Sábado de clássicos: à tarde, Cruzeiro enfrenta o Botafogo no RJ; à noite, América e Atlético fazem o duelo mineiro da elite

Alonso e Rodolffo se encontrarão novamente. Foto: Pedro Souza / Atlético

O sábado será movimentado no futebol brasileiro com dois clássicos: à tarde, um jogo envolverá dois campeões brasileiros na Série B e, à noite, o Brasileirão contará com o duelo mineiro da elite.

Devido à transmissão da final da Eurocopa para todo o Brasil na tarde de domingo, a TV Globo antecipou o seu horário nobre e sábado, às 16:30, os times irão se enfrentar em rede nacional. E o jogo que será transmitido para Minas Gerais, Rio de Janeiro e outras afiliadas é Botafogo contra Cruzeiro, clássico nacional que acontecerá no sábado, 10, às 16:30, no Estádio Nilton Santos.

Mais tarde, ainda no sábado, América e Atlético irão se encontrar pela 1ª vez na história como os únicos mineiros da elite do futebol brasileiro, visto que o Coelho subiu após a boa campanha na Série B de 2020, na 1ª ausência do Cruzeiro na Série A. O clássico de Belo Horizonte entre América e Atlético acontecerá neste sábado, 10, às 19 horas, no Independência, com transmissão do SporTV (menos para MG) e do Premiere.

Cruzeiro x Botafogo

Mais um grande clássico entre campeões brasileiros irá acontecer no Brasileirão Série B. Após vencer o Vasco e empatar com Guarani e Coritiba, o Cruzeiro irá para o último duelo de campeões neste 1º turno da Série B: o Botafogo, campeão brasileiro de 1968 e 1995, é um dos favoritos ao acesso pela tradição, mas, assim como a Raposa, não vive um grande momento e terá que suar bastante para conseguir a vaga na elite.

O Cruzeiro chega neste duelo no Rio de Janeiro pressionado a voltar a fazer gols e vencer jogos. O time não balança as redes adversárias há duas partidas – mas também não sofreu, visto que empatou por 0 a 0 com o Brasil de Pelotas e com o Coritiba – e não vence há quatro jogos. Além disso, são três derrotas, dois empates e apenas uma vitória nas últimas seis partidas, ou seja, está sob muita pressão. Na 13ª posição, com 10 pontos conquistados, a Raposa busca a vitória para melhorar na competição e poderá até figurar na 1ª parte da tabela, visto que até ultrapassa o rival Botafogo com três pontos.

A Estrela Solitária vive um momento conturbado igual à Raposa: são três derrotas, dois empates e uma vitória nas últimas seis partidas, número equivalente ao desempenho do time cruzeirense. A diferença entre o momento dos clubes é que, enquanto o Cruzeiro empatou com o Coritiba por 0 a 0 na última rodada, o Botafogo abriu o placar contra o CRB, mas sofreu a virada e perdeu para o time alagoano. Atualmente na 10ª posição, com 12 pontos, o Fogão precisa vencer para se aproximar do G-4, visto que o CRB é o 4º colocado com 17 tentos.

Enquanto os momentos indicam igualdade, o retrospecto deixa claro que existe uma vantagem histórica no confronto. Em 92 partidas disputadas, o Cruzeiro venceu 40 jogos, houve 29 empates e o Botafogo derrotou o rival em 23 oportunidades. A Raposa está invicta no duelo desde 2016 – sete jogos de invencibilidade – e o Botafogo ganhou apenas um jogo nos últimos 13 confrontos.

As escalações

Para entrar em campo, o Cruzeiro terá alguns problemas, concentrados principalmente no meio-campo. O técnico Mozart não conta com Matheus Barbosa que segue com um desgaste muscular e não tem Rômulo à disposição, visto que o meio-campo está suspenso pelo 3º cartão amarelo. Porém, ao analisar que estes dois meio-campistas não foram titulares na partida ruim frente ao Coritiba, Mozart poderá repetir a escalação do meio, mesmo após mais um jogo abaixo do esperado. As novidades estão na lateral-direita, onde Raúl Cáceres retornou, e possivelmente no ataque, onde Felipe Augusto e Marcelo Moreno podem substituir Airton e Rafael Sobis, atacantes que não agregaram no último jogo. A curiosidade da lista de relacionados é que atletas como Ariel Cabral, Guilherme Bissoli e Matheus Pereira seguem fora por opção do treinador do Cruzeiro.

Provável escalação: Fábio; Raúl Cáceres, Léo Santos, Ramon, Jean Victor; Lucas Ventura, Giovanni Piccolomo, Marcinho; Bruno José, Marcelo Moreno (Rafael Sobis), Felipe Augusto (Airton). Técnico: Mozart.

Já os mandantes da partida farão algumas mudanças após perder para o CRB no meio de semana. O técnico Marcelo Chamusca começará as trocas a partir do gol, onde Diego Loureiro pode assumir a vaga de Douglas Borges. Já na defesa, Rafael Carioca deixa a ala-esquerda para Guilherme Santos. No meio-campo, Matheus Frizzo atuará ao lado de Pedro Castro e Chay, visto que Luís Oyama está fora. O Botafogo está desfalcado de alguns nomes mais famosos como Joel Carli, Gatito Fernández e Diego Cavalieri, porém possui no banco o atacante Rafael Moura, atleta com extensa passagem no futebol brasileiro.

Provável escalação: Diego Loureiro; Daniel Borges, Kanu, Gilvan, Guilherme Santos; Matheus Frizzo, Pedro Castro, Chay; Felipe Ferreira, Rafael Navarro, Diego Gonçalves. Técnico: Marcelo Chamusca.

Botafogo x Cruzeiro

11ª rodada do Brasileirão Série B de 2021
10/07/2021, 16:30 horas, Estádio Nilton Santos
Transmissão: Globo e Premiere
Árbitro: Rodolpho Toski Marques (PR)
Assistentes: Jefferson Cleiton Piva da Silva (PR) e João Fábio Machado Brischiliari (PR).

América x Atlético

Uma frase que domina todos os textos que antecedem clássicos é: clássico é clássico e vice e versa. A frase não tem um sentido óbvio, até mesmo pela falta de repertório linguístico, mas quer dizer que não tem como prever um grande jogo envolvendo rivais. E é justamente nesta ideia que o Coelho quer surpreender o vizinho alvinegro. Após receberem estímulos diferentes no meio de semana – o Atlético venceu o poderoso Flamengo, enquanto o América foi goleado pelo Fortaleza -, os rivais certamente protagonizarão um grande jogo.

O América começou o Brasileirão decepcionando a sua torcida: foram sete jogos sem vencer, além de uma eliminação para o Criciúma na Copa do Brasil. Por causa destes resultados e devido às atuações pífias da equipe americana, Lisca deixou o time e Vagner Mancini assumiu. O novo treinador começou com dois empates em casa, mas venceu o Bahia por 4 a 3, como visitante, e bateu o Santos por 2 a 0 no Horto. O time aparentava estar se encaixando até a goleada sofrida na última quarta-feira, 07, onde o Fortaleza venceu o Coelho por 4 a 0. Na 15ª posição, com nove dos 30 pontos disputados, o América quer juntar os cacos da última derrota, ressurgir justamente em um clássico e se distanciar do Z-4.

Porém, o América irá duelar com uma equipe bem empolgada: são três vitórias consecutivas e um prognóstico de um futuro mais animador para o Atlético. Com evolução técnica de alguns jogadores e mudanças táticas do técnico Cuca, o Atlético venceu um importante clássico no meio de semana. Frente ao Flamengo, o Galo de Savarino foi bem, mesmo com o cochilo no fim da partida, e venceu o forte adversário por 2 a 1. Para manter este bom momento e a 4ª posição, o Galo quer bater o rival América, se aproximar dos líderes – enquanto o time mineiro tem 19 pontos, o líder Palmeiras tem 22 – e se preparar para o importante duelo frente ao Boca Juniors na próxima terça-feira, 13.

Além do bom momento, o Atlético tem uma vantagem histórica no clássico. Em 413 duelos, o Galo venceu 205 jogos, o América saiu vitorioso em 104 oportunidades e houve empate em 104 duelos. A questão principal é que o Coelho não derrota o rival alvinegro há 16 jogos: desde a final do Mineiro de 2016.

As escalações

O América irá com força máxima à partida e a tendência é que a escalação seja repetida. O técnico Vagner Mancini já deixou claro que ficou satisfeito com a formação encontrada e é esperado que, mesmo com o deslize da última rodada, na goleada sofrida frente ao Fortaleza, os onze iniciais sejam mantidos. A diferença americana para o time que empatou as duas partidas contra o Atlético na final do Mineiro é a presença do volante Juninho Valoura, que estreou pelo Coelho no Brasileirão, e a titularidade de Ribamar, visto que o atacante era reserva de Rodolfo e, atualmente, os atletas atuam juntos. O curioso é que o volante Juninho e o meia Alê, peças-chaves do time de Lisca, estão ficando no banco com Mancini. Já o ponta Ademir está fora por questões médicas.

Provável escalação: Matheus Cavichioli; Eduardo, Eduardo Bauermann, Anderson Jesus, João Paulo; Juninho Valoura, Zé Ricardo; Marcelo Toscano, Felipe Azevedo; Ribamar, Rodolfo. Técnico: Vagner Mancini.

Já o Atlético entra nesta partida com vários problemas e bem ansioso para o meio de semana. Na terça-feira, 13, o Galo duela com o Boca Juniors pela Libertadores e a tendência é que o técnico Cuca poupe alguns atletas mais importantes e desgastados. O treinador não confirmou, mas nomes como Hulk, Mariano, Tchê Tchê e Zaracho, atletas que jogaram todos os últimos jogos, podem descansar e dar espaço para os companheiros. As baixas recentes do Atlético são Marrony e Vargas que se lesionaram e Guilherme Arana que foi para a seleção olímpica. Além deles, Keno, Nacho Fernández e Rafael seguem fora, visto que Dodô retornou aos treinamentos, mas ainda não deve ser opção. Esta também será uma curiosidade desse possível time misto atleticano, já que o Galo não conta com nenhum lateral-esquerdo de origem à disposição: Alonso e Tchê Tchê podem ser opção.

Provável escalação: Everson; Guga, Nathan Silva, Igor Rabello, Junior Alonso (Tchê Tchê); Jair, Alan Franco (Dylan Borrero), Nathan; Savinho (Savarino), Hyoran, Eduardo Sasha (Hulk). Técnico: Cuca.

América x Atlético

11ª rodada do Brasileirão Série A de 2021
10/07/2021, 19:00 horas, Independência
Transmissão: SporTV (menos MG) e Premiere
Árbitro: Anderson Daronco (RS)
Assistentes: Rafael da Silva Alves (RS) e Michael Stanislau (RS).

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments