Hulk decide, Tchê Tchê falha e, mesmo sofrendo, Atlético vence o América de Cali por 2 a 1 no Mineirão

Foto: Reuters

Não era necessário tanto sofrimento. O Atlético mostrou a sua superioridade durante 75 minutos no confronto, marcou dois gols com Hulk, atleta que ganhou muita confiança após esse jogo, e estava com um resultado tranquilo. No entanto, um erro infantil de Tchê Tchê resultou em um gol do América de Cali e em lances perigosos que poderiam ter feito o time mineiro tropeçar dentro de casa, contra uma equipe bem inferior. O Atlético sofreu, suportou a pressão e pela primeira vez contou com a força completa do seu herói: o Hulk apareceu.

Nesta terça, 27, o Atlético venceu o América de Cali-COL por 2 a 1 no Mineirão, em jogo válido pela 2ª rodada da fase de grupos da Libertadores de 2021. Os gols da partida foram marcados por Hulk, em duas oportunidades, e por Luis Sánchez.

Com esse resultado, o Galo assumiu, pelo menos temporariamente, a liderança do grupo H da competição continental. Com quatro pontos, o time mineiro ultrapassou o Cerro Porteño-PAR, equipe que enfrenta o Deportivo La Guaira-VEN, em casa, nesta quarta, 28. Já o América de Cali é o lanterna do grupo com duas derrotas em dois jogos.

O jogo e as atuações individuais

Uma atuação boa em 75 minutos. Um desempenho desastroso nos minutos finais. Não é possível descrever a partida atleticana de outra maneira. O Galo fez um primeiro tempo bom, com amplo domínio, mas sem grandes construções. Na 2ª etapa, o Atlético voltou bem melhor, marcou dois gols e incomodou o goleiro Graterol, melhor jogador do adversário. No entanto, o erro de Tchê Tchê na saída de jogo, no minuto 31 do 2º tempo, colocou o Galo em um risco desnecessário. Felizmente para a massa atleticana, o time de Belo Horizonte segurou a vantagem e venceu dentro de casa.

O bom jogo coletivo da equipe mineira faz com que dois pontos sejam ressaltados. O primeiro é que, quando estiver 100, não faz sentido deixar Matías Zaracho no banco de reservas. Até se lesionar, o argentino era o grande nome do Atlético na partida. A expectativa atleticana é que Zaracho não tenha se machucado seriamente. O outro ponto a ser destacado é que a possibilidade de escalar Hulk como centroavante existe e Cuca deve utilizar isso nos próximos dias, visto que o camisa 7 foi muito bem na função e merece a titularidade a partir do próximo jogo. A título de exemplo, Vargas apareceu muito menos na 1ª etapa do que Hulk nos 45 minutos finais.

Como destaque positivo do Atlético, além do ótimo jogo coletivo e das partidas de Hulk e Zaracho, é necessário destacar mais uma grande atuação do zagueiro Igor Rabello. Seguro nas jogadas aéreas, no desarmes no chão e na saída de jogo, o defensor foi um dos destaques da partida e se mostrou mais preparado do que Réver para ser titular ao lado de Júnior Alonso. Savarino, principalmente no 2º tempo, Arana e Nathan, excluindo a expulsão desnecessária, também são jogadores que devem ser elogiados. Como ponto negativo, Tchê Tchê é unanimidade, visto que a falha do jogador foi bem infantil e colocou o Atlético em riscos nos minutos finais.

Atlético x América de Cali-COL

Como previsto no pré-jogo do Blog, o Atlético teve algumas mudanças na formação inicial. Além do argentino Zaracho, Cuca também colocou Igor Rabello e Mariano no time titular, ou seja, foram três mudanças na escalação em relação ao time que empatou com Deportivo La Guaira-VEN na primeira rodada. Então, no início do jogo, o Galo contou com Éverson, Mariano, Igor Rabello, Alonso e Arana; Tchê Tchê, Nacho Fernández e Zaracho; Savarino,Vargas e Keno.

O primeiro tempo

Início desanimado

O jogo começou bem sonolento. Aos 11, o América de Cali conseguiu chegar com Duván Vergara. O ponta habilidoso puxou contra-ataque, levou da esquerda para o meio e bateu de fora da área. A bola subiu demais. No lance seguinte, Savarino estava na esquerda e recebeu de Zaracho. O venezuelano arriscou de fora da área e a bola também foi para fora.

O Galo estava criando mais pelo lado esquerdo – Arana, Keno e Zaracho estavam deste lado – e Nacho Fernández arranjou uma falta no minuto 23 neste lado. O argentino foi derrubado e Savarino cobrou muito bem a infração. A bola do venezuelano foi em meia altura e Guilherme Arana desviou de cabeça. A tentativa do lateral atleticano foi no “pé da trave” e assustou a defesa do América de Cali.

Um pouco de emoção

Com amplo domínio da posse de bola, o Atlético apresentava dificuldade para chegar no gol adversário, mas os 15 minutos finais da 1ª etapa reservaram lances mais animados. Aos 30, Nacho bateu falta pela direita, Igor Rabello tentou e a bola bateu no marcador. O zagueiro atleticano permaneceu com a bola, encontrou Zaracho no meio da “bagunça” e o argentino bateu de primeira. O chute foi travado e sobrou para Keno. De fora da área, o camisa 11 levou para a perna direita e chapou no canto esquerdo de Graterol. O goleiro venezuelano buscou no canto e salvou o América de Cali.

No minuto 36 aconteceu um lance inusitado. Após jogada ensaiada tramada por Nacho e Alonso, Arana recebeu quase na linha de fundo e cruzou do jeito que foi possível. A bola subiu demais, mas foi uma jogada perigosa porque a tentativa de Arana foi na direção do gol. O zagueiro Igor Rabello dividiu com o arqueiro Graterol e o goleiro acabou jogando a bola contra o seu próprio travessão. Quase que o Atlético abriu o placar em um lance muito curioso.

O Galo não construía boas chances e tampouco acertava o alvo: apenas uma finalização atleticana correta no 1º tempo – o chute de Keno. Mesmo assim, o Atlético chegou mais perto de abrir o placar devido ao seu domínio. Aos 41, Mariano lançou Savarino e o venezuelano tocou para Tchê Tchê. Mesmo fora da área, o volante atleticano arriscou de perna esquerda e a bola passou perto da meta de Graterol. Este lance foi a última trama mais animada da 1ª etapa.

O segundo tempo

Prazer, Hulk na área

A etapa final começou com a entrada de Hulk no lugar de Vargas e o Atlético mostrou muito ímpeto ofensivo desde o primeiro momento. No minuto 2, Hulk tabelou com Arana e bateu cruzado, bem forte. A bola passou pela área. Na sequência, Nacho Fernández sofreu uma falta e cobrou bem. O goleiro Graterol fez a defesa. Aos 6 da 2ª etapa, após boa trama pelo meio, Matías Zaracho bateu forte. O chute foi muito bom e tirou tinta da trave de Graterol, arqueiro que estava apenas olhando.

No entanto, a boa atuação de Zaracho foi interrompida no minuto 9. Infelizmente, o argentino lesionou o tornozelo e teve que deixar o campo imediatamente. Nathan entrou no seu lugar e a massa atleticana, certamente, deseja que Zaracho se recupere rapidamente.

O Atlético perdeu o seu melhor jogador na partida, mas, coincidentemente, marcou dois gols na sequência. Aos 12 da 2ª etapa, Nathan fez um ótimo passe e encontrou Hulk nas costas da defesa adversária. O camisa 7 foi derrubado pelo goleiro Graterol e a trama dos jogadores que entraram no 2º tempo resultou em uma penalidade máxima. Na cobrança, Hulk bateu forte, no canto esquerdo do goleiro, e Graterol pulou para o outro lado. Gol do atacante atleticano e 1 a 0 no placar.

Cinco minutos depois, o Galo chegou novamente e marcou um lindo gol. Keno deu um ótimo passe para Savarino, o encontrando nas costas da defesa. O venezuelano entrou na área, perdeu o tempo de finalização, mas teve muita inteligência para encontrar um companheiro atrás. Savarino deu um lindo passe de calcanhar e achou Hulk entrando na área. O camisa 7 do Galo bateu rasteiro, de esquerda, e ampliou a vantagem. Um golaço atleticano. Neste momento, o marcador do Mineirão indicava 2 a 0 para o Galo: dois gols de Hulk.

Jogo estava tranquilo, mas…

Mesmo com a boa vantagem, o Galo seguiu em cima, evidenciando a sua superioridade. Aos 21, Keno fez boa jogada pela esquerda e, mesmo sem ângulo, chutou. O goleiro cedeu um escanteio. Na cobrança curta, Savarino arriscou de fora da área e Graterol fez uma grande intervenção. No escanteio seguinte, em outra cobrança curta, Savarino cruzou na cabeça de Hulk e o atacante, livre, cabeceou bem, obrigando outra grande defesa do goleiro do time colombiano.

O Atlético estava tranquilo na partida, dominando as ações ofensivas e sem correr riscos. No entanto, um erro individual apertou o jogo do Galo. Aos 31, Tchê Tchê recebeu de Igor Rabello e errou de forma bisonha na saída de jogo. O volante se enrolou com a bola e Luis Sánchez o desarmou. Visto que a defesa do Atlético estava aberta, o camisa 24 do América de Cali teve tranquilidade e chutou forte no canto esquerdo de Éverson. Um tento marcado logo na 1ª finalização certa na partida. Um belo gol na falha de Tchê Tchê. 2 a 1 no placar.

Com a possibilidade de arrancar um empate nos minutos finais, o América de Cali pressionou e assustou a massa atleticana. Aos 41, em contra-ataque, Duván Vergara recebeu na ponta-esquerda, levou para o meio e bateu forte de fora da área. A finalização foi boa e passou muito perto da meta de Éverson.

Nos acréscimos, Nathan parou o contra-ataque do rival com uma falta dura em cima de Moreno. Em seguida, os jogadores se envolveram em uma confusão e o meio-campista atleticano foi expulso diretamente. Os minutos finais ficaram marcados por tentativas sem sucesso do América de Cali, faltas duras atleticanas e pouco futebol.

O fim do jogo

Uma boa atuação em diversos aspectos, principalmente por ter abandonado a ridícula estratégia de apenas cruzar. Como exemplo, o Atlético cruzou 59 vezes contra o Deportivo La Guaira-VEN na última semana e, nesta noite, frente ao América de Cali, o Galo tentou essa jogada apenas 19 vezes. Portanto, o estilo de jogo foi diferente e, consequentemente, o desempenho e o resultado também foram alterados. Cabe ao Atlético, a partir de agora, não estar desatento nos minutos finais e evitar pressões desnecessárias como a situação dramática no fim deste jogo. Foco, Galo!

O Atlético volta a campo no próximo sábado, 1º de maio, contra o Tombense, às 16:30, em jogo válido pela 1ª partida das semifinais do Mineiro.

Números da partida
Atlético x América de Cali-COL

57% Posse de bola 43%
21 Finalizações 12
7 Finalizações no gol 2
9 Escanteios 1
2 Impedimentos 1
13 Faltas 19
434Passes 330
350(81%) Passes certos 240(73%)
Fonte: SofaScore.com

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.