Foguetes, mosaico e muita tensão: é dia de decisão! Atlético e Boca Juniors duelam nesta terça pela Libertadores

Rumo à Glória Eterna! Foto: Pedro Souza / Atlético

Não é uma terça-feira normal para o torcedor atleticano. Após a vitória de virada sobre o Corinthians no final de semana, o foco de todos no Atlético, incluindo a sua apaixonada torcida, foi alterado: era hora de pensar na decisão contra o Boca Juniors! Com treinamentos intensos nos últimos dias, os quais contaram com Nacho, Savarino e Réver, atletas poupados do jogo contra o Corinthians, o Galo se preparou bastante e chega nesta noite épica de Libertadores com muita confiança: são cinco vitórias seguidas no Brasileirão. No entanto, do outro lado tem um time que merece o respeito de todos: o Boca Juniors é uma instituição que cresce em mata-mata de Libertadores e não será uma simples batalha.

Nesta terça-feira, 20, o Atlético enfrenta o Boca Juniors no Mineirão às 19:15, em jogo válido pela partida de volta das oitavas de final da Copa Libertadores da América de 2021. A partida conta com transmissão exclusiva na televisão do Fox Sports, mas também será possível assistir pelo Facebook da Conmebol Libertadores.

Como o 1º jogo entre as equipes, na última terça-feira, 13, terminou em um empate sem gols, é possível afirmar que quem vencer a partida se classifica para as quartas de final da Libertadores de 2021. Porém, em contrapartida à vantagem atleticana de decidir em casa, o Boca Juniors tem a possibilidade de se classificar com qualquer empate com gols. Caso o jogo termine novamente com o placar marcando 0 a 0, a vaga para as quartas de final da Libertadores será decidida nas penalidades máximas.

É dia de decisão

Entrar em campo em uma partida de oitavas de final da Libertadores nunca será algo normal. O mata-mata da competição da América do Sul é imprevisível e possui um clima único a partir das oitavas, ainda mais se tratando de um duelo entre Atlético e Boca Juniors. A partida da ida ficou marcada por uma polêmica no gol anulado, com auxílio do VAR, e, além de toda a tensão da decisão, a arbitragem será bastante cobrada.

Porém, dias antes da bola rolar, a torcida atleticana já estava agindo com a intenção de intimidar o rival e apoiar o seu time. A partir do final de semana, após o fim da votação aberta e escolha da torcida atleticana, a Galoucura, torcida organizada do Atlético, está organizando o maior mosaico da história do Mineirão pós-reforma. A arte escolhida pela torcida, via redes sociais, foi uma homenagem a Victor, ídolo atleticano que fez muita história na Libertadores de 2013.

Além de um grande mosaico, alguns torcedores foram à porta do hotel Ouro Minas nesta madrugada de segunda para terça e soltaram muitos foguetes, com o intuito evidente de não permitir que os jogadores do Boca Juniors dormissem. O foguetório incomodou toda a região e a polícia interviu durante a madrugada, detendo 18 pessoas que estavam com fogos de artifício nas imediações do hotel.

É claro que é válido no futebol incomodar o time adversário, mas o alto número de foguetes em uma região em que crianças e idosos vivem, além das pessoas que trabalham no dia seguinte, é errado, visto que os relatos afirmam que nenhuma pessoa da região conseguiu dormir com tranquilidade. Enfim, são maneiras de tentar intimidar o rival, o Atlético passou por situações desconfortáveis na Argentina também e são formas do atleticano externalizar o sentimento que hoje é dia de decisão!

Os números e o momento

A última partida mostrou um equilíbrio nas ações ofensivas das duas equipes e o placar evidenciou esta igualdade: 0 a 0 e a decisão foi ainda mais prorrogada para esta partida em Belo Horizonte. O curioso é que o favorito Atlético, equipe que possui um elenco mais forte, poupou poucos jogadores no final de semana e venceu, enquanto o Boca Juniors, time aguerrido, contudo, mais limitado, colocou em campo um time reserva e empatou pelo Campeonato Argentino.

O Clube Atlético Mineiro se acostumou a participar da Copa Libertadores da América na última década e fez uma campanha incrível em 2013, quando foi campeão. No entanto, depois do título, o Galo superou as oitavas de final apenas em 2016 e foi eliminado nas oitavas, fase de grupos ou sequer participou das outras edições. Em 2016, o adversário foi o argentino Racing e o Atlético eliminou os hermanos. Desta vez, o time alvinegro chega ainda mais confiante, visto que, após o empate sem gols com o Boca, o Galo venceu o Corinthians de virada no Brasileirão: 2 a 1 com direito a dois gols de Hulk. Com isso, o time de Cuca soma cinco vitórias e um empate nos últimos seis jogos. Além de estar na vice-liderança do Brasileirão, o atleticano almeja a classificação.

Já o Boca Juniors não conseguiu vencer no final de semana e novamente empatou. Na rodada inaugural do Campeonato Argentino, o Boca visitou o Unión Santa Fe e as equipes empataram por 1 a 1. Os Xeneizes chegaram no jogo da ida sem ritmo de jogo, visto que estavam há 43 dias sem jogar, mas foram bem em campo e equilibraram o duelo com o Galo. Nesta noite, o Boca deseja empatar com gols ou vencer o Atlético para mostrar o “peso da sua camisa”. Ao analisar os últimos cinco jogos da equipe argentina, o Boca empatou três partidas por 0 a 0, placar que levaria a partida para a dramática decisão de pênaltis. Será?

Além destes números recentes do Boca Juniors, o retrospecto indica que existe a chance de um novo empate nesta partida. No histórico do confronto, segundo a assessoria do time mineiro, os Atleticanos e os Xeneizes se enfrentaram oito vezes: o Galo venceu um duelo, justamente em Minas Gerais, o Boca venceu em três oportunidades e houve quatro empates.

As escalações

No final de semana, o técnico Cuca poderia ter aproveitado o confronto com o Corinthians para poupar alguns titulares, mas colocou o time, praticamente, titular e venceu o rival paulista por 2 a 1 graças ao talento de Hulk, titular indiscutível. A partida também serviu para dar confiança para Dodô, lateral que estava lesionado, se recuperou, jogou os 90 minutos no último sábado e deve ser titular nesta noite. Mesmo com a “força máxima” que Cuca colocou em campo, Nacho Fernández, Réver e Savarino sequer viajaram para SP no fim de semana, mas treinaram normalmente na sequência e estarão no duelo desta noite. Os novos desfalques são Guga, jogador afastado desta partida por ter ido em uma festa em meio a pandemia, e Vargas, atleta que contraiu COVID-19. Eles se juntaram a Arana, Keno, Marrony e Rafael no grupo dos ausentes.

Provável escalação: Everson; Mariano, Nathan Silva (Igor Rabello ou Réver), Junior Alonso, Dodô; Allan, Zaracho, Tchê Tchê, Nacho Fernández; Savarino, Hulk. Técnico: Cuca.

Já o lado dos Xeneizes contaram com uma opção diferente do seu treinador. Miguel Ángel Russo poupou todo o time titular na 1ª rodada do Campeonato Argentino e o empate com o Unión Santa Fe “valeu a pena”, visto que o time pontuou e ainda descansou os seus principais atletas. Com isso, o treinador pode repetir a escalação da partida de ida, já que Cardona e Fabra não retornaram da Colômbia e Almendra e Salvio seguem lesionados. A única possível mudança é a entrada de Zeballos na vaga de Briasco, atacante que cometeu a polêmica falta em Nathan Silva no jogo de ida.

Provável escalação: Rossi; Weigandt, Izquierdoz, Rojo, Sandez; González, Rolón, Medina; Pavón, Villa; Briasco (Zeballos). Técnico: Miguel Ángel Russo.

Atlético x Boca Juniors

2ª partida das oitavas de final da Copa Libertadores da América de 2021
20/07/2021, 19:15 horas, Mineirão
Transmissão: Fox Sports e Facebook
Árbitro: Esteban Ostojich (URU)
Assistentes: Carlos Barreiro (URU) e Martin Soppi (URU).

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Comentários

Subscribe
Notify of
guest
2 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
GERSON

MARGINAIS, FAZEM BAGUNÇA DE MADRUGADA PARA INTIMIDAR ADVERSÁRIOS E VCS AIDA ACHAM VÁLIDO.

Eco

E bando de burros que estão cansados de saber que o hotel tem isolamento acústico. Só conseguiram incomodar os vizinhos e os próprios atleticanos que moram na região.