Sob pressão, com possíveis mudanças e ainda sem Cuca, Atlético enfrenta o América de Cali nesta noite no Mineirão

Foto: Pedro Souza / Atlético

A pressão existe no Atlético e está clara. A maioria da torcida está insatisfeita com o atual desempenho e uma parte da massa cobra a saída de Cuca. Com respaldo da diretoria e principalmente dos investidores, o treinador recém-chegado permanece no cargo e deseja demonstrar um futebol mais vistoso – coincidentemente, ele não estará em campo nesta noite por causa de uma suspensão. A estreia frente ao Deportivo La Guaira-VEN fez com que os torcedores ligassem o sinal de alerta, já que iniciar a fase de grupos da Libertadores com tropeços pode acarretar uma eliminação precoce. Por isso, o Atlético só deve ter olhos para a vitória nesta partida e a tendência é contar com mudanças no time titular.

Nesta terça, 27, às 19:15, o Atlético duela com o América de Cali-COL no Mineirão, em jogo válido pela 2ª rodada da fase de grupos da Copa Libertadores da América de 2021. Anteriormente, o jogo estava marcado para acontecer às 21:30, porém o horário foi alterado e o jogo terá transmissão exclusiva da Conmebol TV.

Os números e o momento

O grupo H da Libertadores começou com o Cerro Porteño, cabeça de chave, disparando na liderança. Na última semana, o time paraguaio venceu o América de Cali, na Colômbia, por 2 a 0 e disparou na liderança. Enquanto o América perdeu em casa, o Atlético foi até a Venezuela e empatou por 1 a 1, em grande partida do goleiro Éverson.

No entanto, as duas equipes entraram em campo no final de semana e a crise se instaurou no América de Cali. O time perdeu mais um jogo em casa e, desta vez, para um dos maiores rivais: o Millonarios-COL venceu por 2 a 1 e a equipe colombiana desembarcou em Belo Horizonte sob muita pressão. Já o Atlético colocou time alternativo na rodada do fim de semana e venceu o Athletic por 1 a 0, em uma atuação razoável da equipe de Cuca, principalmente no 1º tempo.

A pressão existe nos dois lados por causa do início ruim na Libertadores e por uma fase instável nas suas competições. Ao recortar os últimos oito jogos, é possível destacar que o Atlético perdeu duas partidas, sendo um clássico e um duelo com a Caldense, além do empate com o La Guaira. Enquanto isso, o América de Cali perdeu quatro das últimas oito oportunidades de estar em campo, ou seja, está sem confiança. Para piorar, nos últimos quinze pontos disputados, o América conquistou apenas quatro.

Outra estatística interessante do confronto para o Atlético é o histórico de jogos. As equipes se enfrentaram em quatro oportunidades, onde o Galo venceu duas vezes, houve um empate e o América só saiu vencedor no 1º duelo, em um 4 a 3 marcante em 1995 pela Copa Conmebol. Contra equipes colombianas, o time alvinegro disputou 16 partidas, ganhou nove, empatou quatro e perdeu apenas três vezes.

O Atlético com possíveis mudanças

É evidente que o Galo ainda pode melhorar muito, pois o seu elenco permite tal evolução. Porém, a mudança drástica não acontecerá de um dia para o outro e para modificar o estilo de jogo é necessário mudar algumas peças. E neste ponto, a torcida pede a entrada de um argentino: Matías Zaracho.

O meio-campista fez um ótimo início de temporada e estava em grande fase, mas foi pouco escalado após a chegada de Cuca. Zaracho entrou muito bem no jogo contra o Deportivo La Guaira-VEN, marcou o gol do empate e foi poupado no fim de semana, juntamente com o time titular, ou seja, existe a possibilidade de Zaracho ser titular contra o América de Cali. Sendo assim, Tchê Tchê ou Allan perderiam espaço nos onze iniciais.

Já no ataque, uma possível mudança está na referência. O Atlético não conta com nenhum camisa 9 raiz – jogador trombador, finalizador e que faz pivô -, visto que Diego Tardelli, Eduardo Sasha e Eduardo Vargas não se encaixam nessas características. No entanto, mesmo sendo ponta durante toda a carreira, Hulk fez um ótimo 1º tempo no último final de semana e se credenciou para jogar centralizado.

Além destas mudanças, Igor Rabello no lugar de Réver e a presença de Diego Tardelli e Jair no banco de reservas são possíveis surpresas da escalação do pressionado treinador atleticano. É importante destacar que Cuca não estará no banco de reservas, já que o técnico está suspenso pela Conmebol.

Provável escalação: Éverson; Guga, Réver (Rabello), Alonso, Arana; Tchê Tchê, Zaracho (Allan), Nacho Fernández; Savarino, Vargas (Hulk), Keno. Técnico: Cuca.

O América de Cali pressionado

Atual campeão do Campeonato Colombiano, o América de Cali está inserido em uma improvável crise neste início de Libertadores. Assim como o Atlético, os Diablos Rojos vivem um momento irregular e perdeu, em sequência, dois jogos em casa: contra o Cerro na Libertadores e um clássico gigante na Colômbia frente ao Millionarios, ou seja, precisa se recuperar urgentemente.

Em um grupo que conta com o Cerro Porteño e com o Atlético, o América entrou na Libertadores tentando surpreender e a expectativa dos seus torcedores é que os seus jogadores aprontem no Mineirão. Desfalcado do seu grande nome, Adrián Ramos, centroavante ex-Borussia Dortmund, o América de Cali tentará explorar as pontas com os ligeiros atacantes Santiago Moreno e Duván Vergara. Estes atletas tentarão explorar as costas dos laterais atleticanos e Arana e Guga devem ficar atentos.

Provável escalação: Graterol; Arrieta, Malagón, Ortiz, Héctor Quiñones; Luis Sánchez, Paz; Moreno, Cabrera, Vergara; Cabindo. Técnico:Juan Cruz Real.

Atlético x América de Cali-COL

2ª rodada da Copa Libertadores da América de 2021
27/04/2021, 19:15 horas, Mineirão
Transmissão: Conmebol TV
Árbitro:Daniel Fedorczuk (URU)
Assistentes: Richard Trinidad (URU) e Martin Soppi (URU).

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.