Susto no final, falta de qualidade e mais um empate: Cruzeiro e Coritiba empatam por 0 a 0 no Mineirão

Muita disputa e quase nada de futebol. Foto: Bruno Haddad/Cruzeiro

O Cruzeiro, mais uma vez, proporcionou uma partida bem ruim para os seus apaixonados torcedores, os quais estão preocupados, novamente, com os resultados do clube: são 10 pontos em 30 disputados, ou seja, a Raposa já deixou 20 pontos para trás em menos de ⅓ do campeonato. A situação preocupa ainda mais após uma atuação nada convincente como a desta noite, visto que faltou qualidade, o Cruzeiro empatou pela 3ª vez consecutiva e ainda houve um susto no final da partida, onde a trave “salvou” uma equipe que acertou apenas dois chutes no gol adversário. É muito pouco. Já se foram 10 jogos. Quando a diretoria cruzeirense reconhecerá a situação caótica da sua equipe?

Nesta terça, 06, o Cruzeiro empatou por 0 a 0 com o Coritiba no Mineirão, em uma atuação terrível de ambas as equipes. O jogo válido pela 10ª rodada da Série B reuniu dois campeões brasileiros e chegou ao 14º empate em 40 partidas da história do duelo entre as equipes.

Com o resultado, a Raposa segue em 13º e corre o risco de perder algumas posições na rodada. O time chegou aos 10 pontos em 10 jogos e voltará a campo já no próximo sábado, antes do término da 10ª rodada. Até lá, três times podem ultrapassar a Raposa, ou seja, a equipe de Mozart pode ficar ainda mais próxima do Z-4. Já o Coritiba segue na vice-liderança com 20 pontos e ficará de olho na partida do líder Náutico. Logo, mesmo após só 10 partidas, a diferença entre o Cruzeiro e o Coxa é de 10 pontos, ou seja, a Raposa precisaria de, no mínimo, quatro rodadas para tirar a “gordura”. É certo que esta recuperação pode ser tarde demais.

O jogo e as atuações individuais

Faltou coletividade, organização, individualidade, brilho, etc. Em resumo, faltou futebol. O Cruzeiro segue com um nível de atuação abaixo da crítica e está merecendo este momento terrível na tabela, onde o time está vendo as equipes favoritas ao acesso disparar. Dentro de campo, o Coritiba se postou de forma reativa e deu a bola para o Cruzeiro. Por isso, a partida foi ruim. A Raposa não sabe o que fazer com o domínio da bola e o jogo ficou sonolento.

Foram apenas duas finalizações certas na partida: o cabeceio de Felipe Augusto aos 33 do 2º tempo e o arremate fraco de Bruno José aos 43 da etapa final, ou seja, o time não conseguiu criar nada. Com um espaço gigantesco entre os meias, o Cruzeiro não teve triangulações e o jogo foi se desenvolvendo sem nada interessante. Um detalhe importante sobre o ataque da Raposa é que desde o gol de Matheus Barbosa, frente ao Vasco, o time mineiro não balança as redes sem ser de bola parada e, nesta noite, a jogada aérea não funcionou. Portanto, o Cruzeiro não organizou nenhuma jogada e ficou com o placar zerado.

Além da coletividade que prejudicou a equipe, alguns jogadores cruzeirenses foram ainda piores na individualidade.O meio-campista Giovanni Piccolomo ficou em campo durante 60 minutos e não agregou: o atleta cometeu erros em sequência, como inversões e domínios simples na saída de jogo, na 1ª etapa. Giovanni esteve muito mal e protagonizou uma das suas piores apresentações pelo Cruzeiro. Já Rafael Sobis seguiu omisso no ataque e perdeu uma chance ao errar o tempo de bola em um cabeceio, após ótimo cruzamento de Norberto, no início da 2ª etapa. Falando sobre o lateral-direito, Norberto é uma das poucas novidades positivas da Raposa, visto que o jogador desempenhou bem a sua função e passou longe de ser um dos culpados em mais um tropeço cruzeirense.

Cruzeiro x Coritiba

Dando continuidade às mudanças de cada partida e devido às leves lesões de Raúl Cáceres e Weverton, por exemplo, Mozart optou por uma equipe diferente, mais uma vez, e mudou o esquema tático na escalação: o 4-3-3 voltou a ser a formação cruzeirense. Portanto, o Cruzeiro entrou em campo com Fábio; Norberto, Ramon, Léo Santos e Jean Victor; Lucas Ventura, Giovanni Piccolomo e Marcinho; Bruno José, Rafael Sobis e Airton.

O 1º tempo (bem) ruim

O jogo começou com uma ótima trama cruzeirense. Logo aos 50 segundos da 1ª etapa, Rafael Sobis deu um passe para Bruno José nas costas da defesa. O camisa 16 entrou na área, o goleiro Wilson abafou e Bruno José bateu. A bola foi para escanteio, mas a arbitragem havia assinalado um impedimento bem ajustado e discutível.

O restante do 1º tempo não contou com nenhuma jogada organizada. O Cruzeiro errou muitos passes no meio-campo – principalmente, algumas viradas de Giovanni Piccolomo – e chegou próximo à meta com chutes errados de longa distância. Aos 21, Marcinho arriscou e a bola subiu demais. Quatro minutos depois, Giovanni chutou e a tentativa do meio-campista, que fez uma etapa inicial terrível, também teve a direção equivocada. Aos 30, o camisa 10 do Cruzeiro tentou, mas nada mudou: Rafael Sobis finalizou de longa distância com a perna esquerda e a bola passou por cima do travessão de Wilson.

A Raposa teve a posse de bola, mas não conseguiu finalizar corretamente nenhuma vez. Enquanto isso, o Coritiba “deixou” a equipe mineira com o domínio e tentou contragolpear, mas não estava bem. Aos 38, Rafinha, ex-Cruzeiro, cruzou e Henrique, zagueiro que estava na Copa de 2014 pelo Brasil, cabeceou na direção do gol, porém Fábio, com muita tranquilidade, fez a defesa. Este cabeceio do Coxa foi a única finalização certa da 1ª etapa muito ruim.

O 2º tempo

A bola seguiu com a direção equivocada

A etapa final começou com a mesma falta de intensidade da 1ª parte. Aos 6, Norberto e Bruno José até produziram uma boa trama pela direita e o lateral foi ao fundo para cruzar, mas o cruzamento passou por toda a área sem nenhum atleta para finalizar, visto que Rafael Sobis errou o tempo do cabeceio dentro da pequena área. O Coritiba chegou com perigo aos 10, quando Léo Gamalho recebeu pela direita e fez o cruzamento. O centroavante estava deslocado e fez ótimo passe para Guilherme Biro arriscar de perna esquerda. Todavia, a bola foi para fora.

Mesmo sem tanta criatividade, os times continuaram chegando sem acertar o gol do adversário. Aos 21, após cruzamento de Norberto e corte de Wilson, o lateral Jean Victor chutou de fora da área e a bola subiu demais. Dois minutos depois, o Coritiba respondeu. Waguininho tocou para Igor Paixão e o camisa 98 do Coxa arriscou dentro da área. Assim como boa parte das finalizações da partida, a tentativa de Igor Paixão também subiu demais. No minuto 27, após escanteio cobrado na área do Coritiba, o Cruzeiro quase ganhou um presente do zagueiro Luciano Castán, visto que ele tentou cortar e a bola passou muito próxima da meta do Coritiba.

Em meio às tramas que não deram resultado, o técnico Mozart promoveu mudanças no time cruzeirense. Aos 15, Giovanni Piccolomo e Airton deixaram o campo para as entradas de Rômulo e Marcelo Moreno. No minuto 26, Rafael Sobis e Marcinho saíram e Thiago e Felipe Augusto entraram. Aos 34, na última mudança, Flávio entrou na vaga de Lucas Ventura.

O susto final

No minuto 33, o Cruzeiro acertou o alvo pela 1ª vez na partida. Em cruzamento de Rômulo, Felipe Augusto chegou em alta velocidade e cabeceou na 2ª trave. A tentativa foi forte, mas Wilson teve facilidade para encaixar. No minuto seguinte, Thiago recebeu na entrada da área, tinha Marcelo Moreno como opção e optou pela finalização de perna esquerda, porém a bola desviou na zaga e foi para escanteio. A Raposa ainda chegou aos 43, quando Bruno José finalizou na direção do gol, mas a bola foi devagar e Wilson rebateu.

Nos minutos finais, o Coritiba chegou com mais perigo e assustou a torcida azul celeste. Aos 38, Val bateu de longa distância e Fábio espalmou. Na sequência, Robinho, ex-meia do Cruzeiro, também arriscou e o goleiro rebateu mais uma vez. Neste rebote, Léo Gamalho dominou e teve uma boa chance, mas o camisa 9 do Coritiba bateu muito mal e a bola foi parar na lateral oposta.

Enquanto o jogo aparentava ter chegado ao fim, o Coxa levou muito perigo. Aos 48, Robinho rolou para Val e o meio-campista chutou novamente de fora da área. Desta vez, Fábio pulou somente para “aparecer” na foto, pois o arremate foi muito forte e seria indefensável. No entanto, o chute de Val, por sorte dos cruzeirenses, acertou o travessão e não mexeu no placar. Portanto, 0 a 0 no Mineirão e mais um empate para o Cruzeiro.

O time mineiro volta a campo no próximo sábado, 10, às 16:30, no estádio Nilton Santos, frente ao Botafogo.

Números da partida

Cruzeiro x Coritiba
52% Posse de bola 48%
12 Finalizações 12
2 Finalizações no gol 3
5 Escanteios 3
4 Impedimentos 2
17 Faltas 10
466 Passes 428
404 (87%)Passes certos 359 (84%)
Fonte: SofaScore.com

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments