Desgaste físico devido ao acúmulo de jogos: veja quanto tempo o Atlético ficará sem uma semana para treinar

Dodô sentiu na última partida e preocupa os atleticanos. Foto: Pedro Souza / Atlético

O Atlético vive uma ótima fase esportiva: são cinco vitórias consecutivas e apenas um gol sofrido. Além disso, o time mineiro está nas oitavas da Copa do Brasil e da Libertadores, e está em 3º no Campeonato Brasileiro. Mesmo assim, uma questão está preocupando os torcedores atleticanos: o desgaste físico.

Na última partida, Dodô deixou o campo lesionado poucos minutos após entrar em campo. Visto que Guilherme Arana foi convocado para as Olímpiadas, Dodô será ainda mais importante para o Galo e os exames desta sexta-feira, 18, mostrarão qual é a gravidade da lesão do atleta.

Além disso, Keno está sofrendo com questões físicas, Igor Rabello e Zaracho estão com COVID-19, além de Nacho que está gripado e dos vários atletas que estão jogando a Copa América, ou seja, o Atlético tem muitos desfalques e a dura sequência de partidas não irá chegar ao fim tão cedo.

O acúmulo de jogos é a razão deste desgaste físico que está “batendo na porta” do elenco atleticano. Por isso, o Blog apurou dados no calendário da CBF e descobriu quanto tempo o Atlético ficará sem descansar por uma semana.

No mínimo

O time não tem uma semana livre para treinamentos e descanso desde a derrota para o Cruzeiro, em 11 de abril, onde o Galo voltou a jogar em 18/04. Desde então, o Atlético entra em campo todo meio e fim de semana, ou seja, jogando em intervalo de três ou quatro dias – em raras oportunidades, quando o time jogou na terça, quinta ou segunda, houve um descanso de cinco dias, mas acabou acarretando um intervalo ainda mais curto na sequência.

Portanto, desde o dia 18/04, o Atlético jogou 18 partidas em sequência, sem nenhuma semana para descansar. Neste intervalo, o time foi muito bem na fase de grupos da Libertadores, foi campeão do Mineiro, chegou às oitavas de final da Copa do Brasil e iniciou o Brasileirão. Em resumo, são 13 vitórias, quatro empates e uma derrota neste recorte, um aproveitamento de quase 80%. Além disso, foram 30 gols marcados e só oito sofridos.

Estes 18 jogos já desgataram o forte elenco atleticano, mas a situação tende a piorar. Já está confirmado que o time mineiro jogará as oitavas de final da Libertadores – 13/07 e 20/07 – e da Copa do Brasil – 28/07 e 04/08, teoricamente -, ou seja, o Galo jogará no mínimo 33 partidas em sequência, sem nenhuma semana para descanso, até 08/08. Portanto, serão quase quatro meses jogando e isso é apenas o mínimo. O cenário pode ser ainda pior para a parte física.

No máximo

A sequência de 33 jogos está confirmada e irá acontecer. O Atlético já conta com este calendário e, teoricamente, não haverá alterações. A partir do jogo do dia 08/08, o acúmulo de jogos começa a depender do desempenho esportivo, visto que o clube alvinegro pode se classificar na Copa do Brasil e na Libertadores e, sendo assim, dará sequência aos jogos consecutivos.

Como exemplo, é possível trazer o provável acúmulo de jogos caso o Atlético alcance a semifinal da Copa do Brasil e da Libertadores, fase avançada que , certamente, é um dos objetivos deste time atleticano – estar entre os quatro melhores já é um bom resultado. Caso jogue as semifinais das duas competições, o Atlético não terá uma semana livre até o dia 17/10, ou seja, se for longe nos torneios, ficará seis meses sem uma semana livre e fará incríveis 53 jogos sem interrupção.

Porém, é preciso detalhar o melhor cenário esportivo para o Atlético, o qual seria terrível para a parte física, obviamente. Se chegar às duas finais – repetir o feito do Palmeiras em 2020 -, o Galo ficaria 57 jogos seguidos atuando até uma folga disposta no calendário em 03/11.

No entanto, esta folga, certamente, será usada para remanejar o confronto dos finalistas da Sul-Americana e da Libertadores, já que as finais continentais acontecerão em finais de semana que contam com Brasileirão. Portanto, caso o Atlético alcance a final da Libertadores e a final da Copa do Brasil, o Galo chegará à última rodada do Brasileirão, em 05/12, sem descansar sequer uma semana, completando incríveis 67 jogos seguidos.

É muito bom, mas é perigoso

Óbvio que todos os atleticanos desejam ser finalistas das duas competições e chegar forte no Brasileirão. Porém, caso a ambição corresponda, o time mineiro jogará 67 jogos consecutivos sem descansar durante uma semana e o forte elenco será ainda mais exigido. É claro que é muito bom chegar às finais, mas este desgaste é perigoso e deve ser dosado para ter os melhores jogadores nos jogos mais decisivos.

Portanto, aquele intervalo após a decepcionante derrota para o Cruzeiro foi ainda mais importante do que todos os atleticanos pensavam na época. O Galo teve o último respiro para pegar uma maratona que irá render, no mínimo, 33 jogos, ou, no máximo, 67 partidas.

Enfim, o calendário brasileiro deve ser revisado. É imoral que um time faça 67 jogos consecutivos durante um ano. Mas, como este calendário acontecerá em 2021, o Atlético usará ainda mais o seu elenco que foi construído justamente para momentos assim. O Galo precisa acreditar nos seus suplentes, dosar o tempo de jogo de algumas peças-chaves e ir ainda mais forte e vingador!

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Comentários

Subscribe
Notify of
guest
1 Comentário
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Nilson

Reclamam por estar parados, reclamam por ter muitos jogos, basta sair das competições.