São 12 reforços e poucos acertos, mas um salvou: mesmo ainda em situação delicada, Bruno José fez o gol que aliviou o Cruzeiro

O autor do gol da 1ª vitória cruzeirense na Série B. Foto: Igor Sales/ Cruzeiro

Eram seis derrotas em oito jogos, além de uma terrível eliminação para a Juazeirense na Copa do Brasil. Após a queda na competição de mata-mata, o Cruzeiro demitiu Felipe Conceição, contratou Mozart e, mesmo não sendo o nome mais aplaudido pela torcida, o início é levemente animador por causa dos quatro pontos em seis disputados. Cabe ao treinador dar continuidade neste ritmo de pontuação, mas o próprio técnico, os jogadores e, principalmente, os torcedores sabem das possíveis dificuldades que ainda vão ser enfrentadas.

O início de Mozart ainda carece de bom futebol, todavia teve resultado e, em um momento que é tão necessário pontuar, os três pontos devem ser exaltados de qualquer forma. Além de triunfar, a Raposa deixou o Z-4 e o clube deseja nunca mais voltar para esta situação tão desagradável. Para isso, basta corrigir os diversos erros que seguem sendo cometidos.

Porém, o jogo da última noite aliviou um pouco e os torcedores puderam dormir mais tranquilos. Na quarta-feira, 16, o Cruzeiro venceu a Ponte Preta por 1 a 0, em Campinas, e somou três pontos nesta Série B pela 1ª vez na temporada. Atualmente, a Raposa está em 14º, com quatro pontos, e a Ponte Preta está na última posição, com um futebol muito preocupante para o torcedor da Macaca.

E o gol cruzeirense saiu dos pés de Bruno José, atleta que chegou neste ano na Toca da Raposa. Foram 12 reforços, no entanto, foram poucos acertos da diretoria, visto que tem reforço que até deixou a equipe azul celeste. Diferentemente destes, o camisa 16 do Cruzeiro fez o gol do alívio, mereceu o tento pela sua dedicação e se consolidou no time titular.

O jogo

Cruzeiro e Ponte Preta passaram longe de protagonizarem um jogo técnico. Faltou qualidade e as tradicionais equipes do futebol brasileiro sabem que terão um longo caminho em busca do objetivo: retornar à elite, ou seja, a Série A.

No 1º tempo, os times estiveram em um jogo ainda pior que na etapa final. Os 45 minutos iniciais ficaram marcados por 14 finalizações, onde quatro chutes tiveram a direção do gol – só o chute de Marcinho, aos 44 da 1ª etapa foi mais perigoso – e nenhum arremate foi feito dentro da área. Sim, a metade inicial contou apenas com chutes de longa distância, evidenciando que os times não conseguiam furar o bloqueio do adversário.

Já no 2º tempo, Mozart fez uma mudança diferente e o time melhorou um pouco. Weverton entrou no lugar de Matheus Pereira, o time começou a jogar com uma linha de três zagueiros e o atacante Felipe Augusto ficou como ala-esquerda, enquanto Rômulo foi adiantado e deixou a lateral para assumir a ala-direita. Já com o físico mais debilitado, esta mudança ajudou Rômulo a auxiliar na criação, visto que ele contava com um zagueiro na cobertura.

E logo no início, aos 11, Marcinho fez bom passe para Bruno José e o atacante fez o domínio, o giro e entrou na área para bater. Em uma das duas únicas finalizações dentro da área feitas pelo Cruzeiro na partida – a Ponte finalizou apenas uma vez -, Bruno José arriscou com a perna esquerda e acertou o canto esquerdo do goleiro Ygor. Uma jogada inteligente, um gol importantíssimo e mais um tento para a vitória saindo dos pés de Bruno José.

Após o gol, o jogo ficou ainda pior, visto que o Cruzeiro, melhor time em campo, não quis sair e a Ponte Preta não apresentou qualidade. Enfim, 1 a 0 no placar e uma importante vitória pelo resultado, mesmo com um desempenho bem mediano.

O autor do gol

Desde o início de maio, o Cruzeiro fez oito partidas: perdeu cinco jogos, empatou uma vez e venceu dois duelos por 1 a 0. Estas duas vitórias tiveram um protagonista: Bruno José. Contra a Juazeirense e nesta última noite frente à Ponte Preta, o camisa 16 fez o gol decisivo e decretou a vitória cruzeirense. Portanto, para os supersticiosos, a Raposa precisa de um gol de Bruno José para vencer, visto que ele marcou dois gols pelo Cruzeiro e ambos definiram partidas.

O atacante que decidiu os últimos jogos não é um craque indiscutível e boa parte dos torcedores e analistas sabem disso, mas Bruno José não deixa de se entregar, mostra raça durante toda a partida e corre bastante. É um lutador que mereceu estes gols decisivos.

Bruno José chegou no Cruzeiro neste início de temporada e é um dos 12 reforços da Raposa, no entanto, poucos foram realmente acertos da polêmica diretoria cruzeirense. Apenas Bruno José e Rômulo dos jogadores contratados são titulares indiscutíveis e fazem por merecer este posto.

Flávio e Marcinho foram titulares na última partida e, aparentemente, ganharão mais chances com Mozart. Guilherme Bissoli e Matheus Barbosa estavam no time titular de Conceição, mas tiveram pouco espaço na última partida. Eduardo Brock, Felipe Augusto, Joseph e Matheus Neris contam com chances, mas a torcida não tem tanta confiança nestes jogadores. Por fim, Klebinho jogou poucos minutos e Alan Ruschel já até deixou a equipe – foi emprestado ao América.

Enfim, são poucos reforços que se consolidaram. O Cruzeiro venceu com um gol de uma das melhores contratações. A vitória deve ser comemorada, mas a realidade tem que ser mostrada. A situação financeira é muito delicada, mas a parte esportiva tem que se recuperar e contratações pontuais devem acontecer. O caminho em busca do acesso ainda será longo e Mozart e companhia terão muito trabalho nos próximos meses. Foco em mais vitórias, Cruzeiro!

O time mineiro volta a campo no próximo sábado, 19, às 19 horas, contra o Operário, em Ponta Grossa.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments