Um argentino estragou a Páscoa do Coelho! Atlético de Nacho vence o América por 3 a 1 e se isola na liderança

Foto: Pedro Souza / Atlético

O Coelho é o símbolo da Páscoa. Porém, um argentino recém-chegado no Brasil resolveu estragar a Páscoa do Coelho. Com dois gols, Nacho Fernández teve um desempenho excelente, foi o grande nome do jogo e decidiu a partida para o Atlético contra o América. O clássico ainda contou com o golaço de João Paulo e com o gol de Guilherme Arana, mas Nacho Fernández é o nome do pesadelo do Coelho na Páscoa. Uma atuação de gala do argentino do Galo!

Neste domingo de Páscoa, 4 de abril, o Atlético venceu o América por 3 a 1 no Mineirão. O clássico foi válido pela 7ª rodada do Campeonato Mineiro e aumentou ainda mais os bons números atleticanos no retrospecto do duelo: são 205 vitórias do Galo contra apenas 104 do Coelho.

Com o resultado, o Atlético voltou a ficar isolado na liderança. O time alvinegro é o 1º colocado do Mineiro desde a primeira rodada, mas, após a derrota para a Caldense, o América havia se aproximado. Com a vitória no clássico, o Atlético chegou aos 18 pontos conquistados em 21 tentos, enquanto o Coelho ficou na vice-liderança com 15 pontos. O primeiro time fora da zona de classificação para a fase final é a Caldense com 11 pontos.

Os jogos e as atuações individuais

Um grande clássico foi visto nesta tarde no Mineirão. O Atlético teve uma ótima atuação coletiva e mereceu a vitória, enquanto o América, mesmo com a derrota, jogou bem e foi possível notar uma evolução na equipe de Lisca. Obviamente, o Coelho queria pontuar, mas, em resumo, o jogo foi bom para as duas equipes visualizarem que há um caminho e a tendência é de mais alguns clássicos tão bons como este nesta temporada.

O Atlético de Cuca foi dominante na maior parte do tempo e conseguiu neutralizar o adversário. O único momento de desatenção do Galo foi no início do 2º tempo, momento em que o América aproveitou e marcou o seu gol de empate. Mesmo assim, mostrando a sua superioridade técnica, o Atlético não teve grandes dificuldades para marcar o 2º e o 3º gol. Vale destacar que estes dois gols aconteceram após excelentes tramas de jogadores que vieram do banco, ou seja, boas modificações do técnico Cuca.

Como ponto positivo do clássico, é necessário começar com Nacho Fernández. O argentino esteve em todos os lugares do campo, marcou os dois primeiros gols e acabou com a partida, mais uma vez. Outros destaques importantes são os arqueiros, já que Éverson e Matheus Cavichioli estiveram inspirados nesta tarde. O goleiro atleticano salvou incrivelmente o Galo na única falha da equipe alvinegra – no erro de Alonso. As duas equipes foram bem coletivamente e o jogo foi de alto nível.

O primeiro tempo

As escalações

Logo na escalação, os treinadores de Atlético e América promoveram mudanças nas formações das últimas partidas. A equipe que o técnico Cuca colocou em campo contou com quatro novidades: Mariano, Gabriel, Hulk e Vargas deixaram o time titular. Por isso, o Atlético foi escalado com Éverson, Guga, Igor Rabello, Alonso e Arana; Allan, Zaracho e Nacho Fernández; Savarino, Sasha e Keno.

Já o América de Lisca contou com um reforço importantíssimo: o ponta Ademir voltou ao time após estar envolvido em uma possível saída e reforçou o ataque americano. Além de Ademir, o técnico do Coelho escalou Diego Ferreira e Zé Ricardo de volta ao time titular. Com isso, o América foi escalado com Matheus Cavichioli, Diego Ferreira, Anderson Jesus, Eduardo Bauermann e João Paulo; Zé Ricardo, Juninho e Alê; Marcelo Toscano, Ademir e Rodolfo.

Os minutos iniciais eletrizantes

O clássico começou com tudo. Aos 9, Keno tocou para Guilherme Arana, o lateral foi no fundo e cruzou para a área. O ótimo cruzamento encontrou Savarino e o venezuelano, mesmo após passar da bola, cabeceou. A tentativa foi boa, mas a bola foi para a linha de fundo. Três minutos depois, o América respondeu. Ademir fez a sua jogada característica – levou da direita para o centro – e finalizou bem de longa distância. Éverson, em dois tempos, fez uma boa defesa.

E no minuto 16, o Galo abriu o placar. Em cobrança de falta da intermediária, Nacho Fernández bateu rasteiro, no canto do goleiro, mas Ademir, atacante do América, tentou desviar e “matou” o seu goleiro. Matheus Cavichioli estava indo para o seu canto, mas a bola foi desviada, indo no contrapé. Portanto, uma bola indefensável e um gol de falta de Nacho Fernández. Mais um tento marcado pelo argentino recém-chegado. 1 a 0 no placar para o Atlético.

Mesmo com a vantagem, o Galo seguiu em cima. Aos 19, Keno e Guilherme Arana fizeram outra boa trama pela esquerda e o ala foi ao fundo. Arana tocou para trás, encontrando Nacho Fernández na entrada da área. O argentino bateu e foi bloqueado.

No lance seguinte, o Atlético e principalmente o zagueiro Alonso foram salvos pelo goleiro Éverson. O zagueiro paraguaio errou o domínio e falhou feio, deixando a bola nos pés de Rodolfo. O atacante americano entrou na área e foi, muito bem, abafado pelo goleiro do Galo. Éverson não deu espaços para Rodolfo e ficou com a bola, evitando qualquer finalização na melhor chance do Coelho. Uma grande intervenção!

O jogo esfriou um pouco

Após estas jogadas, o jogo elétrico diminuiu um pouco de ritmo. Aos 24, em contra-ataque, Keno tocou para Savarino e o venezuelano achou Nacho Fernández na ponta-direita. O argentino entrou na área e bateu, tentando encontrar o canto direito do goleiro do América. No entanto, Matheus Cavichioli foi esperto e fez grande defesa.

Aos 30, Eduardo Sasha foi lançado nas costas da defesa americana, tocou na bola e caiu pedindo pênalti. O juiz não marcou e, como o Mineiro não conta com o VAR, a decisão foi definitiva. Porém, como mostrado pela transmissão e explicado pelo comentarista de arbitragem da TV Globo, o pênalti deveria ter sido marcado pois Eduardo Bauermann tocou em Sasha, derrubando o atacante atleticano.

Com domínio da posse de bola, o Atlético chegou mais vezes. Aos 34 e no minuto 38, Keno testou o goleiro do América. No primeiro lance, Nacho tocou para Keno e ele arriscou de fora da área. Matheus Cavichioli fez a defesa. Na segunda oportunidade, o camisa 11 recebeu de Savarino e, quase na entrada da área, arriscou. O chute de Keno foi forte e o goleiro do Coelho espalmou para a linha de fundo.

Em minutos finais menos eletrizantes, o jogo foi caminhando para o fim do 1º tempo com vantagem atleticana. 1 a 0 para o Galo.

2 º tempo

Um início animado e o gol de empate

Enquanto o Atlético voltou para a 2ª etapa com a vantagem e com a mesma escalação, o América promoveu uma troca: Zé Ricardo, volante que havia recebido cartão amarelo no 1º tempo, deixou o campo para a entrada de Sabino.

Mesmo com a substituição americana, a equipe que chegou com perigo foi o Atlético. Aos 8, Guilherme Arana foi ao fundo e cruzou para a área. Nacho Fernández cabeceou com liberdade e acertou a trave esquerda do goleiro Matheus Cavichioli. No rebote, Eduardo Sasha e Savarino tentaram finalizar e os atacantes atleticanos se atrapalharam. A finalização do Galo ainda saiu, mas a bola subiu demais.

E a boa jogada do Atlético assustou positivamente o América, time que chegou no ataque pela primeira vez no 2º tempo e marcou o gol de empate. Aos 11, Ademir levou para o meio e tocou para João Paulo. O lateral-esquerdo dominou e finalizou de fora da área. O chute foi um “pombo sem asa” e a bola foi no canto esquerdo de Éverson, em um arremate indefensável. Um golaço de João Paulo e um importante gol para o Coelho. 1 a 1 no placar do Mineirão.

O jogo ficou bem equilibrado e ambas as equipes chegaram. O América, aos 14, chegou com Juninho. O volante arriscou de fora da área e o goleiro Éverson fez outra boa defesa. Dois minutos depois, Savarino driblou na intermediária e finalizou também sem entrar na área. O chute assustou, mas só passou perto da trave esquerda de Matheus Cavichioli.

As importantes mudanças dos treinadores

Com o empate no placar, Cuca e Lisca promoveram mudanças próximas do minuto 20. O Atlético colocou em campo Hulk, Nathan e Vargas para as vagas de Savarino, Zaracho e Sasha, respectivamente. Já o América tirou Marcelo Toscano e Rodolfo para as respectivas entradas de Gustavinho e Ribamar.

E as mudanças deram resultados no lado atleticano. No minuto 25, após bola parada do América no ataque, Eduardo Vargas puxou um excelente contra-ataque. O chileno correu bastante e tocou para Hulk. O camisa 7 do Atlético foi muito inteligente e quebrou a marcação de vários americanos ao devolver com maestria para Vargas. O camisa 10 do Galo entrou na área e tocou para trás, encontrando Keno, que bateu rápido e obrigou Matheus Cavichioli a fazer grande defesa. No rebote, Nacho Fernández estava no lugar certo e bateu de perna direita, fazendo o seu segundo gol na partida. 2 a 1 no placar para o Galo de Nacho.

Com o gol atleticano, Lisca ousou e fez uma modificação para colocar o seu time no ataque: tirou o lateral Diego Ferreira e colocou o atacante Léo Passos. Minutos depois, com a lesão de Ademir, Leandro Carvalho substituiu o camisa 10 do América. No Atlético, Marrony entrou no lugar de Keno e, minutos depois, Nacho Fernández, já esgotado, deixou o campo para a entrada do lateral-esquerdo Dodô. Com isso, Arana foi adiantado para a linha de meio-campistas.

Os minutos finais

Mesmo com a vantagem no placar, o Atlético chegou com perigo mais uma vez. Aos 42, após boa trama na esquerda, Dodô chegou na linha de fundo e cruzou. Nathan cabeceou e o goleiro Matheus Cavichioli fez a defesa. Porém, no minuto seguinte, o goleiro americano não conseguiu evitar o terceiro gol atleticano.

Na sequência da jogada, Hulk abriu na direita e encontrou Guga. O lateral tocou para Vargas, o chileno cruzou para a área e a defesa americana afastou o perigo. No entanto, a bola sobrou nos pés de Guilherme Arana e, dentro da meia-lua, o camisa 13 bateu forte, no canto direito de Cavichioli. Um lindo chute e um gol para decretar a vitória do Galo. 3 a 1 para o Clube Atlético Mineiro.

O América ainda tentou chegar nos minutos finais. Aos 46, Leandro Carvalho bateu uma falta no canto de Éverson e o goleiro alvinegro fez mais uma boa defesa. Com isso, o jogo terminou com a vitória atleticana.

O fim do jogo

Fim de um ótimo clássico e término da primeira grande partida do Campeonato Mineiro. Pela primeira vez nesta edição, duas equipes estiveram bem em campo e foi possível ver a qualidade dos rivais. Não à toa, Atlético e América estão na ponta do Mineiro, disputarão o Brasileirão e são os favoritos para chegar na final estadual. Mesmo assim, a análise deve acabar enaltecendo Nacho Fernández: mais uma ótima atuação do argentino que já aparenta estar adaptado ao time atleticano. Nacho é o cara do Atlético em 2021!

O Atlético volta a campo na próxima quarta-feira, 07, às 16 horas, contra o Pouso Alegre, no Mineirão. Já o América joga no dia seguinte, às 17:30, contra o Patrocinense, no Independência. 

Números da partida
Atlético x América

57% Posse de bola 43%
16 Finalizações 9
9 Finalizações no gol 4
5 Escanteios 4
2 Impedimentos 0
18 Faltas 12
572 Passes 336
542 (94,9%) Passes certos 292(86,9%)
Fonte: Footstats

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.