Pikachu bate Hulk, Atlético decepciona e perde para o Fortaleza por 2 a 1 no Mineirão

Foto: Pedro Souza / Atlético

Há tempos não era possível ver um 2º tempo tão desastroso do Clube Atlético Mineiro. Em resumo, o Galo fez um jogo ruim por causa do bom 1º tempo da equipe mineira, onde abriu o placar, criou algumas chances e jogou futebol. No entanto, os 45 minutos finais do time de Cuca foram horrorosos, finalizou apenas uma vez – e para fora – nos primeiros 40 minutos da etapa final e só acertou o gol adversário na 2ª parte na cobrança de falta de Hulk. Enquanto isso, a estratégia do técnico Juan Pablo Vojvoda deu muito certo, o time conseguiu neutralizar todos os bons jogadores atleticanos e teve um personagem vencedor: ambos marcaram gols, mas Pikachu fez dois e venceu a batalha contra Hulk.

Neste domingo, 30, o Atlético recebeu o Fortaleza, no Mineirão, e perdeu por 2 a 1, justamente na estreia do Campeonato Brasileiro de 2021. O resultado deu vantagem para o Fortaleza no retrospecto, visto que o Leão do Pici alcançou a 6ª vitória em 13 duelos com o Galo, deixando o time mineiro com apenas cinco triunfos.

Com o resultado, o Fortaleza irá terminar a 1ª rodada do Brasileirão entre os primeiros colocados. Atualmente, apenas Bahia e Fortaleza venceram os seus jogos e o time cearense está atrás da equipe baiana por causa do saldo de gols. Enquanto isso, o Atlético está na zona do rebaixamento ao lado do Santos, a outra única equipe que foi derrotada, até então, nesta rodada inaugural. Obviamente, as posições não fazem tanta diferença neste momento. O importante é que o Leão somou três pontos na 1ª rodada, enquanto o Galo decepcionou e não somou nenhum ponto em casa.

O jogo e as atuações individuais

Muitas pessoas podem afirmar que atuação é digna de ser esquecida, mas é necessário afirmar o contrário. O desempenho desta manhã de domingo deve ser usado como exemplo a não ser seguido. A marcação frouxa, os problemas de organização, a falta de efetividade e a baixa criatividade dos jogadores não podem se repetir em um time tão qualificado e com ambições tão grandes. O Atlético é um dos favoritos ao título do Brasileirão, mas não pode atuar desta forma contra um adversário que disputará em um patamar diferente.

Em síntese, um jogo ruim do time de Cuca. A saída de bola e a marcação estavam com problemas sérios e o Galo conseguiu orquestrar poucos ataques. Foi possível notar muito espaço para os adversários pelo meio e os bons arremates e tramas do Fortaleza aconteceram da região central do campo. O chute de Felipe na 1ª etapa, onde Everson fez a defesa, a finalização do mesmo volante no 2º tempo, quando o goleiro do Galo falhou e foi salvo pelo impedimento bem marcado, e a jogada de Robson para dar a assistência para Pikachu no 1º gol, aconteceram por causa do espaço concedido à frente da área, no centro. É necessário corrigir isso para disputar em alto nível.

Enfim, uma atuação que decepcionou todos os torcedores. O Fortaleza fez uma grande partida, o treinador fez escolhas perfeitas e mereceu a vitória, mas, com todo o respeito ao Leão, o Atlético não pode perder pontos para times inferiores dentro de casa. O desempenho coletivo deixou a desejar, faltou organização e o time de Cuca carece por melhorias, pois irá enfrentar várias equipes que pressionam como o Fortaleza e a equipe deve ter estratégia para sair desta pressão. Hoje e em alguns jogos anteriores, o Atlético não mostrou tranquilidade para fugir da marcação alta dos adversários.

Atlético x Fortaleza

Sabendo da importância de começar com o pé direito no Brasileirão, Cuca escalou a sua escalação principal. As novidades foram algumas ausências no banco de reserva: Diego Tardelli lesionado no penúltimo dia de contrato, Eduardo Sasha com tendinite e Keno com lesão na coxa ficaram fora. Por isso, o Atlético entrou em campo com Everson; Guga, Rabello, Alonso e Arana; Allan, Tchê Tchê e Nacho Fernández; Savarino, Hulk e Marrony.

O 1º tempo

Jogo intenso, mesmo com o calor

Os dois times começaram em cima, pressionando a saída de jogo do adversário e mostrando muita intensidade desde o minuto inicial. E em um destes momentos de pressão, o Atlético quase marcou. Aos 8, Allan interceptou uma saída errada do Fortaleza, viu que Felipe Alves estava fora do gol e tentou chapar no contrapé do goleiro. No entanto, o chute de Allan não contou com muita força e o arqueiro do Leão fez a defesa, em ótima recuperação.

O Atlético ainda chegou duas vezes com perigo na primeira metade do tempo inicial. Aos 12, Guilherme Arana recebeu passe de Guga e arriscou de fora da área. O chute foi bom e Felipe Alves fez outra boa intervenção. Já no minuto 21, Hulk recebeu pela esquerda, tocou para Marrony e o camisa 38 arriscou na entrada da área. Assim como na tentativa de Allan, o chute de Marrony não teve capricho e, desta vez, foi para fora.

Conseguindo se defender bem, o Fortaleza escapou e levou perigo aos 18. O criador da equipe, Lucas Crispim, recebeu na esquerda e tocou para Robson. O atacante, que disputou o último Brasileirão pelo Coritiba, entrou na área, teve o melhor ângulo fechado por Igor Rabello e, mesmo assim, Robson arriscou de perna esquerda, mas a bola foi para fora.

Hulk apareceu

O jogo esfriou um pouco, algo esperado visto o forte calor no Mineirão – é importante ressaltar que a partida foi disputada a partir das 11 da manhã. Mesmo com a alta temperatura, o artilheiro atleticano resolveu aparecer. Aos 35, em ótima trama de primeira do ataque do Galo, Hulk fez o pivô, Nacho tocou para Savarino e o venezuelano cruzou para o camisa 7 do Galo. A bola foi muito boa e Hulk recebeu livre, mas o artilheiro bateu “mascado” e a bola subiu.

No entanto, pelo mesmo lado do campo – a parte esquerda -, Hulk recebeu um ótimo passe de Marrony e entrou na área. O atacante tentou driblar Titi e o zagueiro do Fortaleza foi com o braço em Hulk, derrubando o artilheiro. O árbitro assinalou pênalti e, sob muitas reclamações do time nordestino, o VAR revisou a jogada. O comentarista de arbitragem do Premiere, Sandro Meira Ricci, afirmou que houve contato, mas não teve intensidade para Hulk ser derrubado, ou seja, o pênalti não deveria ter sido marcado, na opinião do ex-árbitro. Mesmo assim, o árbitro confirmou a penalidade máxima, Hulk pegou a bola e cobrou muito bem: Felipe Alves pulou para o seu lado esquerdo e a bola foi no canto direito do goleiro. Uma bela cobrança e o 1º gol atleticano no Brasileirão: 1 a 0 no placar.

Com desvantagem no marcador, o Fortaleza tentou chegar nos minutos finais e levou perigo à meta de Everson aos 44. O volante Felipe arriscou da intermediária, o chute tinha direção e Everson fez uma grande defesa para evitar o gol do Leão do Pici. No escanteio seguinte, Daniel Guedes cobrou, Tinga subiu bastante e cabeceou. A bola foi para fora, finalizando uma movimentada 1ª etapa.

O 2º tempo

Só um time voltou

A 2ª etapa começou, o Fortaleza colocou Yago Pikachu em campo e só o time que fez substituição entrou em campo. O Atlético não conseguiu fazer nada e assistiu 15 minutos perfeitos do Fortaleza.

Logo no 1º minuto, Robson recebeu na esquerda e cruzou para a área. Igor Rabello desviou e, por isso, Matheus Vargas, mesmo dentro da área, não conseguiu finalizar: a bola bateu no camisa 95 do Fortaleza e saiu pela linha de fundo. Aos 8, após lançamento, Wellington Paulista desviou de cabeça e achou Yago Pikachu nas costas da defesa. O ex-jogador do Vasco foi abafado por Everson, bateu rasteiro e Igor Rabello tirou a bola que iria balançar as redes. Entretanto, o bandeirinha marcou, corretamente, o impedimento.

Com amplo domínio, o Fortaleza chegou novamente. Aos 10, o volante Felipe estava bem livre e arriscou de fora da área. O goleiro Everson caiu para fazer a defesa, falhou, espalmou para o lado e Robson chegou batendo, balançando as redes. No entanto, o auxiliar marcou, novamente, o impedimento e anulou o gol de forma correta.

“Água mole, pedra dura, tanto bate até que fura”: o ditado correspondeu a este momento do jogo, onde o Fortaleza estava tentando e o gol – legal – era questão de tempo. E aconteceu no minuto 14. Após roubar a bola, Robson avançou com muita liberdade no meio e deu uma ótima assistência para Yago Pikachu. O camisa 22 entrou na área, bateu forte e no alto, e Everson não conseguiu fazer nada: um belo gol do Fortaleza e 1 a 1 no placar do Mineirão.

Muitas substituições e um gol no apagar das luzes

Após o gol de empate do Fortaleza, o jogo ficou mais tenso e os dois times não conseguiram ser agressivos. Ambas as equipes modificaram a sua escalação inicial no meio da 2ª etapa. Sávio e Zaracho, depois Nathan e Vargas e, por fim, Hyoran entraram na equipe atleticana, enquanto o Fortaleza, após colocar Yago Pikachu, optou por Bruno Melo, Deivid, Matheus Jussa e Romarinho.

O Atlético só acertou uma finalização no gol na 2ª etapa e esta tentativa aconteceu em uma bola parada. Aos 43 da 2ª etapa, Hulk sofreu uma falta na intermediária e o próprio cobrou, mesmo de longa distância. O chute do atacante foi muito bom, tinha direção e Felipe Alves fez uma grande defesa. Dois minutos depois, Sávio fez boa jogada na direita, tocou para Eduardo Vargas e o chileno deu um lindo drible em Benevenuto. Dentro da pequena área, Vargas tentou bater e foi travado por Tinga, defensor do Fortaleza que fez ótima partida.

Com a necessidade de vencer em casa, o Atlético foi com tudo nos minutos finais e tentou fazer um gol no “abafa”. No entanto, a equipe deixou a defesa aberta e levou um gol fatal. Aos 48, após bola parada atleticana, Yago Pikachu foi lançado, teve muito espaço e chegou livre dentro da área, mais uma vez. Em um novo chute indefensável, Pikachu marcou o seu 2º gol e decretou a vitória do Fortaleza: 2 a 1 para o Leão do Pici na casa do Galo.

O fim do jogo

O Atlético não foi vazado por quase 500 minutos. O Galo esteve invicto por mais de dez jogos. O time de Cuca foi campeão do estadual e fez a melhor campanha da Libertadores. Mesmo assim, a equipe não se mostrou completamente pronta para os grandes objetivos que ainda virão nesta temporada e isso ficou evidente nesta manhã. O forte calor e o desgaste podem ser boas justificativas, porém, como dito pelo próprio Guilherme Arana, em entrevista ao Premiere após o jogo, a verdade é que o Atlético não jogou nada. Ajustes são necessários e devem ser feitos urgentemente!

O Atlético volta a campo na próxima quarta-feira, 02, às 19:30, contra o Remo, fora de casa, pela Copa do Brasil.

Números da partida
Atlético x
Fortaleza
54% Posse de bola 46%
13 Finalizações 18
4 Finalizações no gol 5
5 Escanteios 4
2 Impedimentos 3
16 Faltas 19
399 Passes 330
327(82%)Passes certos 272(82%)
Fonte: SofaScore.com

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Comentários

Subscribe
Notify of
guest
3 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Claúdio Rodolfo

Cuca conseguiu tomar aula de tática do treinador do modesto Fortaleza…

Parabéns aos envolvidos.

Divino Martins

O galo só tem um zagueiro,o Alonso,sem zagueiro é impossível se defender,ou compra um zagueiro ou vai ser igual o campeonato passado,faz 5 gols e toma 6.

patrick meira

Com uma zaga horrorosa , vai é juntar ao Cruzeiro.