Lanterna, sete gols sofridos e só uma forma de balançar as redes: o terrível início do Cruzeiro na Série B

Felipe Conceição, um dos personagens deste início ruim. Foto: Gustavo Aleixo/Cruzeiro

Em 2020, depois de duas rodadas na Série B, o Cruzeiro estava com zero pontos e dentro da zona do rebaixamento. Um ano depois, a Raposa também está no Z-4, sem conquistar um ponto sequer.

A diferença é que no ano passado, o time mineiro começou com seis pontos a menos por causa de uma punição e venceu as três partidas iniciais. Nesta atual temporada, o clube azul celeste perdeu os dois primeiros jogos e não vê um futuro promissor.

Na 20ª posição, ou seja, na famosa lanterna, o Cruzeiro ‘ostenta” os terríveis feitos de sofrer sete gols em dois jogos e balançar as redes do adversário por meio de apenas uma forma: a jogada aérea. O apaixonado torcedor cruzeirense suplica por mudanças, visto que o time não pode ficar mais um ano na Série B por motivos históricos, esportivos e, principalmente, financeiros.

É certo que as arbitragens polêmicas nos dois jogos são justificativas prontas para o treinador Felipe Conceição, mas é necessário enxergar a realidade. O Cruzeiro começou muito mal!

A lanterna

São duas partidas nesta Série B: duas derrotas. O primeiro jogo aconteceu no Batistão, em Sergipe, contra o Confiança, e o Cruzeiro perdeu para o rival nordestino por 3 a 1. No fim de semana seguinte, na 2ª rodada, a Raposa recebeu o CRB, no Mineirão, e também foi derrotada. Com estes dois tropeços, o Cruzeiro é o único time que ainda não pontuou na Série B e está “cumprindo isolamento social” na tabela ao ficar em 20º.

Além de zero pontos conquistados em seis disputados, outro feito cruzeirense chama a atenção. Após começar a Série B de 2020 com a punição de menos seis pontos, a Raposa chegou no máximo na 9ª posição, sendo assim a sua melhor posição na tabela da Série B do último ano.

Portanto, após 40 rodadas, somando as duas edições que a equipe participou, o Cruzeiro Esporte Clube nunca esteve entre os oito melhores da Série B. Com o início ruim na atual temporada e a 20ª posição no momento, o desempenho do time mineiro indica mais um ano disputando na parte inferior da tabela.

Sete gols sofridos

Com Léo e Cacá, e depois Manoel e Ramon, o Cruzeiro teve a 3ª melhor defesa da Série B de 2020, mesmo com um time caótico que ficou em 11º no torneio. Para esta temporada, três destes quatro zagueiros deixaram o clube e a Raposa, obviamente, sentiu a perda destes atletas.

E as reposições para a defesa feitas pela diretoria foram bem contestadas pela torcida. Os experientes Eduardo Brock e Joseph, além de promessas da base, como Weverton, foram integrados ao elenco, mas o Cruzeiro ainda não está seguro na sua defesa.

No Campeonato Mineiro, o time fez boa campanha contra os modestos adversários e sofreu apenas quatro gols na fase inicial. Porém, nas semifinais contra o América, levou cinco gols em dois jogos e foi eliminado.

Depois da eliminação no estadual, o Cruzeiro teve 20 dias para treinar e começar a Série B com a defesa ajeitada. No entanto, os números pioraram. Em dois jogos na 2ª divisão, a equipe de Felipe Conceição sofreu sete gols, uma terrível média de 3,5 gols sofridos por jogo. É importante destacar que os adversários – Confiança e CRB – não são grandes favoritos ao acesso.

Só uma forma de balançar as redes

Após sofrer muitos gols e iniciar atrás do placar em ambos os duelos, o Cruzeiro teve que buscar o resultado e balançou as redes em quatro oportunidades. Porém, além dos problemas defensivos, algumas questões ofensivas são destacáveis neste início de Série B.

Na partida contra o Confiança, Guilherme Bissoli marcou o gol cruzeirense após cobrança de escanteio de Rômulo. Contra o CRB, Matheus Barbosa e Raman, também de cabeça, balançaram as redes após assistência de Rômulo via escanteio. O único gol que não saiu dos pés de Rômulo foi o tento de Airton, onde Raúl Cáceres cruzou e o ponta cabeceou para o fundo das redes.

Portanto, o Cruzeiro fez quatro gols na Série B e todos foram de cabeça, ou seja, nenhuma construção resultou em gol cruzeirense e o time só conseguiu agredir pela jogada aérea. É pouco, muito pouco.

Além disso, o Footstats levantou os dados cruzeirenses em relação aos outros adversários da Série B. O Cruzeiro consegue a façanha de ter a pior defesa e ser o time que mais permitiu finalizações certas. Já no ataque, a Raposa é quem mais errou cruzamentos e a 2ª equipe que mais errou finalizações.

Os fatos, os números e a situação não deixam outra opção: é preciso se recuperar de forma urgente!

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Categorias:
Futebol Nacional

Comentários