Em 15 anos, não há final do Mineiro sem o Atlético! Galo mostra sua tradição e se classifica após empate com Tombense

A comemoração do gol de Sasha, o primeiro com o terceiro uniforme do Galo. Foto: Pedro Souza / Atlético

Desde 2007, existe uma certeza dentro de Minas Gerais: o Atlético será finalista do Campeonato Mineiro. Após uma vitória por 3 a 0 e um empate por 1 a 1 neste sábado, 08, o Galo alcançou a sua 15ª final consecutiva e entrará em busca do 46º título da sua história. A tradição ganha novos capítulos e o Atlético chegará em mais uma final de Mineiro como favorito à conquista!

Neste sábado, 08, o Atlético apenas empatou com o Tombense por 1 a 1 no Mineirão, em jogo válido pela partida de volta da semifinal do Campeonato Mineiro de 2021. No entanto, o placar não pode ser considerado ruim, visto que o Galo se classificou com muita tranquilidade devido à vitória no jogo de ida, onde o time de Cuca derrotou o rival por 3 a 0.

Com o resultado, o Atlético é finalista do estadual pela 15ª vez consecutiva, dando sequência ao ótimo momento: desde 2007 disputa a decisão estadual e é o único clube brasileiro que está ostentando este feito no atual momento. Teoricamente, as finais do Mineiro acontecerão nos próximos domingos, dias 16 e 23, às 16 horas – a FMF deve confirmar em alguns dias estes horários. Já o adversário será descoberto apenas neste domingo, quando América e Cruzeiro se enfrentam no Independência.

O jogo e as atuações individuais

Como dito anteriormente, o placar não pode ser considerado ruim, já que o clube teve tranquilidade e conseguiu se classificar por causa da ótima vitória do jogo de ida. Porém, a atuação deve ser taxada como ruim. Mesmo com uma escalação alternativa, o Atlético conta com jogadores caros, talentosos e o futebol que foi visto nesta tarde no Mineirão não condiz com estes adjetivos empregados aos atletas. O time mostrou ímpeto ofensivo apenas nos minutos iniciais e não conseguiu se impor contra um rival mais modesto.

O desempenho coletivo foi ruim, as atuações individuais também e o jogo foi muito fraco tecnicamente. O Atlético apresentou pouquíssimas construções ofensivas e o padrão de jogo esperado não foi visto. Obviamente, a questão da falta de entrosamento deste time “alternativo” pode ser uma justificativa para a atuação, mas alguns erros em fundamentos básicos e na organização das jogadas não podem seguir acontecendo. É importante ressaltar que a temporada é longa e esta formação “mista” deve entrar em campo mais vezes.

Enfim, o Atlético não fez uma grande partida e, claramente, estava tranquilo por causa da vantagem já estabelecida no jogo anterior. Mesmo assim, o Galo poderia e deveria ter atuado em um nível superior.

Atlético x Tombense

Como esperado, o Atlético colocou em campo um time alternativo e bem modificado em relação à formação que venceu o Cerro Porteño-PAR. Cuca optou por Matheus Mendes, Mariano, Réver, Igor Rabello e Dodô; Allan, Jair e Hyoran; Sávio, Eduardo Sasha e Diego Tardelli.

O primeiro tempo

O Atlético começou a partida em cima e, rapidamente, abriu o placar. Aos 7, Hyoran, meio-campista que atuou pela esquerda, foi ao fundo e fez o cruzamento. O zagueiro Wesley abafou a tentativa e cedeu o escanteio para o Galo. Na cobrança, o próprio Hyoran colocou a bola na cabeça de Eduardo Sasha, atacante que estava livre na pequena área. O cabeceio do camisa 18 na primeira trave foi forte, no contrapé do goleiro Felipe Garcia, e o arqueiro sequer teve reação. 1 a 0 para o Atlético logo nos minutos iniciais.

Mesmo com uma formação alternativa, o time alvinegro contava com jogadores talentosos e o domínio continuou acontecendo. Aos 11, após Jair pressionar a saída de bola do Tombense, o volante acelerou pelo meio, tocou para Hyoran e o camisa 20 do Galo bateu de esquerda, dentro da área. O chute de Hyoran não foi tão forte e Felipe Garcia fez a defesa com certa tranquilidade.

Seis minutos depois, aos 17, Mariano foi ao fundo e fez o cruzamento para a área. A bola passou por todos e sobrou para Diego Tardelli na segunda trave. O atacante fez o cruzamento da esquerda e encontrou a cabeça de Réver, mas a tentativa do zagueiro subiu demais.

O jogo ficou bem sem graça nas ações ofensivas e esquentou bastante nas faltas. Diego Tardelli e Jair receberam cartões amarelos na 1ª etapa, mas a falta do atacante atleticano foi bem dura e correu o sério risco de ser punido com o cartão vermelho. Enfim, o duelo ficou parado, sem nenhuma boa construção ofensiva e foi se arrastando até o fim do 1º tempo.

O segundo tempo

O 2º tempo iniciou com a saída de Sávio para a entrada de Vargas. Durante a etapa final, Cuca colocou Alan Franco, Gabriel, Marrony e Nathan, a fim de dar ritmo de jogo a estes jogadores. Mas, mesmo com o forte elenco atleticano, quem marcou gol nos 45 minutos finais foi o Tombense .

Aos 9, o Tombense arriscou e, pela primeira vez na partida, obrigou o goleiro Matheus Mendes a fazer uma defesa. O artilheiro do Mineiro, Keké, chutou forte de fora da área e o arqueiro, em dois tempos, fez a defesa. No minuto 24, o mesmo Keké aproveitou a pressão bem exercida na saída de jogo atleticana e finalizou da entrada da área. O chute foi bom, mas Matheus Mendes pulou e fez outra boa intervenção. Porém, o jovem goleiro do Galo não conseguiu evitar o gol do Tombense aos 33.

Mesmo com a classificação já, praticamente, decidida, o Tombense atacou e chegou ao seu gol de honra no confronto. O meio-campista Jean Lucas acelerou pelo meio e deu um ótimo passe nas costas de Dodô após ver a passagem de Caíque. Réver tentou tirar de calcanhar, mas não conseguiu, deixando o atacante do Tombense com liberdade para entrar na área. O goleiro Matheus Mendes tentou abafar, mas Caíque tocou com muita qualidade, encobrindo o arqueiro: 1 a 1 no placar.

A única boa chegada atleticana no 2º tempo aconteceu no minuto 21, quando o placar ainda indicava 1 a 0 para o Galo. O lateral Mariano fez ótimo cruzamento e encontrou Tardelli livre, mas o camisa 9 errou a direção do chute e isolou. Na sequência, Vargas roubou a bola na saída de jogo do Tombense, Nathan arriscou e a bola foi bloqueada. No rebote dentro da área, Allan chutou de primeira e a finalização levou perigo. O goleiro Felipe Garcia fez uma grande defesa, evitando o gol atleticano.

O fim do jogo

Foram feitas críticas ao nível apresentado nesta partida porque todos sabem o potencial deste elenco atleticano. Vários jogadores foram poupados, mas, mesmo assim, o Atlético colocou em campo uma formação muito forte. A cobrança existe com o intuito de alcançar feitos maiores para o clube, o qual deseja vencer títulos nesta temporada e necessitará do seu elenco. No Mineiro, o Atlético é finalista após ótima campanha e é o favorito ao título. O time merece chegar neste posto, mas carrega a obrigação de erguer a taça e melhorar algumas atuações. O momento segue bom, porém é necessário sempre cobrar evolução de um time tão promissor. Ao trabalho, Atlético!

O Galo volta a campo na próxima quinta-feira, 13, às 21 horas, contra o América de Cali-COL, na Colômbia.

Números da partida
Atlético x Tombense

52% Posse de bola 48%
11 Finalizações 9
3 Finalizações no gol 4
7 Escanteios 6
4 Impedimentos 1
12 Faltas 13
489 Passes 320
467(95,5%) Passes certos 284(88,8%)
Fonte: Footstats

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Comentários

Subscribe
Notify of
guest
4 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
mineirinho

Enquanto isso , o Bi Campeonato vai ficando pra : quem sabe um dia ?

Observador

Em termos de bi as marias vão além dos títulos né!!! Tem um bi da B ……kkkkkkk

mineirinho

Pra quem é monotitulo ta muito bom. Ne? Falando em titulos , ja fomos ultrapassados pelo time das frangas. Mais de 1 BI LHAO

romulo

Deviam fazer o campeonato mineiro com 11 times e mantendo a atual estrutura de semifinal e final; quem ganhasse a final teria o direito de medir forças com o Galo pra ver se será campeão ou não. Ah, mas isso é mta prepotência, dirão alguns; mas não é isso o q tem, de fato, acontecido nos últimos 15 anos? Fica a dica!!! rsrs