Três gols sofridos nos últimos nove jogos: a evolução defensiva do Atlético

Foto: Pedro Souza / Atlético

Por Pedro Bueno

A grande comemoração dos atleticanos após a importante vitória deste domingo, 13, sobre o São Paulo, foi a solidez defensiva. O Atlético não sofreu gols, não correu riscos e evitou qualquer finalização do rival na meta – a única defesa de Everson foi em um corte de Réver que foi na direção contrária.

Enfim, mais uma vitória atleticana sem sofrer gols deu mais ênfase à evolução defensiva do time de Cuca. Méritos do treinador e de todos os bons jogadores que, aparentemente, já conseguiram compreender a importância de ajudar no momento defensivo. Como dito pelo próprio Cuca depois do jogo frente ao São Paulo, o Atlético está evitando gols por causa do conjunto.

É isso. O futebol é coletivo e todos têm responsabilidade defensiva. É muito fácil para qualquer pessoa pontuar que determinado defensor falhou porque perdeu na velocidade, porém é necessário analisar que, em muitos momentos, os atletas mais ofensivos não executam a marcação e comprometem a defesa. Atualmente, o coletivo do Atlético está se entendendo muito bem e os resultados são evidentes.

As últimas partidas

O Atlético vem de quatro vitórias consecutivas, mesmo com vários desfalques. O último tropeço foi contra o Fortaleza, em uma partida ruim de toda a equipe. Yago Pikachu teve muita liberdade pelo lado esquerdo e marcou dois gols na 2ª etapa. Porém, em um recorte maior, aquele é o único jogo ruim de um sistema defensivo que está se consolidando.

  • 16/05/2021: empatou com o América sem sofrer gols;
  • 19/05/2021: venceu o Cerro Porteño-PAR sem sofrer gols;
  • 22/05/2021: empatou com o América sem sofrer gols;
  • 25/05/2021: venceu o Deportivo La Guaira-VEN sem sofrer gols;
  • 30/05/2021: perdeu para o Fortaleza; sofreu dois gols de Yago Pikachu;
  • 02/06/2021: venceu o Remo sem sofrer gols;
  • 06/06/2021: venceu o Sport sem sofrer gols;
  • 10/06/2021: venceu o Remo; sofreu o gol de Romércio;
  • 13/06/2021: venceu o São Paulo sem sofrer gols.

Portanto, nos últimos nove jogos, o Atlético sofreu apenas três gols, um número incrível para um time que sofre com o alto número de gols sofridos há muitos anos. Além dos gols de Yago Pikachu, Romércio marcou no duelo entre Galo e Remo, após saída errada de Keno. Mesmo assim, por causa da vantagem do duelo, o Atlético não correu riscos após o belo gol de Romércio.

Além dos belos números recentes, é necessário pontuar que durante toda a temporada, o Galo sofreu dois gols em uma partida em apenas duas oportunidades: nas derrotas para Caldense e Fortaleza. Atualmente, o Atlético conta com um sistema defensivo bem sólido.

A evolução de algumas peças

O elenco do Atlético foi montado com muito investimento dos parceiros e os diversos jogadores talentosos são responsáveis pelo bom desempenho da equipe. O Galo possui um plantel fortíssimo desde a última temporada e os jogadores estão, cada dia mais, adaptados ao clube, ou seja, por consequência, os atletas estão evoluindo.

Alguns exemplos claros são quatro nomes que foram bastante criticados pela torcida atleticana em 2020: Everson, Guga, Rabello e Allan. Estes jogadores são titulares do Atlético e, atualmente, não é possível contestar a titularidade de nenhum deles.

Everson foi crucificado na última temporada por causa da disputa com Rafael, mas mostrou, principalmente neste ano, que é um goleiro do nível do Atlético. Já Guga chegou em 2019 e evoluiu bastante defensivamente com Sampaoli. Neste ano, com inteligência defensiva e o talento de sempre na parte ofensiva, Guga é um dos ativos mais importantes do Galo para vendas. O zagueiro Igor Rabello fez boas partidas em 2020 – a goleada sobre o Flamengo, em novembro, é o exemplo perfeito -, mas foi criticado por alguns jogos com desempenho irregular. Nesta temporada, para alguns, Rabello é o melhor zagueiro do Atlético. Por fim, dentre estes atletas que evoluíram muito, Allan é um jogador intenso e chama a atenção pelos cartões e reclamações, mas tem muito talento e velocidade para desmarcar os rivais. Atualmente, é o volante titular do Atlético.

Além destes citados, três jogadores são reservas importantes de Cuca: Dodô, Mariano e Réver. Dodô chegou neste ano e tem muito talento. Mariano e Réver estavam no último ano e foram bem contestados, porém, mesmo com a idade avançada, conseguiram evoluir muito e são opções confiáveis.

A exposição e o pragmatismo

Obviamente, o sucesso defensivo atleticano passa pelos jogadores, mas também o técnico Cuca merece méritos. Como dito anteriormente, Sampaoli faz parte deste processo e tem pontos cruciais que foram deixados por ele: a saída de bola da equipe e a evolução defensiva de Guga. Porém, dois pontos executados pela atual comissão técnica merecem destaque na questão defensiva.

Sabendo que o Atlético não possui uma recomposição tão rápida, o melhor caminho para não dar tantas brechas é ficar menos exposto. Por isso, Cuca conseguiu controlar a exposição da defesa atleticana e zagueiros como Réver, por exemplo, não ficam no mano a mano com atacantes rápidos. Conter a exposição da defesa foi um passo primordial para esta evolução atleticana.

Além disso, outro passo importante para o bom momento defensivo é o pragmatismo de alguns jogos, onde o Atlético faz um gol e se defende na 2ª etapa. A estratégia está dando resultado, o Galo corre menos riscos, porém esta ideia é contestável porque, em alguns jogos, o time mineiro poderia ter apertado mais o rival mais modesto. Por exemplo, o jogo contra o Sport, onde o Atlético se defendeu bem, marcou um gol com Hulk no 1º tempo e sustentou a partida de forma pragmática. Deu certo, mas é arriscado atrair tanto o adversário.

Por isso, as ideias da comissão técnica atleticana estão dando certo, mas é necessário algumas ressalvas. O equilíbrio entre a baixa exposição da defesa e a maior intensidade ofensiva mesmo com o resultado positivo – deixando de lado o pragmatismo – é o próximo degrau da evolução. O time ainda não está pronto e pode render muito mais, mas é importante ressaltar a evolução. O Atlético confia mais na sua defesa e, consequentemente, os torcedores confiam mais no seu clube do coração!

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Comentários

Subscribe
Notify of
guest
1 Comentário
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
A gala do Galo.

Já era tempo de barrar Igor Rabelo e Réver como atacantes.