Sem Cuca, Atlético estreia na Libertadores contra o Deportivo La Guaira para manter o bom retrospecto em estreias e na Venezuela

Foto: Pedro Souza / Atlético

Chegou a hora do forte elenco atleticano entrar em campo em busca da “Glória Eterna”. A fase de grupos da Libertadores 2021 começou nesta terça-feira, 20, e o Clube Atlético Mineiro iniciará, nesta quarta, 21, a sua caminhada atrás do bicampeonato da competição continental. A estreia alvinegra será fora de casa, na Venezuela, onde o Atlético tem excelente retrospecto. Além disso, o técnico Cuca não estará com o time no estádio, visto que carrega uma suspensão dos tempos de Santos.

Nesta quarta, 21, o Atlético enfrenta o Deportivo La Guaira em Caracas-VEN, no Estádio Olímpico. O jogo, que acontecerá às 19 horas, é válido pela 1ª rodada da fase de grupos da Libertadores 2021 e marcará o primeiro confronto do grupo H na competição.

Os retrospectos

Vencer na estreia é muito importante para ganhar confiança e para impor respeito. O Atlético sabe disso e tem jogadores experientes para comandar o time mineiro em busca da vitória no jogo inaugural. E os números ajudam o Atlético, pois o Galo tem ótimo retrospecto na Venezuela e boas estatísticas nas estreias.

Na sua história continental, o Clube Atlético Mineiro foi à Venezuela em três oportunidades e voltou ao Brasil com vitórias em todas estas oportunidades. O Galo enfrentou duas vezes o Zamora – ambas as partidas na última década – e em uma oportunidade o Mineros – em 1995, pela Copa Conmebol. Nestes três duelos na Venezuela, o Atlético venceu três vezes, marcou sete gols e sofreu apenas um tento. É importante destacar que a equipe alvinegra nunca duelou com o Deportivo La Guaira, adversário desta quarta.

É possível destacar outro bom histórico de jogos que o Atlético tentará manter neste duelo. O time mineiro carrega números quase invencíveis nas estreias na Copa Libertadores, já que o Galo entrará na sua 11ª edição disputada e perdeu apenas um jogo inaugural na competição continental. Em resumo, são dez estreias, quatro vitórias, cinco empates e uma derrota – para o Colo Colo, em 2015.

O Atlético

O Galo chega na estreia da Libertadores com a 1ª posição garantida na fase inicial do Mineiro, mas o momento não é dos melhores. A equipe comandada por Cuca não está convencendo os seus torcedores, perdeu o clássico para o Cruzeiro e boa parte da massa atleticana vê muito potencial e pouca evolução do time. Vencer e convencer na estreia da competição continental é o melhor caminho para o Galo.

No último final de semana, no domingo, 18, o Atlético venceu o Boa Esporte por 2 a 1 e se garantiu na liderança da fase inicial, porém a atuação foi ruim. O time conseguiu virar a partida apenas nos minutos finais, com um pênalti irregular, frente a uma equipe que foi rebaixada no estadual. Portanto, o desempenho deve melhorar e o elenco sabe desta cobrança e exigência da maioria dos torcedores.

A escalação

O primeiro desfalque atleticano está no banco de reservas. O treinador Cuca foi expulso na final da Libertadores, quando ainda dirigia o Santos, e ficará fora das duas partidas iniciais do Atlético na competição sul-americana.

O atacante Diego Tardelli e o volante Jair seguem se recuperando de lesão e não estarão à disposição de Cuquinha, irmão e substituto do treinador atleticano. A outra ausência é Alan Franco, jogador que sequer viajou e está disponível, visto que está treinando normalmente e na Libertadores não há limite de estrangeiros. Dylan Borrero foi relacionado e está disponível como o 6º jogador internacional, ou seja, Franco não viajou por escolha do treinador.

Portanto, a comissão técnica do Atlético tem apenas duas dúvidas: quem jogará no lado direito da zaga e quem será o ponta-direita? Na defesa, Réver jogou no último final de semana, mas Igor Rabello estava sendo titular e se ausentou por causa de uma suspensão. A disputa existe e os dois jogadores lutam por uma vaga ao lado de Junior Alonso. Na ponta-direita, a luta por uma posição passa por Hulk e Savarino. O ponta venezuelano, atleta que jogará “em casa”, não foi relacionado no jogo do final de semana por causa de problemas físicos, enquanto Hulk estava suspenso e ficou fora.

Provável escalação: Éverson; Guga, Rabello (Réver), Alonso, Arana; Allan, Tchê Tchê, Nacho Fernández; Savarino (Hulk), Vargas, Keno. Técnico: Cuquinha.

Deportivo La Guaira

Uma das equipes mais empolgadas para jogar essa fase de grupos da Libertadores. O Deportivo La Guaira irá estrear nesta fase – em 2017, jogou a pré-Libertadores – e carrega a responsabilidade de representar a Venezuela como atual campeão. O time fundado em 2008 foi fundado nacional pela primeira vez e deseja fazer história na competição continental, mesmo com um elenco bem mais modesto.

Mesmo com o atual título de Campeão Venezuelano, o La Guaira não chega no importante duelo, em casa, contra o Atlético com moral por causa de um fator: falta de ritmo. A equipe treinada por Daniel Farías fez apenas um jogo em 2021 – contra o Aragua-VEN e empatou por 0 a 0 – e pode sentir o cansaço mais cedo. A estratégia da partida deve contar com alguma ideia de equilibrar este quesito físico, visto que, desde o início do Mineiro, no fim de fevereiro, o Galo já fez dez partidas e tem um ritmo de jogo muito melhor, além da técnica.

O Deportivo La Guaira não tem nenhum grande desfalque e poderá ir com força máxima contra o Galo. A primeira partida na fase de grupos da Libertadores será um momento histórico para a sua torcida e os jogadores entregarão bastante em campo. A defesa atleticana deve tomar cuidado com Angel Peña, meio-campista talentoso da equipe venezuelana.

Provável escalação: Olses; Aramburu, La Mantia, Pernia, Cumana; Arles Flores, Cermeño, Pena; Ocanto, Darwin González, Ortiz. Técnico: Daniel Farías.

Deportivo La Guaira x Atlético
1ª rodada da Copa Libertadores de 2021
21/04/2021, 19:00 horas, Estádio Olímpico
Transmissão: Conmebol TV
Árbitro: Facundo Tello (ARG)
Assistentes: Ezequiel Brailovsky (ARG) e Pablo González (ARG).

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.