É dia de final estadual! América e Atlético se enfrentam no Independência em clássico com várias curiosidades

Último jogo disputado no Independência entre as equipes: semifinal do Mineiro de 2020. Foto: Pedro Souza / Atlético

O Campeonato Mineiro indicou os seus dois melhores times desde as rodadas iniciais. América e Atlético estiveram nas primeiras posições desde as primeiras partidas, terminaram em 2º e 1º na fase inicial, respectivamente, e disputarão a final a partir deste domingo. O estadual de Minas Gerais será decidido pelos dois times que disputam a elite do futebol brasileiro – veja uma matéria sobre os outros estaduais – e o Coelho e o Galo protagonizarão mais um grande capítulo da mais antiga rivalidade do estado. Um grande jogo que traz várias curiosidades!

Neste domingo, 16, América e Atlético se enfrentam no Independência, às 16 horas, no horário nobre do futebol brasileiro, ou seja, terá transmissão da TV Globo Minas.

O jogo é válido pela 1ª partida da final do Campeonato Mineiro de 2021 e o Galo tem a vantagem de jogar por dois empates ou uma vitória e uma derrota pelo mesmo saldo, visto que o time de Cuca terminou a fase inicial na liderança.

As curiosidades

América e Atlético carregam uma linda história há quase 110 anos. O primeiro jogo entre os times aconteceu em 15 de novembro de 1913 e os times travaram diversas batalhas importantes em solo mineiro. O Galo tem uma larga vantagem nos retrospecto e possui esta curiosidade como mantra. No entanto, o Coelho se orgulha de ter sido mais vezes campeão com o Atlético como vice, ou seja, quando os dois são os times mais fortes, o América tem vantagem na história.

Um ergue a taça e o outro bate na trave

O Campeonato Mineiro já teve diversos formatos e diferentes participantes durante a sua história. Porém, em grande parte das mais de 100 edições do estadual, América e Atlético estiveram entre as equipes mais fortes. Dentre estas edições, em 17 oportunidades, um rival ficou com a 1ª colocação e o adversário ficou em 2º. E é nesta questão que o Coelho tem vantagem.

  • 1916: América campeão; Atlético vice;
  • 1917: América campeão; Atlético vice;
  • 1918: América campeão; Atlético vice;
  • 1921: América campeão; Atlético vice;
  • 1923: América campeão; Atlético vice;
  • 1927: Atlético campeão; América vice;
  • 1939: Atlético campeão; América vice;
  • 1942: Atlético campeão; América vice;
  • 1948: América campeão; Atlético vice;
  • 1949: Atlético campeão; América vice;
  • 1958: Atlético campeão; América vice;
  • 1993: América campeão; Atlético vice;
  • 1995: Atlético campeão; América vice;
  • 1999: Atlético campeão; América vice;
  • 2001: América campeão; Atlético vice;
  • 2012: Atlético campeão; América vice;
  • 2016: América campeão; Atlético vice;
  • 2020: América e Atlético na final.

Após 17 edições encerradas com os dois clubes de BH nos primeiros lugares, o América tem uma curta vantagem. Em nove oportunidades, o Coelho foi campeão e deixou o Atlético na 2ª colocação. Já o Galo ergueu a taça frustrando os americanos que ficaram com a medalha de prata oito vezes, ou seja, a final deste ano pode servir para o Atlético empatar neste quesito.

Esta será a 18ª vez que o Mineiro terminará com os dois times nas primeiras colocações e o Atlético pode acabar com a vantagem, mas o América está focado em buscar o 10º título deixando o Galo em 2º. O curioso é que o América conquistou 16 taças, ou seja, em nove dos 16 títulos, o time mais forte que ficou para trás foi o Atlético.

O retrospecto

O americano irá tentar se agarrar a mais uma possibilidade de deixar o Atlético como vice-campeão, enquanto o atleticano tem o retrospecto histórico e recente ao seu favor. Os números são tão desnivelados que, se vencer o primeiro jogo, o Galo irá alcançar um feito raríssimo em grandes clássicos: 50% dos confrontos serão vencidos pelo lado alvinegro.

Em resumo, o clássico entre América e Atlético já foi disputado 411 vezes e o Galo venceu 205 jogos, ou seja, se vencer, chegará ao 206º triunfo em 412 jogos – metade dos clássicos. Já o América venceu o clássico em 104 oportunidades e houve empate em 102 duelos.

Além desta boa vantagem no histórico desde o primeiro clássico, o qual foi disputado há mais de 100 anos, o time alvinegro carrega bons números nos confrontos recentes também. O Atlético venceu oito dos últimos 10 confrontos, sendo que os outros dois jogos não vencidos terminaram em empate. A última vitória do América aconteceu em 2016, justamente na última final de Mineiro disputada entre os times. A coincidência irá quebrar este tabu americano de 14 jogos sem vencer o rival ou o Atlético seguirá com os bons números?

O momento dos times

Os rivais chegam na decisão estadual em ótima forma e carregam uma grande coincidência: ambos foram derrotados pela última vez em 11 de abril. Desde então, as equipes não perderam, melhoraram o seu futebol e estão mais preparadas para o Brasileirão que inicia no fim do mês.

O América venceu as últimas quatro partidas e leva cinco jogos invictos, incluindo o duelo com o Ferroviário-CE, em 14 de abril, onde o Coelho se classificou na Copa do Brasil mesmo empatando. Desde então, o time de Lisca venceu quatro jogos consecutivos, marcou 12 gols, sofreu apenas dois e vive o seu melhor momento no ano.

Já o Atlético perdeu pela última vez no clássico contra o Cruzeiro, em 11 de abril, e, desde então, vive ótima fase, mesmo disputando duas competições e vários jogos. Neste intervalo, o Galo fez oito partidas, venceu em seis oportunidades e duas partidas ficaram empatadas. Desde aquela última derrota, 35 dias atrás, o Galo marcou 17 gols e o artilheiro Hulk foi responsável por seis destes tentos.

As escalações

Os dois times não apresentaram novos desfalques para esta partida e a tendência é que o América tenha força máxima, enquanto o Atlético pode colocar um time misto em campo devido à rotina intensa de jogos pela Libertadores.

Com mais uma semana livre, Lisca teve tranquilidade para montar o seu time e a única dúvida é sobre a sua escolha na ponta. Bruno Nazário foi titular nas duas vitórias frente ao Cruzeiro, mas Ademir marcou um gol e deu uma assistência saindo do banco nos triunfos por 2 a 1 e 3 a 1 sobre a Raposa e pode ganhar a titularidade.

Provável escalação: Matheus Cavichioli; Diego Ferreira, Anderson, Eduardo Bauermann, João Paulo; Zé Ricardo, Juninho, Alê; Ademir (Bruno Nazário), Rodolfo, Felipe Azevedo. Técnico: Lisca.

Já o Atlético está jogando há quase um mês a cada três dias e o desgaste preocupa o treinador Cuca. Por isso, nas últimas partidas do Mineiro, incluindo a semifinal contra o Tombense, o técnico mandou a campo um time misto. Mesmo com a importância da final, existe a possibilidade do forte elenco atleticano ser rodado para estar preparado para o jogo da Libertadores. A grande novidade que pode surgir no banco de reservas é Matías Zaracho, já que o argentino se recuperou e treinou normalmente neste sábado, 15.

Provável escalação: Everson; Mariano, Rever, Alonso (Gabriel), Dodô; Allan, Tchê Tchê, Nacho Fernández (Nathan); Vargas, Diego Tardelli, Sasha (Hulk ou Savarino). Técnico: Cuca.

América x Atlético

1ª partida da final do Campeonato Mineiro de 2021
15/05/2021, 16:00 horas, Independência
Transmissão: Globo Minas e Premiere
Árbitro: Wanderson Alves de Souza (MG)
Assistentes: Ricardo Junio de Souza (MG) e Frederico Soares Vilarinho (MG)

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.