Uma dupla decidiu a goleada no Mineirão: “SavaHulk” brilha e o líder Atlético vence o Cerro Porteño por 4 a 0

Foto: Twitter do Mineirão

Pela primeira vez na história, o Atlético bateu o Cerro Porteño no Brasil e a vitória foi marcante. O Galo não teve dificuldades, atropelou o Ciclón e o placar deixou isso claro: 4 a 0 no marcador do Mineirão. E esta ótima atuação atleticana passa pelos pés da dupla “SavaHulk”. Os atacantes Savarino e Hulk foram os destaques da partida, marcaram os três primeiros gols e, certamente, ganharam muitos aplausos da massa atleticana que estava em casa, empolgada com o melhor desempenho do seu time na atual temporada.

Nesta terça, 04 de maio, o Atlético venceu o Cerro Porteño-PAR por 4 a 0 no Mineirão. A partida foi válida pela 3ª rodada da fase de grupos da Libertadores 2021 e o placar elástico atleticano foi conquistado a partir dos gols de Hulk (duas vezes), Savarino e Vargas.

Com o resultado, o Atlético assumiu a liderança do grupo H da Libertadores e abriu uma vantagem considerável. O Galo conquistou sete pontos em nove disputados e está três pontos à frente do Cerro Porteño, rival que pode até perder a 2ª posição nesta rodada. O Deportivo La Guaira-VEN está em 3º e fez dois pontos nas duas primeiras partidas. E, nesta quinta, 06, o time venezuelano enfrenta o lanterna do grupo, o América de Cali-COL, na Venezuela.

O jogo

A melhor atuação do time de Cuca. Para muitos, a melhor apresentação do Galo na atual temporada e até mesmo no ano de 2021. O Atlético fez uma ótima partida, derrotou o adversário mais forte do grupo de forma acachapante e merece muitos elogios. A atuação, mesmo com uma desorganização no meio-campo, demonstrou um padrão de jogo melhor e a tão prometida evolução. O time atleticano está longe de estar pronto para a temporada, mas está com a classificação encaminhada para a fase de mata-mata da Libertadores e alguns jogadores estão ainda mais à vontade.

Foram dois gols roubando a bola no campo adversário – Savarino no 1º e Nacho Fernández no 3º-, mas foram dois gols que contaram com belos passes na trama – Tchê Tchê e Savarino no 2º e Guilherme Arana no 4º gol. Ou seja, o Atlético apresentou variação nas tramas ofensivas, teve triangulação e conseguiu explorar os seus pontos mais fortes. A única questão tática negativa foi a organização do meio-campo, principalmente na parte defensiva, quando a marcação não encaixava e alguns jogadores, como Tchê Tchê, ficavam perdidos.

As atuações individuais

O grande ponto destacável da partida é o surgimento e o brilho de uma dupla: “SavaHulk”. O venezuelano Savarino e o brasileiro Hulk marcaram os três primeiros gols, se movimentaram muito e justificaram as suas titularidades. Atualmente, os dois atletas são peças fundamentais do Atlético e mereciam dividir o prêmio de melhor da partida – Hulk foi o escolhido pela Conmebol.

Já Nacho Fernández merece destaque porque é um jogador que atua para o time. O argentino não participou diretamente de nenhum dos gols, mas esteve envolvido em quase todos, além de correr todo o campo e estar sempre no lugar certo para organizar o Atlético. Nacho é diferenciado. Outro atleta que foi bem foi Tchê Tchê, já que fez uma ótima partida ofensiva, mesmo com problemas na recomposição. Enfim, o Atlético mereceu golear, jogou muito bem e a atuação foi excelente.

Atlético x Cerro Porteño-PAR

O Galo de Cuca entrou bem desfalcado: Calebe, Marrony, Rafael e Zaracho estão machucados e o meio-campista Nathan estava suspenso neste duelo. Por isso, o Atlético contou com Everson, Guga, Igor Rabello, Alonso e Arana; Allan, Tchê Tchê e Nacho Fernández; Savarino, Hulk e Keno.

O primeiro tempo

Galo forte desde o início

O Atlético entrou em campo com muita intensidade e, rapidamente, abriu o placar. Aos 7, o volante e capitão Villasanti falhou bisonhamente: o camisa 20 do Cerro estava apertado e optou pelo recuo para o goleiro Jean, porém Savarino foi muito esperto e interceptou o passe. O venezuelano estava com liberdade dentro da área, mas foi abafado pelo arqueiro do Cerro e fez um cruzamento rasteiro, buscando alguém na área. O mesmo Villasanti tirou a bola e deu nos pés de Hulk. O camisa 7 do Galo dominou dentro da grande área, driblou, levou para a perna direita e bateu no canto esquerdo de Jean. Um chute rasteiro e indefensável e mais um gol de Hulk: 1 a 0 no placar graças ao gol do camisa 7 aos 7 do 1º tempo.

Mesmo com a vantagem, o Galo quase chegou novamente e, mais uma vez, com o seu “vingador”. Aos 13, Keno deu um lindo passe de trivela para Hulk e o atacante acelerou nas costas da defesa do Cerro. Hulk ganhou na dividida, entrou na área e, ao não ser egoísta, perdeu uma grande chance. O artilheiro do Galo estava frente a frente com o goleiro Jean, mas optou pelo passe para o meio, buscando um companheiro. Savarino e Keno estavam entrando, porém não conseguiram alcançar e a defesa do time paraguaio afastou o perigo.

O mandante do confronto continuou em cima e houve um lance parecido com a jogada do gol de Hulk. Aos 17, Savarino cruzou da direita e a defesa do Cerro Porteño rebateu para a entrada da área. Desta vez, Patiño que tirou para o meio e Nacho Fernández foi o atleticano que aproveitou a sobra. O armador do Galo dominou e arriscou de fora da área. O goleiro brasileiro Jean espalmou.

Jogo esfriou, porém a dupla “SavaHulk” apareceu

O jogo esfriou e não teve grandes chances por um bom tempo. Mesmo sem tanto ímpeto ofensivo, o Atlético impediu qualquer trama do Cerro no 1º tempo, tanto que o time paraguaio finalizou só quatro vezes nos 45 minutos iniciais e todas as finalizações foram feitas de fora da área, além de Everson não ter feito nenhuma defesa.

O Galo chegou com perigo aos 29, em jogada de Tchê Tchê e finalização de Hulk. O chute do camisa 7 foi bloqueado. No minuto 31, Igor Rabello lançou Guga e o lateral-direito finalizou forte, com direção do gol. O arqueiro do Cerro fez a defesa e a bola sobrou para Arana, só que o outro ala atleticano dividiu com o adversário e não conseguiu chutar. Aos 41, após grande jogada de Tchê Tchê, Keno perdeu uma boa chance ao errar um cruzamento para Savarino.

No entanto, Hulk estava iluminado e marcou mais um gol antes do apito final. No minuto 46, Tchê Tchê fez um lindo lançamento para Savarino na ponta-direita e o venezuelano encontrou Hulk com uma bela cavadinha. O camisa 7 do Atlético só teve o trabalho de empurrar para as redes com a cabeça. 2º gol do Galo, 2º gol de Hulk na noite e 4º do atacante na Libertadores: 2 a 0 para o Atlético ao fim do 1º tempo.

O segundo tempo

Travessão do Galo e ligeira melhora do Cerro

O Atlético voltou para o 2º tempo com uma modificação: Jair entrou no lugar do amarelado Allan. E logo na retomada da partida, o Atlético chegou muito próximo de ampliar o placar. No 1º minuto, Hulk tocou para Nacho Fernández e o argentino cruzou, mas a bola desviou. Com essa mudança na trajetória, Savarino foi muito esperto e deu uma “puxeta” na bola, surpreendendo a defesa. O lindo lance do venezuelano obrigou Jean a fazer uma grande defesa. No rebote do goleiro, Tchê Tchê chutou forte e a bola explodiu no travessão.

Após um início bom do Atlético, o Cerro melhorou e equilibrou a posse de bola e as ações ofensivas. O time paraguaio tentou reagir e assustou o torcedor atleticano, na única chegada mais perigosa da equipe na partida. Aos 18, o brasileiro Matheus Gonçalves foi ao fundo, cruzou e a tentativa bateu em Alonso. Com isso, a bola aérea foi disputada, o atacante Morales subiu mais que o goleiro Everson e cabeceou. Felizmente para os atleticanos, Junior Alonso estava dentro do gol e salvou o seu companheiro Everson, já que o arqueiro havia falhado ao perder na jogada aérea para um atacante.

Savarino, presente!

O Cerro reagiu, mas o Atlético não deixou a equipe paraguaia gostar do jogo e tratou de aumentar a vantagem. Aos 28, Nacho Fernández pressionou a saída de jogo do adversário, roubou a bola e tocou para Tchê Tchê. O contestado volante atleticano deu uma linda assistência para Savarino dominar com muita liberdade nas costas da defesa. O venezuelano girou e bateu forte no canto direito de Jean. Um belo tento atleticano. Um grande gol de Savarino, destaque do Galo: 3 a 0 no placar do Mineirão.

E dois minutos depois, o Atlético chegou novamente. Aos 30, após uma intensa briga de Jair para roubar a bola do adversário, o Galo acelerou pelo meio e chegou muito próximo do 4º gol. O atacante Hulk fez um lindo passe para Savarino e o camisa 17 bateu cruzado novamente. Desta vez, Jean fez a defesa, mas espalmou nos pés de Keno. O ponta estava chegando em velocidade e chutou forte, porém acabou tirando demais da meta do Cerro, ou seja, o artilheiro da última temporada perdeu uma grande chance.

As substituições e a definição da goleada

Com a vantagem no placar, Cuca teve a possibilidade de fazer alguns testes nos minutos finais. Alan Franco, Diego Tardelli, Eduardo Sasha e Eduardo Vargas entraram em campo a partir dos 80 da 2ª etapa e o Galo ainda conseguiu decretar a goleada.

Aos 44, Diego Tardelli deu um lindo passe “de costas” para Vargas e o chileno bateu mal, visto que a bola foi pela linha de fundo. Porém, dois minutos depois, o camisa 10 do Galo balançou as redes. No minuto 46, Guilherme Arana fez um lindo cruzamento da esquerda e o atacante chileno cabeceou muito bem, sem chances para Jean. Gol de Vargas e chocolate atleticano: 4 a 0 no placar e apito final.

O Atlético volta a campo no próximo sábado, 08, às 16:30, contra o Tombense. A partida é válida pela volta da semifinal do Mineiro.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.