Derrotados! Atlético vai mal e perde para Santos por 2 a 0; Cruzeiro falha, sofre virada em dois minutos e CSA vence por 2 a 1

Uma derrota que machucou os atleticanos. Foto: Pedro Souza / Atlético

A noite não foi nada positiva para Minas Gerais. Na Vila Belmiro, o Atlético não conseguiu ser agressivo, finalizou corretamente apenas três vezes e não criou sequer uma grande chance. No estádio Rei Pelé, em Alagoas, o Cruzeiro até saiu na frente, porém falhou defensivamente e permitiu dois gols em dois minutos na 1ª etapa. Com isso, os dois maiores clubes de Minas Gerais perderam mais uma partida nas suas respectivas divisões.

Para completar a noite ruim do estado mineiro, o América só empatou com o Internacional por 1 a 1. Em Belo Horizonte, após abrir o marcador, o Coelho perdeu a chance de vencer a 1ª neste Brasileirão.

Confira a análise do Blog sobre as derrotas de Atlético e Cruzeiro!

Santos x Atlético

Neste domingo, 27, o Atlético duelou com o Santos na Vila Belmiro e perdeu por 2 a 0. O jogo foi válido pela 7ª rodada do Brasileirão de 2021. Com o resultado, o Peixe assumiu a 6ª posição com 11 pontos e deixou o Galo para trás, visto que a equipe de Cuca conquistou apenas 10 pontos no Brasileirão e está no 8º lugar.

Descrevendo em poucas palavras a atuação atleticana, o time mineiro foi mal. Mais uma atuação sem brilho, inspiração e organização do Atlético. E, desta vez, o time de Cuca – que foi substituído pelo irmão Cuquinha na área técnica – duelou com um rival que estava bem, vem em uma crescente e venceu sem grandes problemas, já que o Galo não criou chances.

O Atlético acertou apenas três bolas no gol de João Paulo e, mesmo assim, não levou um grande perigo à meta santista. O Galo até acertou duas bolas na trave – Allan e Hulk -, mas não foram tramas bem arquitetadas e o time ficou devendo – mais uma vez. Obviamente, os desfalques por causa da Copa América e devido à COVID-19 são possíveis justificativas, mas a organização tática e o desempenho individual de todos os jogadores são os principais problemas que Cuca deve focar.

O time alvinegro sofreu dois gols idênticos: estava no ataque, não organizou bem, sofreu o contra-ataque e o Santos chegou com liberdade. A criação ofensiva e a transição defesa-ataque devem ser pontos cruciais para Cuca resolver em meio a diversas decisões que o time mineiro terá nos próximos dias. O Atlético volta a campo na próxima quinta-feira, 1º de julho, às 19 horas, contra o Atlético-GO, no Mineirão.

O jogo

O 1º tempo foi bem morno e o Atlético finalizou corretamente apenas uma vez, mas sem perigo. O Santos atacou mais e teve a posse da bola, mas não conseguiu ser realmente agressivo.

Aos 14, após saída errada atleticana, Marcos Guilherme recebeu na esquerda e bateu chapado no canto direito. Everson fez a defesa. No minuto 23, Marcos Guilherme fez o cruzamento e Jean Mota deu uma casquinha de cabeça, mas a bola só passou perto do gol atleticano. O Galo chegou com perigo aos 32, já que após boa jogada de Hulk, a zaga rebateu e Arana tocou para Keno. O camisa 11 bateu chapado e a tentativa foi para fora. Por fim, o Santos levou perigo com Marinho, no minuto 34, mas Everson rebateu o chute do destaque do Peixe.

O 2º tempo deu sequência ao desânimo da etapa inicial, mas o Santos abriu o placar no minuto 12. Após erro ofensivo de Hulk, Marcos Guilherme puxou contra-ataque, tocou para Kaio Jorge e o jovem atacante tocou para a entrada da área, encontrando Jean Mota. O meio-campista bateu com a perna esquerda no ângulo de Everson e fez um lindo gol.

O Galo chegou com uma boa trama no minuto 17, quando Arana tocou para Hulk e o artilheiro encontrou Allan entrando na área. O volante arriscou já dentro da área e o goleiro João Paulo desviou, salvando o Santos, visto que a bola ainda bateu no pé da trave. Aos 29, Hulk arrancou pela esquerda e, ao ver que João Paulo estava adiantado, tentou encobrir o goleiro santista. Porém, a cavadinha de Hulk, atleta que estava entrando na área, bateu no travessão. Mesmo com a vantagem, o Santos chegou no minuto 41, com um chute forte de Marinho, mas Everson espalmou e Gabriel recuou para o goleiro defender.

Os minutos finais foram marcados por uma expulsão e o gol da vitória santista. Aos 47, Allan abriu muito o braço e cometeu uma falta em Kaio Jorge. Como já tinha cartão amarelo, o volante foi expulso. Dois minutos depois, no lance final, o Atlético cobrou falta na área ofensiva e sofreu um contra-ataque fatal. Madson recebeu na direita, acelerou e cruzou para Marcos Guilherme empurrar para o gol e definir o placar: 2 a 0 para o Santos.

CSA x Cruzeiro

A defesa do Cruzeiro apenas olhando: a tônica da partida. Foto: Ailton Cruz/Gazeta de Alagoas

Neste domingo, 27, o Cruzeiro perdeu para o CSA por 2 a 1 no estádio Rei Pelé, em Maceió-AL. O jogo válido pela 7ª rodada da Série B de 2021 deu continuidade à sequência invicta do time alagoano na partida: são cinco confrontos com o rival mineiro sem perder. Com a vitória, o CSA ganhou incríveis oito colocações e assumiu a 11ª posição com oito pontos. Já o Cruzeiro está no 13º lugar com sete pontos, apenas um tento à frente do 19º colocado, ou seja, a tabela está bastante embolada.

O jogo cruzeirense pode ser resumido pelo intervalo entre o minuto 27 e 29 do 1º tempo. Com a vantagem no placar, a Raposa não estava conseguindo atacar, falhou na defesa e, consequentemente, concedeu ao CSA as oportunidades de marcar. Em duas jogadas aéreas, aos 16 e 27, a zaga ficou olhando os adversários. A 1ª oportunidade foi desperdiçada, mas, na 2ª chance, Iury marcou. E, no minuto seguinte ao gol marcado pelo camisa 99 do time alagoano, a defesa cruzeirense cometeu erros gravíssimos. Joseph saiu errado, perdeu a bola e Iury cruzou, mas a bola foi na direção do gol e Fábio aceitou.

São erros repetitivos. O Cruzeiro soma derrotas que possuem assinaturas. Expulsões, erros e desatenções podem cobrar mais um ano dramático na Série B para a Raposa. Nesta partida frente ao CSA, o time mineiro até tentou sair e finalizou 11 vezes na 2ª etapa, mas não foi certeiro: apenas uma finalização teve a direção certa. É pouco. Na verdade, é muito pouco para um clube do tamanho do Cruzeiro passar mais um ano entre os piores colocados da Série B. Mudanças são urgentes.

Algumas opções de Mozart, como Felipe Augusto na ala-esquerda, deram certo, mas o próprio treinador deixou claro, ao alterar a formação na 2ª etapa, que o time está com problemas para entender a sua filosofia. Erros individuais definiram a partida, mas alguns aspectos da organização cruzeirense podem ajudar o Cruzeiro a chegar mais próximo do gol e, principalmente, se defender melhor – o time azul celeste possui a pior defesa da competição com 13 gols sofridos em sete partidas. O Cruzeiro volta a campo na próxima quarta-feira, 30, às 19 horas, contra o Guarani, no Mineirão.

O jogo

O Cruzeiro começou bem e abriu o placar rapidamente. Aos 5, em escanteio cobrado por Marcinho, Felipe Augusto subiu bem e cabeceou com força no canto direito do goleiro Thiago Rodrigues. A única finalização certa cruzeirense no 1º tempo levou ao gol logo no início da partida, mas a equipe não conseguiu seguir bem.

Aos 16, a bola foi levantada na área cruzeirense, a defesa “ficou olhando” e Matheus Felipe cabeceou com muita liberdade. Porém, o cabeceio do atleta do CSA foi para o chão e a bola subiu demais. No minuto 27, o time alagoano chegou com Gabriel, o ex-jogador do Flamengo cruzou para a área e Iury se esticou bastante para cabecear. Após muito esforço do camisa 99, a tentativa de cabeça do atacante foi no canto de Fábio e empatou a partida. No lance seguinte, aos 28, Joseph errou, Iury aproveitou e cruzou na direção do gol. A bola surpreendeu Fábio e virou a partida. Dois gols em dois minutos e virada do CSA.

O 2º tempo começou sem tanta animação. Aos 6, Silvinho, atacante que substituiu o artilheiro Iury, cabeceou para fora depois de cruzamento de Yago. Depois disso, foi o Cruzeiro que chegou com perigo. No minuto 24, Thiago tocou para Felipe Augusto e o autor do gol da Raposa ajeitou para trás, possibilitando uma ótima finalização de Adriano. O volante, que havia acabado de entrar, chutou forte e Thiago Rodrigues fez uma ótima defesa.

Aos 31, o CSA reagiu e quase marcou. Silvinho recebeu nas costas da defesa, driblou Fábio e bateu, mas estava desequilibrado e, mesmo com o gol aberto, errou a tentativa. Com o desespero de buscar o empate, o Cruzeiro foi para cima e o CSA quase ampliou. No minuto 41, Cristovam bateu cruzado e Fábio “bateu roupa”. Na falha do goleiro, Bruno Mota empurrou para as redes e marcou, mas o auxiliar marcou impedimento, anulando o gol. A Raposa até tentou, mas não conseguiu criar nenhuma grande chance e o jogo terminou com um 2 a 1 para o CSA.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments