Força máxima ou poupar? Na semana do clássico, Atlético e Cruzeiro entram em campo nesta tarde contra Pouso Alegre e Coimbra

Imagem do último clássico entre Cruzeiro e Atlético. Vale a pena poupar jogadores para o duelo de domingo? Foto: Bruno Cantini / Atlético

Após quase 400 dias, as duas maiores torcidas vivem o clima da semana de clássico. No próximo domingo, 11 de abril, às 16 horas, o Cruzeiro recebe o Atlético no Mineirão, em um duelo marcante, já que os rivais não se encontram desde março de 2020. Porém, antes do importantíssimo jogo do final de semana, os times entram em campo na tarde desta quarta-feira, 07, pelo Campeonato Mineiro.

Às 16 horas, no Mineirão, o Atlético enfrenta o Pouso Alegre e tentará se isolar ainda mais na liderança. No Independência, às 17:30, o Cruzeiro visita o Coimbra e quer se consolidar no G-4 do Mineiro. As duas partidas são válidas pela 8ª rodada do estadual e acontecerão neste horário comercial para respeitar o toque de recolher.

Quatro dias antes do clássico, qual é o melhor caminho para Atlético e Cruzeiro? Preservar os seus principais jogadores para o duelo de domingo ou dar ritmo aos atletas que duelarão com o grande rival no final de semana? Uma dúvida pertinente!

Atlético x Pouso Alegre

O duelo que acontecerá às 16 horas, no Gigante da Pampulha, marca o encontro do líder e grande favorito ao título com a atual sensação do futebol mineiro. O Atlético é o 1º colocado desde a rodada inaugural e está dominando o estadual: são 18 pontos conquistados em 21 disputados. Já o Pouso Alegre, equipe recém-promovida do Módulo II, venceu três dos últimos quatro jogos – todos eles marcando três gols – e está na surpreendente 3ª colocação do Mineiro.

Atlético e Pouso Alegre possuem uma enorme e evidente diferença técnica, de investimento e de história, mas o jogo promete muitos gols: o Galo é o melhor ataque com 19 gols marcados, enquanto a equipe do sul de Minas Gerais está na vice-liderança neste quesito com 11 gols feitos.

Após o retorno da curta pausa do futebol mineiro, o Pouso Alegre fez duas partidas e venceu os dois jogos, fazendo seis gols e sofrendo apenas um tento. Os adversários da modesta equipe foram URT e Caldense, equipe que venceu o Atlético na primeira partida depois da pausa do futebol, no único revés do forte time da capital na temporada. Todavia, na última rodada, o Galo bateu o rival América por 3 a 1 e retomou a confiança.

A grande curiosidade do confronto desta tarde é o retrospecto. O Atlético nunca venceu o Pouso Alegre e deseja quebrar este tabu. As equipes se enfrentaram seis vezes na história e o Pouso Alegre venceu três partidas, enquanto houve empate em outras três oportunidades. Um raro e curioso tabu para o Atlético de Cuca quebrar!

Poupar os jogadores?

Com um fortíssimo elenco e com um time reserva qualificado, o qual iniciou este Campeonato Mineiro com quatro vitórias em quatro jogos, Cuca pode optar por montar uma escalação modificada nesta tarde de quarta-feira. Além de testar alguns nomes, ao rodar o elenco, o técnico conseguirá dar mais ritmo de jogo e confiança a algumas peças importantes do elenco. O clássico é um bom motivo para deixar alguns jogadores descansando, mas, de qualquer forma, o Atlético tem elenco para encarar alguns desafios neste Mineiro com o time reserva.

O Galo terá três desfalques: o volante Jair lesionou a coxa e está fora, enquanto os ídolos Réver e Diego Tardelli retornaram aos treinamentos, mas estão em fase de transição e não jogarão.

Jogadores como Rafael, Dodô, Calebe, Sávio e Marrony “pedem” uma oportunidade pelo bom início de Mineiro e poderiam ser utilizados, caso Cuca opte por poupar a equipe. Hyoran, Nathan e Alan Franco não tiveram grandes oportunidades nesta nova temporada e também buscam espaço.

O caso do equatoriano é ainda mais especial já que Franco está fora até mesmo do banco de reservas devido ao limite de estrangeiros nas competições nacionais. Caso opte por não relacionar algum dos estrangeiros mais utilizados, Cuca pode colocar Franco em campo pela primeira vez na temporada. Outra novidade que pode ganhar chance é Tchê Tchê, já que o volante foi registrado nesta terça, 06, e está com condições físicas e burocráticas para estrear com a nova camisa.

As escalações

Porém, mesmo com os possíveis pontos positivos da mescla de jogadores, o treinador Cuca não deu nenhum indício de que irá deixar os principais nomes do Atlético no banco. Por isso, o time titular deve contar com Éverson; Mariano, Igor Rabello, Alonso e Arana; Allan, Zaracho e Nacho Fernández; Savarino (Hulk), Sasha (Vargas) e Keno.

Já o campeão do Módulo II de 2020 e atual 3º colocado do Mineiro, deve ir com força máxima contra o Atlético. Por isso, o técnico Emerson Ávila tende a colocar em campo uma formação que contará com Cairo; Lucas Gonçalves, Ewerton, Guilherme Paraíba e Elivélton; Leandro Salino, Arilson; Matheus Sousa, Matheus Roldan e Erick (Andrey); Paulo Henrique.

O ala-esquerdo Elivélton, conhecido como Foguinho, marcou dois gols contra a Caldense e quer manter o bom ritmo. Já o atacante Paulo Henrique é cria da base atleticana: fez três partidas com a camisa alvinegra e, coincidentemente, foi lançado por Cuca em 2012. Certamente, Paulo Henrique deseja colocar em prática a lei do ex.

Coimbra x Cruzeiro

Já o confronto que acontecerá no Independência, a partir das 17:30, marcará o encontro entre dois vizinhos. O Cruzeiro, um dos grandes times da capital mineira, irá duelar com o Coimbra, time de Contagem, cidade que fica ao lado de Belo Horizonte. Além da proximidade, o jogo tem uma importância muito grande na tabela, já que o Coimbra acabou de entrar na zona do rebaixamento, enquanto a Raposa entrou no G-4 na última rodada.

Com 11 pontos conquistados, o Cruzeiro entrou no grupo de classificação para a fase final do Mineiro após vencer o Boa Esporte no último domingo, graças a um belo gol de falta de Rafael Sobis. A Raposa está em 4º e quer se consolidar no G-4. Já o Coimbra perdeu para o URT e entrou na zona de rebaixamento da competição. Com apenas cinco pontos conquistados e uma vitória no estadual, o Coimbra necessita, urgentemente, de uma recuperação.

Uma questão é certa: o jogo não promete muitos gols. O Coimbra marcou apenas dois gols no Mineiro e é dono do pior ataque da competição. Já o Cruzeiro convive com os opostos: uma boa defesa e um ataque ruim. O time sofreu apenas três gols no estadual e é a defesa menos vazada, porém, mesmo com um elenco superior aos adversários, a Raposa tem o 3º pior ataque do Mineiro com apenas cinco gols em sete jogos.

Como o Coimbra é um time recém-chegado na elite do futebol mineiro – é a segunda temporada que a equipe está na elite -, o retrospecto entre as equipes é curtíssimo. A Raposa enfrentou o clube de Contagem apenas uma vez na história e saiu derrotada. Em 15 de março de 2020, no último jogo antes da paralisação do futebol, o Coimbra venceu o Cruzeiro, fora de casa, por 1 a 0. Por isso, a equipe da capital busca a primeira vitória no confronto.

Força máxima?

Devido ao momento na temporada, o Cruzeiro não está tão tranquilo na tabela quanto o rival Atlético e, até mesmo pelo entrosamento, o melhor caminho para a Raposa é ir com força máxima no meio de semana. A equipe de Felipe Conceição tem o clássico contra o Atlético no domingo e viaja até Natal para duelar com o América-RN na próxima quarta-feira, 14, pela Copa do Brasil.

Por causa destes compromissos importantes, a força máxima é o melhor caminho para o Cruzeiro, visto que o time precisa se entrosar. O nível técnico ainda está abaixo do esperado e Conceição, certamente, quer fazer ajustes na equipe, a fim de descobrir o onze inicial.

As dúvidas ainda permanecem na cabeça de Felipe Conceição e do torcedor, pois o time pode jogar melhor. A lateral esquerda, por exemplo, está sendo disputada por Matheus Pereira e Alan Ruschel. Um deles é uma promessa e tem potencial, enquanto o outro é experiente e já mostrou seu talento. Porém, nesta temporada, nenhum dos dois jogadores merecem a titularidade. As atuações de Matheus Barbosa, Marcinho e Airton também devem estar incomodando o pensamento de Felipe Conceição.

As escalações

Mesmo com as dúvidas, o Cruzeiro tende a ir com uma escalação semelhante ao time que venceu o Boa Esporte na última rodada. A ausência do suspenso Manoel deve proporcionar a segunda partida como profissional para o zagueiro Weverton. No banco de reservas, o time da capital deve contar com Marcelo Moreno.

Sendo assim, o Cruzeiro de Conceição deve ser escalado com Fábio; Rául Cáceres, Weverton, Ramon e Alan Ruschel (Matheus Pereira); Adriano, Matheus Barbosa (Rômulo) e Marcinho (Claudinho); Airton (Felipe Augusto), Rafael Sobis e Bruno José.

Já o Coimbra de Eugênio Souza deve contar com Jori; Filipi, Augusto, Carciano e Lucas Hipólito; Thomás, Kauê e Marquinho; Guilherme Santos, Rafhael Lucas e Igor. Uma curiosidade é que o atacante Guilherme Santos pertence ao Atlético e, com certeza, deseja fazer gol no rival.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Comentários