirense perdeu algumas peças artilheiras. Somando os gols dos atletas que deixaram o elenco nesta temporada, 14 gols (42,4%) não “fazem mais parte” do plantel da Raposa. Desta maneira, sem contabilizar os dois gols contra, somente 17 dos 33 gols feitos (51,5%) pelo Cruzeiro foram marcados por jogadores que estão treinando com o time.

Estes estranhos números evidenciam algo que preocupa o torcedor cruzeirense: o ataque do Cruzeiro não consegue se impor e nenhum adversário teme os jogadores ofensivos da equipe. É muito preocupante até porque os próprios atletas não possuem confiança em marcar gols e decidir partidas. O Cruzeiro marcou apenas em uma das últimas cinco partidas. É preocupante. A situação é muito ruim e mudanças são urgentes. Um Cruzeiro inofensivo é um Cruzeiro seguindo na 2ª divisão. Isso não pode ser normalizado!

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Comentários

Subscribe
Notify of
guest
1 Comentário
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Itamar

O problema é que se o Messi se oferecer pra jogar de graça pelo clube, não vai ter como. Não pode registrar. Esse ano vai ser com essa perebada que tá lá mesmo.