Atlético define o placar no 1º tempo, vence o Remo por 2 a 0 e encaminha a classificação na Copa do Brasil

Hyoran e Nacho Fernández, os artilheiros da noite. Foto: Pedro Souza / Atlético

45 minutos bons podem ter garantido a classificação atleticana para as oitavas de final da Copa do Brasil de 2021. O Atlético aproveitou a superioridade técnica, contou com o brilho de Hulk, Hyoran e Nacho Fernández, e foi para o intervalo com uma boa vantagem de dois gols no placar. Na 2ª etapa, o nível da atuação caiu, o Remo chegou com perigo – Everson fez uma grande defesa – e o Galo só voltou a atacar o gol adversário com Marrony, mas o ataque desperdiçou duas chances que decretariam, de vez, a classificação. No entanto, levando em conta as condições do gramado, o deslocamento e os oito desfalques atleticanos, o placar foi bom e o passaporte para a próxima fase está encaminhado.

Nesta quarta, 02, o Atlético visitou o Remo no Baenão, em Belém, capital do Pará, e venceu o adversário por 2 a 0 – gols de Hyoran e Nacho Fernández. A partida foi válida pelo jogo de ida da 3ª fase da Copa do Brasil de 2021.

Com o resultado, o Galo abriu uma importantíssima vantagem. No próximo dia 10, quinta-feira da próxima semana, os adversários desta noite se enfrentam no Mineirão e o time mineiro se classifica com qualquer vitória, empate e até mesmo derrota por um gol de diferença. Caso o Remo vença o Atlético por dois gols de vantagem, o jogo irá para os pênaltis. Para se classificar diretamente, o time paraense deve derrotar o rival, em BH, por três ou mais gols de diferença, ou seja, tarefa difícil.

O jogo e as atuações individuais

O confronto de um forte time de Série A contra uma equipe que acabou de subir para a Série B foi, no final das contas, justo e positivo para os dois clubes envolvidos. O Atlético jogou bem a 1ª etapa, abriu a vantagem, mostrou qualidade e, além de esperar o rival na 2ª etapa, conseguiu descansar os seus melhores jogadores. Já o Remo, time que estava invicto na temporada, deu espaços para o Galo na etapa inicial, mas conseguiu segurar o ímpeto atleticano, agrediu no 2º tempo e faltou capricho nas finalizações. Enfim, um placar justo e esperado pelo desnível técnico.

Dentro de campo, o Galo entrou com uma formação diferente e deu certo na primeira etapa. A equipe de Cuca atuou em um 4-1-3-2, com bastante aproximação pelo meio, várias tabelas e abrindo para os pontas que eram os dois laterais – Dodô e Mariano. A intenção era que Hulk, Hyoran, Nacho, Sasha e Tchê Tchê se organizassem pelo meio e contassem com o apoio dos alas. E isso deu certo, visto que as boas jogadas do 1º tempo foram originadas de tramas centrais. A única questão tática a corrigir continua sendo a marcação à frente da área, visto que Allan e Tchê Tchê não desarmam e os adversários possuem muita liberdade no centro.

No geral, as atuações atleticanas foram boas e – quase – ninguém destoou negativamente. Marrony foi a exceção, visto que o jovem perdeu duas chances que poderiam definir o confronto e um atacante talentoso não pode desperdiçar oportunidades daquela forma. Além do bom desempenho coletivo na 1ª etapa, é importante destacar o entendimento cada dia melhor de Nacho Fernández e Hulk, jogadores talentosíssimos e com uma inteligência rara. Certamente, os dois atletas seguirão decidindo jogos para o Atlético.

Remo x Atlético

Com muitas ausências, como adiantado no pré-jogo do Blog, o técnico Cuca promoveu cinco mudanças no time titular. A grande surpresa foi a ausência de Marrony, visto que o jogador estava sendo o substituto de Keno e ficou como suplente nesta partida, dando lugar a Hyoran. Por isso, o Atlético entrou em campo com Everson; Mariano, Rabello, Rever e Dodô; Allan, Tchê Tchê, Hyoran e Nacho Fernández; Hulk e Sasha.

O 1º tempo

Início bom e gol da surpresa na escalação

Devido à ampla superioridade técnica, o Atlético era o favorito para a partida e começou em cima desde o 1º minuto. Aos 8, Dodô recebeu na esquerda e viu Nacho Fernández entrar na área, como um centroavante. O lateral esquerdo atleticano cruzou rasteiro, com a perna direita, encontrou o argentino e Nacho, na pequena área, bateu. O camisa 26 estava marcado, não conseguiu finalizar em cheio e errou a direção.

No minuto 10, Réver cobrou uma falta rápida no campo de defesa e fez um ótimo lançamento para encontrar Mariano na ponta-direita. O lateral dominou com liberdade, entrou na área e bateu forte. O goleiro Vinícius estava atento e rebateu. Na sequência, Eduardo Sasha aproveitou o rebote, mas a tentativa subiu demais.

Com apenas uma equipe atacando, o gol atleticano era questão de tempo e aconteceu aos 14. Nacho Fernández recebeu no meio e a marcação do Remo deu muito espaço para o argentino pensar. Por isso, o camisa 26 fez um lindo passe para Hyoran, meio-campista que foi a surpresa da escalação de Cuca. Hyoran fez um ótimo domínio, driblando a marcação, entrou na área e bateu cruzado, no canto direito do goleiro Vinicius. Um chute indefensável e um belo gol atleticano: 1 a 0 para o Galo no placar do Baenão.

O Remo chegou apenas uma vez na 1ª etapa e, mesmo assim, não levou perigo à meta de Everson. Aos 24, Marlon bateu uma falta da intermediária, a bola foi na primeira trave e Rafael Jansen apareceu livre. O zagueiro tocou de cabeça, mas ninguém completou para o gol, mesmo com a falha da marcação atleticana.

Hulk + Nacho

O Atlético contou com vários desfalques, mas as duas grandes contratações da temporada estavam presentes: Hulk e Nacho Fernández. Os dois talentosos atletas protagonizaram três grandes jogadas no fim do 1º tempo.

Aos 29, em ótimo contra-ataque pela esquerda, Hyoran lançou Hulk e o atacante atleticano acelerou. O jogador chegou na área, mas estava bem marcado. Por isso, Hulk esperou a chegada de Nacho, tocou para o argentino e ele chutou de primeira. A finalização de Nacho Fernández foi feita dentro da meia-lua, todavia, o arremate foi para fora.

Cinco minutos depois, Nacho Fernández tocou para Hulk e o atacante dominou na entrada da área. A marcação fechou a finalização com a perna esquerda, porém, com muito recurso, Hulk levou para a direita, penteou a bola e bateu com a “canhota” na saída do goleiro. O artilheiro do Galo teve qualidade para dar uma cavadinha quando Vinícius estava adiantado, mas o goleiro do Remo foi muito bem e fez a defesa.

No entanto, o arqueiro da equipe paraense não conseguiu segurar a dupla Nacho e Hulk mais uma vez, e sofreu um gol aos 46. No círculo central, Hulk recebeu, passou pela marcação e, mesmo trombando, arrancou em direção ao ataque. O zagueiro Rafael Jansen tentou desarmar de carrinho, mas Hulk não foi derrubado, mostrou sua força e acelerou. Com inteligência, o artilheiro atleticano esperou o companheiro Nacho Fernández chegar e rolou. O argentino estava bem atrás, mas correu bastante para acompanhar o contra-ataque puxado por Hulk e foi recompensado pela assistência do atacante. Nacho estava livre e bateu para o gol sem goleiro: 2 a 0 para o Atlético e apito final na 1ª etapa.

O 2º tempo

Só deu Remo

Após o intervalo, apenas uma equipe voltou para o jogo: o Remo retornou com muita intensidade, marcou a saída de jogo do Atlético e não deu espaço para os talentosos atletas do Galo pensarem. Com domínio dos 30 minutos iniciais da etapa final, a equipe do Pará teve a bola no campo ofensivo, mas conseguiu finalizar apenas uma vez com perigo neste recorte de tempo.

Todavia, esta finalização quase provocou uma mudança no placar e não houve uma diminuição na vantagem atleticana por causa do seu goleiro. Aos 9, em cobrança de falta, Felipe Gedoz fez um ótimo cruzamento e Lucas Siqueira raspou de cabeça. O toque foi sutil, mas foi muito bom e o Galo foi salvo por Everson, arqueiro que fez uma grande intervenção e jogou a bola para a linha de fundo.

Sendo dominado pelo modesto adversário, o técnico Cuca promoveu mudanças para atlerar o desempenho da sua equipe. Primeiramente, Marrony entrou na vaga de Hyoran. Em seguida, Zaracho substituiu Eduardo Sasha e, já no minuto 24, o Galo havia promovido quatro substituições: Jair e Sávio entraram nos lugares dos protagonistas Hulk e Nacho Fernández.

Marrony perdeu (2x)

O Atlético não estava conseguindo atacar e finalizou pela 1ª vez na 2ª etapa apenas no minuto 30. E quando finalizou, o time mineiro perdeu uma grande chance. Allan fez um ótimo lançamento para Marrony e o atacante acelerou pelo meio. O camisa 38 entrou na área, teve espaço para ajeitar o corpo e pensar onde bater. Mesmo assim, Marrony chutou em cima do goleiro e perdeu a chance. Na sequência, Allan aproveitou o rebote, finalizou e Vinicius fez a defesa.

Aos 35, Marrony teve a chance de se redimir, em mais uma grande oportunidade, entretanto, acabou perdendo novamente. O atacante recebeu um lançamento, acelerou pelo meio e teve espaço para pensar na finalização. O roteiro inicial foi o mesmo e o desfecho foi bem semelhante: ele desperdiçou. Marrony hesitou no momento de bater, tentou driblar e o goleiro Vinicius abafou o atacante. Duas chances perdidas que poderiam definir, de vez, o confronto.

Com o cansaço, o ímpeto de ambos diminuiu, mas, mesmo assim, houve um lance perigoso (ou melhor, inusitado) nos minutos finais. Aos 46, em saída de bola atleticana, Réver foi pressionado e recuou para Everson. No entanto, o recuo do zagueiro do Galo foi muito ruim, tinha a direção do gol e o arqueiro do Atlético fez um milagre para dominar e tirar a bola dali. Quase que o “Capitão América” entregou um gol no apagar das luzes, mas Everson salvou, dando números finais à partida: 2 a 0 no Baenão e missão cumprida.

O Atlético volta a campo no próximo domingo, 06, às 20:30, contra o Sport, na Ilha do Retiro, pelo Brasileirão.

Números da partida
Remo x Atlético

62% Posse de bola 38%
20 Finalizações 11
2 Finalizações no gol 7
7 Escanteios 4
2 Impedimentos 3
9 Faltas 15
435 Passes 452
408 (93,8%)Passes certos 411 (90,9%)
Fonte: SofaScore.com

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.