Robin Hood de Minas Gerais: a curiosa campanha da Caldense no Mineiro de 2021

Foto: Juarez Rodrigues/EM/D.A Press

O Campeonato Mineiro conta com 12 times, 12 histórias e várias curiosidades. Entre os grandes times, existe um elenco badalado e um investimento altíssimo, há também uma equipe tentando se reconstruir e também é possível notar um clube que tentará se afirmar na Série A deste ano. Além dos três grandes de Belo Horizonte, um quarto time chama a atenção neste início de estadual: a Caldense, também conhecida como o Robin Hood de Minas Gerais. 

Todos conhecem a história do herói inglês que marcou época. Os contos sobre Robin De Locksley perduram há quase um milênio, já que as primeiras histórias sobre ele foram contadas no século XII e XIII, mas como um bom personagem, Robin Hood se faz presente até os dias atuais. O lema do personagem mítico da Inglaterra era roubar da nobreza – os mais ricos – para dar aos pobres, em um ato fora da lei, mas que tentava nivelar as questões sociais.

Portanto, aquele que tira dos ricos e dá aos pobres é chamado de Robin Hood. E, no mundo do futebol, esse termo é utilizado com frequência para mostrar equipes que ganham dos clubes mais fortes e perdem para os times mais modestos. A Caldense é o mais novo exemplo de uma campanha digna do herói inglês.

Tirar dos ricos

O primeiro ato de Robin Hood é tirar dos ricos para depois conseguir dar aos pobres. A Caldense fez assim. Atualmente na 6ª posição, o time de Poços de Caldas tem 11 pontos e está um ponto atrás da URT, primeiro time dentro do G-4. A curiosidade é que a Veterana venceu apenas três jogos no Campeonato Mineiro de 2021 e os adversários foram os três times da capital. 

Em 3 de março de 2021, em jogo válido pela 2ª rodada do Mineiro, a Caldense foi ao Mineirão e venceu o Cruzeiro por 1 a 0, graças ao gol de Amarildo. A equipe de Poços de Caldas não se intimidou e finalizou 14 vezes contra o gol de Fábio, inclusive acertando o travessão do ídolo cruzeirense. Duas rodadas depois, em 13 de março, a Caldense voltou a Belo Horizonte e bateu o América por 1 a 0 no Independência, com direito a outro gol de Amarildo.

Mas não era somente fora de casa que o Robin Hood mineiro estava atacando. Em 1º de abril, na volta do futebol mineiro após uma curta pausa devido à pandemia, a Caldense recebeu o Atlético no Ronaldão e, mesmo enfrentando o time alvinegro completo, a Veterana derrotou o Galo por 2 a 1. Keno até abriu o placar, mas o time do sul de Minas virou com Verrone e Gabriel Tonini. 

Três confrontos com as três equipes mais fortes, ricas e bem estruturadas do Mineiro: três vitórias da Caldense. A “campeã da capital” estava toda satisfeita, mas a síndrome de Robin Hood atacou.

Dar para os pobres

Em um ato desesperador para a sua torcida e grandioso para os pequenos adversários, a Caldense arrancou pontos importantíssimos dos maiores times do Campeonato Mineiro e acabou fazendo só dois pontos nos outros cinco jogos, ou seja, um aproveitamento ridículo contra as equipes mais modestas.

A Caldense foi derrotada pela URT, Pouso Alegre e Uberlândia nas últimas rodadas, sofrendo oito gols em três jogos. A título de comparação, contra os favoritos ao título, a Caldense sofreu apenas um gol. Além destas três derrotas, a Veterana empatou com o Tombense e com o Patrocinense. São 11 pontos conquistados, sendo que nove foram na dificuldade e somente dois foram, teoricamente, contra as equipes mais fracas. 

O jogo reativo e a tentativa de esperar o adversário podem explicar esta curiosa campanha melhor contra quem é forte e pior contra quem é mais fraco. O nível de concentração do time da Caldense também pode ser o motivo, pois o time não é tão talentoso e jogou muito bem contra os grandes. De todo jeito, os números espantam: não é normal vencer as três equipes mais fortes e tropeçar diante de todos os times mais modestos. 

Não é certo que o Robin Hood de Minas Gerais irá seguir atacando nas últimas rodadas da fase final do Mineiro, porém, como não encontra mais nenhum clube de BH na 1ª fase do estadual, a Caldense tem a missão de colocar fim neste jejum de vitórias contra equipes do interior. Se não conseguir, o time de Poços de Caldas, mesmo após vencer os três grandes, estará fora da fase final do Mineiro. Preste atenção, Robin Hood do sul de Minas!

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Comentários