Muito sólido na defesa, Atlético não corre riscos e vence o São Paulo por 1 a 0 no Mineirão

O autor do gol da vitória: Jair. Foto: Pedro Souza / Atlético

Um jogo seguro. Em um encontro entre dois postulantes ao título, a equipe que passa toda a partida sem receber nenhum chute na sua meta merece ser exaltada. Neste importante confronto frente ao São Paulo, o Atlético conseguiu mostrar a sua solidez defensiva, não deu espaços para o Tricolor Paulista, equipe que sequer finalizou no alvo, e conseguiu marcar o gol da vitória ainda nos minutos iniciais. Portanto, um desempenho seguro, uma vitória importante e um confronto direto vencido em casa.

Neste domingo, 13, o Atlético venceu o São Paulo por 1 a 0 no Mineirão. O gol da partida, a qual foi válida pela 3ª rodada do Brasileirão Série A de 2021, foi marcado por Jairi, após assistência de Hyoran e bela jogada de Hulk.

Com o resultado, o Atlético alcançou o 6º ponto em nove disputados e, pelos menos temporariamente, é o 5º colocado do Campeonato Brasileiro. Atualmente, o líder é o Athletico-PR, única equipe que já conquistou os nove pontos possíveis. Já o São Paulo segue sem fazer gols neste Brasileirão, está na 16ª posição, com um mísero ponto, e necessita de mudanças.

Os jogos e as atuações individuais

Não foi o jogo mais vistoso para o espectador. Porém, para o atleticano, a partida foi boa por um simples motivo: uma vitória sem correr riscos. O Atlético não teve o domínio da posse de bola, mas conseguiu marcar o seu gol, levou mais perigo à área adversária e, com uma marcação intensa desde o 1º minuto, impediu qualquer avanço do São Paulo. Enfim, a atuação foi segura e resultou em mais três pontos no Campeonato Brasileiro.

Desde o início da partida, Atlético e São Paulo mostraram que o jogo contaria com muitos passes e com a tentativa de envolver o adversário. E é justamente neste ponto que o Galo se deu bem. Mesmo sem o controle da bola e sem tanta criatividade ofensiva – as boas tramas atleticanas no ataque ocorreram após jogadas individuais -, o time de Cuca conseguiu evitar qualquer espaço na marcação e anulou o qualificado time paulista.

Como destaque positivo, além do setor de marcação por completo, é necessário ressaltar um jogador bem contestado pela torcida. Allan foi a representação perfeita do Atlético em campo nesta tarde: intensidade, marcação e velocidade para desarmar e contragolpear. Uma grande atuação. Hulk, Hyoran e Nacho também foram bem. Já como ponto negativo, o atacante Keno despontou negativamente, mais uma vez. O camisa 11 não vive um bom momento e errou vários movimentos simples nesta partida.

Atlético x São Paulo

Com muitos desfalques, o Atlético contou com algumas mudanças na partida deste domingo. Visto que Tchê Tchê pertence ao São Paulo e Zaracho testou positivo para a COVID-19, o meio-campo foi bastante alterado e Jair e Allan começaram juntos. Em resumo, Cuca colocou em campo Everson; Guga, Rabello, Rever e Arana; Allan, Jair, Hyoran e Nacho Fernández; Hulk e Keno.

O 1º tempo

A importância de contar com Hulk

O Atlético começou bem na partida, abriu o placar rapidamente e contou com um protagonista: Hulk.

Aos 9, a defesa atleticana roubou a bola e Jair iniciou o contra-ataque ao tocar para Keno. O camisa 11 do Galo encontrou Hulk, acelerou sem bola e recebeu um belo passe do companheiro. O artilheiro atleticano recebeu no meio e teve inteligência para fazer um belo passe nas costas da defesa, encontrando Keno livre. O ponta atleticano entrou na área e ficou cara a cara com o goleiro Tiago Volpi, porém, mesmo com liberdade, Keno chutou em cima do arqueiro rival. Uma boa chance perdida.

No entanto, na outra grande jogada de Hulk, o Atlético aproveitou e balançou as redes do São Paulo. No minuto 16, o artilheiro do Atlético recebeu a bola no círculo central, na parte defensiva do campo, acelerou, colocou na frente e, literalmente, ninguém pegou. A arrancada de Hulk foi muito bonita, ele passou pela marcação e, próximo da entrada da área, tocou para Hyoran. O camisa 20 do Atlético estava na direita, fez um ótimo cruzamento rasteiro e Jair empurrou para as redes com muita tranquilidade. Gol de Jair. Grande jogada de Hulk. Um importante tento do Atlético: 1 a 0 no placar.

Equilíbrio pós-gol

Após o gol atleticano, o jogo ficou equilibrado e com muitos passes no meio-campo, sem grandes oportunidades de gol.

Até o fim do 1º tempo, o São Paulo chegou duas vezes com perigo. Aos 25, Rodrigo Nestor recebeu na direita, gingou bem, tirando a marcação, e bateu forte. A bola subiu mais que o desejado. No minuto 39, pelo mesmo lado direito, Gabriel Sara avançou e cruzou para a área. Na tentativa de cortar a bola, Rever acabou jogando a bola contra a própria meta e obrigou Éverson a fazer grande defesa. Após a intervenção do goleiro – a qual mostrou todo o reflexo do arqueiro -, Rodrigo Nestor tentou aproveitar o rebote, mas a bola foi travada.

Mesmo com a vantagem, o Atlético chegou com perigo aos 41. Guilherme Arana deu um lindo passe entre as pernas de marcação e encontrou Hulk na entrada da área. O atacante atleticano recebeu, levou da esquerda para o meio e hesitou em bater com a perna direita. Como bom canhoto que é, Hulk finalizou com o pé esquerdo, mesmo com o corpo desajeitado, mas a bola foi para escanteio depois de desvio do marcador são-paulino, na última boa chance na 1ª etapa.

O 2º tempo

Pouco futebol e substituições

O jogo seguiu com a mesma pegada: muitos passes e poucas finalizações. A 1ª chegada mais perigosa aconteceu aos 14, quando Liziero fez o cruzamento e Rever cortou, após dividida com Bruno Alves na área. No rebote, Rigoni arriscou de fora da área, mas a bola desviou e foi para a linha de fundo, sem levar riscos à meta atleticana.

Em um momento do jogo marcado por muitas decisões estranhas do árbitro Anderson Daronco, os times realizaram substituições a fim de ganhar mais energia em campo. O Atlético colocou Echaporã e Marrony nas vagas de Hyoran e Keno no minuto 30 e voltou a fazer mudanças entre o minuto 36 e 37, ao colocar Nathan e Mariano nos lugares de Guga e Jair, já que ambos sentiram problemas físicos.

Minutos finais

O Atlético chegou, de forma surpreendente, aos 38, quando Echaporã recebeu na direita, gingou para cima da marcação e assustou Volpi. O jovem, cria da base do Galo, foi ao fundo, fez o cruzamento e a bola teve a direção da meta. Surpreendido, o goleiro do Tricolor Paulista deu um tapa e evitou o gol.

Cinco minutos depois, Echaporã foi acionado novamente pela direita, cruzou para Nacho e, mesmo caído, o argentino ajeitou de cabeça para Marrony. Dentro da área, o camisa 38 do Galo perdeu a bola, retomou e, após esta confusão, tocou para Arana, mas o lateral atleticano chutou sem tanta força e não levou perigo.

No último lance, aos 50, o São Paulo cobrou uma falta na área e o goleiro Tiago Volpi, ao tentar ajudar os companheiros, acabou cometendo uma falta, dando números finais à partida: 1 a 0 para o Atlético.

O Galo volta a campo na próxima quarta-feira, às 19 horas, contra o Internacional, no Beira-Rio.

Números da partida

Atlético x São Paulo
42% Posse de bola 58%
9 Finalizações 5
2 Finalizações no gol 0
4 Escanteios 5
2 Impedimentos 1
14 Faltas 22
382 Passes 514
323 (85%)Passes certos 452(88%)
Fonte: SofaScore.com

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments