Pós-jogos | Atlético vence o Pouso Alegre por 1 a 0 e se isola na liderança, enquanto o Cruzeiro vence o Coimbra por 2 a 0 e ganha confiança

Eduardo Vargas e Felipe Augusto, artilheiros do dia. Fotos: Pedro Souza / Atlético e Bruno Haddad/Cruzeiro.

Após dois resultados ruins no último meio de semana, desta vez, Atlético e Cruzeiro jogaram na mesma tarde e os dois maiores times de Minas Gerais venceram. O Atlético não teve muito brilho, mas conseguiu se impor e venceu o Pouso Alegre no Mineirão. Já no Independência, o Cruzeiro demorou a marcar o gol, mas conseguiu bater o Coimbra e afundou ainda mais o time de Contagem. 

Nesta quarta-feira, 07 de abril, o placar do Mineirão marcou 1 a 0 para o Galo sobre o Pouso Alegre, graças ao gol de Eduardo Vargas. Enquanto isso, a Raposa venceu o Coimbra por 2 a 0, com direito a gols de Felipe Augusto e William Pottker.

Confira a análise e os detalhes das duas partidas!

Atlético x Pouso Alegre

Faltou brilho, energia e ânimo para buscar um resultado mais elástico. Porém, a superioridade técnica fez com que o Atlético, mesmo desorganizado, chegasse em diversas oportunidades. Foram várias chances perdidas contra um time corajoso, que tentou jogar, mas a inferioridade não deixou. Enfim, um jogo fraco de uma equipe que pode entregar muito mais, porém este mesmo time segue na liderança isolada do Campeonato Mineiro.

Com o resultado, o Atlético se isolou na primeira posição e, certamente, o time alvinegro estará na fase final do Mineiro. Com 21 pontos e sete vitórias em oito jogos, a tendência é que o Galo seja o líder da fase inicial do Mineiro e tenha o direito do empate na semifinal e final. Já o Pouso Alegre segue com uma boa campanha no Campeonato Mineiro, mas perdeu a sua vaga no G-4, pois o URT e o Cruzeiro venceram.

Em resumo, o Atlético poupou Nacho Fernández e sentiu muita falta do seu armador. Mesmo com 19 finalizações, o time de Cuca não aparentou estar organizado em campo e as substituições não fizeram efeito. Por isso, o grande problema do Galo nesta partida, assim como no confronto frente à Caldense, foi o jogo coletivo inexistente. O destaque atleticano foi o autor do gol e atleta que finalizou cinco vezes: Eduardo Vargas.

O 1º tempo

O jogo começou movimentado. Logo aos 35 segundos da 1ª etapa, o Pouso Alegre chegou com perigo. Após roubar a bola, Paulo Henrique encontrou Matheus Sousa. O camisa 11 bateu devagar e o goleiro Éverson fez a defesa. Aos 3, Arana tocou para Keno e o ponta atleticano chutou de fora da área. O goleiro Cairo espalmou e Vargas finalizou na sequência, obrigando o arqueiro a fazer outra boa defesa. No minuto 8, Matheus Sousa fez o cruzamento e Júnior Alonso tentou tirar, mas acertou a trave de Éverson. Quase gol contra do zagueiro paraguaio.

No entanto, após este início animado, o jogo ficou mais calmo. Aos 26, Talison bateu lateral na área, Réver raspou na bola e Eduardo Sasha finalizou de primeira, com a perna direita. A bola bateu na trave de Cairo. No minuto 34, Lucas Rodrigues bateu escanteio e Sasha estava na 1ª trave, mas o atacante atleticano furou. Aproveitando a falha, Erick cabeceou, todavia a bola foi para fora.

O jogo não estava tão bom, entretanto, o Atlético seguia com o domínio. E, em uma das construções ofensivas, o time atleticano conseguiu fazer o gol. Aos 37, Keno recebeu na esquerda e fez o cruzamento. A bola desviou na marcação e encontrou a cabeça de Eduardo Vargas. O atacante chileno testou muito bem e colocou a bola no canto esquerdo do goleiro Cairo. Um belo gol de cabeça e 1 a 0 para o Atlético no Mineirão. Com isso, o 1º tempo chegou ao fim.

2º tempo

Após o intervalo, o técnico Cuca tentou mexer na equipe. Hyoran, Mariano e Savarino entraram nas vagas de Hulk, Sasha e Talison. As mudanças deram um efeito rápido: o jogo passou pelos pés de Hyoran, tanto que foram quatro finalizações nos 15 minutos iniciais e todos os arremates foram do meio-campista. Porém, Hyoran não estava com o pé calibrado, errou três dessas finalizações e não levou perigo. Ainda tentando mudar a equipe, aos 18, Cuca colocou Alan Franco no lugar de Zaracho.

A superioridade técnica colocava o Atlético em cima do Pouso Alegre, mas o time não mostrava muita vontade de ampliar a vantagem. Aos 23, depois de um “bate rebate” na área, Vargas tocou para Hyoran e o meio-campista errou o alvo novamente. Dois minutos depois, Eduardo Vargas tentou e Cairo espalmou. No minuto 26, Réver lançou Savarino e o venezuelano bateu, frente a frente com o goleiro do Pouso Alegre. Cairo defendeu mais uma vez.

Cuca seguiu fazendo testes e colocou Marrony no lugar de Keno, mas o seu time não mudou de postura. Aos 38, Vargas fez uma boa jogada pela direita e tocou para trás, encontrando Savarino. O camisa 70 isolou e perdeu mais uma boa chance. Aos 47, Alan Franco recebeu no meio e bateu. A finalização foi para fora e deu números finais a um jogo desanimado. Para o Atlético, a vitória é a parte positiva, mas a atuação deixou a desejar.

O Atlético volta a campo no próximo domingo, 11, às 16 horas, contra o Cruzeiro.

Cruzeiro x Coimbra

Quando a equipe está mal, qualquer evolução é digna de elogios. E isso aconteceu nesta última partida. O Cruzeiro não fez um jogo para encher os olhos da sua apaixonada torcida, porém, os comandados de Felipe Conceição conseguiram mostrar um pouco do que o treinador pede e venceu o Coimbra por 2 a 0. Ainda há um longo caminho para ser trilhado e diversas mudanças a serem feitas, porém os cruzeirenses poderão dormir mais tranquilos após esta vitória.

Com o resultado, o Cruzeiro se consolidou no G-4 do Campeonato Mineiro e abriu três pontos de vantagem para o Pouso Alegre, primeira equipe fora do G-4. Com 14 pontos conquistados, a Raposa está em 3º e, até então, está conseguindo a classificação para a fase final do Mineiro, fato que não aconteceu na última temporada. Já o Coimbra segue afundado na zona do rebaixamento com cinco pontos ganhos e dois gols marcados em oito jogos.

Em síntese, o jogo da Raposa não foi tão bom quanto o resultado, contudo, o time conseguiu mostrar que está tendo um trabalho de verdade nos treinamentos e o futuro pode ser melhor. A partida de Bruno José, principalmente no 1º tempo, animou os cruzeirenses, pois o ponta-direita mostrou muita habilidade e ousadia para ajudar a equipe azul celeste. Os autores dos gols, Pottker e Felipe Augusto, são nomes contestados pela torcida, porém resolveram a partida e deram confiança a toda a equipe.

O 1º tempo

O Cruzeiro teve amplo domínio da partida desde os primeiros minutos. Aos 5, Marcinho encontrou Airton na esquerda e o ponta velocista levou para o meio. Com a sua boa perna direita, o camisa 7 bateu e a bola passou perto da trave esquerda de Jori. No minuto 18, o Coimbra chegou próximo do gol com Lucas Hipólito. Após escanteio rebatido pela defesa cruzeirense, o lateral finalizou bonito, de primeira, mas a bola não assustou Fábio.

Aos 25, em bela trama pela direita, o Cruzeiro quase abriu o placar. Matheus Barbosa recebeu no meio e deu um lindo passe com a parte de fora do pé para Bruno José. O ponta recém-contratado pela Raposa entrou na área e bateu cruzado, buscando o canto direito de Jori. A bola acertou a trave e não entrou.

O time de Belo Horizonte ainda conseguiu chegar três vezes no final da 1ª etapa. Aos 37, Raúl Cáceres foi lançado e chegou frente a frente com Jori. O lateral bateu, mas o goleiro do Coimbra abafou bem e defendeu com o peito. No minuto 39, Marcinho lançou muito bem, Bruno José acelerou pela direita e cruzou. A defesa do Coimbra cortou uma bola que, certamente, seria cabeceada por Airton. Quatro minutos depois, Airton tocou para Bruno José e o ponta estava invertido, no lado esquerdo do campo. Bruno levou para a perna direita e chutou, mas a bola subiu demais. Com este lance, não houve mais boas tramas até o fim do 1º tempo.

2º tempo

Os 45 minutos finais começaram com o Coimbra chegando, mas o time de Contagem conseguiu atacar apenas duas vezes no 2º tempo. Aos 4, Thomás aproveitou a sobra e finalizou de fora da área. Fábio, em dois tempos, fez a defesa. A outra chegada do Coimbra aconteceu aos 26, quando Filipi bateu a falta na área e Diogo cabeceou. A tentativa do zagueiro foi pela linha de fundo.

O técnico Felipe Conceição tentou mudar o seu time com algumas mudanças. Aos 6, William Pottker entrou na vaga de Marcinho e, no minuto 20, Airton deixou o campo para a entrada de Felipe Augusto. Em meio a estas mudanças, o Cruzeiro chegou com Rafael Sobis, após cruzamento rasteiro de Matheus Barbosa. O camisa 10 da Raposa bateu, mas foi muito bem bloqueado por Gustavo.

A equipe azul celeste estava nervosa com a necessidade de fazer um gol, no entanto, conseguiu encaixar duas bolas longas e definiu o placar. Aos 30, William Pottker foi lançado pelo jovem zagueiro Weverton e bateu com a perna direita. O toque foi sutil e balançou as redes do Coimbra. Aos 48, após as entradas de Jadson, Matheus Neris e Rômulo, o volante ítalo-brasileiro fez um lindo lançamento encontrando Felipe Augusto. A bola de Rômulo foi perfeita e o atacante do Cruzeiro teve calma para bater alto, no canto direito do goleiro, e decretar o 2 a 0 no placar. Uma importante vitória e uma evolução considerável.

O Cruzeiro volta a campo no próximo domingo, 11, às 16 horas, contra o Atlético, no Mineirão.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.