Para sonhar com uma retomada com o invicto Mozart, Cruzeiro enfrenta o Operário, em duelo que traz boas lembranças

Curiosamente, Mozart deve buscar feito de Enderson Moreira. Foto: Igor Sales/Cruzeiro

O Cruzeiro ainda vive uma fase bem tumultuada. O time mineiro trocou, recentemente, o diretor de futebol, o técnico, o diretor técnico – Deivid foi desligado – e ainda segue sob comando de Sérgio Santos Rodrigues, contestado presidente cruzeirense. Além das trocas, o clube está ativo no mercado e, mesmo com problemas financeiros, deve anunciar contratações nos próximos dias – Keké, Norberto e Wellington Nem estão próximos. Em meio a isso, a equipe está invicta com Mozart, saiu da zona do rebaixamento e quer sonhar, definitivamente, com uma retomada na Série B de 2021.

Neste sábado, às 19 horas, o Cruzeiro enfrenta o Operário em Ponta Grossa, cidade localizada no Paraná. O jogo, que acontecerá no Estádio Germano Krüger, é válido pela 5ª rodada do Brasileirão Série B de 2021. A partida contará com transmissão do Premiere.

Boas lembranças

O Cruzeiro fez a sua estreia na 2ª divisão do Campeonato Brasileiro em 2020. Após toda a sua história na elite, a Raposa protagonizou as primeiras partidas da história de duelos contra times mais modestos no ano passado: foram diversos tropeços inesperados. No entanto, frente ao Operário, a Raposa traz belas lembranças da última temporada.

Em 21 de outubro de 2020, na estreia de Luiz Felipe Scolari, os clubes se enfrentaram no Estádio Hermano Krüger – palco do jogo desta noite – e o time mineiro venceu por 1 a 0 com um gol no “apagar das luzes”. Aos 38 da 2ª etapa, Airton fez a jogada pela esquerda e cruzou para Arthur Caíke finalizar. O ex-jogador da Raposa marcou o gol da vitória que deu início à importante recuperação cruzeirense sob comando de Felipão, treinador que não conseguiu o acesso, mas evitou o vexatório rebaixamento para a Série C.

E foi justamente no jogo da volta frente ao Operário que esta chance de rebaixamento chegou ao fim. Em 21 de janeiro de 2021, os times se enfrentaram em Belo Horizonte e o Cruzeiro venceu por 2 a 1. Os gols de Rafael Sobis e William Pottker garantiram três pontos cruciais: após aquela partida, o clube mineiro abriu oito pontos para o Z-4 e, como estava faltando dois jogos, a Raposa se garantiu na Série B com o triunfo sobre o Operário.

Portanto, os dois únicos duelos entre o Cruzeiro e o Operário foram vitoriosos para o lado do time mineiro. Além disso, as partidas indicaram o início de uma arrancada e a conclusão do objetivo daquele momento, ou seja, a Raposa consegue passos importantes ao encontrar o Fantasma. A esperança da torcida é que isso aconteça novamente.

Os números e o momento

Após saírem com uma vitória magra na última partida – 1 a 0 -, o Cruzeiro, que venceu a Ponte Preta, e o Operário, que derrotou o Sampaio Corrêa, querem dar continuidade ao momento vitorioso, mesmo em situações diferentes na tabela da Série B. A Raposa está em 15º com quatro pontos em quatro jogos, enquanto Operário é o 6º com sete tentos.

A curiosidade é que, mesmo com nove posições os separando, se o Cruzeiro vencer, o clube mineiro ultrapassa o rival, visto que ficaria com os mesmos sete pontos e com saldo melhor ou igual – caso for igual, terá feito mais gols. Outro detalhe é que o Fantasma pode chegar ao G-4 e a Raposa pode retornar à zona do rebaixamento.

O time mineiro perdeu as duas primeiras partidas na Série B, esteve em uma sequência de cinco derrotas em seis jogos e ocupou a última colocação na 2ª divisão. No entanto, a chegada de Mozart e a enorme pressão externa fez com que o time melhorasse: foram quatro pontos em seis disputados após a chegada do novo treinador. Mesmo assim, este elenco ficou marcado pela eliminação vergonhosa para a Juazeirense no início do mês e precisa urgentemente entregar mais futebol em campo.

Já a equipe paranaense vem de um bom início de temporada, visto que foi líder da fase inicial do estadual. Porém, como o campeonato do Paraná não foi encerrado ainda, a disputa pelo título do estado está acontecendo em meio a Série B e duas derrotas desestabilizaram o Operário: em 1º de junho, foi goleado pelo Guarani, em casa, por 5 a 2 e, na semana seguinte, perdeu para o Londrina na 1ª partida da semifinal do Paranaense. É necessário ressaltar que ainda tem jogo de volta e o Operário já se recuperou após estas derrotas – empatou com o Vitória fora de casa e venceu o Sampaio Corrêa -, mas é certo que derrotar o Cruzeiro seria o melhor passo para retomar a confiança.

As escalações

Desde que chegou, Mozart testou vários jogadores, recuperou alguns nomes afastados como Marcinho e até testou formações diferentes – jogou com três defensores no 2º tempo da vitória frente à Ponte Preta. No entanto, infelizmente para os torcedores cruzeirenses e para o treinador, a Raposa segue desfalcada do seu lateral-direito: assim como Marco Antônio, Raúl Cáceres está isolado por causa da COVID-19 e continua ausente.

Além destes, o elenco cruzeirense não conta com Matheus Neris e Claudinho, jogadores que, por opção do treinador, sequer viajaram com a equipe mineira para Campinas e, posteriormente, para Ponta Grossa. Em resumo, a escalação deve ser semelhante ao time que venceu a Macaca.

Provável escalação: Fábio; Rômulo, Ramon, Eduardo Brock, Matheus Pereira; Flávio, Giovanni Piccolomo, Marcinho; Bruno José, Rafael Sobis, Felipe Augusto. Técnico: Mozart.

Já o Operário contará com reforços para esta partida, visto que alguns atletas foram liberados após contraírem o coronavírus. Fabiano, Jean Carlo, Leandrinho, Rafael Oller e Simão estiveram isolados e estarão aptos para a partida desta noite. Além da volta de jogadores titulares, a grande força do time de Matheus Costa é o fator casa: não perde como mandante há sete meses.

Provável escalação: Simão; Alex Silva, Rodolfo Filemon, Reniê, Djalma Silva; Rafael Chorão, Marcelo (Pedro Ken), Tomas Bastos; Jean Carlo, Rodrigo Pimpão, Schumacher. Técnico: Matheus Costa.

Operário x Cruzeiro

5ª rodada do Brasileirão Série B de 2021
19/06/2021, 19:00 horas, Estádio Germano Krüger
Transmissão: Premiere
Árbitro: Paulo Henrique Schleich (MS)
Assistentes: Leandro dos Santos (MS) e Cícero Alessandro (MS).

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments